Museu Arqueológico Nacional: Os Visigodos

Entre os séculos IV e V dC as fronteiras do Império Romano se desmoronam. Os povos godos, a partir de então, invadem o vasto território romano, procedentes do centro e do norte do continente. Na Península Ibérica, os principais povos que constituíram esta nova etapa histórica foram os visigodos, que venceram, ao longo do seu período de conquista a outros dos denominados povos bárbaros, como os Suevos e Alanos, que haviam dominado parte da península.

DSC09582Os Visigodos instalaram a capital de seu reino em Toledo, durante o reinado de Atanagildo, cuja panorâmica vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Reino Visigodo se articulava em torno da monarquia, auxiliada por uma assembleia mista composta por nobres e eclesiásticos. As sessões políticas e religiosas eram realizadas geralmente na Igreja de Santa Leocádia, cuja importância aumentou quando passou a acolher os famosos Concílios de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 589, durante o Terceiro Concílio de Toledo, o monarca Recaredo se converte ao cristianismo, transformando-o na religião oficial do estado. Antes, os reis visigodos eram adeptos do Arrianismo, uma corrente religiosa considerada herética, pois negava a dupla natureza de Cristo, humana e divina. A igreja passa a ocupar um papel ativo no governo, junto com a monarquia. Na atual Espanha, se conservam algumas basílicas da época visigoda, bem como restos arqueológicos, alguns dos quais podemos observar no Museu Arqueológico Nacional, como estas esculturas litúrgicas feitas de mármore, dos séculos VI e VII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Monarquia Visigoda era eletiva, e não hereditária, detalhe que causou muitas disputas e sangue. Dos 34 reis visigodos que governaram a Península Ibérica, 10 foram assassinados por familiares próximos e somente 15 tiveram morte natural. Apesar disso, sua organização estatal possuía uma sólida estrutura, baseada nos princípios jurídicos e administrativos do Império Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Isidoro (560 ?/636) foi um dos personagens mais brilhantes da Espanha Visigoda. Arcebispo de Sevilha e considerado um dos doutores da Igreja Católica, a ele se deve uma obra fundamental que reúne todo o conhecimento da época, as Etmologias. No âmbito artístico, os visigodos eram excepcionais no trabalho de metais, como podemos comprovar na coleção exposta do Museu Arqueológico. Por exemplo, na sequência vemos objetos de ornamentação pessoal denominados fíbulas aquiliformes (séc. VI). Feitas de bronze e vidro, eram usadas como elementos diferenciadores do status social. Esta tipologia é uma das mais representativas dos povos visigodos. Sua função era segurar capas e túnicas, sendo utilizadas pela nobreza, que adornavam suas roupas com riqueza e colorido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das peças mais importantes de todo o museu pertence à época visigoda, e nos mostra o grau de refinamento conseguido pelos artesãos daquele período. Se trata do famoso Tesouro de Guarrazar, datado entre 621 a 672 dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste excepcional conjunto de peças elaboradas com pedras preciosas foi encontrado em sepulcros na localidade de Guarrazar (Província de Toledo) em 1858 e demonstram o luxo associado às classes elitistas. As coroas e cruzes eram oferendas de imperadores e reis para igrejas e monastérios, recordando o vínculo entre a monarquia e sua divindades. A peça mais destacada é a Coroa do Rei Recesvinto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém vemos fíbulas e broches de cintos usados como adorno pessoal, confeccionados segundo influências bizantinas e da época final do Império Romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATradicionalmente, se considera o Rei Leovigildo como o fundador da monarquia visigoda na península, assim como a cidade de Recópolis, construída para seu filho Recaredo. Ainda hoje podemos visitar suas ruínas, situadas na Província de Guadalajara. De sua basílica se conservam elementos escultóricos datados dos séculos VI e VII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO exército não constituía um organismo institucionalizado na época visigoda. Quando as circunstâncias o exigiam, o monarca convocava os nobres, que reuniam as tropas necessárias, junto com grupos de soldados mercenários. As contínuas disputas pelo poder e as constantes revoltas aristocráticas provocaram no início do séc. VIII uma frágil situação, que alcançou seu apogeu na época do último rei visigodo, Rodrigo. No ano 710 subiu ao poder e durante seu breve reinado ocorre o desembarque dos muçulmanos na Península Ibérica, colocando em cheque a fragilidade da monarquia visigoda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 711, data fundamental na história da Espanha, as tropas muçulmanas de Tarik desembarcam em Gibraltar. Rodrigo, com um exército numeroso, tenta deter o avance árabe, mas é incapaz de fazê-lo, sendo derrotado na Batalha de Guadalete. Inicia-se um novo período histórico, que duraria quase oito séculos…

Anúncios

2 respostas em “Museu Arqueológico Nacional: Os Visigodos

  1. Visigodos são nos dias atuais as famílias ; Souza, Valadares, nogueiras, carvalho, barroso, bastos, aguiar, fonseca , sá, moreira, melo, e outras famílias não citadas. Visigodos-Ostrogodos são as famílias Pereira, Marinho, Andrades e outras não citadas. Porque visigodos-ostrogodos, porque visigodos e ostrogodos são uma mesma nação, mas que por estarem uns a oeste do mar negro visigodos, outros a leste do mesmo mar negro mais próximos do rio Don ficaram denominados ostrogodos , por isto West-godos e Ost-godos, que são o mesmo povo. Sendo assim quando vindos os pereiras, marinhos, andrdes e outros da Itália no século IX para a Iberia eles passam a visigodos por serem da mesma nação . assim. LSouza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s