Igreja de San Martín de Tours – Frómista

Situada em pleno Caminho de Santiago, a Igreja de San Martín de Tours de Frómista (Província de Palencia, Comunidade de Castilla y León) é considerada um dos mais notáveis templos românicos do continente europeu.

A igreja foi erguida na segunda metade do séc. XI por ordem de D.Mayor de Castilla, viúva do rei Sancho III de Navarra, como parte do antigo Monastério de San Martín, hoje desaparecido. Sua construção foi inspirada na Catedral de Jaca, com a qual comparte seu estilo. Junto com a catedral aragonesa (post publicado em 22/3/2012), a Catedral de Santiago de Compostela (15/5/2012) e a Basílica de San Isidoro de León (30/8/2012), este templo de Frómista representa o auge da arquitetura românica espanhola do séc. XI.

A finais do séc. XIX com seu progressivo processo de deterioração, a igreja foi declarada inadequada para o culto. Os trabalhos de restauração a que foi submetida iniciaram-se logo após a catalogação do templo como Monumento Nacional em 1894. Dita reforma foi realizada pelo arquiteto Aníbal Álvarez Amoroso, que inspirou-se na filosofia do arquiteto francês Violet Le Duc, que através das restaurações realizadas nas catedrais francesas, devolveu aos edifícios o aspecto  gótico que possuíam originalmente. A maquete que se pode ver no interior da igreja permite observar o estado da mesma antes dos trabalhos efetuados.

San Martín de Tours surpreende pela perfeição de suas formas, beleza arquitetônica e riqueza ornamental.

Sua aparência exterior é dominada pelo cimbório octogonal situado sobre o cruceiro e as duas torres cilíndricas que se elevam a ambos lados da fachada principal. As torres não constituem um elemento usual do românico espanhol, razão pela qual podem ter sido inspiradas no românico alemão, em que estes elementos fazem parte da estrutura geral das construções.

Além das torres, o exterior está composto por 4 portas de acesso, sendo que uma delas foi “inventada” pelo arquiteto restaurador.

Na parte superior dos muros das portadas, observamos pequenas esculturas que fazem parte da decoração geral do monumento. Em espanhol, são conhecidas como canecillos. Suas figuras encerram uma mensagem de difícil interpretação para o racionalista mundo em que vivemos, mas certamente possuíam um significado conhecido para a mente medieval, conhecedoras de muitas lendas e fábulas que a nossa cultura atual perdeu. Representam seres humanos nas mais variadas posturas, seres mitológicos, animais conhecidos e fantásticos que, em seu conjunto, são denominados de Bestiário Medieval, carregados de uma forte simbologia.

Abaixo, vemos figuras que representam uma cabra e animais fantásticos.

O canecillo a seguir representa a inequívoca imagem de um contorcionista.

As janelas estao formadas pelos denominados arcos de meio ponto, e estao decoradas com capitéis. Na foto que segue, no lado esquerdo, vemos a imagem de um macaco, elemento habitual na decoraçao do templo.

No interior, a igreja está formada por 3 naves, sendo a central mais larga e alta que as laterais, e terminam na cabeceira, composta por 3 ábsides semicirculares.

No ábside central, vemos algumas esculturas medievais, como um cristo crucificado do séc. XIII, uma que representa a Santiago (séc. XVI) e outra representando a San Martín (séc. XIV).

A seguir, o cimbório e sua perspectiva interior.

As naves estão cobertas por uma abóbada semi-esférica típica do românico, divididas em várias partes por arcos cuja função é receber o peso da cobertura e transmitir-los aos grossos muros e pilares da estrutura.

Os capitéis que decoram as colunas são belíssimos, com motivos vegetais, animais e narrativos. Além de sua função de adorno, representada sobretudo pelos capitéis vegetais, desempenhavam outra muito mais importante, a pedagógica, em que eram um instrumento de comunicação aos fiéis, dos preceitos da doutrina crista.

Desta forma, os capitéis com figuras de animais representam símbolos. Alguns deles refletem aspectos positivos relacionados ao bem e às virtudes, como os pelicanos, pombas, águias, etc. Por outro lado, existem aqueles relacionados com o mal e o pecado, como as serpentes, lobos e animais fantásticos.

Os capitéis narrativos são representaçoes de episódios bíblicos.

