La Rambla de Barcelona

Percorrida por milhares de turistas diariamente, La Rambla é uma das mais emblemáticas avenidas de Barcelona, e também das mais conhecidas de toda a Espanha. Lotadas de artistas de ruas, bares e restaurantes, um passeio por ela é um mosaico de figuras humanas, algumas delas pitorescas. Tamanha quantidade de pessoas, no entanto, implica uma atenção redobrada, devido à ação dos oportunistas carteiristas, sempre a espera de algum turista distraído. La Rambla começa na central Praça de Catalunha e termina no Porto Antigo, num trajeto com pouco mais de 1km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA avenida recebe vários nomes distintos, motivo pelo qual seria mais adequado sua denominação no plural, Las Ramblas, e muitas são as atrações turísticas que se podem vislumbrar durante o percurso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARambla de Canaletes é o nome que recebe o primeiro trecho da avenida, próximo à Praça de Catalunha. Foi o último a ser aberto, no séc. XIX, quando os restos da antiga muralha de Jaime I foram derrubados. Segundo a tradição, quem bebe da Fonte de Canaletes, retorna a Barcelona. Em seguida, denomina-se Rambla dels Estudis, nome originário de uma antiga instituição educacional (séc. XVI), que funcionou como tal até 1884. Ainda em vigência é a Real Academia de Ciências e Artes, criada no séc. XVIII, mas cujo aspecto atual se deve a uma reforma realizada em 1894 pelo arquiteto modernista Josep Domènech i Estapa. Possui uma biblioteca com mais de 100 mil livros, uma das mais importantes do país no que se refere a obras científicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo princípio, haviam numerosos conventos e igrejas no local onde está situada La Rambla. A grande maioria desapareceu com a Lei da Desamortização, promovida por Mendizábal em 1835. A Igreja de Belén, parte de um conjunto jesuíta do séc. XVI, é uma das poucas que sobreviveram. O templo atual data de final do séc. XVII, um dos poucos exemplos de arquitetura barroca de toda a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Rambla de Sant Josep deve seu nome a um antigo convento carmelita que existiu até mediado do séc. XIX. Nela, encontramos um dos mercados mais populares de toda a capital catalã, o Mercado de la Boqueria, inaugurado em 1840.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo ao mercado, a casa de Bruno Quadros chama a atenção por sua singular decoração exterior, repleta de guarda-chuvas, e adornada com elementos orientais, como um dragão chinês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo passado, o edifício acolheu uma loja que vendia guarda-chuvas, aspecto que o arquiteto Josep Vilaseca i Canovas levou em conta na reforma que realizou no final do séc. XIX. Por isso, o edifício é também conhecido como a Casa de los Paraguas (guarda-chuva, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seguida, aparece a Rambla dels Caputxins, cujo nome se relaciona com um antigo monastério dos capuchinos que havia no local. Nesta parte da avenida, destaca o Teatro do Liceu, o teatro lírico por excelência da cidade. Depois de que um incêndio praticamente destruiu suas dependências em 1994, foi reaberto 5 anos depois, com uma vasta programação musical, e com uma excelente acústica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua última denominação, antes de finalizado seu percurso, é a de Rambla de Santa Mônica. Aqui, podemos conhecer o famoso Museu de Cera da cidade. Ao lado, o Café das Fadas é uma ótima pedida para recompor as forças, numa atmosfera realmente gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANeste post, vimos apenas algumas das inúmeras atrações existentes nas Ramblas, que finaliza sua trajetória na Praça da Paz, localizada junto ao porto, e conhecida pela estátua de Cristóvão Colombo situada em sua parte central. Definitivamente, La Rambla é um mundo a ser vivido e descoberto…

DSC02633