Calle Mayor – Segunda Parte

Dentro do perímetro da Calle Mayor, ainda se conservam alguns palácios nobiliários construídos durante a Dinastia dos Habsburgos. Na esquina com a Calle Bailén, por ex., quase em frente à Catedral de Almudena, situa-se o Palácio de Uceda. O edifício foi construído pelo Duque de Uceda, o todo poderoso ministro do reinado de Felipe III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi projetado pelo arquiteto Francisco de Mora, porém as obras foram dirigidas por Juan Gómez de Mora, entre 1608/1613. Impressiona o caráter de fortaleza da construção. Quando o duque faleceu, a propriedade foi adquirida pela coroa espanhola, e nele viveu depois de viúva e até sua morte em 1696 a esposa do rei Felipe IV, Mariana de Áustria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o edifício é a sede da Capitania Geral de Madrid e Conselho de Estado. Em sua parte superior, vemos o escudo real de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituado em frente, encontra-se o Palácio de Abrantes, também construído no séc. XVII. Durante a Guerra Civil, foi utilizado pelos contingentes italianos da Brigada Internacional e desde 1939 é a sede do Instituto Italiano de Cultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um detalhe da decoração do edifício, com pinturas relacionadas à história italiana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO instituto desenvolve uma extensa programação cultural com várias exposições relacionadas ao mundo da arte. Nas imagens abaixo, vemos a escadaria de acesso aos salões em que se realizam as atividades culturais e a agradável cafeteria, situada no pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao instituto, vemos as ruínas do mais antigo templo religioso de Madrid, a Igreja de N.Sra de Almudena, derrubada em 1868. Os restos estão protegidos por uma estrutura de vidro e, ao lado, uma pequena escultura recorda o templo, levantado sobre a mesquita muçulmana que integrava o primeiro sistema de muralhas da antiga vila de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo dissemos no post anterior, a Calle Mayor sempre foi passo das comitivas reais em seus trajetos pela cidade. Dessa forma, seria fácil para pessoas mal intencionadas atentar contra a vida da família real. Foi o que sucedeu em 31/5/1906, quando o rei Alfonso XIII havia acabado de casar-se com Victoria Eugenia. Quase saindo da Calle Mayor, um anarquista situado no alto de um dos edifícios lançou uma bomba, camuflada num ramo de flores. Abaixo, vemos a imagem do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO casal real saiu ileso, mas a explosão causou a morte de 23 pessoas e cerca de 100 feridos. No exato balcão onde foi lançada a bomba, um lenço recorda o acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1963, foi levantado um monumento em homenagem às vítimas deste massacre, colocado em frente à Igreja Castrense, que em breve veremos no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Uma resposta em “Calle Mayor – Segunda Parte

  1. Olá! Muito bom encontrar seu blog….cheguei aqui através do ViajarSempreViajar….Fotos belíssimas. Eu estou pretendendo ir a Espanha em maio, farei um curso em Salamanca. Você já esteve lá? Alguma dica para passeios em cidades próximas?
    Obrigada.
    Ana Silvia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s