O Museu de Antequera

No post de hoje conheceremos o interessantíssimo Museu de Antequera, uma das principais instituições culturais, não só da cidade, como de toda a Comunidade de Andalucía. Sua origem situa-se no antigo Museu Arqueológico Municipal, criado em 1908. Em 1966, o Museu Municipal foi levado ao Palácio de Nájera, sua atual localização.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA importância do museu se comprova pela elevada qualidade artística das obras expostas, seu excelente estado de conservação e a variedade histórica  das peças arqueológicas, pinturas e esculturas de seu acervo permanente. Depois de uma ampla reforma realizada em 2009, o museu conta com 5 mil metros quadrados de área construída, e seu acervo está dividido em 20 salas expositivas, realizada de forma cronológica. Veremos, pois, algumas das obras mais relevantes do Museu de Antequera. O período romano está muito bem documentado, com algumas obras únicas a nível nacional. Um exemplo é o monumental mausoléu pertencente à família de Acilla Plecusa, uma das mais influentes da época. Datada do séc. II dC, esta tumba familiar é do tipo “columbário“, sendo que as urnas funerárias eram colocadas na parte lateral da estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos maiores tesouros do patrimônio romano espanhol encontra-se exposto no museu. Trata-se do Éfebo de Antequera, uma estátua de bronze do séc.I dC inspirada no original grego. Para muitos estudiosos, é considerada a escultura romana mais bela do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra obra de importância fundamental é a Vênus de Antequera (séc.II dC),  uma das representações mais belas da Deusa do Amor, esculpida em mármore grego.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação à Arte Sacra, o Museu de Antequera possui obras notáveis, como a escultura da madeira policromada de São Francisco de Assis, realizada pelo grande Pedro de Mena (1628/1688) em 1663. Originalmente, a peça foi talhada para a Catedral de Toledo, e descreve visão que o Papa Nicolás V teve ao contemplar a múmia do santo em sua visita à cripta de Assis: de pé, olhando ao céu, com as mãos ocultas nas mangas, descalço e com os estigmas nos pés e no costado. Por este motivo, a escultura possui um grande naturalismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém de madeira é a escultura de Santa Eufemia, padroeira da cidade de Antequera, anônima do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos uma escultura de São José com o Menino Jesus, anônima do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInúmeras e de qualidade são as esculturas religiosas existentes no acervo do museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das peças mais singulares é esta Pia Batismal do séc. XV, feita de barro e vidro de cor verde no estilo mudéjar renascentista, uma das poucas que se conservam em todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte pictórica, destaca a presença de alguns pintores antequeranos de grande maestria, como José María Fernández (1881/1947), que doou a maior parte de suas obras ao museu. Abaixo, vemos uma das salas, dedicada à pintura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVerdadeiramente curiosa é a obra do artista Cristóbal Toral, caracterizada por sua obsessão pelas malas de viagem, como podemos ver, tanto nas esculturas, como nos quadros que realizou.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACristóbal Toral iniciou sua formação na Escola de Artes e Ofícios de Antequera e completou seus estudos na Real Academia de San Fernando de Madrid. Em 1975, participou na Bienal de São Paulo. Abaixo, vemos sua singular interpretação do famoso quadro de Velázquez, “Las Meninas“, em que os personagens foram substituídos pelas maletas….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas dependências do museu constituem, por si só, verdadeiras obras de arte, como vemos na imagem abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza del Coso Viejo – Antequera

