Metrô de Madrid – Parte 3

Em 2014, o Metrô de Madrid completou 95 anos de existência. Um resumo de sua história, bem como algumas estações interessantes, como a de Chamberí, que deixou de funcionar, mas permanece aberta para visitação, foram a matéria dos posts publicados em 4 e 5/12/2012. Muitas coisas interessantes ainda podem ser ditas e vistas a respeito do metrô da cidade. Por isso, dedico mais esta matéria a rede metropolitana de transporte público de Madrid. Em 1919, ano de sua inauguração, a linha 1 possuía apenas 8 estações e uma extensão de 4km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe lá para cá, muita coisa mudou, e o Metrô de Madrid transformou-se num dos melhores do mundo. Por exemplo, em número de estações, num total de 301, é a terceira maior existente atualmente, superada apenas pelos Metrôs de Nova York e Paris. No quesito extensão da rede, com 294 km, é a quarta do mundo, superada pelas redes de Nova York, Londres e Moscou. O Metrô de Madrid conta hoje em dia com 13 linhas, a maior parte delas subterrâneas. Este dado converte o metrô madrilenho no maior do mundo em quilômetros de túneis, bem como no número de escadas rolantes (1698), seguido de longe pelo de Moscou, com apenas 598, como também na quantidade total de elevadores, com 522. Estes números transformam o Metrô de Madrid no de maior acessibilidade do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A maior parte das estações de metrô da cidade possuem um acesso facilmente identificável com o logotipo da empresa e relativamente uniforme do ponto de vista construtivo. No entanto, existem alguns acessos realmente singulares, como  a da Estação de Lago, integrante da linha 10, e situada próximo ao Parque da Casa de Campo. Esta estação foi inaugurada em 1961, e possui um acesso arquitetonicamente curioso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA rede metropolitana possui uma linha circular, a de número 6, que facilita muito a integração com as demais linhas e o acesso aos distintos pontos da cidade. A Estação de Quatro Caminos, que integra a linha 6, é a mais profunda de todas, estando  situada a quase 50m do nível da rua. Para chegar até a plataforma, são necessários 6 lances de escada rolante, não sendo recomendada para claustrofóbicos…Por sorte, a estação conta também com elevadores. Já a que oferece a maior quantidade de conexões com outras linhas é a Estação  Avenida de América, que integra as linhas 4,6,7 e 9.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Estação  Avenida de América funciona como um Intercambiador, pois nela funciona também uma estação terminal de ônibus urbano, interurbano e de longa distância. Organizada em vários níveis, os 3 superiores conformam o terminal de ônibus, enquanto os níveis inferiores conectam com as linhas de metrô. Inaugurada em 1979, foi recentemente reformada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa saída do metrô desta estação foi colocado um belo painel que representa a conquista do continente americano em 1492 por Cristóvão Colombo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Aeroporto de Barajas também possui uma conexão com o metrô, algo indispensável nas grandes cidades. É a linha 8, que une os Novos Ministérios com o Aeroporto. O bilhete unitário atualmente custa de 1.5 a 2 euros, dependendo do destino. Para se chegar aos 4 terminais do aeroporto se paga um suplemento adicional de 3 euros. Esta linha possui algumas estações curiosas, como a de Colombia, onde foi colocado um avião de estrutura metálica em escala real, chamada Madrid Despega (em português, Madrid Decola…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Estação de Campo de las Naciones, que também integra a linha 8, a plataforma foi decorada com bandeiras de todo o mundo, como símbolo de integração entre os povos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComplementando a rede de transporte público de Madrid (metrô, ônibus e trem), o denominado Metro Ligero (em espanhol) une a periferia da cidade, com conexões diretas ao metrô convencional e as estações ferroviárias. Inaugurado em 2007, o Metro Ligero é uma empresa independente, com seu próprio logotipo. Conta com 4 linhas e um total de cerca de 35 km. Ao contrário do metrô convencional, seu traçado discorre em superfície, na maior parte de sua extensão. O sistema de transporte utilizado é do tipo Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro fato curioso é que boa parte dos trens do Metrô de Madrid circulam pela esquerda, pois na época de sua inauguração este era o sentido usado. O Metro Ligero utiliza o sentido convencional, pela direita. Como conclusão, aproveito para comentar que nos quase 10 anos vivendo na Espanha, aprendi que a melhor e mais barata forma de locomoção nas grandes cidades é utilizando o serviço de Transporte Público, quando o mesmo oferece boas condições e eficiência, e deixar o carro na garagem. Além do mais, o trânsito e a qualidade do ar agradecem…

