Real Academia de Belas Artes de San Fernando – Madrid

Uma das instituiçoes culturais mais importantes da história de Espanha, a Real Academia de Belas Artes de San Fernando situa-se na Calle de Alcalá, e sua sede encontra-se instalada no antigo Palácio de Goyeneche, visto no post anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA instituiçao foi fundada pelo primeiro rei da Dinastia dos Bourbones, Felipe V, em 1744 e inaugurada por seu sucessor, Fernando VI, em 1752. Sua concepçao se deve ao escultor italiano Domenico Olivieri que, estando à frente do cargo de escultor do Palácio Real, solicitou a permissao de Felipe V para abrir uma instituiçao de Belas Artes. Num primeiro momento, a Real Academia de Belas Artes teve sua sede na Casa de la Panaderia, em plena Praça Maior (edifício situada à esquerda da foto abaixo).

DSC02000Desde 1757, realizou cursos de formaçao artística, além de outorgar o título de arquiteto. Atualmente, a Real Academia de Belas Artes dedica-se à investigaçao, divulgaçao e conservaçao do Patrimônio Artístico Espanhol. No entanto, nos séculos XVIII e XIX, ostentava funçoes docentes e diretivas, e muitas vezes foi criticada pelo regime ditatorial com que estabelecia os conceitos artísticos e arquitetônicos, principalmente durante o período neoclássico, quando as obras pictóricas e os edifícios construídos deveriam seguir o padrao estabelecido pela instituiçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando o Palácio de Goyeneche foi adquirido pela coroa para nele instalar a instituiçao (1773, durante o reinado de Carlos III), o arquiteto Diego de Villanueva suprimiu todos os elementos barrocos realizados por José Benito de Churriguera, pois sua decoraçao carregada nao se enquadrava nos limites da arquitetura neoclássica imperante, sóbria em decoraçao e voltada para os princípios de equilíbrio, proporçao e simetria. Abaixo, vemos fotos do interior da instituiçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO exame de admissao dos interessados no curso de pintura, por ex., constava de duas provas. Numa delas o artista deveria preparar uma obra num prazo de 6 meses sobre um tema de natureza mitológica, religiosa ou histórica. A outra consistia num desenho realizado num prazo de duas horas,  estando o aluno na presença do Tribunal de Acadêmicos da Real Academia, que julgava a obra realizada. Como ampliaçao de sua formaçao, mediante um concurso, os alunos podiam obter uma beca para estudar em Roma, entao considerada a Meca dos Artistas.

DSC08487A Real Academia de Belas Artes acumulou, ao longo de sua história, uma impressionante coleçao de obras de arte, que pode ser vista em sua sede na Calle de Alcalá. Aliás, o acervo foi o primeiro em ser aberto para o público na Espanha, a finais do séc. XVIII. O Museu da Real Academia de Belas Artes é considerada a segunda pinacoteca em importância do país (superada apenas pelo Museu do Prado), pela riqueza e abundância das obras expostas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo princípio, seu rico acervo se formou para fins didáticos, pois como centro de ensino que era, adquiria obras que servissem de modelos escultóricos e pictóricos para os alunos. Nos séc. XIX e XX, a coleçao foi ampliada graças aos mecenas protetores da Academia, muitos dos quais nobres de grande importância política. Abaixo, vemos fotos do impressionante Salao de Atos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, vemos um retrato de Felipe V, fundador da instituiçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo foi enriquecido também em parte pelas coleçoes reais, pelos próprios pintores que pertenciam à Academia, além das obras procedentes de diversas igrejas e conventos, que tiveram seus bens confiscados depois da Desamortizaçao de Mendizábal de 1836.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, iniaremos uma série com algumas das obras mais representativas do acervo da Real Academia de Belas Artes de Madrid, tanto na parte de pintura (artistas espanhóis e estrangeiros), quanto na de escultura. Nao percam…

