Paseo da Castelhana – Madrid

O Paseo da Castelhana (Paseo de la Castellana, em espanhol) é uma das artérias viárias mais importantes, largas e de maior extensão de toda a cidade de Madrid. Prolongação natural do Paseo de Recoletos, forma junto com o Paseo do Prado o eixo que une as partes sul e norte da capital. Seu intenso tráfico é distribuído por 6 faixas centrais e 4 laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu trajeto corresponde ao curso de uma antigo riacho que atravessava a zona. Inicia-se na Praça de Colón e termina na Praça Castilla. A continuação do eixo Prado-Recoletos já se previa na época da regência de Maria Cristina de Borbón, viúva do rei Fernando VII. No princípio, denominava-se Paseo Novo das Delícias da Princesa, em homenagem à futura rainha Isabel II, filha de Maria Cristina. Finalizada em 1834, logo sucederam-se as reformas de ampliação, como as realizadas em 1846 e principalmente em 1857, quando um novo plano de alargamento da via a converteu na principal avenida do eixo.norte-sul.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1926, uma comissão técnica aprovou um projeto que incluísse 6 novas praças, que colaborou para embelezar a região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, o Paseo da Castelhana deteriorou-se com o conflito da Guerra Civil. Em 1941, Franco elaborou um Plano Geral de Ordenação Urbana da cidade, propondo uma  nova prolongação, denominada agora de Avenida del Generalísimo, utilizada sobretudo para os grandes desfiles militares, nome que ostentou de 1952 a 1981. Abaixo, vemos uma foto da avenida, tirada em 1958.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte dos palácios construídos como residência da nobreza madrilenha foram derrubados até os anos 70 do século passado. Abaixo, um dos escassos exemplos sobreviventes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Paseo da Castelhana tornou-se um centro financeiro, político e cultural de primeira grandeza. Nele encontra-se a sede do Museu de Ciências Naturais e da Escola Técnica Superior de Engenheiros Industriais, cujo edifício foi construído entre 1881/1887, como um palácio para a Exposição Nacional de Arte e Indústria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo hall de entrada do edifício da escola técnica, vemos uma máquina à vapor de finais do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos jardins situados em frente da escola-museu, observamos um monumento em homenagem à rainha Isabel “La Católica“. Inaugurado em 1883, foi realizado pelo escultor catalão Manuel Oms y Canet.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa coluna  que sustenta a escultura, vemos uma inscrição que diz:

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da rainha, vemos duas figuras fundamentais de seu reinado. A primeira representa um personagem militar, no caso, Gonzalo Fernández de Córdoba, denominado de “El Gran Capitán”, pois é reconhecido como o militar de maior prestígio na Europa do séc. XV. Participou da Guerra Civil que levou Isabel ao trono de Castilla, bem como nas conquistas de Granada e Nápoles, que passaram a fazer parte do território espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO outro personagem é o Cardeal Pedro González de Mendoza, arcebispo de Sevilha e Toledo, cuja enorme influência fez com que fosse chamado de “Terceiro Rei de Espanha”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo mesmo jardim, uma outra escultura, desta vez moderna, constitui uma homenagem do povo de Madrid à Constituição de 1978, realizada pelo arquiteto Miguel Ángel Ruiz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, seguiremos conhecendo o Paseo da Castelhana

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s