Na matéria de hoje veremos um dos lugares mais belos da parte baixa de Antequera, a Plaza del Coso Viejo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente se chamava Praça das Verduras, graças aos mercados ao ar livre que nela se realizavam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza del Coso Viejo possui várias construções de interesse, acolhendo templos religiosos importantes, assim como palácios que serviram de residência para os nobres da cidade. O Convento de Santa Catalina de Siena, por exemplo, pertence à Ordem Dominicana e sua igreja foi construída entre 1724 e 1735.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao convento, o antigo Palácio de Nájera, erguido entre os séculos XVI e XVIII. Atualmente, é a sede de uma das principais instituições culturais da cidade, o Museu de Antequera (que veremos no próximo post).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo elementos de destaque do palácio, a porta é do período inicial de sua construção, no séc. XVI. Já a esbelta torre foi levantada posteriormente, no séc. XVIII. No interior, existe um belo pátio em forma de claustro, composto por 4 galerias sustentadas por colunas toscanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro da praça está presidido por uma estátua equestre do Infante D.Fernando de Antequera, conquistador da cidade, e realizada em 2002 pelo artista Jesús Gavira Alba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo se não bastasse tanta beleza, na praça podemos contemplar também a Fonte dos 4 Elementos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs luminárias dão um toque romântico e um charme especial a esta praça da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Antequera – Cidade das Igrejas

Antequera é um exemplo perfeito do que se costuma denominar Cidade Conventual, devido ao grande número de monastérios e conventos que foram construídos a partir do séc. XVI. Nesta época, passa a ser conhecida como a Cidade das Igrejas, quando foram edificados vários templos para as distintas ordens religiosas que se estabeleceram. A Igreja de Santa María de Jesús é uma delas. Foi construída a partir de 1527 como igreja conventual da Ordem Terceira de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de sua sobriedade exterior, o interior da igreja é belíssimo, como em todas as igrejas da cidade que pude visitar. O destaque fica por conta da Capela Maior, composta por três belos retábulos. O central está dedicado à Virgem do Socorro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste retábulo foi realizado em 1725 por um mestre antequerano, Antonio Ribera. Abaixo, vemos outra foto dos retábulos e a cúpula pintada existente sobre a Capela Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma imagem muito venerada é a de Jesus Nazareno, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas antigas dependências conventuais funciona o Museu das Confrarias. O séc. XVIII, pertencente ao barroco, foi uma etapa de grande pujança para Antequera, e deste período corresponde a maior parte do patrimônio artístico e histórico existente. A cidade transforma-se num grande centro produtor de retábulos de enorme qualidade artística. Em alguns pontos da cidade, podemos contemplar curiosas capelas, construídas neste momento. A denominada Capela-Tribuna da Virgem do Socorro situa-se ao lado da Igreja de Santa María de Jesús, formando um dos conjuntos mais interessantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela aberta foi originalmente construída em 1715 como um ponto de parada ritual, junto a outras que existem na cidade, para o trajeto da procissão da sexta-feira santa das Confrarias de Santa Cruz de Jerusalém e de Nossa Senhora do Socorro, com sede canônica na Igreja de Santa María de Jesús. O estilo da capela é o Barroco-Mudéjar, com o predomínio do tijolo e da pedra calcária como materiais construtivos. Na parte superior foi colocado uma imagem da Virgem do Socorro para a veneração popular. Inspirada na capela acima, a Capela da Cruz Blanca  é de 1774, e também faz parte da rota da procissão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra instituição religiosa de grande interesse é o Convento de Belén. Desde sua fundação em 1640 até a Desamortização de Mendizábal, ocorrida em 1836, funcionou como Convento da Ordem dos Carmelitas Descalços. A partir de 1859, passou a receber freiras da Ordem Clarissa. Exemplo de construção maneirista e um modelo característico dos conventos castelhanos do séc. XVII. Os três corpos de sua fachada oferecem uma sensação de harmonia e uma perfeita combinação de pedra e tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA planta interior foi realizada por Tomás de Melgarejo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMaravilhosa é a decoração feita de gesso por Francisco Asensio Carrizo em 1704, que podemos observar por toda a estrutura do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Capela Maior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO órgão é de 1791…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre as inúmeras obras de arte que adornam o interior, me chamou a atenção um quadro de procedência mexicana. Do séc. XVII, representa a Virgem das Sete Dores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, a arquitetura religiosa em Antequera é quantitativa e qualitativamente imensa, e as obras artísticas que acolhem, de uma grande riqueza e variedade. Nesta matéria, vimos uma pequena mostra de seu patrimônio religioso.

Igreja do Carmen – Antequera

O séc. XVII representou um período difícil para Antequera, com catástrofes e epidemias que ocasionaram uma grande perda populacional. No entanto, a cidade ganhou alguns de seus monumentos mais representativos, como a Igreja do Carmen, um lugar de visita obrigatória num passeio por esta cidade andaluza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja localiza-se num ponto elevado, com magníficas vistas do entorno.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo é a única parte sobrevivente do antigo Convento das Carmelitas Descalças, edificado a partir de 1585 e finalizado em 1633. Em 1833, devido seu péssimo estado de conservação, o convento foi demolido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua simplicidade exterior, na qual destaca a portada de Ordem Toscana, foi realizada em 1609 e não anuncia a exuberância decorativa do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, quando entramos para conhecer a igreja, não podemos imaginar as maravilhas que se encontram dentro de sua ampla nave, consideradas obras primas do Barroco na Andalucía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da nave existem várias capelas belíssimas, com uma preciosa decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPorém, o que realmente tornou famosa esta igreja é a excepcionalidade da Capela Maior, e seu impressionante retábulo talhado em madeira de pino vermelho, uma obra espetacular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste retábulo está composto por 52 esculturas de madeira policromada que representam uma magistral exaltação barroca da Ordem Carmelita e uma peça singular da Arte Andaluza. Executado em torno a 1747 por Antonio Primo de la Rosa, as esculturas são de autoria de José de Medina e Diego Márquez y Vega. O centro do retábulo está presidido pela imagem da Virgem do Carmen, realizada por José de Medina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte superior da Capela Maior foi pintada no estilo maneirista com elementos decorativos feitos de gesso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da nave central foi coberto por um incrível artesanato mudéjar, realizado em 1614.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior dos muros, vários quadros embelezam ainda mais a igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos quadros mais importantes, anônimo do séc. XVII, representa o episódio do Antigo Testamento conhecido como a Escada de Jacó, em que o próprio descansa numa pedra e sonha com uma escada, pela qual sobem e descem anjos. A escada indica os passos que a alma deve seguir para atingir uma união perfeita com Deus. Cada degrau corresponde a uma sucessão de estados espirituais. Ao final da escada, aparece a Santíssima Trindade e a Virgem Maria, que serve de intermediária entre Deus e os seres humanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos mostrando alguns belos detalhes deste templo que merece ser mais conhecido e valorizado, pois acolhe obras verdadeiramente excepcionais do Barroco Espanhol

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça de San Sebastián – Antequera

Até o séc. XVI, Antequera viveu enclausurada dentro dos limites das muralhas que cercavam a parte alta da cidade. A partir de então, a explosão demográfica e sua consequente ampliação urbana fez com que surgissem novos espaços, originando a parte baixa de Antequera. Um dos mais importantes é a Praça de San Sebastián, um local que se destaca pela beleza das construções que a rodeiam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA praça está presidida pela Real Colegiata de San Sebastián, cuja construção iniciou-se a partir de 1530, obra do arquiteto Pedro López. Vindo de Salamanca, o arquiteto Diego de Vergara realizou a fachada plateresca em 1548. Nela vemos as esculturas de São Sebastião, São Pedro e São Paulo. Na parte superior, as armas do Imperador Carlos I e, no centro, a figura de Hércules menino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA imponente torre da igreja foi levantada no período barroco. No final do séc. XVII se construiu a base e no século seguinte se realizaram os 3 corpos superiores, feitos de tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte mais alta da torre foi colocada uma figura bastante popular em Antequera, o “Angelote“…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do séc. XVII, a titularidade de Colegiata, anteriormente pertencente a Santa María La Mayor, que vimos no último post, foi trazida para esta igreja, que foi ampliada. Esta mudança ocorreu pois queriam transformar a cidade em sede episcopal, e a Colegiata em Catedral, algo que não acabou sucedendo. No interior da igreja podemos ver lindas obras de arte, que abarcam o período que vai do séc. XV ao XIX. No presbitério, por exemplo, foi colocado um tabernáculo de madeira dourada realizado entre 1609 e 1616, construído inicialmente para a Colegiata de Santa María. Foi trazido desta igreja para decorar o presbitério de San Sebastián, depois da destruição do seu retábulo maior, devido a uma explosão ocorrida em 1690. No centro, vemos a imagem de Santa Maria da Assunção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANos pés da nave central situa-se o coro barroco….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo alto do coro, vemos um belíssimo órgão. A caixa que o envolve data de 1734, mas o instrumento foi substituído em 1802.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte traseira do coro (trascoro), o destaque fica por conta de algumas das imagens mais veneradas pela população antequerana, realmente comovedoras. De finais do séc. XVIII, foram realizadas por Andrés de Carvajal. A seguir, vemos as imagens de Madalena Penitente e a de Cristo pegando as vestimentas, logo após sua flagelação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Colegiata de San Sebastián, uma fonte renascentista realizada em 1545 decora a praça. É considerada uma das mais belas fontes deste estilo de toda a Andalucía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtrás da fonte, podemos ver o Arco dos Nazaríes, construído em 1671. No começo dos anos 60 do século passado, seu estado ruinoso ameaçava derrubá-lo, quando foi desmontado e novamente reconstruído pelo arquiteto Francisco Pons-Sorolla, neto do famoso pintor Joaquín Sorolla.OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, ao lado da igreja, um belo edifício inspirado no ecleticismo francês, a Casa Bouderé. Construída em 1910, destaca-se por sua pedra calcária vermelha, proveniente da Serra del Torcal, que circunda a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vocês puderam observar, na Praça de San Sebastián convivem vários estilos arquitetônicos que, ao invés de torná-la um espaço sem unidade, colaboram para sua riqueza artística, contribuindo para a monumentalidade dessa maravilhosa cidade da Província de Málaga.

Real Colegiata de Santa María – Antequera

Depois da conquista de Antequera em 1410, a cidade se transformou num próspero centro urbano da Andalucía. No século XVI, uma grande expansão urbana e demográfica se produziu, e muitos monumentos foram construídos, com especial destaque para a Real Colegiata de Santa María La Mayor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção do templo foi ordenada pelo então Bispo de Málaga Diego Ramírez de Villaescusa. Para tanto, solicitou uma permissão ao Papa Julio II, que a concedeu mediante uma bula em 1503. A importância desta igreja reside no fato de que foi a primeira edificação  de estilo renascentista de toda a Comunidade de Andalucía, num momento em que ainda era vigente o gosto pela arquitetura gótica no país. Por este motivo, foram colocados os pináculos que vemos na fachada principal, um elemento característico do estilo gótico. Em frente à Real Colegiata, vemos a escultura do poeta Pedro Espinosa, uma referência à catedra de gramática que existiu no local, transformando a igreja num importante foco do humanismo na região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAImportantes e consagrados arquitetos participaram de sua construção. As obras se iniciaram somente em 1530, sob a direção do arquiteto Pedro López, que deixou concluída toda a cimentação do templo. Depois, o famoso arquiteto da Catedral de Granada (entre outras obras), Diego de Siloé, outorgou o aspecto renascentista que possui.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre, realizada com tijolo, foi edificada somente no séc. XVII, e não constava do projeto original. O acesso ao templo se dá depois de passar pelo Arco dos Gigantes, que vimos no post anterior. Abaixo, vemos imagens da torre, tiradas dos jardins da Alcazaba de Antequera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por um grande salão basilical, e constituído por 3 naves separadas por colunas de Ordem Jônico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da igreja, feito de madeira, é mudéjar do séc. XVI. Em 1692, a Real Colegiata foi levada à Igreja de San Sebastián, situada na parte baixa da cidade. Atualmente, o templo se encontra carente de elementos decorativos, pois não se dedica ao culto, sendo que seu espaço é utilizado para concertos e exposições. A Capela Maior foi realizada por Diego de Vergara entre 1545 e 1550, e sua bôveda é de crucería gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO elegante baldaquino que preside a Capela Maior foi construído em 2002, uma réplica fidedigna do original de 1578. Na época barroca, as procissões de Corpus Christi se realizavam com grande teatralidade, utilizando elementos profanos junto com as imagens religiosas. Um exemplo que podemos ver no interior da Real Colegiata é a Tarasca, uma representação de um monstro com forma de serpente ou dragão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASobre o monstro, vemos uma mulher, que normalmente simboliza a fé e o triunfo de Cristo sobre o pecado, representado pelo dragão, neste caso. A Tarasca da foto foi realizada em 1760, e está formada por 7 cabeças, uma referência aos sete pecados capitais. Em algumas cidades da Andalucía, ainda podemos observar as Tarascas pelas ruas, durante a semana de Corpus Christi…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Muralha de Antequera

O recinto militar e residencial da Alcazaba de Antequera estava protegido por sólidas muralhas, que foram levantadas no final do séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhando pela cidade, podemos encontrar as várias portas de acesso à antiga medina, como a Porta de Málaga, construída no séc. XIV em pedra arenítica e com um belo arco de ferradura, feito de tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo a esta porta monumental, encontramos outro acesso da muralha, muito mais simples, a Puerta del Água.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo dia 6 de setembro de 1410, depois de um longo assédio, as tropas castelhanas comandadas pelo Infante D.Fernando conseguiram romper o sistema defensivo da cidade através de seu ponto mais débil, situado na atual Plaza del Carmen.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA população muçulmana da Medinat Anteqira, vendo que a cidade estava perdida, se refugiou na parte alta, mas 8 dias depois se produziu sua rendição definitiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos migraram à cidade de Granada, onde fundaram o famoso bairro de Antequeruela. Em frente à torre de assalto, vemos um monumento aos Antiqiriés, como foram chamados aqueles que partiram rumo à Granada. A escultura foi realizada por Jesús Gavira e inaugurada em 2010, com motivo do VI centenário da incorporação de Antequera ao Reino de Castilla. Representa uma família de muçulmanos que abandonam as muralhas da cidade de seus antepassados e olhando para Granada, seu próximo destino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApós a difícil tarefa de conquistar a cidade, o exército cristão, com medo de uma retomada muçulmana, voltou a reforçar o complexo defensivo da cidade e várias novas portas foram erguidas com o tempo. Uma das mais importantes é o Arco dos Gigantes, também conhecido como Porta de Hércules.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada na parte alta de Antequera, permite o acesso à Alcazaba e também à Real Colegiata de Santa María, que em breve veremos no blog. Foi levantada em 1585 pelo corregidor (cargo administrativo com as funções de prefeito) Juan Porcel de Peralta, que mandou derrubar uma antiga porta muçulmana para sua construção. A novidade foi a incorporação de diversas lápides e esculturas de época romana em seus muros, que foram encontradas na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASobre o arco foi colocado uma escultura de Hércules, da qual se conserva apenas os pés e uma pequena parte da túnica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte das peças romanas foram tiradas, depois da inauguração do Museu Arqueológico Municipal em 1908. Porém, em 1985, com a comemoração de seu V centenário, a maior parte das peças voltaram ao seu lugar original. Abaixo, vemos imagens do interior do Arco dos Gigantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1748 é a Porta de Granada, cujo aspecto atual é fruto de uma reforma realizada em 1942. No centro, o escudo de Fernando VI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa mesma época, durante o reinado de Fernando VI, se levantou a Puerta de Estepa, erguida no caminho real que levava à Sevilha. Composta por 3 arcos de meio ponto, o central é mais largo, para a passagem de carruagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior do arco central foi colocada uma imagem em terracota da Virgem do Rosário, de Andrés de Carvajal. Em 1931, se procedeu a demolição da porta, e em 1998 foi reconstruída no mesmo lugar da original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século passado, a Prefeitura de Antequera promoveu a recuperação das muralhas que estavam ocultas sob as casas, que foram demolidas para a o aparecimento e conservação das mesmas.