Palácio de Goyeneche – Madrid

“Se eu tivesse dois vassalos como Juan de Goyeneche, Espanha rapidamente nao dependeria dos países estramgeiros. Ao contrário, estes passariam a depender de Espanha”. Esta frase, dita pelo rei Felipe V, revela a importância deste personagem no início do processo industrial do país, que culminou com a fundaçao de Nuevo Baztán, que vimos no post anterior. Desde jovem, Goyeneche iniciou sua formaçao humanística, primeiro no famoso Colégio Imperial dos Jesuítas de Madrid. Sua capacidade e as boas relaçoes que manteve com a aristocracia lhe proporcionaram um lugar privilegiado na corte, sendo nomeado tesoureiro das esposas de Carlos II e Felipe V,  chegando a ser Conselheiro de Finanças do reino em 1738. Seu caráter empreendedor o leva a fundar a Congregaçao de San Fermín de los Navarros, para render culto ao santo padroeiro e que realizasse também trabalhos assistenciais. Depois, se torna o primeiro empresário jornalista do país, ao imprimir o jornal A Gazeta de Madrid. Abaixo, vemos um monumento realizado em sua homenagem, situado em Nuevo Baztán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm Madrid, Juan de Goyeneche ordena a construçao de dois palácios, que em momentos distintos lhe servem de residência para ele e sua família. O local escolhido para o primeiro deles foi a Calle de Alcalá, uma das artérias principais da cidade na época e a mais larga de Madrid, a única que permitia o adequado tráfico de carruagens e mercadorias. O palácio foi construído por seu arquiteto favorito, José Benito de Churriguera, que também foi o projetista de Nuevo Baztán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a construçao do edifício, José Benito falece, e a construçao foi finalizada pelo seu irmao, Alberto. O palácio alcançou dimensoes tao consideráveis que logo foi arrendado pela Fazenda Pública como local de armazenamneto de tabacos e outras mercadorias de monopólio estatal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos uma imagem de um dos três pátios existentes na construçao original, dotando o interior de luz necessária. O interior é solene e grandioso, sendo que o vestíbulo está formado por duas escadas simétricas, proporcionado uma grande amplitude visual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARealmente, os arquitetos do barroco eram verdadeiros magos da perspectiva. É curioso observar que um local repleto de obras de arte foi um depósito de tabacos que procediam da Fábrica de Tabacos de Sevilha, onde se elaborava o produto a partir das plantas cultivadas em Cuba. E Goyeneche casou com María de la Cruz Acedo, uma cubana de nascimento…

DSC08488Quando Goyeneche falece, seu filho herda o palácio, destinado-o ao Real Gabinete de História Natural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o reinado de Carlos III, o Palácio de Goyenehe passou a ser a sede da Real Academia de Bellas Artes de San Fernando, uma das instituiçoes culturais mais importantes da história do país (cuja história será o tema do próximo post).

DSC08542DSC08485No ano seguinte, o palácio foi remodelado para adaptar-se à nova funçao de instituiçao, e o arquiteto Diego de Villanueva suprime os adornos barrocos da fachada, realizados por Churriguera. O antigo Palácio de Goyeneche foi declarado Monumento Nacional em 1971.Quando o palácio deixou de ser sua residência, Goyeneche adquire um segundo palácio, situado na Calle del Príncipe. Com a morte de José Benito de Churriguera em 1725, encarregou a reforma do mesmo a Pedro de Ribera, continuador do estilo barroco que os irmaos Churriguera haviam inaugurado nao só no país, como também pelo continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos a inconfundível portada que leva o “selo” de Pedro de Ribera. Goyeneche falece neste palácio em 1744 e sua esposa nele continua vivendo até sua morte. Atualmente, é a sede da Câmara de Comércio e Indústria de Madrid.

