Luis de Morales

A matéria de hoje está dedicada a uma das mais importantes personalidades artísticas associadas a Badajoz, o pintor Luis de Morales. Considerado um dos grandes pintores do Renascimento Espanhol, foi chamado de “El Divino“, por sua predileção pelos temas sacros e por sua capacidade em expressar sentimentos religiosos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm muitos aspectos, sua biografia continua sendo um mistério. Nasceu em 1510 ou 1511 e faleceu provavelmente em 1586 (as contradições podem ser observadas na placa da rua que leva seu nome em Badajoz, onde se diz que faleceu um ano antes…). Se desconhece seu lugar de nascimento, embora em muitas fontes apareça a cidade de Badajoz. O que se sabe com certeza é que viveu e pintou em Extremadura, e durante mais de 50 anos foi o pintor mais ativo e de maior prestígio na região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFamoso já em vida, Luis de Morales realizou inúmeros retábulos e quadros de altares para igrejas, tanto para as localidades próximas, como para o país vizinho, Portugal. Sua pintura está relacionada com a arte italiana e a flamenca, mas desenvolveu um estilo próprio. É considerado um pintor maneirista, e como El Greco, também alargava a figura humana, uma das características principais desta corrente da fase final do Renascimento, que anuncia o advento do Barroco. No Museu Provincial de Belas Artes de Badajoz, que vimos no post anterior, podemos contemplar algumas de suas obras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAParece que Luis de Morales se estabeleceu em Badajoz em 1539, e hoje em dia podemos conhecer a casa onde viveu o pintor durante sua estadia na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu da Cidade, o principal centro cultural para se conhecer a história de Badajoz, foi batizado com o nome do pintor, cuja fachada vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm suas diversas salas, o visitante poderá conhecer os períodos históricos e os acontecimentos mais relevantes da cidade, desde a pré-história até os dias atuais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício sede do museu é, na realidade, uma casa do século XVI que foi reabilitada com fins culturais. Um dos escassos exemplos de palácio desta época, conserva um belo pátio, típico das casas nobres deste período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de ter sido transformado em museu, a casa cumpriu várias outras funções, como Convento da Ordem Trinitária, Capitania Geral de Extremadura e Escola de Artes e Ofícios. Alguns objetos presentes no acervo do museu me chamaram a atenção, como uma bandeira francesa capturada pelo exército inglês durante o assédio da cidade pelas tropas de Napoleão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe época atual, fiquei impressionado com a enchente que varreu a cidade na madrugada do dia 6 de novembro de 1997, quando faleceram 21 pessoas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a obra do pintor Luis de Morales se encontra espalhada por vários museus da Espanha e do mundo. Recentemente, o Museu do Prado realizou uma excelente exposição sobre sua vida e obra. Na Plaza de Espanha de Badajoz, uma escultura homenageia o artista, situada ao lado da catedral e em frente a prefeitura da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Museus de Badajoz

Badajoz possui uma interessante oferta cultural que pode ser admirada nos diversos museus da cidade. No plano artístico, de visita obrigatória é o Museu Provincial de Belas Artes. Inaugurado em 1920, ocupa três edifícios, sendo que o mais antigo pertence a um palácio do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste museu é considerado uma das mais importantes pinacotecas de toda a Comunidade de Extremadura. Seu acervo conta com mais de 2 mil obras, com destaque para os artistas que nasceram na comunidade, como Francisco de Zurbarán (1598/1664) e Luis de Morales (1509/1586). Devido à sua importância, os fundos artísticos do Museu de Belas Artes foram declarados Monumento Histórico-Artístico em 1962.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos um quadro em que Zurbarán retrata a Virgem das Nuvens, realizado entre 1636 e 1638. Logo depois de tirar a foto, me disseram que as mesmas estavam proibidas…De qualquer modo, valeu a pena contemplar a coleção do museu, que abrange um período que inicia no século XVI e se prolonga até o século XX. Abaixo, vemos imagens de outro dos edifícios que compõem o museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro centro cultural de interesse é o Museu Ibero-americano de Arte Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu organiza exposições temporárias de diversos artistas da comunidade, portugueses e latino-americanos. Sua história é curiosa, pois o edifício sede foi construído nos anos 50 do século passado como prisão da cidade, até que foi abandonada nos anos 70 e reabilitado posteriormente como museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ sempre louvável esta mudança de paradigma, isto é, quando um edifício se transforma num local de entretenimento e cultura, quando sua função inicial era bem distinta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO lugar inclui um agradável jardim, perfeito para um descanso…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto do interior do museu e de sua cúpula circular…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com uma imagem do edifício abandonado, antes de se converter em museu…que diferença !!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