Anúncios

20 respostas em “Igreja de San Martín de Tours – Frómista

      • Luisa, me alegro que o blog está sendo útil para seus trabalhos escolares. Te enviei uma mensagem em seu e-mail pessoal, mas parece que não foi recebido. Sou um apaixonado pela arte e arquitetura românicas,e por isso, sempre publico matérias com este tema. No blog, podem ser encontrados vários posts sobre o românico em várias regiões de Espanha. Abaixo, cito alguns:
        Monastério de Poblet: publicado nos dias 4, 5 e 6/4/2013
        Romànico em Sória: 21/5/2012
        Moastérios Cistercenses: 2075/2012
        Arquitetura Romànica: 1/3/2012
        Arquitetura Romànica II: 6/3/2012
        Românico-Mudéjar: 10/9/2012
        Românico em Zamora: 14 e 15/5/2013
        Basílica de san Isidoro de León: 30/8/2013
        Pré-Romànico Asturiano: 13/4/2012
        Catedral de santiago de Compostela: 15/5/2012

  1. estou fazendo um trabalho para a faculdade sobre o estilo romanico e gostei muito, só ficou faltando a parte do mobiliario que era o que eu mais precisava rs.. mas obrigada de qualquer forma.

  2. Linda de mais essas igrejas românicas espanholas. Esses adornos e capitéis são maravilhosos. Como uma arquitetura dessa de 1120 pode durar tanto assim! Parabéns pelo seu blog!

    • Olá Caroliny, te enviei a resposta no seu email, mas por algum motivo ela sempre volta. Bem, no Românico se utilizava basicamente alguns tipos de materiais, dependendo da importância do templo. No caso de Fromista, utilizou-se a pedra de sillería ou sillar, cortada com esmero como se fosse um paralelepípedo. Nas igrejas mais simples, utilizava-se basicamente a mamposteria, a pedra não polida com argamassa (Cal, água e areia). Depois de declarada Monumento nacional em 1894, a igreja de San Martin de Fromista foi objeto de uma polêmica restauração. O arquiteto Aníbal Álvarez seguiu o critério da época, que consistia em devolver o estado original do edifício, ainda que para tanto tivesse que destruir partes inteiras da igreja. Outros excessos cometidos foram a substituição de capitéis originais por cópias. Os originais foram parar em museus e alguns foram destruídos, por representarem cenas imorais…

      Roberto

  3. Parabens pelo site
    me ajudou muito tanto em artes quando em história pois estou no 7°ano e minha apostila tem atividades sobre essa igreja!
    Muito obrigada

  4. Ótimo site! Adorei estudar a arquitetura românica! Preciso fazer uma maquete conceitual para uma disciplina na faculdade e me ajudou muito. Obrigada!

    • Janine, obrigado por visitar meu blog e pelo comentário. Fico muito contente quando alguma matéria do site serve de ajuda a trabalhos diversos, como no seu caso. Sou um apaixonado pela arte românica, e no blog poderá ver várias matérias publicadas deste estilo. Em breve, publicarei uma série de matérias sobre o Românico na província de Segóvia, onde estive visitando várias igrejas românicas. Um abraço,

      Roberto

    • Oi Julia, grato por visitar meu blog. Te passo algumas dimensoes da igreja de San Martín de Fromista, para que tenha uma ideia:

      comprimento total da igreja: 28.25m
      comprimento da nave principal: 23m
      largura da nave principal: 5.45m
      largura das naves laterais: 3m
      altura das torres da fachada principal: 23.65m
      altura da cúpula desde o exterior: 17m
      altura do ábside principal 8.25m
      altura dos ábsides laterais: 6.40m

  5. Saberia passar as medidas, de altura e largura de fachada? preciso fazer uma maquete dessa igreja, e estou com bastante dificuldade em relação a isso 😦

    • Oi Michele, grato por visitar meu blog. O comprimento total da igreja é de 28.25m. As torres da fachada principal possuem 23.65m de altura. A cúpula, desde o exterior, possui 17m de altura. A largura da nave principal é de 5.45m e a das duas laterais são de 3m cada uma. espero que tenha ajudado…

      Roberto

  6. Roberto,
    Não perguntei na mensagem anterior as medidas pois pensei que tu não tivesse elas! Não sabia que tu tinhas todas essas medidas! Que pena,poderia ter ficado mais real ainda. Fiz uma maquete mais representativa do que conceitual no fim, através de imagens e planta baixa aplicando um fator de escala. Ficou bem legal e utilizei papel paraná. Agora, colocarei tuas informações na parte escrita e citarei o teu site como referência para a disciplina de Teoria e História da Arquitetura Mundial I. Muuuito obrigadaa novamente!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s