Nuevo Baztán – Comunidade de Madrid

Existem lugares que devem sua existência a uma só pessoa e a uma finalidade muito concreta. Este é o caso de Nuevo Baztán, povoado situado na Comarca de Henares, a  sudeste da Comunidade de Madrid e a cerca de 50 km da capital. A cidade foi fundada em 1709 pr Juan de Goyeneche y Gastón, como residência dos trabalhadores de diversas indústrias que nela foram instaladas. Seu nome origina-se do Vale de Baztán, uma regiao navarra onde nasceu o fundador. Juan de Goyeneche foi o tesoureiro durante os reinados de Carlos II e Felipe V. Seu principal objetivo na construçao do povoado era resolver dois aspectos que afetavam o país na época, a falta de industrializaçao e a recessao demográfica. O rei Felipe V lhe concedeu, entao, privilégios para a construçao de um complexo industrial para ativar a economia da regiao, competir com o mercado estrangeiro e reduzir as importaçoes. O complexo incluía fábricas de tecidos, couros, sapatos, papel, vidros, etc. Estas atividades eram altamente especializadas, atraindo um grande número de artesaos à regiao de Nuevo Baztán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fábrica de vidros, por ex., proveu de objetos finos a Madrid, outras cidades do país e inclusive o continente americano. Juan de Goyeneche estabeleceu também uma rede de serviços para os trabalhadores, como hospitais, farmácias, etc, e melhora as vias de comunicaçao ao local. Goyeneche encarrega o traçado urbano do povoado ao arquiteto José Benito de Churriguera, sendo que o projeto continua, até hoje, a ser objeto de estudos urbanos como exemplo do “Urbanismo Barroco Espanhol” e como povoado industrial. Nuevo Baztán foi construída totalmente em pedra, lembrando o pueblo natal de Goyeneche.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJosé Benito de Churriguera (1665/1725) foi o primogênito de uma importante família de artistas. Junto com os irmaos Alberto e Joaquim, definiram o denominado Estilo Churrigueresco, termo utilizado para definir o Barroco Espanhol do primeiro terço do séc. XVIII. Além de arquiteto, José Benito foi um fantástico escultor, realizando vários e admiráveis retábulos para igrejas. Uma das travessas do povoado homenageia o grande arquiteto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto as ruas, quanto as três praças que compoem o povoado, convergem ao recinto formado pela igreja e o Palácio de Goyeneche. Os traçados sao retos e regulares,  integrados entre si. O Palácio foi edificado entre 1709 e 1713, estando  adossado à igreja. Possui uma torre quadrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA entrada do palácio ostenta o escudo do Vale de Baztán, que consta de um tabuleiro de xadrez, concebido pelo rei Sancho VII pelo heróico comportamento dos habitantes do vale durante a Batalha de Las Navas de Tolosa, que supôs uma fatal derrota das tropas muçulmanas, propiciando o avance dos reinos cristaos durante a Idade Média.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída em 1722, a Igreja de San Francisco Javier apresenta duas belas torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da fachada, vemos uma escultura de San Francisco Javier, co-padroeiro de Navarra e conhecido como Apóstolo das Índias, pela atividade missioneira que exerceu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, o coro comunicava com o palácio, permitindo que a família de Goyeneche pudesse assistir os ofícios religiosos desde sua residência. O Retábulo Maior foi executado pelo próprio Churriguera e realizado em mármore verelho, estando presidido por uma imagem do santo titular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJuan de Goyeneche faleceu em 1735 e foi sepultado na cripta da igreja, mas atualmente seus restos nao se encontram mais no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs indústrias sofreram várias transformaçoes e acabaram fechando as portas. O povoado permaneceu num estado de abandono  durante muito tempo e no começo do séc. XX foram realizadas várias tentativas de restauraçao, até que em 1941, Nuevo Baztán foi catalogada como Monumento Histórico e em 1980 declarada Conjunto Histórico Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da singularidade do povoado, chama a atençao algumas árvoes que foram plantadas na época da fundaçao, como este exemplar, situado em frente à igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFamoso também é o denominado Olmo de Baztán, um dos últimos exemplares desta espécie que presidiam as praças dos pueblos madrilenhos. Churriguera mandou plantar uma fileira de Olmos para decorar a entrada do palácio, e a foto abaixo mostra o único sobrevivente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma escapada à Nuevo Baztán permite também saborear pratos típicos das culinárias madrilenha e castelhana, como o cordeiro assado, o churrasco ou a sopa castelhana. O Restaurante El Conde é uma excelente pedida e seu simpático e atencioso proprietário nao se cansa de contar curiosas e interessantes histórias do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Trajes Típicos de Madrid

Antes de iniciar o post, publico uma foto de um grupo da cidade de Formosa (GO), que vieram recentemente de turismo a Madrid. Da esquerda para a direita, vemos a Ronaldo, Darci, Adenor e Raquel, em frente à estátua do Urso e do Madroño, símbolos do escudo da cidade, situada na Porta do Sol.

DSC09262Durante as festividades realizadas no mes de maio em honra a San Isidro, padroeiro de Madrid, é costume o desfile de Trajes Típicos, um dos pontos altos da celebraçao.

DSC09203DSC09206O pintor Francisco de Goya retratou em inúmeras obras estas vestimentas tradicionais, como no quadro “El Paseo de Andalucia”, pintado em 1777.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor este motivo, muitos dos trajes usados nos desfiles sao conhecidos como goyescos, e as pessoas que o vestiam eram denominadas majos ou majas. Os trajes surgiram no séc. XVIII, correspondendo às vestimentas que os ciganos utilizavam no sul da Espanha. Depois, os habitantes de Madrid incorporaram o costume de utilizá-las, principalmente para as festas de San Isidro. No séc. XIX, transformou-se numa espécie de traje nacional, um protesto contra a influência francesa. Tanto a moda espanhola, quanto a francesa, foram retratadas por Goya num mesmo quadro, como vemos abaixo na obra intitulada “La Gallina Ciega”, realizada ente 1788 e 1789.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente usado pelas classes populares,  os Trajes Goyescos posteriormente foram adotados pela aristocracia. Além dos majos (as), pessoas das classes baixas da Madrid do séc. XVIII, os trajes foram usados também por outros grupos, denominados chulapos (as) ou Manolos. Esta última denominaçao é derivada de Manuel,  nome com que muitos judeus conversos adotaram e que viviam no bairro de Lavapies.

DSC09210DSC09214Os chulapos (as) eram os vizinhos dos bairros de Malasaña. Muitos deles eram herreros (em português, ferreiros), ou seja, aqueles que trabalhavam com o metal. Durante a realizaçao de seu ofício, as faíscas (chispas, em espanhol) eram abundantes e, deste modo, eram conhecidos também pelo nome de Chisperos.

DSC09215Atualmente, o termo chulapos (as) sao genéricos e representativos dos madrilenhos tradicionais que viveram no séc. XIX. Muitas associaçoes hoje em dia tentam resgatar e valorizar as vestimentas tradicionais, como parte da cultura da cidade.

DSC09226Os desfiles se concentram na Calle de Toledo e na Praça Maior. Abaixo, vemos outras imagens destas belas e tradicionais formas de vestir.

DSC09228OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADSC09217

Festas de San Isidro – Madrid

Recentemente foram celebradas uma das festas mais populares e de maior devoçao de toda Espanha. Entre os dias 14 e 18 de maio, Madrid foi palco dos festejos em honra a San isidro Labrador, seu santo padroeiro, oferecendo um extenso programa de atividades para os cidadaos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspetáculos musicais e teatrais, exposiçoes, fogos de artifícios, desfiles, etc transformaram o já festivo aspecto de Madrid. Esta época é perfeita para se conhecer os costumes e a tradiçao do povo madrilenho. Na Praça das Comendadoras de Santiago, por exemplo, foram realizadas mostras de artesanato típicas da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Praça Maior, foi montado um grande cenário para a apresentaçao de concertos  de música tradicional, clássica e de vários outros estilos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante as festividades, os aficcionados às Corridas de Touro (como sao chamadas as touradas aqui em Espanha. De fato, touradas é uma expressao usada somente no Brasil) podem presenciar os espetáculos na famosa Praça de Touros da cidade. Este ano, a programaçao teve que ser suspensa, devido a que três toureiros foram feridos gravemente durante a chamada Feria de San Isidro, como sao conhecidos os espetáculos taurinos que se celebram desde 1947. Abaixo, vemos uma imagem da Praça de Touros de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASao inúmeros os eventos religiosos em honra ao santo padroeiro. Um dos mais populares é a romaria em torno à Ermita de San Isidro, quando os fiéis bebem água da Fonte de San Isidro, considerada milagrosa. A seguir, vemos uma foto da ermita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Isidro Labrador foi canonizado em 1622 pelo papa Gregório XV durante a inauguraçao da Praça Maior de Madrid. Uma procissao com uma imagem do santo atrai uma multidao, que sai da Colegiata de San Isidro, onde se conservam os restos do santo, percorrendo as ruas da capital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem do santo e de sua esposa, também santificada, Santa Maria de la Cabeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Calle de Toledo, onde se encontra a Colegiata, recebe uma grande concentraçao de pessoas, para venerar as imagens devocionais de muitas das confrarias existentes na cidade.

DSC09246DSC09252DSC09248Um dos pontos altos da festa sao os desfiles de Trajes Típicos, tema que será abordado no próximo post. Para aqueles (as) que desejam mais informaçoes sobre a vida e história de San Isidro, ver a matéria publicada em 19/4/2013.

O Palácio del Buen Retiro – Madrid

No post de hoje, conheceremos a história do Palácio del Buen Retiro, um complexo arquitetônico de enormes dimensoes, intimamente relacionado com o Parque do Retiro que atualmente contemplamos. O palácio foi construído pelo arquiteto Alonso Carbonel (1590/1660) como uma segunda residência e lugar de recreio do rei Felipe IV, que normalmente residia no antigo Alcázar, situado onde hoje vemos o Palácio Real de Madrid. Antes de sua construçao, Felipe IV tinha o costume de hospedar-se também nos aposentos anexos do denominado Convento de San Jeronimo, chamado de Quarto Real. Além do mais, aproveitava para passear pelos terrenos situados ao lado do convento, propriedade do seu válido (uma espécie de primeiro ministro, que realmente governava o país), o Conde Duque de Olivares. Com a intençao  de agradar ao monarca, Olivares inicia, a partir de 1630, uma série de gabinetes e pavilhoes que originaram o Palácio del Buen Retiro. Finalizado em 1640, contava com mais de 20 edifícios, que eram principalmente utilizados para a celebraçoes de festas, apresentaçoes teatrais, e inclusive recriaçoes de batalhas navais no lago do Retiro. Além do complexo arquitetônico, estava formado por inúmeros jardins e lagos, dado o caráter lúdico do local. Abaixo, vemos os retratos do rei Felipe IV e outro equestre do Conde Duque de Olivares, pintados pelo pintor real do monarca, Diego Velázquez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO nível artístico empregado no palácio rivalizava com a residência habitual do rei, o Alcázar. Grande parte das coleçoes adquiridas por Felipe IV  que hoje decoram as paredes do Museu do Prado, embelezavam em sua origem o Palácio del Buen Retiro. O palácio foi praticamente destruído durante a Guerra da Independência, quando as tropas de Napoleao utilizaram o lugar como quartel de artilharia. Finalizada a guerra, a rainha Isabel II tentou acometer sua restauraçao, mas o grau de ruinas era tal que decidiu-se por sua quase total demoliçao. Na foto a seguir, vemos uma imagem antiga do Palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do próprio Parque do Retiro, sao remanescentes do antigo palácio duas construçoes, atualmente situadas fora dos limites do parque (hoje em dia, o parque possui somente a metade de sua extensao original). O Casón del Buen Retiro é uma delas. Antigo Salao de Bailes do palácio, transformou-se numa dependência pertencente ao Museu do Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém projetado por Alonso Carbonel, seu aspecto neoclássico atual se deve às reformas realizadas pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco no final do séc. XIX. A partir dos anos 70 do séc. XX, albergou a coleçao do Prado relativa ao séc. XIX, funçao que exerceu até 2009.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a ampliaçao do Museu do Prado realizada por Rafael Moneo, o Casón del Buen Retiro foi reformado e adaptado como Centro de Estudos do museu. Abaixo, vemos a parte detrás do Casón.

