Um Passeio por Málaga

Uma boa forma de conhecer a cidade de Málaga é caminhando por suas ruas, praças e jardins, admirando seus edifícios, igrejas e monumentos. No post de hoje, conheceremos alguns destes lugares referentes da cidade andaluza. O centro de Málaga encontra-se, desde a época da reconquista (séc. XV), na Praça da Constituiçao, quando entao era chamada de Plaza de las 4 Calles. Também foi denominada Praça Maior, até que em 1812 recebeu o nome atual. Uma das ruas principais da cidade, a Calle Larios, desemboca na praça. Como destaque, vemos a Fonte de Gênova, um belo monumento construído no estilo renascentista. Feita de mármore no séc. XVI, seu autor é anônimo, e acredita-se que foi esculpida na cidade italiana que lhe dá o nome.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo chao da praça existem placas de metal com as manchetes dos jornais de época, e notícias referentes aos grandes acontecimentos sociais e políticos da vida malaguenha e do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma geral da praça, com a bela fonte no seu centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próxima à Praça da Constituiçao situa.se o Pasaje de Chinitas, um conjunto singular que concentra uma grande atividade comercial, além de alguns dos bares mais famosos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra praça famosa é a da Merced, principalmente porque nela se encontra o edifício onde nasceu filho ilustre da cidade, Pablo Picasso. No séc. XV, aqui funcionava o mercado público, razao pela qual também foi denominada Praça do Mercado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da praça vemos um monumento funerário em homenagem ao General Torrijos e aos 48 companheiros fuzilados na Praia de San Andrés, por ordem do rei Fernando VII no séc. XIX. Nesta época, a praça transformou-se num dos locais prediletos para a burguesia, que nela instalou muitos edifícios residenciais que ainda se conservam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo nao podia faltar, Málaga também possui sua Praça de Touros, que vemos abaixo numa foto tirada desde o Monte Gibralfaro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConhecida como “La Malagueta”, foi edificada no estilo neomudéjar por Joaquín Rucoba e inaugurada em 1876.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo mês de agosto, a praça é palco de uma das grandes festividades anuais da cidade, a feira taurina. Acolhe, também, o Museu Taurino, no qual podemos conhecer um pouco mais sobre sua história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A Fonte das 3 Gracias é uma beleza, estando situada a poucos metros da Praça de Touros e com maravilhosas vistas da Alcazaba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte foi esculpida por José Maria Sánchez em ferro fundido, destacando as figuras femininas de inspiraçao clássica, feitas de mármore.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da fonte, podemos contemplar um agradável jardim, composto por muros decorados por cerâmicas, nos quais lemos diversas citaçoes e frases de autores que deixaram suas impressoes sobre a cidade de Málaga.

DSC09521DSC09522

Anúncios

Catedral de Málaga – Parte 2

Na matéria de hoje, veremos alguns dos elementos mais importantes do interior da Catedral de Málaga, formado por 3 naves de igual altura (41,79m), sendo que a central é mais larga que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma de suas partes mais valiosas é o Coro, considerado uma obra prima do Barroco Espanhol, onde o grande Pedro de Mena deixou um maravilhoso trabalho escultórico em suas 42 imagens repletas de misticismo e expressividade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do Coro, vemos dois órgaos barrocos, formados por 4 mil tubos e fabricados entre 1779 e 1781.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Trascoro destaca a imagem da Piedade, esculpida em mármore branco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço compreendido pelo Presbitério possui um formato semi-decagonal, estando delimitado por 6 colunas suspensas por arcos de meio ponto. O Altar Maior foi realizado por Diego de Vergara em 1541 e presidido por um tabernáculo construído no séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo possui inúmeras obras de arte destacáveis, como o mausoléu renascentista do arçobispo Luis de Torres. Construído por Guglielmo Della Porta, seu grande valor artístico reside na combinaçao cromática dos materiais empregados em sua execuçao (mármore branco e negro, além do bronze na escultura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodo o perímetro da catedral está formado por Capelas Laterais, construídas em várias épocas em que participaram grandes figuras da Arte Espanhola. Abaixo, vemos a Capela de Santa Bárbara, com um retábulo gótico do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do séc. XVI, a Capela de Sao Francisco possui um amplo repertório de santos franciscanos (além de Sao Francisco de Assis, vemos a Santo Antônio de Pádua, Sao Diego de Alcantara, etc).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPertencente ao séc. XVII existem várias capelas, como a da Concepçao, com um quadro da Imaculada realizado por Mateo Cerezo, embora alguns eruditos atribuem a obra a Cláudio Coelho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Capela do Rosário, destaca um quadro realizado por Alonso Cano entre 1665 e 1666.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela da Encarnaçao, também conhecida como Capela Dourada por sua decoraçao, foi projetada por Ventura Rodríguez ou Juan de Villanueva. Seu retábulo do séc. XVIII reflete o gosto artístico da Corte Espanhola, ditado pelos princípios estéticos  neoclássicos da Real Academia de Belas Artes de San Fernando.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMais recente é a Capela da Virgem do Pilar, com um retábulo construído em 1946.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos destaques do interior da Catedral de Málaga se encontra na Capela dos Caídos, com um conjunto escultórico belíssimo de Cristo Crucificado e uma imagem da Virgem Dolorosa, realizados pelo acima citado Pedro de Mena e também por Alonso de Mena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sala Capitular é apresentada como um verdadeiro museu, com obras de artistas como José de Ribeira, representado por um quadro de Sao Paulo Ermitao, realizado em 1630.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Catedral de Málaga

Santa Igreja Catedral Basílica da Encarnaçao. Este é o nome do principal templo católico da cidade de Málaga, sua Catedral. Abaixo, vemos uma imagem geral da igreja, com a Alcazaba em primeiro plano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada em frente à Praça do Bispo, a Catedral de Málaga é considerada  um dos monumentos renascentistas mais valiosos da Comunidade de Andaluzia.

DSC09513Em sua construçao, participaram os grandes mestres do Renascimento Andaluz, como Andrés de Vandelvira, Hernán Ruiz II, Diego de Vergara e o famoso Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da Reconquista de Málaga, os Reis Católicos converteram a antiga mesquita em templo católico, passando a ser denominada Igreja Maior e posteriormente declarada Catedral, depois da restituiçao do Bispado da cidade. No entanto, em 1523 se decide pela construçao de uma nova igreja no estilo gótico. Problemas no projeto dificultaram a continuaçao das obras, que afinal foram realizadas a mediados do séc. XVI (1528), dentro do contexto da estética renascentista. Abaixo, vemos a singular Fachada de las Cadenas, composta por inusuais torres semicirculares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Málaga foi consagrada em 1588, mas o enorme templo teve várias interrupçoes ao longo dos séculos, sendo definitivamente concluída apenas no séc. XVIII. Por isso, a catedral conforma uma síntese de estlos, com predomínio dos elementos renascentistas e os barrocos complementários do séc. XVIII. A seguir, vemps a torre norte, finalizada em 1776. Com 93m de altura, está situada à esquerda da fachada principal. No alto de seu terceiro corpo, situam-se 14 sinos, 8 dos quais foram fundidos em 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre sul ficou inacabada, motivo pelo qual a Catedral de Málaga é conhecida carinhosamente como “La Manquita”. A fachada principal foi edificada no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua parte inferior está composta por uma tripla arquería, formada por colunas de mármore avermelhada. O arco central representa a Anunciaçao, obra do escultor barroco Antonio Ramos (1743).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA catedral possui jardins próprios, que recordam a antiga mesquita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da catedral, situa-se a Capela do Sagrário, um edifício independente mas que integra o conjunto catedralício. Sua portada foi construída em 1458 no estilo Gótico Isabelino, na base do antigo minarete da mesquita muçulmana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1855, a Catedral de Málaga foi declarada Basílica Menor pelo Papa Pio IX. A partir de 1931, lhe foi outorgado o título de Monumento Histórico-Artístico. No próximo post, conheceremos seu interior…nao percam !!!!.

Castelo de Gibralfaro – Málaga

Além da Alcazaba, o denominado Monte Gibralfaro acolhe em sua parte mais elevada o Castelo, cujo nome se originou de um farol existente durante a época fenícia. Dessa forma, o Castelo de Gibalfaro e sua localizaçao estao relacionados às origens da cidade de Málaga, tanto no que se refere à sua funçao como posto de vigia, como no aspecto de assentamento humano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ bem provável que durante o período romano já existisse uma fortaleza no local, mas foi na época árabe quando se construiu o castelo, que domina toda a regiao. Realmente, o chamado castelo é, na realidade, um grande recinto defensivo, e seu aspecto nao tem nada que ver com a imagem de um castelo, e sim de um Alcázar (fortaleza).

DSC09516As ruínas existentes no local foram transformadas num sistema defensivo pelo rei Abderramán III, sendo ampliadas e convertidas em Alcázar por Yusuf I, no séc. XIV. Sua funçao era de albergar as tropas e proteger a Alcazaba, situada na parte inferior do Monte Gibralfaro.

DSC09517Considerada durante uma época a fortaleza mais inexpugnável da Península Ibérica, o Castelo de Gibralfaro sofreu um forte assédio pelos Reis Católicos durante a reconquista da cidade no final do séc. XV. Depois de conquistada pelos monarcas, foi utilizado pelo rei Fernando El Católico como residência, enquanto a rainha Isabel preferiu viver na cidade.

DSC09518A estrutura geral do castelo está formada por uma linha dupla de muralhas e 8 torres, das quais a mais alta possui 17m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi também durante o governo dos Reis Católicos quando a imagem do castelo foi incorporada ao escudo e a bandeira, tanto da província, quanto da cidade de Málaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma maquete situada no Centro de Interpretaçao do Castelo de Gibralfaro, onde podemos observar o Castelo na parte superior e a Alcazaba na inferior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O Castelo de Gibralfaro foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1931, e pode ser visitado, depois de uma “boa” subida pelo monte. Para os que preferem uma excurçao mais “light”, existem ônibus que chegam no alto do monte, mas as vistas de todo o recinto defensivo formado pela Alcazaba e o Castelo aconselham a caminhada. Do alto, apreciamos toda a cidade de Málaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA