A Construção da Gran Vía – Parte 2

A construção da Gran Vía foi realizada em 3 partes. No início da avenida, foi colocada uma maquete com a sua configuração, que ajuda a visualizar seu traçado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro trecho, que vai da Calle de Alcalá  a Rede de San Luís, finalizou-se em 1917, mas a obra definitiva só foi entregue em 1924. Abaixo, vemos uma imagem atual deste trecho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom 373m de comprimento, inicialmente chamou-se Conde de Peñalver, em homenagem ao prefeito de Madrid que realizou todos os esforços possíveis para levar sua construção adiante. Durante a Guerra Civil, passou a chamar-se Calle de la CNT. Algumas das ruas que ocupavam o antigo espaço desapareceram, como a Calle de San Miguel, que vemos na foto abaixo, ao lado da Calle de Alcalá entre dois edifícios no lado direito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte das construções próximas também foram derrubadas, exceção feita ao Oratório do Caballero de Grácia, que felizmente foi respeitado, cuja história será o tema da próxima matéria. Para salvá-lo foi realizado um pequeno desvio no traçado da Gran Vía. Abaixo, vemos a primeira parte da Gran Vía  em 1928, e o tráfico na região um pouco depois de ser construída.

DSC00287OLYMPUS DIGITAL CAMERAO segundo trecho da Gran Vía vai da Rede de San Luís a Plaza del Callao. Iniciada em 1917, em 1922 já se encontrava pavimentada, e concluiu-se em 1924. Com 409m, foram introduzidas transformações mais violentas na região para que pudesse ser construída, em comparação com o primeiro trecho. Abaixo, vemos uma imagem atual  do segundo trecho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo podemos observar, neste trecho a rua é mais larga, pois o projeto inicial incluía um boulevard central, que serviria de passeio para os cidadãos, algo que não chegou a concretizar-se jamais. Foi preferível que sua maior largura estivesse destinada ao aumento do tráfico rodado, que certamente se incrementaria com o tempo. A seguir, vemos obras realizadas em sua parte final, na Plaza del Callao, nos anos 20.

DSC07976Abaixo, a Plaza del Callao em 1931…

DSC00283No centro da praça, vemos uma coluna meteorológica adornada, que infelizmente não existe mais. Do lado esquerdo, o Cine Callao, construído por Luis Gutiérrez Soto entre 1926/1927, seguindo uma linha moderna e inovadora para a época. Fotos atuais da praça vemos na sequência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o segundo trecho chamava-se Avenida de Pi y Margall, em homenagem ao político catalão que tornou-se Presidente da Primeira República espanhola. Durante a Guerra Civil, denominou-se Avenida de Rússia. Finalmente, o terceiro trecho da Gran Vía, que vai da Plaza del Callao até a Praça de Espanha. Com uma extensão de 534m, sua construção ocasionou a demolição indiscriminada de todo o casario existente na região. As obras deste último trecho vemos na imagem abaixo, de 1929.

DSC07975As demolições iniciaram-se em 1925, e sua construção finalizou-se somente depois da Guerra Civil Espanhola em 1939. Um número maior de ruas desapareceram, e problemas com os desalojados atrasaram sua conclusão, pois resistiram ferozmente a sairem da região onde sempre haviam vivido. Para que tenham uma ideia, 121 edifícios foram derrubados, 21 ruas afetadas e 11 desaparecidas somente neste trecho da Gran Vía. Uma foto de 1930 vemos abaixo, e outra atual a seguir.

DSC07978OLYMPUS DIGITAL CAMERANo início, este último trecho foi denominado Avenida de Eduardo Dato. Durante a Guerra Civil, Avenida de México. Em 1939, toda a rua passou a denominar-se Avenida de José Antonio. Sua denominação atual, Gran Vía, apesar de ser seu nome popular durante todo o século XX, passou a ser oficial somente a partir de 1982, com a volta da democracia ao país. Este último trecho da Gran Vía é conhecido como a Broadway Madrilenha, devido a grande quantidade de casas de espetáculos que acolhe. Em 22/3/2013 e 25/3/2013, dediquei uma matéria somente sobre ela. Do ponto de vista arquitetônico, podemos considerar a avenida um verdadeiro museu referente às correntes vanguardistas do século passado, quando boa parte dos grandes arquitetos espanhóis do séc. XX deixaram sua assinatura nos projetos construtivos. Para ver alguns dos mais interessantes Edifícios da Gran Vía, vejam o post publicado em 14/2/2013, que será um bom complemento à matéria realizada ontem e hoje sobre sua construção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s