DSC08622Um detalhe escultórico dos capitéis que decoram as colunas.

DSC08624 Outro edifício sobrevivente do Palácio del Buen Retiro é o denominado Salao de Reinos, a estância principal para as recepçoes e celebraçoes do monarca. O salao possuía  as melhores obras de arte do acervo real e seu nome se deve aos 24 escudos dos reinos que constituiam a Monarquia Espanhola na época de Felipe IV.

DSC08628Inicialmente, foi concebido como palco, onde os reis pudessem assistir os espetáculos e obras teatrais que se realizavam. Depois, foi agregado o caráter cerimonial, como Salao de Trono do rei. Com esta nova funçao, cumpria a missao de impressionar as embaixadas e demais membros das cortes européias. Por isso, sua decoraçao era a mais suntuosa de todo o palácio.

DSC08634DSC08636Depois que deixou de ser parte integrante do palácio, foi a sede do Museu do Exército, até que em 2010 foi trasladado ao Alcázar de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido às constantes reformas realizadas após a Guerra da Independência, o Salao dos Reinos apresenta um aspecto bastante alterado. No entanto, estas duas edificaçoes nos dao uma idéia da magnificência e grandiosidade deste palácio que chegou a ser a “inveja da Europa”, e base do local que hoje conhecemos como o Parque do Retiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Salao de Reinos encontra-se novamente em reformas, e sua nova funçao ainda é um mistério….

Parque do Retiro – Parte 5

No post de hoje, conheceremos dois lindos lugares do Parque do Retiro que foram realizados por Cecilio Rodríguez, um dos nomes mais lembrados na história deste secular parque de Madrid. O primeiro deles leva o nome deste que foi jardineiro maior do Retiro durante muitos anos no séc. XX. O denominado Jardim de Cecilio Rodríguez foi construído por ele em 1941.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste jardim  caracteriza-se por seu classicismo e a geometria de seu traçado, além da presença de árvores modeladas, como os ciprestes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACecílio Rodríguez (1865/1953) foi nomeado jardineiro maior do Parque do Retiro em 1914 e chegou a ser Diretor de Parques e Jardins de Madrid. Seu intenso trabalho nos legou este belo espaço no coraçao da cidade, um local onde podemos relaxadamente contemplar sua exemplar obra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro do jardim, vemos uma escultura representando uma revoada de gaivotas, um presente da embaixada da Noruega, realizada pelo artista Vicente Pimentel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas partes laterais do jardim, se conservam os edifícios construídos com tijolos e pedra, atualmente usados para diversos serviços da prefeitura da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos “habitantes” que mais chamam a atençao no Jardim de Cecílio Rodríguez sao os pavoes reais, que ignoram a presença dos visitantes…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEvidentemente, nao poderia faltar uma escultura em homenagem ao seu criador. Cecilio Rodríguez faleceu com 88 anos, dos quais 80 dedicados à jardinagem, pois com apenas 8 anos já era aprendiz da Prefeitura de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo ao jardim, vemos outro lugar realmente encantador, também realizado por Cecílio Rodríguez, chamado La Rosaleda. Como o próprio nome indica, trata-se de um espaço onde as rosas reinam soberanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Rosaleda foi costruída em 1915, e possui uma forma elíptica, estando decorada com duas fontes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá composta por mais de 5500 exemplares de rosas (51 espécies diferentes), incluindo as rosas trepadeiras, com 77 espécies catalogadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstamos nos meses da primavera em Madrid, o momento perfeito para admirar a beleza da Rosaleda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA