Gran Vía – Madrid

Uma das principais artérias de comunicaçao da cidade, e também uma das mais conhecidas, a Gran Via começa na Calle de Alcalá e termina na Praça de Espanha.

Desde sua construção no início do séc. XX, transformou-se num centro comercial, turístico e de entretenimento. De fato, o trecho compreendido entre a Praça de Callao e a Praça de Espanha é conhecido como a Broadway madrilenha, tamanha a quantidade de cines e teatros disponíveis. Em sentido contrário, também a partir da Praça de Callao, predominam as numerosas lojas de moda internacionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos uma panorâmica da Gran Vía e, à esquerda, o Edifício Grassy, construído para acolher apartamentos de luxo.

A Gran Via sempre foi o cenário das grandes estréias cinematográficas e teatrais, das festas elegantes, de gente chic e a cara mais cosmopolita da cidade. O escritor Ernest Hemingway a ela se referiu como uma mistura da Broadway com a Quinta Avenida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Antes de sua abertura, já se cogitava a mediados do séc. XIX uma via que comunicasse o centro e o noroeste da cidade, substituindo o labirinto de pequenas ruas que conformavam esta parte de Madrid, e facilitando o trânsito de carros e pessoas.

Apesar do projeto de construção ter sido aprovado em 1904, as obras se iniciaram somente em 1910, devido aos protestos e a oposição dos habitantes e comerciantes que trabalhavam e viviam na região. Além disso, as dificuldades financeiras resultantes da necessidade e demolição de mais de 310 casas, além de 30 solares, atrasaram ainda mais as obras. O projeto final determinou a construção da nova rua em 3 etapas. A seguir, um detalhe decorativo da rua e o interior de um de seus edifícios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de sua denominação atual, a Gran Vía recebeu outros nomes, sendo que cada trecho de seu comprimento total compreendia um nome diferente. Antes da Guerra Civil, por ex., os dois primeiros trechos chamavam-se Avenida da CNT, designação que mudou no período da guerra para Avenida Rússia. Ao finalizar a contenda, recebeu o nome de José Antônio Primo de Rivera, em homenagem ao fundador da falange espanhola. Em 1981, durante a transição política da ditadura para o regime democrático, a prefeitura mudou o nome de 27 ruas, entre as quais a Av. José Antônio, que a partir de então, se denominou oficialmente, Gran Vía. Atualmente, cerca de 50 mil carros circulam diariamente por ela. Estilisticamente, representa um inventário dos principais movimentos arquitetônicos da primeira metade do séc. XX. Um bom exemplo é o edifício da Cia de Capital francês Madrid-Paris, decorado com uma escultura da ave fênix.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADos 41 hotéis existentes, alguns são edifícios emblemáticos da capital espanhola, como o Hotel Atlântico, projetado pelo arquiteto Joaquim Saldaña y Lopez. Inspirado na arquitetura clássica francesa, inicialmente foi concebido como um edifício de residências de aluguel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro, destaca por sua bela fachada exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outros edifícios destacam-se por sua altura, como o que sedia a Cia Telefônica Nacional de Espanha, criado durante o reinado de Alfonso XIII, e que representou na época de sua construção, um dos maiores arranha-céus da Europa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o edifício Matesanz foi projetado pelo arquiteto Antônio Palácios, autor de inúmera obras de importância, como o Palácio das Comunicações e o Círculo de Belas Artes, ambos retratados em posts específicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muitos dos edifícios construídos sediam empresas de seguros, entre os quais o da Cia Estrella. Realizado segundo as características do estilo regionalista em voga no início do séc. XX, foi construído com finalidades mixtas, isto é, os andares inferiores estão destinados às oficinas, enquanto os superiores acolhem residências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um dos cartões postais da avenida, o Edifício Carrión.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das construções que mais chamam a atenção é o Oratório del Caballero de Grácia. Desde a Gran Vía, somente se vê o ábside desta igreja, obra do arquiteto Juan de Villanueva, autor do desenho do Museu do Prado. De estilo neoclássico, pertence à Associação Eucarística dos Caballeros de Grácia, fundado pelo sacerdote italiano Jacobo de Gratiis a finais do séc. XVI, e mais conhecido como Caballero de Grácia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre 1786/1795, e a fachada norte, que dá para a Gran Vía, foi realizada entre 1911/1916. Atualmente, a instituição está regida pela Opus Dei.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma imagem de Hotel Alfonso XIII, arquitetonicamente representativo da Gran Vía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post na Praça do Callao, ponto de encontro de muitos madrilenhos e também de turistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPreside a praça o Cine Callao, cujo edifício racionalista foi um dos primeiros desenhados especificamente como sala de espetáculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA