O Caminho de Santiago em Burgos

A cidade de Burgos adquiriu importância quando se tornou capital do incipiente Reino de Castilla no séc. X, durante o governo de Fernán González. Sua localização em pleno Caminho de Santiago lhe converteu num centro comercial e religioso fundamental na rota de peregrinos. O auge do caminho na Idade Média ocorreu entre os séculos XI e XIV, e os peregrinos traziam novas ideias que se propagavam pelo resto do continente. Muitos deles permaneceram na Espanha, como por exemplo os francos, que impulsionaram as atividades comerciais e artesanais em Burgos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANaquela época, Burgos era a primeira grande cidade que um peregrino alcançava depois de atravessar os Pirineus, por sua população e importância política, além da grande infraestrutura que possuía para receber aqueles que realizavam o Caminho de Santiago. Este potencial urbano incluía tanto os edifícios públicos, quanto assistenciais. Neste período, Burgos já contava com sua Catedral, 15 igrejas paroquiais, e mais de 30 hospitais que haviam sido abertos até o final do séc. XV para receber os peregrinos. Dentre os mais importantes, destacavam o Hospital del Rey e o de San Juan.  O peregrino que chegava à cidade nela entrava pela Porta de San Juan, construída no séc. XIV no estilo mudéjar, mas refeita em 1563. Restaurações posteriores modificaram totalmente seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a peregrinação, os (as) caminhantes se deparam, por todo o trajeto, e com Burgos não é diferente, com símbolos associados ao Caminho de Santiago, que identificam a rota que deve ser percorrida. Um deles é a denominada Concha de Vieira, também conhecida como Venera. Na realidade, trata-se da concha de um molusco comum que se encontra em muitos locais do continente, inclusive na costa da Galícia. Na Idade Média, o caminho finalizava em Finestere, considerado na época o fim do mundo. Ali, os peregrinos pegavam uma concha como prova indiscutível de que tinham realizado o Caminho de Santiago. Depois acabou tornando-se um símbolo do mesmo e um dos atributos distintivos do Apóstolo Santiago. Atualmente é um dos logotipos associados à rota de peregrinação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, Burgos oferece muitas opções de hospedagem para os peregrinos, como o Albergue de Santiago e Santa Catalina, que vemos abaixo, com a representação de ambos em sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos a representação de Santiago Peregrino que decora a fachada do albergue. Em seu trajeto entre a Porta de San Juan e a de San Martín ( cerca de 1350m), pela qual os peregrinos saíam da cidade, algumas visitas eram obrigatórias, já que estavam relacionadas ao próprio caminho, bem como a personagens que colaboraram em seu desenvolvimento. Um dos principais na cidade é San Lesmes, um monge francês que se instalou em Burgos no séc. XI, junto com outros 12 religiosos. Sua ideia principal era criar um complexo assistencial para os peregrinos, o Monastério de San Juan.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Lesmes faleceu em 1097, sendo aclamado como santo logo depois de sua morte. Em 1511, foi proclamado Padroeiro de Burgos. O edifício que hoje contemplamos não tem nada a ver com sua construção românica original. A fachada de estilo clássico foi reconstruída no final do séc. XVI ou começo do XVII. Depois da Desamortização de Mendizábal de 1836, o monastério foi abandonado e boa parte dele se converteu em ruínas. Atualmente, se conserva apenas o claustro do séc. XVI e a sala capitular. No entanto, nele são realizadas uma intensa atividade cultural, com conferências, exposições, etc. Outro monumento associado ao santo é a Igreja de San Lesmes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo foi construído na fase final do estilo gótico, nos séculos XV e XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da Igreja de San Lesmes é rico em obras de arte, com destaque para o Retábulo Maior Barroco, executado no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da igreja foi construído com as típicas Bôvedas de Crucería da Arquitetura Gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central foi colocado o Sepulcro de San Lesmes, realizado pelo Mestre de Covarrubias no final do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro destaque da Igreja de San Lesmes é a Capela dos Salamanca, com um belíssimo retábulo flamenco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s