Real Monastério de Santa Clara – Murcia

A matéria de hoje está dedicada ao Real Monastério de Santa Clara, uma das mais importantes e, por incrível que pareça, desconhecidas construções de Murcia. Este monastério possui um significativo papel não só para a  cidade, mas para todo o país nos aspectos históricos, artísticos e, principalmente, arqueológicos. Originário do séc. XIV, foi construído sobre um antigo palácio muçulmano do séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde o séc. XIV, o monastério pertence à Ordem das Clarissas, que ainda vivem no local. Mas tudo começou no séc. XII, durante o próspero período governado pelo rei da Taifa de Murcia IBN MARDANIS (1147/1172), que ordenou a construção de um palácio residencial. Este Alcázar, denominado AL DAR al SUGRA, foi parcialmente destruído durante a conquista da cidade pelos Almohades, em 1172. No interior do monastério, podemos observar os restos arqueológicos deste palácio primitivo, referentes ao pavilhão central do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIII, entre 1228 e 1238, um outro rei árabe murciano, IBN HUD al MUTAWAKKI, mandou construir outro palácio no mesmo lugar do anterior, sendo desta vez chamado de Alcázar SEGUIR. A maior parte dos restos conservados pertencem a este palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs achados arqueológicos do Palácio SEGUIR possuem um grande interesse para a arte e arquitetura da Península Ibérica durante a época muçulmana. Isso porque é considerado o melhor expoente do período de transição da Arte Almohade (cujo máximo representante é a torre campanário da Catedral de Sevilha, conhecida como La Giralda, e o Real Alcázar, situado na mesma cidade) ao Período Nazarí, cujo monumento mais importante é a Alhambra de Granada. Podemos apreciar suas principais características nos arcos e no novo desenho do pátio. Nele, se construiu uma grande Alberca em sua parte central, uma construção hidráulica em forma de lago para o armazenamento de água. É considerada um precedente dos palácios nazaríes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGraças aos estudos realizados, as plantas situadas ao redor da alberca reproduzem a flora original existente no palácio. Abaixo, vemos a elegante portada de um dos salões do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté os dias de hoje, este é o único palácio com estas peculiaridades encontrado em todo o território espanhol. Em 1267, depois que a cidade passou a ser controlada pelos cristãos, o Alcázar SEGUIR se transformou na Casa Real da Monarquia Castelhana. Personagens como Alfonso X “El Sábio” e Jaime I nele viveram algumas temporadas. No monastério podemos visitar um Museu, com uma seção de Arte Sacra, que veremos na próxima matéria, e outra com achados arqueológicos muçulmanos. Alguns deles vemos a continuação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo séc. XIII, vemos exemplares de cerâmica árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPertencente a Mesquita de Murcia, sobre a qual foi construída a Catedral, vemos este capitel com uma decoração conhecida como Ninho de Abelhas (mármore branco, séc. X).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo séc. XIII, uma inscrição comemorativa da construção de uma das torres que faziam parte da muralha de Murcia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra inscrição abaixo pertence a lapida fundacional de uma mesquita de Alicante, do séc. X. Entre outras coisas, diz: “Em nome de Deus o Clemente, o Misericordioso. Não existe outra divindade que Deus. Maomé é o enviado de Deus.” Escrito em linguagem cúfica, aparece também o nome do construtor do monumento, IBN MARYAN BN AL-BANNÁ.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post publicarei a segunda e última parte do Real Monastério de Santa Clara.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s