Os Gravados de Goya: Desastres da Guerra

Um dos fatos mais marcantes da Espanha no séc.XIX, vivido intensamente por Goya, foi a invasão das tropas de Napoleão, que desencadeou a Guerra da Independência, entre os anos de 1808 e 1814. Neste período, o poder da nação esteve nas mãos de José I, irmão do imperador francês. Muitas cidades foram destruídas e o patrimônio artístico e histórico do país, saqueado. Alguns dos episódios mais relevantes do período foram retratados por Goya em seus quadros, como os famosos ” El Dos de Mayo” e  “El Tres de Mayo“, datas dos célebres acontecimentos ocorridos em Madrid, quando a população se rebelou contra as tropas francesas, e cuja consequência foi o fuzilamento dos cabeças desta revolta popular. Ambas obras podem ser admiradas hoje em dia no Museu do Prado. Goya realizou também uma série de gravados sobre a guerra, composta por 85 lâminas e que foram realizadas entre 1810 e 1814. No entanto, somente foram publicadas em 1863, ou seja, 35 anos depois da morte do pintor.

20150816_112833Nesta série, Goya retrata o horror da guerra e suas fatais consequências. Não enaltece as vitórias, mas as cenas de bandidagem das tropas francesas, o patriotismo das guerrilhas e a crueldade perpetuada pelos dois bandos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta impressionante série foi provavelmente criada depois de sua visita à Zaragoza, cidade que foi bombardeada e sitiada pelo inimigo. Goya recolheu inúmeras testemunhas do massacre, sendo que representam fatos verídicos. Depois de uma brava resistência, Zaragoza caiu em 1809 e sua população esteve à beira do colapso devido a uma epidemia de tifo, provocada pelos incontáveis cadáveres putrefatos que se amontoavam pelas ruas da cidade. Todas as lâminas das 4 séries dos Gravados de Goya estão numeradas e com um título. A de abaixo denomina-se “Al cementério“…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra, simplesmente “Por Quê ?”…

20150816_112846Nestas cruéis cenas, observamos a miséria humana como decorrência da guerra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA vivência das histórias que viu e ouviu deixaram a Goya fortemente sensibilizado, e de forma permanente. O gravado a seguir chama-se “Yo lo vi…”

20150816_112805Em muitos locais do interior do país a população rural, pobre e insuficientemente armada, utilizou as técnicas da guerrilha, que foram combatidas de maneira terrível pelo exército de Napoleão.

20150816_112824Em algumas lâminas, Goya homenageia o heroísmo popular, caso de de Agustina de Aragón, uma mulher de Zaragoza que vendo os artilheiros mortos não hesitou em pegar o canhão e disparar contra o inimigo. Ainda hoje, é considerada um dos símbolos da resistência de Zaragoza contra o invasor. O gravado se chama “Que valor…”

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s