Talavera de la Reina – Prov. Toledo

A cidade de Talavera de la Reina é a mais populosa da Província de Toledo e a segunda de toda a Comunidade de Castilla- La Mancha. Com aprox. 90 mil habitantes, dos quais 10% de estrangeiros, é superada apenas pela cidade de Albacete. Povoada desde tempos remotos, na região onde se encontra, foram achados vestígios do Paleolítico e do Neolítico. Os povos celtas povoaram a região, principalmente o grupo denominado de Verracos. Durante o período romano, Talavera denominava-se Caesarobriga, formando parte da província de Lusitânia, com uma pujante economia já no séc. I dC. A cidade ocupa uma zona estratégica no vale médio do Rio Tajo, fator essencial para seu desenvolvimento, pois localiza-se num eixo de comunicação que engloba tanto o norte-sul, quanto o leste-oeste. Várias pontes cruzam a cidade, das quais a mais antiga é a chamada de Ponte Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém chamada de Ponte Velha ou de Santa Catalina, somente uma pequena parte de sua estrutura pertence à época romana, não estando à vista, por estar situada em seus alicerces. Reformada em várias ocasiões, foi reconstruída em 1483, cujo aspecto é o que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom 426m de comprimento, a construção da Ponte de Ferro foi iniciada em 1904, e supôs a aplicação dos princípios construtivos derivados da Revolução Industrial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurada em 1908, foi restaurada em 1994 e rebatizada como Ponte Reina Sofia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Tajo é o de maior extensão de toda a Península Ibérica, e divide a cidade de Talavera em duas, sendo que sua maior parte situa-se em sua margem direita. Fico devendo uma foto da Ponte de Castilla-La Mancha, inaugurada em 2011 e uma das maiores de todo o país. O cristianismo se estabelece na cidade com a chegada dos Visigodos, e atualmente podemos admirar uma grande quantidade de templos, conventos e igrejas. O Convento de La Encarnación de las Madres Bernardas é um deles. Foi construído pelo frade Lorenzo de San Nicolás entre 1610 e 1625, num estilo típico da cidade, denominado Barroco-Mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de El Salvador é considerada uma das mais antigas, com documentos que comprovam sua existência desde 1145.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs árabes legaram à cidade o primeiro recinto de muralhas que se construiu. Dito sistema defensivo era glorificado pelos próprios viajantes árabes como as mais altas e melhores construídas de todo o território Hispano-Muçulmano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALevantadas no séc. X, a muralha árabe foi reforçada pelos reis cristãos, depois que  Alfonso VI reconquistou a cidade, dois anos antes que Toledo. Para tanto, foram erguidas as denominadas Torres Albarranas, no séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAForam incorporadas 47 destas torres, um autêntico exemplo da arquitetura militar da Idade Média, que transformaram a cidade numa das mais seguras de todo o território.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma dos acessos da muralha era a Porta de Sevilha, que indicava a direção desta cidade. Trata-se de uma construção simples feita de tijolo e, em sua parte superior, vemos o escudo de armas do Cardeal Quiroga, arçobispo de Toledo que ordenou sua construção em 1579.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Porta de Zamora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra é uma cópia reconstruída de uma original do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1294, o rei Sancho IV concedeu um privilégio para que a cidade celebrasse uma feira de gado que continua existindo atualmente. De fato, no escudo de Talavera de la Reina podemos observar as torres e a representação de dois gados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, continuaremos visitando Talavera de la Reina…até lá!!!

Anúncios

O Matadouro de Madrid

O Matadouro de Madrid é um claro exemplo de transformação de um local que, ao longo de sua história, modificou totalmente a função a que estava destinado originalmente. Situado próximo ao Rio Manzanares, o Matadouro Municipal de Arganzuela combina perfeitamente os elementos da arquitetura industrial de princípios do séc. XX com elementos da tradição mudéjar, como o tijolo e a cerâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi motivada pelo aumento populacional da cidade, bem como para substituir o antigo matadouro existente na Porta de Toledo. O arquiteto encarregado do projeto foi Luis Bellido y González e o engenheiro principal, José Eugenio Ribera. O complexo estava composto por 48 edifícios, construídos entre 1911 e 1925. Abaixo, vemos uma foto antiga, da época de sua construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de sua função principal, estava também dedicado ao Mercado de Gado da capital. Os edifícios destinados à matança estavam formados por um conjunto de 5 naves paralelas, levantadas entre 1911/1918.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsteve operativo desde 1920 a 1996. A partir de então, foi fechado e começou a ser utilizado como um espaço cultural, acolhendo inicialmente em um de seus edifícios, a sede do Ballet Nacional de Espanha e da Companhia Nacional de Dança.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Casa do Relógio, antigamente Centro Administrativo e Pavilhão de Serviços Gerais do matadouro, hoje funciona como a sede da Junta Municipal do Distrito de Arganzuela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, foi transformado num imenso espaço cultural Chamado Matadouro Madrid, dedicado a variadas formas artísticas e exposições temporais. Seu campo de atuação engloba tanto a investigação e formação, como a produção e difusão  das seguintes modalidades artísticas: Teatro, Artes Visuais, Desenho, Música, Dança, Arquitetura, Urbanismo, Paisagismo, Moda, Literatura e Cinema, buscando um enfoque sempre integral e multidisciplinar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Na chamada Nave do Espanhol, o espaço foi destinado aos espetáculos teatrais, com duas salas e um café-teatro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cineteca possui uma ampla programação de filmes do gênero não ficção, exibindo principalmente documentais. Já a Casa do Leitor tornou-se um centro de divulgação do livro e da leitura, situado numa das naves de matança de gado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANeste centro podemos ver exposições de temáticas diversas, como a excelente realizada recentemente sobre a figura do Drácula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras mostras estão dedicadas às formas artísticas contemporâneas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa do Leitor dispõe de um amplo espaço destinado à leitura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício Intermediae desenvolve projetos culturais abertos à participação pública.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cine sem Autor é um deles. Sua metodologia consiste em que todas as etapas de uma produção cinematográfica sejam realizadas por não profissionais da área audiovisual em geral. Desta forma, qualquer pessoa criativa pode participar e fazer sua própria realização, convertendo o processo num grande acontecimento social.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Nave 16 é um enorme espaço expositivo com mais de 4 mil metros quadrados, oferecendo diversa programação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, o complexo cultural possui uma Central de Desenho e uma Nave Musical, com estúdios de gravação, salas de ensaio e cenários para concertos. Recentemente, foi palco de uma apresentação da brasileiríssima Maria Creuza, cujo repertório homenageou nosso querido poeta Vinícius de Moraes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de San Antonio de los Alemanes – Madrid

A Igreja de San Antonio de los Alemanes surpreende a todos aqueles que tem o privilégio de visitá-la, constituindo-se num dos templos mais notáveis de Madrid. Erguida inicialmente como Igreja de San Antonio dos Portugueses, complementava o antigo hospital dedicada à comunidade lusa de Madrid, criado por Felipe III em 1606. Convém recordar, que nesta época, Portugal pertencia aos reinos hispanos. Iniciada em 1624, sua construção prolongou-se até 1633, e foi projetada por um arquiteto jesuíta, chamado Pedro Sánchez. Quando Portugal tornou-se novamente independente, a rainha Mariana de Áustria, segunda esposa de Felipe IV, cedeu o templo à comunidade de alemães católicos em 1668, numerosa na corte desde a chegada da rainha consorte Mariana de Neoburgo. Dessa forma, tanto o nome do hospital, quanto da igreja foram mudados, embora se conservasse a titularidade do templo a um santo português. A austera fachada principal está coroada por uma estátua do santo, realizada pelo artista português Manuel Pereira em 1647.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo possui uma inusual planta elíptica, algo raro em Espanha. Na época, tanto Bernini, quanto Borromini, lançaram uma moda em Roma relativa às formas elípticas das construções, que logo depois expandiu-se pela Europa. Mas o que realmente assombra o visitante é que o templo está totalmente decorado com pinturas ao fresco, tanto nas paredes, quanto na cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja é um perfeito exemplo do ilusionismo barroco, em que as pinturas se unem à arquitetura e à escultura dos retábulos, criando um colorido efeito teatral, de movimento. Neste período artístico, havia uma estreita relação entre Liturgia e Teatro, que propiciava um ambiente religioso que envolvia os fiéis, ajudando-os a desenvolver sua espiritualidade, com pinturas que refletiam as histórias dos mártires e dos santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs pinturas da cúpula, por ex., retratam a Apoteose de San Antonio, que ascende aos céus rodeados de anjos. Esta parte da cúpula foi pintada por Juan Carreño de Miranda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARodeando a cena principal, uma série de elementos arquitetônicos, como colunas, dão um “suporte” à representação, e foi pintada por Francisco Rizi. Os muros curvos da igreja foram pintados por Luca Giordano, que retratou vários milagres de San Antonio. O Altar Maior está presidido, no centro, por uma excelente escultura de San Antonio com o menino Jesus, obra prima de Manuel Pereira (1631), cercado por um grupo de seres angelicais, realizado por Francisco Gutiérrez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO tema dos anjos foi um dos preferidos pelos artistas do séc. XVII, que neles expressavam sentimentos de alegria e força, em contraponto às dramáticas cenas da paixão ou dos martírios dos santos. Ao redor do altar maior, foram colocados 6 altares realizados por vários artistas, entre os quais o próprio Luca Giordano, dedicado ao calvário. Sem dúvida, é o melhor de todos, pelo dramatismo da cena. Na parte inferior, vemos uma talha com a Virgem de la Soledad (solidão).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO pintor italiano realizou também, em 1694, um quadro de Santa Ana com a Virgem ainda menina, e San Joaquim, que olha para o céu agradecendo pela escolha de sua filha como mãe de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro de seus quadros representa a San Carlos Borromeo curando os enfermos. Na parte superior, vemos um retrato de Carlos II e, sobre o altar, uma imagem do arcanjo San Rafael.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior de todos os retábulos, foram pintados retratos de reis e rainhas de Espanha, obra de Francisco Ruiz de la Iglesia. Abaixo, vemos a imagem de Felipe IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1701, a igreja e o hospital passaram a ser propriedades da Hermandade do Refúgio, instituição que prestava auxílio aos necessitados de Madrid. Os reis espanhóis sempre pertenceram à instituição, como o atual rei Juan Carlos e sua esposa, D. Sofia, que nela ingressaram em 1990. A Igreja de San Antonio de los Alemanes foi declarada Monumento Nacional em 1972.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelo de Oropesa – Província de Toledo

O Castelo-Palácio dos Condes de Oropesa é o principal monumento da cidade, e pode ser apreciado de muitos lugares do traçado urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, o conjunto fortificado está composto por dois castelos unidos, de diferentes épocas. O Castelo Velho foi construído pelos árabes, durante os séc.  XII/XIII, sobre uma construção da época romana. Sua planta retangular possuía 4 torres circulares nas esquinas, das quais se conservam duas, já que as demais desapareceram quando foi erguida a edificação nova.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo Novo foi construído em etapas pela família dos Álvarez de Toledo, a partir de 1402. A denominada Torre de Homenagem é um dos seus elementos mais destacados. Com 25m de altura, possui 4 guaritas de vigilância em sua parte superior, bem como por locais destinado às armas de fogo (almenas).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1475, o Castelo-Palácio transformou-se no centro político do Condado de Oropesa. Abaixo, vemos um esquema com a planta da fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro do Castelo Novo está formado pelo Pátio de Armas, um recinto retangular que acolhe as dependências relacionadas à infraestrutura da fortaleza, e que atualmente é utilizado como espaço para eventos culturais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi residência de personagens ilustres, como Santa Teresa de Jesus, além de hospedar o rei Carlos I de Espanha. Durante 4 séculos, a Casa de Toledo manteve o condado na cidade, sendo extinto no início do séc. XIX. O castelo sofreu com os ataques produzidos durante a Guerra da Independência, e logo depois foi vendido à prefeitura, que o utilizou como Praça de Touros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPosteriormente, o Castelo de Oropesa foi adquirido pelo estado, que o converteu em quartel da Guarda Civil. O conjunto foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1923 e três anos depois em Monumento Nacional. Em 1930, sofreu um amplo processo de restauração, sendo integrado à Rede Nacional de Paradores de Turismo, o primeiro hotel desta categoria em aproveitar a construção de um edifício histórico. Por este motivo, encontra-se em excelente estado de conservação. Abaixo, vemos uma foto frontal do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos algumas imagens do Parador  de Turismo, integrado ao recinto fortificado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO castelo pode ser visitado livremente ou através de visitas guiadas, possibilitando o acesso a suas dependências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Oropesa – Província de Toledo

A vila de Oropesa está localizada na Província de Toledo (Castilla- La Mancha) e merece uma visita, que pode ser feita num dia, ou desde Toledo, ou desde Madrid. Uma das origens que explicam seu nome surgiu na época de dominação muçulmana, quando os mouros mantiveram como refém uma donzela, cujo resgate os cavalheiros templários tiveram que pagar em peso de ouro. No escudo da cidade, encontramos a representação desta lenda popular, com a donzela segurando  uma balança.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOropesa foi conquistada pelos romanos, árabes e reconquistada pelos reinos cristãos na mesma época que Toledo (séc. XI). Do período árabe, sobrevivem poucos restos, principalmente no seu conhecido castelo. No entanto, o traçado urbano é um testemunho desta etapa histórica da vila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da reconquista, o repovoamento destas terras se consolidou somente no séc. XIII. Neste momento, foi criado o Realengo de Oropesa e, desta forma, a cidade esteve subordinada somente ao rei. Em 1366, o rei Enrique II concedeu a vila a D. Garcia Álvarez de Toledo, então chefe da casa de Alba. Este senhorio converteu-se depois em condado em 1477, quando os Reis Católicos nomearam a D. Fernando Álvarez de Toledo como o primeiro Conde de Oropesa. A partir de então, e coincidindo com o descobrimento da América, a cidade vive sua época de esplendor, quando foram construídos os principais monumentos existentes atualmente. A Igreja de N.Sra de Assunção, por ex., foi erguida no séc. XV, no estilo plateresco. Sua fachada, no entanto, é do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1620, ordenado pelo V Conde de Oropesa, foi construída uma passagem que comunicava o castelo com a igreja, para que a condessa e sua comitiva pudessem assistir à missa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de San Bernardo, levantada em 1605, é considerada uma das precursoras do Barroco Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Hospital de San Juan Bautista foi construído, provavelmente, sobre a antiga sinagoga da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto da antiga prefeitura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO ponto de encontro da cidade é a Plaza del Navarro, e seu elemento de destaque é a Torre do Relógio, construída no estilo neomudéjar em 1910.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado da praça, vemos a antiga Biblioteca Popular, decorada com azulejos de Talavera de la Reina, cidade próxima que em breve veremos no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs azulejos compõem uma rica tradição nesta região, como vemos na casa abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais festividades da cidade celebram-se em abril. As denominadas Jornadas Medievais recriam a lenda entre mouros e cristãos, que originou o nome da vila, e todos se vestem com trajes da época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ possível, também, percorrer um trecho da antiga muralha que rodeia o castelo, num belo trajeto rodeado de verde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe todos os monumentos de Oropesa, o mais conhecido é seu imponente castelo, cuja história veremos no próximo post….

 

Paseo da Castelhana – Segunda Parte

Um dos elementos que se distingue nesta bela e importante avenida, à primeira vista, é a grande quantidade de esculturas que integram a paisagem urbana. Algumas delas, como vimos no post anterior, estao situadas nas praças e jardins . Outras, porém, é necessário olhar para o alto, para contemplá-las.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExiste até um Museu ao Ar Livre de Esculturas, localizado debaixo de um viaduto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras foram executadas por atistas selecionados e reconhecidos internacionalmente, representativos das mais variadas tendências da Arte Abstrata Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre eles, destacamos a presença de Joan Miró, que realizou a escultura abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAArquitetonicamente, o Paseo da Castelhana  caracteriza- se por edifícios de caráter vanguardista e arrojadas linhas contemporâneas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns deles fogem à norma, como o conhecido edifício ABC Serrano. A construçao apresenta duas fachadas. A que dá para a Calle Serrano foi construída em 1899.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a fachada de entrada pelo Paseo da Castelhana foi construída em 1926, no estilo neomudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi criado como sede da Revista Blanco y Negro e do Diário ABC, mas atualmente funciona como um centro comercial. O Paseo da Castelhana é um importante centro político, status adquirido depois da construçao dos Novos Ministérios, um complexo de edifícios governamentais iniciado em 1933 e finalizado em 1942.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre eles, destaca o Ministério do Fomento, responsável pelas Obras Públicas, Serviços de Transporte e Comunicaçoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADos jardins do ministério, aberto à visitaçao pública, temos uma ampla visao do denominado AZCA, um dos centros financeiros mais importantes de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, situam-se algumas das estruturas mais altas e modernas da capital, como o Edifício BBVA.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi construído por Sáenz de Oiza, vencedor de um concurso restrito a uma série de arquitetos de prestígio, promovido pelo Banco Bilbao em 1971. A construçao iniciou-se em 1978 e prolongou-se até 1981. Sua inovadora fachada está composta por esquinas circulares de aço e vidro contínuo, permitindo vistas ao exterior desde qualquer parte  de sua superfície interna. Em 2007, passou a ser propriedade de uma imobiliária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro edifício que se destaca é a Torre de Europa, o sétimo mais alto de Madrid. Construído em 1985 pelo arquiteto Miguel Oriol y Ibarra, possui um curioso relógio ovalado. O grupo terrorrista ETA atentou contra o edifício em 2002 com 20kg de explosivos, sem que houvesse graves consequências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto do interior da Torre Europa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuase no final do Paseo da Castelhana, outro centro cultural abre suas portas para exposiçoes temporais, relacionadas normalmente com a água e o meio ambiente. O local é representativo da arquitetura industrial de uma antiga estaçao de água de princípio do séc. XX (Canal de Isabel II), e passou a denominar-se Fundaçao Canal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Castilla é a última etapa de nossa visita pelo Paseo da Castelhana. Situada em seu trecho final, em ambos os lados erguem-se as conhecidas Torres KIO (matéria publicada em 19/11/2012). No local, funciona uma das mais movimentadas estaçoes combinadas de metrô e ônibus da cidade, com excelentes vistas do conjunto de arranha-céus conhecidos como as 4 Torres (publicado em 5/4/2012).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos comentando que no Paseo da Castelhana está situado também o estádio Santiago Bernabeu, propriedade do Real Madrid (publicado em 7/4/2012).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Paseo da Castelhana – Madrid

O Paseo da Castelhana (Paseo de la Castellana, em espanhol) é uma das artérias viárias mais importantes, largas e de maior extensão de toda a cidade de Madrid. Prolongação natural do Paseo de Recoletos, forma junto com o Paseo do Prado o eixo que une as partes sul e norte da capital. Seu intenso tráfico é distribuído por 6 faixas centrais e 4 laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu trajeto corresponde ao curso de uma antigo riacho que atravessava a zona. Inicia-se na Praça de Colón e termina na Praça Castilla. A continuação do eixo Prado-Recoletos já se previa na época da regência de Maria Cristina de Borbón, viúva do rei Fernando VII. No princípio, denominava-se Paseo Novo das Delícias da Princesa, em homenagem à futura rainha Isabel II, filha de Maria Cristina. Finalizada em 1834, logo sucederam-se as reformas de ampliação, como as realizadas em 1846 e principalmente em 1857, quando um novo plano de alargamento da via a converteu na principal avenida do eixo.norte-sul.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1926, uma comissão técnica aprovou um projeto que incluísse 6 novas praças, que colaborou para embelezar a região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, o Paseo da Castelhana deteriorou-se com o conflito da Guerra Civil. Em 1941, Franco elaborou um Plano Geral de Ordenação Urbana da cidade, propondo uma  nova prolongação, denominada agora de Avenida del Generalísimo, utilizada sobretudo para os grandes desfiles militares, nome que ostentou de 1952 a 1981. Abaixo, vemos uma foto da avenida, tirada em 1958.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte dos palácios construídos como residência da nobreza madrilenha foram derrubados até os anos 70 do século passado. Abaixo, um dos escassos exemplos sobreviventes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Paseo da Castelhana tornou-se um centro financeiro, político e cultural de primeira grandeza. Nele encontra-se a sede do Museu de Ciências Naturais e da Escola Técnica Superior de Engenheiros Industriais, cujo edifício foi construído entre 1881/1887, como um palácio para a Exposição Nacional de Arte e Indústria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo hall de entrada do edifício da escola técnica, vemos uma máquina à vapor de finais do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos jardins situados em frente da escola-museu, observamos um monumento em homenagem à rainha Isabel “La Católica“. Inaugurado em 1883, foi realizado pelo escultor catalão Manuel Oms y Canet.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa coluna  que sustenta a escultura, vemos uma inscrição que diz:

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da rainha, vemos duas figuras fundamentais de seu reinado. A primeira representa um personagem militar, no caso, Gonzalo Fernández de Córdoba, denominado de “El Gran Capitán”, pois é reconhecido como o militar de maior prestígio na Europa do séc. XV. Participou da Guerra Civil que levou Isabel ao trono de Castilla, bem como nas conquistas de Granada e Nápoles, que passaram a fazer parte do território espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO outro personagem é o Cardeal Pedro González de Mendoza, arcebispo de Sevilha e Toledo, cuja enorme influência fez com que fosse chamado de “Terceiro Rei de Espanha”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo mesmo jardim, uma outra escultura, desta vez moderna, constitui uma homenagem do povo de Madrid à Constituição de 1978, realizada pelo arquiteto Miguel Ángel Ruiz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, seguiremos conhecendo o Paseo da Castelhana