 

 

Anúncios

Monastério de San Antonio El Real – Parte 2

Neste segundo post sobre o Monastério de San Antonio El Real de Segóvia, veremos as principais dependências que o compõem, todas elas belíssimas e caracterizadas por uma esbelta decoração. Desde a igreja, que vimos na matéria anterior, passamos à Sacristia, um espaço coberto por um teto feito de madeira policromada e decorado com motivos vegetais e o escudo de Enrique IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADa Sacristia chegamos ao Claustro Principal, também chamado dos Franciscanos. Como se fosse um verdadeiro museu, nele encontramos diversas obras de arte. Além do mais, também está coberto por um incrível teto decorado com artesanato mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre todos os objetos expostos no claustro, destacam os denominados Trípticos Flamencos de Utrech, nos quais observamos uma feliz combinação de pintura e escultura, realizados por artistas flamencos. Em um deles, vemos uma cena central realizada em alto-relevo e feita de barro policromado com o tema do Calvário. Em outro, se representa o Santo Enterro. Nas laterais vemos pinturas de santos da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas obras são uma referência ao período em que Segóvia manteve um estreito contato com Flandres, quando exportava tecidos aos Países Baixos (séc. XV). Desde o claustro se abrem alguns dos recintos mais belos do conjunto conventual. O refeitório, por exemplo, está formado por uma grande sala retangular, com um banco que a rodeia e utilizado pelas freiras na hora das refeições.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASuas paredes estão repletas de pinturas murais, com a representação de santos e motivos florais. Entre todas as pinturas, destacam a de Cristo com Santa Clara e a Imaculada Conceição, situada no centro do refeitório.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO púlpito, do séc. XV e profusamente decorado, está situado no centro da sala, e era utilizado durante as refeições para a leitura da bíblia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos a chamada Sala dos Frailes, com uma grande quantidade de objetos religiosos de interesse. Está coberta por um teto decorado, similar ao da Sacristia. Nela foram encontrados recentemente dois registros de água que conectavam diretamente com um canal procedente do famoso Aqueduto de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs detalhes decorativos tornam a visita ao Monastério de San Antonio El Real uma experiência inesquecível…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE finalmente chegamos à Sala Capitular, um maravilhoso espaço formado por um teto de formato octogonal, também mudéjar. Sua vista impressiona ainda mais pela baixa altura em que se encontra. Estrelas de 12 pontas decoram o teto, com os símbolos da Ordem Franciscana e as armas do rei Enrique IV e sua esposa Joana. No centro da sala, vemos um retábulo do séc. XVIII, com as imagens de São Francisco e Santa Clara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Antonio El Real – Segovia

