Fim de Semana – La Mancha

A Comunidade de Castilla La Mancha oferece uma excelente oportunidade para os turistas que se encontram em Toledo, ou mesmo em Madrid, de passar um fim de semana com muitos atrativos. Em um passeio de dois dias, podemos disfrutar de caminhadas ecológicas, da gastronomia manchega, através da visita a uma de suas inúmeras bodegas de vinho, e da parte cultural, conhecendo alguns de seus pueblos mais acolhedores. E tudo isso a poucas horas da capital.

Iniciando a excurçao sábado pela manha, nosso primeiro destino será o Parque Nacional de Los Cabañeros, situado entre as províncias de Toledo e Ciudad Real. O local integra a rede de 14 Parques nacionais de Espanha, e está catalogado também como Zona Especial de Proteção das Aves (ZEPA).

Com uma superfície aprox. de 41mil hectares, é um dos espaços naturais de maior relevância da Península Ibérica, já que protege os bosques mediterâneos, tão devastado no resto do país.

Dentre as várias rotas para conhecê-lo, visitamos o denominado “Sendero del Boqueron del Estena”, que parte do povoado de Navas de Estena. O caminho está apto para todos, já que apresenta baixa dificuldade nos seus 8km (ida/volta), ao longo da trilha que margeia o rio Estena. Apresenta uma típica vegetação mediterânea e também àquela associada às ribeiras fluviais da zona.

O Parque Nacional abriga uma grande biodiversidade, devido à variedade de ambientes que acolhe. Na sua fauna avícola destacam espécies em perigo de extinção, como a águia imperial ibérica e o buitre negro. Cabe ressaltar a grande quantidade de aves, 198, das quais 3% estão ameaçadas a nível mundial, como as duas espécies citadas acima.

Os mamíferos estão representados pelo javali, a lebre, o raro lince ibérico, a cabra montês e o cervo, animal encontrado nas regiões planas da reserva e que, junto as árvores dispersas, deram ao parque o apelido de “Serengueti Espanhol”.

Possui também uma importante e diversa população de anfíbios, répteis e peixes. Da mesma forma que a fauna, a flora também apresenta espécies ameaçadas.

Outro aspecto notável é a sua geologia. Os montes de Toledo, local onde se localiza o parque, formam a cadeia montanhosa mais antiga da Península Ibérica e o desgaste do relevo associado à erosão cria uma insólita paisagem. Além disso, na trilha que percorremos, podemos observar restos fósseis de 400 milhoes de anos, quando este território estava submergido pelas águas oceânicas. Recentemente, foi encontrado os restos fossilizados de atividade de um Gusano Gigante, o mais antigo descoberto até o momento.

Em 1982, o local passou a ser conhecido por todo o país, devido a intenção do Ministério da Defesa de transformar a área em um campo de tiro e de manobras do exército. Graças a pressão popular e política que foi gerada, e dada sua riquesa ambiental, o território foi declarado Parque Natural e em 1995 obteve o grau máximo de uma unidade de conservação, o de Parque Nacional.

As cabanas, utilizadas pelos pastoreiros e carvoeiros da região, eram tão características da comarca, que deram o nome à nova reserva criada. Eram construções temporárias, usadas durante a temporada de atividades no local.

Atualmente, existem 11 pueblos dentro dos limites da reserva e seu isolamento, ainda hoje, permitiu sua conservação. A escassa população utilizava técnicas tradicionais para a obtenção de seus recursos e a economia familiar se baseava principalmente na agricultura e pecuária de subsistência, assim como na elaboração de produtos para a venda. A aparição de novas tecnologias fez com que muitos destes ofícios, a maioria deles passado de pai para filho, estejam desaparecendo. Porém, graças a iniciativa de alguns e a tradição local, ainda sobrevivem.

Terminada a caminhada, fomos conhcer um dos belos pueblos da regiao. Antes, porém, fizemos uma parada para contemplar as vistas de um embalse (represa), elemento comum na paisagem espanhola.

Puerto Lápice é dos inúmeros pueblos que compõem a chamada “Ruta Del Quijote”, elaborada a partir da novela de Cervantes. A localidade possui belos exemplos de arquitetura tradicional, como sua pitoresca Praça Maior.

Não podia faltar, é claro, os famosos Moinhos, cujo episódio da obra cervantina é dos mais relembrados. No próximo post, seguiremos com o passeio…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s