Luis Candelas – Madrid

Justo embaixo do Arco dos Cuchilleros, o mais antigo da Praça Maior de Madrid, localiza-se um dos restaurantes mais conhecidos da cidade, “Las Cuevas de Luis Candelas”. Originalmente uma taberna, tornou-se uma atração turística desde sua inauguração em 1949, por um toureiro retirado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATal fama foi conquistada não só por sua curiosa localização, mas também pelo seu interior, composto por um labirinto de salas, parecido a uma grande gruta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs clientes do estabelecimento são recebidos por José, o porteiro que utiliza trajes típicos de princípios do séc. XIX, e com uma arma de fogo denominada trabuco. Na realidade, está vestido como um bandoleiro, figura comum na Espanha de épocas passadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEnquanto apreciamos pratos típicos da cozinha madrilenha, como a sopa castelhana, cordeiro ou cochinillo assado, podemos ver inúmeros objetos históricos de interesse,  alguns deles pertencentes ao mundo taurino, em que viveu seu proprietário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros objetos estão relacionados à época em que viveu um dos personagens mais conhecidos da Madrid do séc. XIX, o bandoleiro Luis Candelas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALuis Candelas foi um personagem real, cuja astúcia, habilidade e ousadia para escapar das garras da polícia tornaram-se legendárias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANascido em 1804 no Bairro da Latina, cedo começou a trabalhar com o pai como carpinteiro, graças a seus dotes artísticos. Apesar disso, o que mais interessava o moleque era bagunçar com os amigos pelas ruas de Madrid. Os pais decidiram, então, colocá-lo no Colégio de San Isidro, onde o menino demonstrou sua inteligência e onde encontrou um amigo fiel, que lhe acompanhou até os seus últimos dias, os livros. Mas Candelas era igualmente um rebelde de caráter. Conta-se que uma vez foi pego pelo professor fazendo o que não devia, e foi obrigado a permanecer de joelhos com os braços estendidos como castigo. Ao negar-se, recebeu um bofetão do professor, que ficou atônito ao receber do ousado aluno o mesmo, em dose dupla. Evidentemente, foi expulso e, a partir deste momento, iniciou-se sua lendária trajetória.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1823 foi preso pela primeira vez, acusado de vagabundear pela cidade até altas horas da noite. No ano seguinte, seu nome aparece nas fichas policiais, por ter roubado dois cavalos e uma mula. Por este delito, foi castigado a 6 anos de trabalho forçado em Málaga, onde conseguiu fugir depois de 6 meses detido. Logo, formou um bando, cometendo roubos domésticos, em lojas, ou então assaltando as carruagens pelas estradas da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua máxima era “Não matar, nem ferir ninguém”, que supostamente manteve até o fim de seus dias. Evitou a violência e a brutalidade, utilizando apenas a destreza e a astúcia, transformando sua “profissão” numa arte com estilo próprio. Quando faleceu sua mãe, recebeu uma pequena fortuna, passando a ter uma vida dupla. Enquanto seguia cometendo seus delitos, fazia-se passar por rico proprietário de terras de regresso do Peru. Com este disfarce,frequentava as festas mais exclusivas da capital, tendo inúmeros casos românticos, alguns deles com damas da alta sociedade. Na capital, ele e seu bando utilizavam as tabernas como esconderijo, entre as quais a própria onde foi criado o restaurante de Las Cuevas. Foi novamente preso, desta vez depois de ser flagrado com uma capa roubada, e reconhecido pelo proprietário. Condenado a 14 anos de prisão, fugiu durante a viagem à fortaleza de Hacho, situada no porto de Ceuta, no norte do continente africano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO último de seus “trabalhos” sucedeu em 1837, na casa do alfaiate oficial da rainha Maria Cristina. Disfarçado de mensageiro, conseguiu entrar na casa, dizendo que trazia recados da filha do alfaiate, que se encontrava em Paris. Ao abrir a porta, ele e seu bando imobilizaram seus ocupantes, roubando a quantia de 750 mil reales em jóias e  dinheiro. Tal acontecimento causou sensação na capital, e está documentado. Fugiu então para Portugal e, no caminho, tentou vender as jóias, para conseguir um pouco mais de dinheiro. Sua intenção era residir no estrangeiro, onde viveria disfarçado de um célebre cavalheiro espanhol. No entanto, um belo dia foi despertado com a ponta de um trabuco na cara. A polícia tinha seguido seu rastro e a venda de jóias o delatou. Foi escoltado a Madrid sob uma forte vigilância policial, sem qualquer possibilidade para escapar. Seu julgamento durou 3 meses. Ao final, foi declarado culpado por mais de 40 roubos, e condenado à morte por Garrote Vil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMomentos antes da execução, pronunciou suas últimas palavras: “Como homem pequei, mas nunca manchei minhas mãos com a sangue de meus semelhantes. Seja feliz, Pátria minha.” Sua lenda foi divulgada pelo povo e pelos literatos, transformando-o, com o tempo, num herói popular.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s