Outro lugar que tive a oportunidade de visitar em minhas viagens a Segovia foi o Monastério de San Antonio El Real, um local realmente surpreendente.Como já foi dito em outra ocasião, o séc. XV representou uma época de prosperidade para Segovia, cujo esplendor podemos observar neste monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta instituição religiosa foi fundada em 1455 pelo rei Enrique IV, que manteve uma estreita ligação com a cidade de Segovia desde que nela passou a viver, sendo um de seus lugares favoritos, junto com Madrid. Em 1440, Juan II cedeu o senhorio de Segovia a seu filho Enrique IV, que contribuiu com várias obras para a cidade. O monastério foi construído numa zona de recreio que o rei possuía fora do recinto amuralhado da cidade, chamado El Campillo. O local foi cedido à Ordem dos Franciscanos para a construção de um convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO documento fundacional de 1455 parece indicar a existência de uma construção prévia ao monastério, provavelmente a conhecida Casa do Príncipe, mandada construir por Juan II para seu filho. Com a construção do monastério, esta edificação passou a funcionar como enfermaria. Abaixo, vemos a porta principal do convento, atribuída aos arquitetos Juan Guas e Enrique Egas, onde podemos apreciar dois escudos de armas de Enrique IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1488, Isabel la Católica, irmã de Enrique IV, cedeu o conjunto à Ordem das Clarissas, que realizou várias reformas para adaptar o espaço às suas necessidades conventuais. Uma outra porta foi erguida no séc. XVIII, e nela estão representados Enrique IV junto a San Antonio de Pádua e sua irmã Isabel, com Santa Clara. Ambos monarcas aparecem em atitude orante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estado de conservação do monastério é excelente, e podemos conhecê-lo da mesma forma em que foi concebido originalmente. A seguir vemos o Claustro dos Franciscanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do séc. XV, se construiu um monastério independente, organizado em torno a outro claustro, que dividia com o Monastério das Clarissas a Capela Maior. No entanto, esta parte do conjunto foi abandonada e transformada num armazém, e em 2007 se converteu numa hospedaria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do Monastério de San Antonio possui um aspecto sóbrio, em contraste com a Capela Maior, ricamente decorada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior  foi  realizado em 1730, em madeira dourada. Um dos grandes tesouros do monastério é a grande quantidade de tetos decorados com artesanato mudéjar. Um deles decora Capela Maior, bem em cima do retábulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO artesanato mudéjar está composto por estrelas de 5 e 10 pontas e policromado em azul, vermelho e ouro. Sua conotação simbólica está relacionado com a vitória do rei Enrique IV sobre os muçulmanos na Batalha de Jimena, além de ser também uma representação celestial. Na nave encontramos uma obra de arte excepcional, o Retábulo da Paixão. Realizado por um artista flamenco no séc. XV em madeira talhada e policromada, consta de 135 figuras que se caracterizam pela expressividade e individualização dos gestos e rostos, dotando o conjunto de um grande caráter teatral. Este retábulo foi inspirado nas obras dos geniais artistas flamencos Jan Van Eyck e Roger Van Der Weiden. Uma estrutura de vidro o protege e as fotos não saíram boas. mesmo assim, vale a pena reproduzi-las aqui, para que tenham uma ideia de sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça de San Lorenzo – Segóvia

Segóvia é uma cidade repleta de surpresas. Mesmo depois de visitá-la inúmeras vezes, ainda me surpreende com lugares que nao havia conhecido antes. Recentemente, estive no Bairro de San Lorenzo, um dos mais pitorescos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituado fora da muralha que rodeia o centro histórico de Segóvia, este bairro conserva de modo magistral sua atmosfera medieval e a praça dedicada a San Lorenzo é o centro de sua vida comunitária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATradicionalmente, seus habitantes dedicavam-se ao trabalho agrícola nas hortas e moinhos existentes nas margens de um dos dois rios que cortam a cidade, o Eresma. As casas que circundam a praça refletem em sua arquitetura tradicional, este modo de vida. Feitas de tijolos e com vigas de madeira, sua conservaçao é uma memória viva desta cidade à sua dilatada história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas casas tradicionais possuem dois andares, como podemos observar nas fotos, e muitas delas conservam sua porta composta por um arco de meio ponto. Na casa abaixo, vemos refletida em sua janela a torre da Igreja de San Lorenzo Mártir, que domina o centro da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima igreja românica possui uma cronologia indeterminada. No entanto, seus elementos estruturais a situam entre o séculos XII e XIII, ainda que alguns estudiosos afirmam que poderia ser mais antiga, talvez do séculos X ou mesmo do IX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua torre é um exemplo do denominado Românico Mudéjar. Destacam também em sua estrutura o triplo ábside e a galeria, típica do Românico Segoviano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA galeria está formada por colunas duplas, e nelas podemos apreciar a rica iconografia presente nos relevos de seus capitéis, com cenas históricas notáveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns dos numerosos elementos decorativos da Igreja de San Lorenzo sao tao arcaicos que dificultam a leitura de suas cenas. Outros, porém, estao muito bem preservados, como o que representa o Martírio de San Lorenzo. Este santo aragonês, que viveu entre 225 e 258 dC, foi queimado vivo numa fogeira, mais precisamente num assador e sua representaçao é uma das mais comuns associadas à iconografia deste santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cena impressionante é a que representa o Sacifício de Isaac, patriarca bíblico e único filho de Abraao com Sara, e pai de Esaú e Jacó. Isaac, no momento de seu sacrifício, foi substituído por um carneiro, e o episódio se refere à obediência de seu pai à Deus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com uma das portas de acesso ao templo, que estava fechado para visitaçao…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts veremos outro local maravilhoso de Segóvia, o Monastério de San Antonio, nao percam…

