O Rastro de Madrid – Parte 2

Além dos ofícios relacionados com o trabalho do couro e os produtos derivados da pele dos animais, no Rastro de Madrid começaram a ser instalados muitos antiquários e sebos, uma marca registrada da zona que persiste até hoje. O costume de ir ao Rastro em busca de artigos de segunda mão tem sua origem nos mercados de rua que sempre foram abundantes na região. Estes mercados estão documentados desde o séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComerciantes de móveis usados também se assentaram no Rastro, vendendo objetos inicialmente para os pobres, e posteriormente para as classes mais favorecidas. No pós guerra do séc. XX, houve uma grande oferta e demanda de móveis usados que propiciou a abertura de inúmeras lojas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos estabelecimentos comerciais de antiguidades se situaram em galerias, como a que vemos acima, situada na Calle de Ribera de los Curtidores. Em 1947 se inaugurou a mais famosa delas, a Galeria Piquer, que encontramos na mesma rua.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Galeria Piquer foi fundada pela família da atriz Conchita Piquer, que vimos recentemente na matéria sobre La Dolores de Calayud, interpretando o papel da personagem num dos filmes mais conhecidos sobre a heroína. O estabelecimento foi construído pelo arquiteto José de Azpiroz, e impressiona pela grande torre que preside sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da Galeria Piquer existem inúmeras lojas de antiguidade, que oferecem artigos realmente surpreendentes. Vale a pena entrar e admirar as peças expostas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIX, o Rastro se converteu num ponto de encontro dos madrilenhos que buscavam antiguidades, e o hábito permanece atualmente. Nos anos 60 do século passado, seguindo a tradição artesanal do bairro na fabricação de botas e mochilas, apareceram as primeiras lojas de materiais para a prática do montanhismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos anos 70, jovens hippies passaram a se reunir no Rastro vendendo artesanato e fumando mais que cigarros…Também passou a ser um local em que membros dos partidos de esquerda distribuíam panfletos e revistas de suas ideias revolucionárias. Uma coisa que não mudou no Rastro é o hábito da pechincha. Em relação ao famoso Mercado do Rastro, seguramente seja a grande atração do bairro, e todos os domingos milhares de pessoas, incluindo muitos turistas, abarrotam as ruas próximas a Ribera de los Curtidores para comprar objetos antigos, ou simplesmente para desfrutar do animado ambiente que o envolve.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão se sabe exatamente quando surgiu o Mercado de Antiguidades do Rastro. As primeiras referências literárias apareceram nos escritos de Lope de Vega e Cervantes, que no séc. XVII o relacionam com um mercado de carnes. Como local de venda de objetos usados, parece que surge a partir da metade do séc. XVIII. Abaixo, vemos algumas fotos antigas do Mercado do Rastro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem muitas histórias curiosas sobre pessoas que encontraram verdadeiros tesouros escondidos nas lojas do Rastro. Dizem que Lázaro Galdiano, por exemplo, um grande colecionador de objetos de arte, cujo excepcional museu é uma das grandes atrações da Calle Serrano (situada no Bairro de Salamanca), encontrou um quadro de El Greco, que lhe foi vendido por um preço irrisório…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, muitos comércios tradicionais foram substituídos pelas mega lojas onde se vendem artigos “made in China” nos dias de hoje. De qualquer modo, uma visita ao Mercado do Rastro é mais que recomendável, pois ainda é possível encontrar coisas interessantes, provar as comidas típicas do bairro e curtir seu ambiente acolhedor, e de fato, realmente pitoresco….

Anúncios

2 respostas em “O Rastro de Madrid – Parte 2

  1. As lindas fotografias chamam a atenção para além da beleza. o
    bom uso do que culturalmente o país tem, em sentido de possibilidades sociais. O funcionamento atualizado do que foi, ainda é com o melhorado. Um abraço, Cecília. Hoje é dia 04.12.2015.

    • Valeu Cecília, obrigado por acompanhar o blog e pelos comentários também. Madrid é uma cidade com um sem fim de histórias e curiosidades que pouco a pouco tentarei transmitir para você…Abração !!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s