Românico em Barcelona

Do legado românico em Barcelona, poucas sao as construçoes que sobreviveram, ocultas entre a magnificência dos edifícios góticos. De qualquer forma, o visitante interessado no tema poderá encontrar verdadeiras jóias do estilo, como o antigo Monastério de Sant Pau Del Camp, uma das edificaçoes românicas melhor conservadas da cidade. Sua documentação, porém, é escassa e confusa. Parece que foi fundado a finais do séc. IX, informação conhecida graças ao descobrimento de uma lápide sepulcral do conde fundador no local, muito embora aceita-se que já existia anteriormente uma construção, convertendo o monastério num dos mais antigos de toda a Catalunha.

DSC07350Originalmente, situava-se fora da proteção das muralhas, fato que explica a origem de seu nome, pois localizava-se no campo. No ano 985, foi atacado pelo caudilho árabe Almanzor e praticamente destruído, sendo abandonado pela comunidade que nele vivia. A partir de então, transformou-se numa pequena igreja dedicada a São Paulo. No final do séc. XI, foi reformado, estabelecendo-se um novo grupo de religiosos. Em 1114 foi novamente atacado, sendo outra vez reconstruído, passando, com o tempo, a fazer parte de outros monastérios, como os de San Cugat e o de Montserrat, por ex.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O monastério foi abandonado definitivamente com a lei da Desamortizaçao de Mendizábal, em 1836. Em 1842, transformou-se em escola e depois em quartel militar. Em 1879 foi declarado Monumento Nacional.

A fachada conserva sua estrutura românica. No tímpano, vemos Jesus rodeado por São Paulo e São Pedro. Estão representados os símbolos tetramórficos dos evangelistas: Leão (São Marcos), Toro (São Lucas), Anjo (São Mateus) e Águia (São João).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outro relevo circular representa a mao de Deus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui planta de cruz grega, e está formada por 3 ábsides. O templo que vemos atualmente provavelmente foi levantado em sua segunda fundação, durante o primeiro quarto do séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

A sala capitular pertence ao período gótico e na imagem abaixo, vemos a janela da sala e um dos sepulcros que se encontram no monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte mais importante de todo o conjunto é o claustro, devido a singuaridade de seus arcos lobulados, provavelmente devido a alguma influência mourisca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe pequenas dimensões e de planta quadrada, o claustro foi erguido no séc. XIII. Os arcos se apóiam em colunas geminadas, rematados por capitéis em que se representam motivos vegetais, temática bíblica, além de sereias, guerreiros, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo capitel a seguir, vemos um relevo de Adao e Eva, com a serpente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANeste outro, já deteriorado, um sapo mordendo a uma figura humana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em relação às obras de arte do período românico que se podem apreciar em Barcelona, no post realizado em 31/10/2012, vimos o impressionante acervo de pinturas românicas do Museu Nacional da Catalunha (MNAC).

Em relaçao à escultura românica, é insuperável o Museu Frederic Marès, situado em pleno bairro gótico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA coleção destaca-se pela quantidade e qualidade das obras. A obra mais importante de todo o acervo do museu procede do Monastério de Sant Pere de Rodes (Província de Girona). Trata-se de um relevo que adornava a portada do antigo monastério, e nele está representada a apariçao de Jesus no mar, com seus discípulos. A obra foi realizada por um artista anônimo, conhecido como o mestre de Cabestany, no séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Além da chamada escultura monumental, como a mencionada obra acima, o museu apresenta uma significativa mostra de talhas em madeira que decoravam o interior das igrejas. O motivo principal é a representação da Virgem com o menino Jesus, muito habitual nas representações esculturais do românico. Um bom exemplo vemos abaixo, uma imagem do séc. XII.

Representa a Maria como Sedes Sapientiae, ou seja, como trono de sabedoria, que se encarna no menino divino. A imagem caracteriza-se por uma tendência mais naturalista, que a distancia das imagens mais populares e estereotipadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outra representação freqüente do museu é a de Cristo crucificado, que faziam parte dos conjuntos denominados Descendimento da Cruz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem em frente ao Monastério de Pedralbes (retratado em 4/2/2013), localiza-se uma construção chamada de Conventet, um pequeno estabelecimento monástico franciscano. Construído aprox. em 1340, acolhia frades encarregados de atender espiritualmente a comunidade de religiosas do monastério. O edifício sofreu os estragos decorrentes da Desamortizaçao de Mendizábal em 1836, ficando abandonado e em estado de semi-ruína. Em 1920, passou a ser propriedade privada e foram encomendadas obras de reabilitaçao, a cargo do arquiteto Enric Sagnier i Villavechia, que aproveitou várias peças românicas originais, procedentes da desaparecida igreja de Santa Maria da localidade de Besalú (Província de Girona).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A incorporaçao das peças refletia uma moda em voga no início do séc.XX, a de projetos construtivos de tipo historicista. Dentre as peças aproveitadas, destacam o tímpano da portada principal e os capitéis que sustentam as galerias superiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post comentando que românica é a Capela de Santa Lúcia, que integra a Catedral de Barcelona. No entanto, a ela será dedicada uma matéria especial…até lá…