Museu da Real Academia de San Fernando – Esculturas

Hoje iniciamos uma série de matérias sobre algumas das obras mais representativas expostas no Museu da Real Academia de Belas Artes de San Fernando de Madrid. Evidentemente, nao se trata de um catálogo de todas as obras, algo impossível e que foge do objetivo principal das matérias que serao publicadas. No entanto, escolhi algumas obras tanto de artistas estrangeiros, quanto, principalmente, de autores espanhóis, já que o blog é um veículo de divulgaçao do Patrimônio Artístico e Cultural de Espanha. No post de hoje, veremos a parte de esculturas que integram a coleçao permanente do museu.

DSC08497Desde suas orígens, a Real Academia de Belas Artes teve especial interesse em reunir uma galeria de esculturas em gesso, cópias das mais conhecidas e apreciadas da Antiguidade Clássica, com o objetivo de auxiliar na formaçao artística de seus alunos. Um dos fundadores da academia, o escultor Domenico Olivieri, estabelece entao uma lista das principais obras a serem adquiridas em Roma, para a realizaçao das cópias. Duas delas decoram o salao de entrada do museu, a escultura de Flora Farnese e a de Hércules.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das esculturas pertencem ao Barroco Espanhol, um período prolífico na realizaçao de imagens religiosas. O escultor português Manuel Pereira (Porto-1588/Madrid-1683), por ex, é considerado um dos melhores artistas correspondentes à época do reinado de Felipe IV. Dele é esta excelente imagem de San Bruno, fundador da Ordem dos Cartuxos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se de uma peça rara no conjunto de esculturas barrocas espanholas, já que foi realizada em pedra, ao contrário da grande maioria de imagens religiosas, feitas em madeira policromada. A obra emana um grande realismo. Manuel Pereira deixou um rico legado em muitas cidades espanholas, como Madrid, Burgos, Alcalá de Henares, etc. Trabalhou com vários materiais além da pedra, como o alabastro e a madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFeita de madeira é uma maravilhosa peça denominada de “La Dolorosa”, do escultor Pedro de Mena (Granada-1628/Málaga-1688), um dos mais interessantes e bem documentados escultores do Barroco Andaluz. Dedicou-se basicamente às imagens religiosas, ofício que também havia se especializado seu pai, Alonso de Mena.

DSC08564Um conjunto que impressiona pelo dramatismo das cenas foi realizado por José Ginés (Polop, Prov. Alicante-1768/Madrid-1823). O artista elaborou uma grandiosa cena retratando a Matança dos Inocentes entre 1789 e 1794, um encargo do rei Carlos IV para a decoraçao do Palácio Real.

DSC08506Realizado em barro cozido policromado, segue uma estrutura a modo de presépio, sendo considerado uma ponte entre o barroco e o neoclassicismo. Destaca sua enorme capacidade expressiva, bem como os detalhes, alguns deles representando a extrema crueldade alusiva ao episódio em que o rei Herodes de Judéia ordena a execuçao de todos os meninos com menos de dois anos de Belén, para evitar que o recém nascido Jesus Cristo ocupe o seu trono (Evangelho de Sao Mateus).

DSC08504José Ginés obteve vários prêmios da academia e tornou-se diretor da seçao de esculturas em 1817.

DSC08503Mariano Benlliure Gil (Valencia-1862/Madrid-1947) foi um dos expoentes máximos do Realismo Naturalista de finais do séc. XIX e primeira metade do XX. Formou-se escultor tanto na Academia de Valencia, quanto na de San Fernando de Madrid. Uma de suas capacidades como artista era a de materializar o caráter e a vitalidade de seus retratos escultóricos, como neste busto do amigo e escultor português Antonio Teixeira López (1866/1942).

DSC08491A escultura foi realizada em 1938, em bronze. Outro dos personagens representados por Benlliure foi Francisco de Goya, cujo busto foi executado em 1902, sendo considerado uma das maiores representaçoes do genial pintor aragonês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO detalhismo naturalista e a minuciosidade das composiçoes sao características deste escultor valenciano. Participou de inúmeras exposiçoes internacionais e em Madrid sao abundantes os monumentos realizados por ele. Em parte, isso se explica porque vencia quase todas as convocaçoes públicas da cidade para a realizaçao de obras comemorativas. Em breve, realizarei um post sobre este magnífico artista. Finalizamos o post com outro excepcional escultor, considerado um dos maiores de todo o séc. XX, Pablo Gargallo (Maella, Prov. Zaragoza-1881/Reus, Prov. Taragona-1934).

DSC08495Esta obra, intitulada “Academia”, foi realizada por Gargallo em mármore branco no ano de sua morte, em 1934. Um dos escultores mais inovadores do século passado, combinou ao longo de sua trajetória artística tanto as formas clássicas, quanto o experimentalismo. Em Zaragoza, existe um maravilhoso museu, dedicado ao seu trabalho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s