Calle de Alcalá – Segunda Parte

Como dito no post anterior, o primeiro trecho da Calle de Alcalá, que vai da Puerta del Sol até a Plaza de Cibeles e que possui um grande interesse histórico,ficou conhecida como a rua dos banqueiros. Abaixo, vemos uma imagem atual, onde podemos observar a Plaza de Cibeles e, ao fundo, a Porta de Alcalá. No lado direito, o enorme edifício do Banco de España e em frente, o Palácio das Comunicações.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Banco de España foi construído em 1891, e sua construção representou uma das principais obras realizadas no final do séc. XIX em Madrid  (ver post publicado em 7/2/2012).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos uma antiga foto que nos mostra o banco em construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma foto de 1905. Nela, vemos que o Palácio das Comunicações ainda não existia, pois foi inaugurado alguns anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo alto do palácio existe um acolhedor bar, que oferece excelentes vistas da Plaza de Cibeles. Na foto abaixo, o Banco de España está à esquerda. Na parte superior esquerda, o Círculo de Belas Artes e no centro, com pouca visualização, o Edifício Metrópolis e a intersecção da Calle de Alcalá com o começo da Gran Vía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra foto antiga, tirada mais ou menos do mesmo local…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta imagem, podemos ver claramente, no lado esquerdo inferior, a famosa Fonte de Cibeles, situada no centro da praça homônima. O segundo trecho da Calle de Alcalá, entre a Plaza de Cibeles e a Porta de Alcalá, era conhecido antigamente como Calle del Pósito, devido à existência de uma grande depósito de grãos. No gravado que vemos a seguir, podemos observá-lo no lado direito, junto com a antiga Plaza de Touros de Alcalá.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terreno do antigo depósito foi ocupado no final do séc. XIX por uma mansão aristocrática conhecida como Palácio de Linares, que em 1992 foi convertido no Centro Cultural Casa de América, situado no outro lado do Palácio das Comunicações.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta de Alcalá é um dos monumentos mais conhecidos de Madrid e foi construída pelo arquiteto Francisco Sabatini. Foi finalizada em 1778, durante o reinado de Carlos III (ver post publicado em 11/3/2013).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta porta monumental era uma das entradas (ou saídas) da antiga Cerca de Felipe IV, que desapareceu durante o processo de Ensanche da cidade na metade do séc. XIX. Abaixo, vemos uma foto bem antiga, quando a praça que a rodeia, chamada de Praça da Independência, ainda não estava ajardinada (esta praça é o principal ponto de entrada ao Parque do Retiro).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto podemos ver os antigos portões de ferro que fechavam durante a noite, impedindo a saída ou a chegada de pessoas à cidade. Na parte inferior, uma pequena carroça estacionada junto à porta espera seu proprietário, que foi pagar o denominado imposto de Portazgo, uma taxa obrigatória a todos aqueles que entravam na cidade com mercadorias, além de ser considerado um imposto de trânsito. Esta era a principal função das chamadas cercas, que durante séculos, rodearam Madrid. Uma das curiosidades da Calle de Alcalá é que uma vez ao ano se recorda uma tradição que remonta a séculos, a passagem de milhares de ovelhas pela rua, um fato realmente inusitado, pois o tráfico de veículos é bloqueado para o acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO fato se explica porque a Calle de Alcalá é uma Cañada Real, isto é, uma via em que os pecuaristas podem levar seus rebanhos no inverno a zonas de clima mais amenos e com melhores pastos. Este privilégio foi concedido pelo rei Alfonso X El Sábio no séc XIII. Este itinerário é denominado na Espanha de trashumancia e pude presenciá-lo uma vez, mas na ocasião não tinha a câmara de fotos comigo…A partir da Porta de Alcalá em direção leste da cidade, a rua foi prolongada com o processo de Ensanche no séc. XIX, e este trecho era conhecido como Carretera de Aragón, pois conduzia aos caminhos que levava a esta região espanhola. Também ficou conhecido como Paseo de la Venta do Espírito Santo, zona situada onde hoje encontramos a Praça de Touros de Las Ventas. Abaixo, vemos uma foto antiga desta que era uma zona degradada e suja da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste foi o local escolhido para a construção da maior Praça de Touros da Espanha, conhecida como Praça de las Ventas. Com capacidade para 23 mil espectadores, foi projetada pelo arquiteto José Espeliú e inaugurada em 1931 (post publicado em 21/5/2012).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1929, a praça já estava concluída, mas como a zona ainda não estava devidamente urbanizada, sua inauguração teve que ser adiada por mais dois anos. Abaixo, vemos uma foto da praça logo depois de finalizada as obras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de todas estas denominações, a grande rua sempre foi conhecida como Calle de Alcalá, e passear por ela nos possibilita conhecer muitos dos principais pontos históricos de Madrid. No próximo post, conheceremos a obra de um dos maiores arquitetos da história da Espanha, que deixou um legado importantíssimo na capital, especialmente na Calle de Alcalá, chamado Antonio Palácios. Não percam !!!!!

1 comentário Adicione o seu

  1. Pedro Pacheco disse:

    Parabéns, pelas informações delhadas, isto nos possibilitará conhecer melhor Madrid numa próxima viagem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s