Museu da Real Academia de San Fernando – Goya

Antes de começar este último post sobre o Museu da Real Academia de Belas Artes de San Fernando, adiciono uma foto de duas paulistas “guerreiras”, que com um pique extraordinário, conheceram Madrid e Toledo. Abaixo, vemos Salete (esquerda) e Maria Célia (direita), diante da Ponte de Alcantara, em Toledo.

DSC09283Entre todos os pintores espanholes que compoem o acervo do Museu da Real Academia de San Fernando, Francisco de Goya (Fuendetodos, Prov. Zaragoza-1746/Burdeos, França-1828) é seguramente o mais bem representado, com 13 quadros. Trata-se de uma bela síntese dos temas abordados pelo pintor aragonês ao longo de sua carreira. Iniciamos com alguns de seus retratos. Em 1801, Goya pinta a Manuel Godoy, o todo poderoso político espanhol de finais do séc. XVIII e princípio do XIX. O quadro foi encarregado pelo próprio Godoy, que se encontra vestido com o uniforme de capitao geral da Ordem de Cristo. Goya capta perfeitamente o caráter ambicioso de Godoy. O quadro chegou à Real Academia em 1816, proscedente da enorme coleçao particular de Godoy. A obra representa a vitória sobre Portugal, no enfrentamento conhecido como a Guerra das Laranjas. Neste momento, Godoy ostentava o máximo poder político e militar  de sua carreira. O tratamento das figuras pintadas por Goya anuncia, com 20 anos de antecedência, a fase conhecida como Pinturas Negras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGoya realizou o retrato de um dos arquitetos mais influentes da história espanhola, Juan de Villanueva (1739/1811), em 1805. Villanueva formou-se na academia junto com seu irmao mais velho, Diego. Recebeu uma pensao para terminar sua formaçao em Roma, e no retorno se tornou Diretor de Arquitetura (1774) e posteriormente Diretor Geral da Real Academia em 1792. Foi o responsável pelos projetos do Museu do Prado, do Real Jardim Botânico e do Real Observatório de Madrid. Este retrato revela a profunda estima existente entre Goya e o arquiteto, depois de 25 anos de convivência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1808 é o Retrato Equestre de Fernando VII. A obra constitui um típico retrato que ressalta o sentido de poder, cujos precedentes estao no mundo clássico. Nota-se a influência de Velázquez, sendo que o quadro foi um encargo da propria academia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu possui dois excelentes Autoretratos de Goya. O primeiro foi pintado em 1785. Goya tinha, na época, cerca de 40 anos e somente neste autoretrato aparece com seu emblemático chapéu. Goya ingressa na Real Academia em 1780 e cinco anos depois é nomeado Diretor de Pintura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o segundo foi pintado 30 anos depois, em 1815. Goya aparece sereno, apesar da morte de sua esposa Josefa Bayeu em 1812, do falecimento sucessivo de 6 filhos e da tragédia da Guerra da Independência. Concebido com um fundo neutro, a luz que envolve o quadro, assim como sua introspecçao, lembra a Rembrandt que, nas palavras do próprio, foi seu mestre, junto com Velázquez e a própria natureza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGoya foi um artista extremamente sensível às inquietudes sociais de sua época. Esta postura do artista pode ser vista no quadro “Cena de Inquisiçao”, pintado entre 1814 e 1816, quando  critica o papel da igreja e a presença inquisitorial no país. O Santo Ofício foi abolido em 1812 e restaurado por Fernando VII, para desaparecer definitivamente em 1820. A cena nao representa um típico Auto de Fé realizado em praça pública, e sim no interior de um edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visao pessimista de Goya nos anos que durou a Guerra de Independência, acentuada pela morte de sua esposa e sua própria doença pessoal se vê refletida na obra “Casa de Loucos”, realizada entre 1808 e 1812. O quadro indica também o conhecimento dos manicômios da época pelo artista, e seu olhar é humano e compassivo para aqueles que neles viviam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos temas preferidos pelo grande pintor foi o mundo taurino. Desde jovem, Goya frequentou e participou das corridas de touros. Abaixo, vemos a obra “Corrida de Touros en un pueblo”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm de seus quadros mais célebres dentro da denominada Pintura de Gênero é a obra intitulada “EL Entierro de la Sardina”, na qual Goya exalta as festas populares, como o carnaval. A multidao aparece bebendo e dançando às margens do Rio Manzanares. No entanto, a cena gira ao redor do Estandarte do Mono, em que se percebe a palavra “Mortus”, evocando o sentido da morte, sempre presente numa época de guerras, mesmo durante a celebraçao dos dias festivos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo, pois, esta série de posts sobre a Real Academia, comentando que uma visita ao seu museu  e à instituiçao que acolhe é muito recomendada, para nao dizer obrigatória, para todos os amantes e apreciadores da arte em geral.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s