Portas de Toledo

O centro histórico  de Toledo deve ser percorrido a pé e muitoas são as portas de acesso ao seu interior. Nest post abordaremos as principais,  obras de arte da arquitetura militar, e que merecem ser contempladas como tal. Normalmente, a porta de entrada mais utilizada pelos visitantes é a denominada Porta Nova de Bisagra, cujo nome a distingue da Velha Porta de mesmo nome, localizada em suas proximidades.

Situada junto às muralhas da cidade, é uma Porta monumental, de origem árabe, bem como seu nome (Bib-xacra). Foi levantada no séc. XI e reformada no XVI pelo arquiteto Alonso  de Covarrubias. Em sua parte superior e que dá para o interior, vemos o escudo de Carlos V. No lado externo, aparece um grande escudo da cidade Imperial, com sua inconfundível águia bicéfala.

A Porta Velha de Bisagra é conhecida também pelo nome de Porta de Alfonso VI, pois a tradição conta que foi por esta porta que o dito rei penetrou na cidade após sua reconquista em 1085. Conserva em grande parte sua estrutura primitiva. Na sua fachada exterior, observa-se um curioso Arco de Ferradura. Corresponde a uma ampliaçao da muralha e um excelente exemplo da arquitetura militar muçulmana. Tratava-se da principal porta de acesso à cidade durante a ocupação árabe.

Também de origem árabe, a Porta do Cambrón foi, porém, muito modificada com o tempo. Em sua versão atual, data de 1576. Nos dois lados encontramos portadas renascentistas decoradas com brasões, da cidade no  exterior e de Felipe II no interior. Debaixo desta, a imagem de Santa Leocádia, padroeira de Toledo. É a única porta que permanece aberta ao tráfico rodado. Seu nome provém das cambroneras, um arbusto espinhoso que crescia no local. Da época árabe, conserva apenas o corpo inferior.

A chamada Porta do Sol foi construída provavelmente durante o período em que a cidade se transformou num Reino de Taifa. Foi reedificada no séc. XIV no estilo mudéjar. O relevo que a adorna representa a imposição da vestimenta a San Ildelfonso sob o sol e a lua. As torres foram feitas de alvenaria e sobre o arco ojival observamos uma sére de arcos cegos com uma janela no centro.

Finalizamos o post com a Porta de Alcántara, construída no séc. X e reformada durante a época cristã. Situada junto à ponte homônima, era o local por onde entravam as pessoas e mercadorias na Idade Média.