Palácio de Longoria – Segunda Parte

Neste último post sobre o Modernismo em Madrid, veremos, novamente, a mais célebre das construçoes modernistas da capital, o Palácio de Longoria. Digo isso, porque há quase três anos atrás, em 7/9/2012, publiquei a primeira matéria sobre este incrível edifício de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2012, comentei um pouco sobre a história do palácio, ressaltando seu aspecto exterior. Da mesma forma que antes, sua visita interna só é permitida em escassos dias do ano. No entanto, tive a oportunidade de conhecê-lo alguns meses atrás através de uma associaçao de arquitetos, que realizou uma visita guiada com um privilegiado grupo de interessados ouvintes. Antes de mostrar sua parte interna, publico uma vez mais alguns detalhes decorativos de sua fachada exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPara nao ser repetitivo, nao pretendo colocar as mesmas informaçoes do post inicial, apenas recordar que o Palácio de Longoria possui esta denominaçao graças ao seu proprietário original, o banqueiro Javier González Longoria, que ordenou sua construçao tanto como residência, quanto como sede de seu negócio financeiro. Recorreu, entao, ao arquiteto catalao, residente em Madrid, José Grases Riera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto projetou um edifício singular e criativo, inspirando-se no Art Noveau com uma profusa ornamentaçao modernista, repleto de formas orgânicas, cabeças femininas, motivos florais e sinuosidades naturalistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs variados elementos decorativos do Palácio de Longoria se devem ao gosto pessoal do proprietário, que solicitou ao arquiteto a incorporaçao de detalhes modernistas na construçao, numa época em que o Estilo Modernista estava em moda na Europa. Apesar de nao ser um arquiteto fiel ao estilo, Grases Riera, através da leitura de revistas especializadas daquele período, realizou uma construçao segundo o solicitado, com resultados surpreendentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da riqueza e abundância da decoraçao modernista utilizada, sua estrutura é tradicionalmente eclética, manifestada na planta em L com uma clássica estrutura circular na esquina, como podemos observar melhor na primeira foto da matéria de hoje. Apesar disso, o que realmente impressiona no palácio é sua incrível parte decorativa, onde foi incorporado o ferro forjado e a cerâmica composta por peças irregulares, recordando o famoso Trencadís de Gaudí.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua parte traseira, impressiona um curioso suporte, realizado em forma de palmeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens da parte traseira do palácio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do Palácio de Longoria é igualmente espetacular, como era de se esperar…OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu destaque incontestável é a maravilhosa escada principal, uma das grandes obras do Modernismo Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela se combinou de forma magistral vários materiais construtivos, como o ferro, bronze, mármore, gesso e vidro (cúpula), segundo a concepçao modernista de integraçao de todas as artes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJosé Grases Riera contou com a colaboraçao de artistas de primeira linha, mas infelizmente seus nomes sao desconhecidos. Construído entre 1902 e 1904, atualmente é a sede da Sociedade Geral de Autores, e em 1996 o Palácio de Longoria foi devidamente protegido, ao ser declarado Bem de Interesse Cultural. A seguir, vemos sua admirável cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo conclusao desta série sobre o Modernismo em Madrid, podemos dizer que a capital espanhola possui um belo e muitas vezes desconhecido patrimônio modernista, que deve ser conhecido e respeitado, para que nao desapareça no futuro, como infelizmente ocorreu no passado. Para aqueles (as) interessados (as) numa compreensao mais ampla do Modernismo Espanhol, recomendo a visualizaçao de muitas outras matérias, que tiveram o Estilo Modernista como tema, e sua data de publicaçao:

O Modernismo em Teruel: 25/10/2013

Albacete Eclética e Modernista: 14/10/2014 e 19/10/2014

Palácio Episcopal de Astorga: 26/9/2014 e 27/9/2014

Salamanca Modernista: 23/2/2015

Modernismo em Barcelona: série composta por vários posts: 4/4/2012, 11/6/2013, 12/6/2013, 13/672013 e 14/6/2013. Além disso, alguns dos principais monumentos modernistas de Barcelona receberam matérias especiais:

Sagrada Família: 29 e 30/10/2012

Palau Guell: 9 e 10/01/2013

Casa Milà: 11 e 12/01/2013

Hospital de Santa Creus i Sant Pau: 16 e 17/01/2013

Park Guell: 22 e 23/01/2013

Palau de la Música Catalana: 31/1/2013 e 172/2013

Casa Vicens: 24/01/2013

e muito mais….

Edifício da Companhia Colonial – Madrid

Outra Obra Fundamental do Modernismo em Madrid encontramos em plena Calle Mayor, no centro histórico da cidade. O Edifício da Companhia Colonial possui uma maravilhosa fachada, cuja recente restauraçao a deixou ainda mais bela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta empresa dedicava-se a elaboraçao de chocolate e a importaçao de produtos como o açúcar, o cacau e o café. No alto do edifício, o ceramista Daniel Zuloaga, cujo trabalho vimos no dia 11/1/2015, realizou diversos painéis de azulejos, mostrando os produtos da companhia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Este elegante edifício comercial foi projetado pelos arquitetos Miguel Mathet e Jerónimo Pedro Mathet, e recebeu o prêmio da Prefeitura de Madrid de melhor edifício construído na cidade em 1908.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua composiçao simétrica, em que a verticalidade das estruturas laterais que servem como mirantes, se equilibram perfeitamente com a horizontalidade dos balcoes. Esta característica é própria da Arquitetura Eclética. No entanto, a enorme plasticidade decorativa de sua fachada incorpora vários elementos modernistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A ornamentaçao da fachada foi inspirada na Art Noveau, e apresenta uma abundante iconografia simbólica, referente á atividade mercantil da empresa, como por exemplo, a escultura de Mercúrio, Deus do Comércio, que adorna a fachada principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA indústria também se representa com um de seus símbolos mais conhecidos, a Roda Dentada, que vemos acima e abaixo. A seguir, vemos outros detalhes escultóricos da fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm uma das laterais da fachada podemos ver o nome dos arquitetos construtores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADigno de nota é o incrível trabalho de ferro em seus balcoes, mirantes e portas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, muitos sao os que param diante do edifício e começam a tirar fotografias, pois sua beleza é realmente contagiante, e os detalhes decorativos, incríveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Obras Fundamentais do Modernismo em Madrid

Como conclusao desta matéria sobre o Modernismo em Madrid, reservei alguns posts enaltecendo as construçoes existentes na capital que contribuíram de forma significativa no desenvolvimento deste estilo artístico. Na matéria de hoje, veremos duas delas. A primeira é a denominada Colonia de la Prensa (Colônia da Imprensa, em português), considerado um dos melhores conjuntos modernistas da época, e construída entre 1911 e 1921 pelo arquiteto Felipe Mario López Blanco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta espécie de condominio fechado de princípio do séc. XX foi a primeira cooperativa residencial subvencionada pela Lei de Casas Baratas, instituída em 1911, sendo construída  por iniciativa de uma associaçao de jornalistas que adquiriram uns terrenos no antigo município de Carabanchel, atualmente um bairro de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFelipe López Blanco trabalhou quase que exclusivamente na colônia até sua morte em 1921. Dentro do espaço diversos detalhes modernistas adornam nao só as casas construídas, como também a portaria principal, cujas fotos vemos acima. Mençao à parte merecem os painéis de azulejos do famoso ceramista Juan Ruiz de Luna, de Talavera de la Reina (para maiores informaçoes sobra este tipo de cerâmica e a cidade onde se desenvolveu, ver os posts publicados entre 30/9/2013 e 1/10/2013). Um discípulo seu, Julián Montemayor, realizou as cerâmicas da portaria principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs casas da colônia combinam diveras tendências artísticas, desde o naturalismo da Art Noveau até o geometrismo do Modernismo Vienense, passando por detalhes do Modernismo Catalao e da Arquitetura Regionalista. Uma lástima que grande parte das construçoes perderam seu aspecto original, e apenas alguns detalhes recordam sua decoraçao do início do séc. XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das maiores contribuiçoes da arquitetura madrilenha para a História do Modernismo foi a construçao da denominada Necrópolis del Este (Necrópole do Leste, em português), um recinto que integra o Cemitério de Nossa Senhora de Almudena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Necrópolis del Este foi considerada um dos melhores recintos funerários da Europa na época de sua construçao. Realizado pelo arquiteto Francisco García Nava entre 1905 e 1927, sob um antigo projeto de Fernando Arbós e José Urioste, ganhadores de um concurso para a construçao do cemitério em 1877. Francisco Garcia modificou o projeto anrterior, promovendo uma síntese inovadora, combinando aspectos do Modernismo Vienense, do Modernismo Catalao, além de detalhes autóctonos como lembrança à arquitetura local (neomudejarismo) e um simbolismo decorativo como recurso para caracterizar o espaço funerário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO grande e monumental pórtico de entrada está composto por um conjunto de arcos levemente curvado em seus extremos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA maravilhosa capela é considerada uma verdadeira obra prima do Modernismo em Madrid

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua esbelta torre recorda alguns trabalhos do genial arquiteto catalao Antoni Gaudí.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cemitério de N.Sra de Almudena é o maior de Madrid, e um dos maiores de toda a Europa Ocidental. O número de pessoas que nele receberam sepultura, cerca de 5 milhoes, é superior  à populaçao atual da capital espanhola. O recinto funerário recebeu o nome da Virgem de Almudena, padroeira da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo cemitério estao enterrados uma grande quantidade de personalidades ilustres que viveram na Espanha, além de outros notórios espanhóis destacados de sua cultura, como por exemplo:

Fernando Rey (1917/1994) – Ator, um dos mais importantes do Cinema Espanhol.

Santiago Ramón y Cajal (1852/1934) – Cientista Espanhol e Prêmio Nobel de Medicina. Um resumo de sua vida e sua importância na ciência foram abordados no post a ele dedicado, em 7/4/2014.

Benito Pérez Galdós (1843/1920) – Escritor Espanhol, que retratou em muitas de suas novelas a vida dos madrilenhos e a história de sua cidade.

Alfredo Di Stéfano (1926/2014) – Jogador de futebol argentino, durante a década de 50 e 60 transformou-se num dos maiores jogadores da história do Real Madrid, e um dos melhores de toda a história do futebol mundial. Recentemente falecido, ocupava o cargo de Presidente de Honra do clube madrilenho.