O Modernismo em Madrid

Quando pensamos no Estilo Modernista em Espanha, imediatamente recordamos, e de forma merecida, o Modernismo Catalao e os grandes arquitetos Gaudi, Luis Domenéch i Montaner, Puig i Cadafalch, etc, que deixaram um legado arquitetônico impressionante, principalmente em Barcelona. No entanto, outras cidades espanholas possuem belos exemplos da arte modernista, como Teruel e Melilla. Na capital, Madrid, também o modernismo desenvolveu-se, apesar de que existe a crença equivocada de que este movimento artístico teve pouco protagonismo na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEvidentemente, existem aspectos que precisam ser considerados em relaçao ao modernismo madrilenho. O primeiro, que o Modernismo em Madrid nao pode ser comparado aos grandes centros criadores do estilo no continente europeu, como Viena, Bruxelas, Glasgow e Barcelona. Nao se pode afirmar que a originalidade e criatividade que o modernismo alcançou nas cidades acima citadas tivesse o mesmo nível na capital espanhola. Os edifícios catalogados como modernistas em Madrid se inserem dentro do contexto da denominada Arquitetura Eclética.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste fato se explica porque no final do séc. XIX e princípio do XX, época em que aparece o modernismo, a cidade de Madrid ainda nao havia alcançado um grau de desenvolvimento social, econômico e industrial que possibilitasse o aparecimento de uma burquesia o bastante numerosa para patrocinar construçoes deste estilo, como ocorreu em Barcelona. Outro fator limitante foi a grande influência da Real Academia de Belas Artes de San Fernando, que seguia ditando as normas arquitetônicas na cidade, com importantes efeitos sobre a Escola Superior de Arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPor estes motivos, a arquitetura madrilenha estava apegada à tradiçao eclética, consolidada desde o séc. XIX. Naquele período, o modernismo, um movimento surgido à margem e contra os critérios oficiais, por ser transgressor e ornamentalista, foi considerado um estilo inapropriado para representar a imagem arquitetônica da capital. Apesar disso, Madrid aspirava transformar-se num grande centro urbano, seguindo o exemplo de outras capitais européias. Este desejo cosmopolita impediu, de fato, o desprezo absoluto pela corrente modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA crise sofrida pela Arquitetura Eclética, “cansada” pela falta de originalidade decorrente da imitaçao de estilos do passado, colaborou para a implantaçao do Modernismo em Madrid. Assim, muitos arquitetos incorporaram elementos decorativos derivados da estética modernista, como uma tentativa de renovaçao do próprio Ecleticismo. Deste modo, o modernismo converteu-se em Madrid numa opçao decorativa integrada ao estilo eclético, nao afetando a concepçao espacial e estrutural dos edifícios, como ocorreu em Barcelona, onde o Modernismo virou sinônimo de Arte Total.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAArquitetos de diversas tendências incorporaram elementos modernistas nos âmbitos doméstico, industrial, religioso, funerário e comercial. No Modernismo em Madrid, encontramos influências do Art Nouveau francês e belga, do Modernismo Vienense, italiano e também do catalao. Um dos arquitetos que mais fielmente seguiu as pautas modernistas em Madrid, mas nao o único, como veremos nos próximos posts, foi Felipe Mario López Blanco, que construiu o edifício abaixo, situado na Calle de Almagro, repleta de belas construçoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído entre 1905/1907, neste edifício podemos visualizar os vários elementos modernistas utilizados em sua decoraçao. Ao mesmo tempo, o arquiteto edificava esta outra construçao, nos mesmos moldes decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, veremos os principais exemplos de edifícios e construçoes associados à estética modernista de Madrid, bem como o desenvolvimento do estilo ao longo do séc.XX, além de conhecer outros arquitetos que possibilitaram a criaçao de um Modernismo, ainda que superficial e muitas vezes discreto, ao mesmo tempo elegante e que vale a pena ser conhecido.

obs: a maior parte das informaçoes desta série de posts foi tirada do livro “Madrid Modernista: Guia de Arquietura”, uma obra de referência no tema, escrita pelos arquitetos Óscar da Rocha Aranda e Ricardo Muñoz Fajardo. Tive o privilégio de conhecer a Óscar pessoalmente, assistir a muitas de suas excelentes conferências, e realizar instrutivas visitas guiadas por Madrid organizadas por ele, sob uma variada perspectiva arquitetônica, que me inspirou na realizaçao desta matéria. Gracias, Óscar !!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s