La Giralda de Badajoz

Um dos edifícios mais famosos de Badajoz situa-se em plena Plaza de la Soledad, que vimos no último post. O edifício em questão é conhecido como Armazéns La Giralda, em virtude de sua função inicialmente comercial e por ser uma réplica, em escala reduzida, da famosa torre campanário da Catedral de Sevilha, mais conhecida como La Giralda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima construção foi realizada no local onde antigamente se situava a Ermita de la Soledad, cuja imagem da Padroeira de Badajoz passou a ocupar uma novo templo, situado ao lado do edifício acima. Foi edificado em várias fases, entre 1923 e 1933, sendo que o projeto foi realizado pelos arquitetos Adel Pinna e Luciano Villegas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção se insere dentro do estilo histórico neomudéjar. Além de sua função comercial, que ocupavam os andares inferiores, o edifício também acolhia a residência do proprietário, em sua parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Armazéns La Giralda foram fundados por Manuel Cancho Moreno, que decidiu construir seu estabelecimento inspirando-se na torre sevilhana como uma forma de publicidade para seu negócio. Os armazéns fecharam em 1978, e o edifício permaneceu abandonado até que a empresa multinacional Telefonica adquiriu o imóvel. Desde 1998, deixou de utilizar o edifício, e atualmente permanece vazio e sem finalidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs detalhes decorativos são abundantes, e se destacam pela cuidadosa elaboração nos distintos materiais utilizados, como o ferro, a madeira, etc. A torre foi rematada pela figura mitológica de Mercúrio, deus do comércio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a fachada lateral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza de la Soledad – Badajoz

Um dos lugares que mais gostei de passear por Badajoz foi a Plaza de la Soledad (Praça da Solidão, em português). Um de seus locais mais emblemáticos, está cercada por belos e interessantes edifícios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O nome da praça se deve à Igreja de la Soledad, construída na década de 30 do século passado. Este templo substituiu uma antiga ermita de 1664, edificada para acolher a Virgem de la Soledad, Padroeira de Badajoz. Atualmente, esta imagem barroca realizada por um artista italiano se encontra dentro da igreja, e recebe muitos devotos (as) diariamente para venerá-la.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da igreja se encontra o Edifício das Três Campanas, construído em 1899 e reformado em 1917 pelos arquitetos Adel Pinna e Curro Franco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XIX e começo do XX , o Estilo Modernista começou a desenvolver-se na cidade, através da chegada de arquitetos vindos de Madrid e Barcelona. Como ocorreu na capital do país, o modernismo acabou se tornando uma opção decorativa de edifícios ecléticos,predominando a ornamentação sobre os planos arquitetônicos. Um belo exemplo podemos observar na Plaza de la Soledad, a denominada Casa Álvarez, nome de seu primeiro proprietário, Juan Álvarez. Foi construída em 1915 por Adel Pinna, um dos grandes arquitetos da cidade. Abaixo, vemos algumas fotos deste belo edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Casa Álvarez, uma estátua homenageia a um dos personagens principais da música de Badajoz, chamado José Salazar Molina (Badajoz-1924/Madrid-1977). Este famoso cantor de flamenco ficou, no entanto, conhecido por seu nome artístico, Porrina de Badajoz. Sua voz excepcional o transformou num cantor único deste estilo tipicamente espanhol. Enquanto viveu, durante a Semana Santa cantava para a padroeira da cidade, e por este motivo, a estátua está virada em direção à igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Depois de admirar a beleza de suas construções, entrei para conhecer uma taberna típica, algo que sempre me dá muita satisfação, pois se come e bebe muito bem nestes locais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada da taberna foi decorada a base de azulejos, como normalmente ocorre nas tabernas tradicionais. O interior é simples e aconchegante, e abundantes são os quadros e objetos relacionados ao mundo dos touros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos quadros expostos relembram os toureiros mais famosos da história, como Pedro Romero (1754/1839), membro de uma família de grandes nomes ligados ao mundo dos touros, e considerado um dos grandes toureiros de Andaluzia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMe causou uma grande impressão uma foto jornalística sobre a morte do toureiro Manolete (Manuel Laureano Rodríguez Sánchez: 1917/1947), ferido mortalmente por um touro na Plaza de Linares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Pelas Praças de Badajoz – Parte 2

