Pontes de Bilbao

A cidade de Bilbao, capital da província de Vizcaya, na comunidade do País Vasco foi, desde a sua fundação no séc. XIV, um enclave comercial de particular importância graças a sua atividade portuária, baseada principalmente na exportação de la de outras regiões e de minérios. Ao longo dos séc. XIX e XX, desenvolveu-se tanto a ponto de converter-se no segundo pólo industrial de Espanha, sendo superada somente por Barcelona. Na atualidade, é uma cidade de grandes atrativos e que se encontra em um processo de revitalização estética, social e econômica, cujo reconhecimento  foi obtido com a entrega, em 2010, de um premio concedido pela cidade de Cingapura, considerado o Nobel do urbanismo.

O rio Nervión teve um papel primordial no seu desenvolvimento e, antes de desembocar no mar Cantábrico, atravessa a cidade, constituindo um fator essencial a construção de inúmeras pontes que interligassem ambas margens.
Correspondem a vários estilos e épocas. Vejamos algumas delas:
A ponte de San Antón foi, durante séculos, a única existente. Também chamada de ponte velha, é um símbolo da cidade.

Imagem

A ponte del Arenal é a terceira construída no mesmo local, substituindo as anteriores de pedra e ferro, e foi inaugurada em 1940.

Imagem

Inaugurada em 1886, a ponte da Merced foi reconstruída em 1938, depois de ser alvo de ataque durante a guerra civil

Imagem

De época contemporânea, a ponte Zubizuri, cujo nome em euskera (idioma vasco) significa ponte branca, recebe a assinatura de Santiago Calatrava. Inaugurada em 1997, é uma construçao formada por arcos e sustentado por cabos de ferro. É uma referência da nova e moderna Bilbao. Porém, recebeu críticas devido à superfície de cristal que constitui a passarela de pedestres, altamente derrapante, o que não deixa de ser um problema numa cidade de clima chuvoso.

Imagem

Imagem

Imagem

A ponte Euskalduna, obra de Javier Manterola, também foi inaugurada em 1997.

Imagem

Levantada em 1936 e reconstruída em 1939, a ponte Deusto recebeu o nome de Generalíssimo, em referência a Franco. Em 1979, voltou a ter seu nome original. Se trata de uma ponte levadiça, semelhante às que existem em Chicago.

Imagem

Nossa última estrutura, é a ponte conhecida como La Salve. Seu nome provém da praça homônima, situada na margem direita do rio, cuja localizaçao marcava o ponto em que os marinheiros rezavam uma oraçao quando avistavam a Basílica de Bergoña, considerada a padroeira de Vizcaya. Localizada junto ao Guggenheim, é de princípio dos anos 70, obra de Juan Batanero. Os pilares que a sustentam formam um característico arco vermelho, obra do francês Daniel Buren.

Imagem

Imagem

Antes de finalizar, vale a pena mencionar a famosa e incrível ponte Vizcaya, situada próxima à cidade, na vila de Portugalete. Ela mereceu um post especial…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s