Continuando o passeio que fiz pelo centro de Badajoz e percorrendo seus variados espaços públicos, hoje veremos a bela Plaza de San Francisco. Esta praça está situada numa zona onde antigamente se encontrava o Convento de San Francisco, do século XIII. No século XVIII, o lugar foi recuperado como um espaço para ócio, mas a praça somente foi construída em 1836.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1894 foi colocado o correto (em espanhol, se diz quiosco), que ainda podemos ver na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo estive na primavera, a praça estava repleta de flores. Um dos aspectos que mais me impressionaram foram os bancos, que em 1927 receberam uma decoração feita à base de azulejos com cenas históricas, principalmente relacionadas à conquista do continente americano. Abaixo, vemos a Francisco de Orellana no Rio Amazonas (explorador de Extremadura que foi o primeiro em percorrer o grande rio).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA entrada de Hernán Cortés no México (explorador também nascido na Comunidade de Extremadura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs conquistadores rezam em ação de graças à Virgem de Guadalupe, cujo culto iniciou-se no Monastério de Guadalupe, situado na comunidade, e se estendeu por boa parte do continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodos os dias no final da tarde passava por esta praça, pois nela se organizou uma feira de livros, e aproveitava para conhecer gente  e bater um papo com o pessoal da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre uma praça e outra, descansava nos vários parques da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parque de Castelar é um dos mais frequentados, e foi construído em 1903. Também esta zona pertenceu a uma instituição religiosa, o Convento de Santo Domingo, fundado no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste parque possui mais de 100 espécies de árvores. Outra área verde de grande beleza é o Jardim da Galera, situado ao lado da Alcazaba de Badajoz. Apesar disso, é um dos parques mais desconhecidos da cidade. O nome do jardim é uma referência aos condenados que antigamente partiam para Sevilha no local onde atualmente se encontra o jardim, para cumprir pena numa galera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Pelas Praças de Badajoz

A cidade de Badajoz possui muitos mais atrativos que suas construções militares e sua esbelta catedral. Uma boa forma de conhecer seu centro histórico é percorrendo suas inúmeras praças, algumas das quais acolhem seus edifícios mais representativos. A Plaza de España, por exemplo, é o centro administrativo, político e religioso da cidade, pois além de ser o local onde se alça a catedral, se ergue também o Palácio Municipal, sede da prefeitura de Badajoz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente situada na Plaza Alta, como vimos recentemente, no século XVIII a prefeitura foi trazida para a Plaza de España. Entre 1852 e 1856 se construiu a sede atual, obra de Francisco Morales Hernández. Em 1899 se colocou o relógio que preside a fachada e em 1937 o edifício foi reformado, dando-lhe uniformidade artística. De escassa decoração, destaca-se por suas belas proporções e sua elegância clássica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem na sala de recepção da sede da prefeitura vemos o Escudo de Badajoz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADebaixo dos arcos de sua fachada temos uma bela vista da catedral. Em frente ao edifício, vemos interessantes partes do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABelos edifícios de arquitetura regionalista e eclética compõem a paisagem da praça, tornando-a ainda mais bonita…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróxima à Plaza  de España situa-se a Plaza Cervantes, também conhecida como Plaza de San Andrés, em virtude da paróquia homônima situada em uma de suas laterais. Esta igreja pertencia ao Convento da Madre de Dios de Valverde, construída no séc. XVI e reformada no XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos arquitetos mais importantes, cujas obras repercutiram de modo fundamental na  evolução da arquitetura da cidade, foi Adel Pinna. Na Plaza de Cervantes podemos observar duas de suas criações. A denominada Casa Puebla, de 1921, foi projetada com elementos neo-renascentistas, e chama a atenção por sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado da praça, vemos o Hotel Cervantes, construído segundo as correntes ecléticas com elementos históricos e um certo toque modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Minayo é um local bastante movimentado, ainda que tirei as fotos numa hora de maior tranquilidade. Nela localiza-se a Igreja de San Juan Bautista, pertencente ao desaparecido Convento de San Francisco, fundado no século XIII. A igreja atual foi edificada a partir de 1729.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pouco mais adiante vemos, do lado esquerdo da foto abaixo, o Hospital de San Sebastián, inaugurado em 1694. Do lado direito, o Teatro López de Ayala, o mais famoso da cidade. No centro, uma estátua homenageia o político e humanista do século XIX José Moreno Nieto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Teatro López de Ayala substituiu um anterior de 1886, incendiado durante a Guerra Civil Espanhola, e sua construção finalizou em 1940. Atualmente, é um referente da programação cultural de Badajoz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Baluartes de Badajoz – Parte 2

Na matéria de hoje veremos alguns dos principais elementos que conformam a Muralha Abaluartada de Badajoz, uma impressionante fortificação que foi construída a partir de 1680 para resistir aos ataques de artilharia, como vimos no post anterior. A tarefa de sua construção coube ao capitão geral de Extremadura, o Conde de Montijo, que ordenou a derrubada da antiga muralha medieval. A entrada da cidade estava defendida por um pequeno forte denominado Cabeça del Puente, ligado à Ponte de Palmas. De planta trapezoidal, estava composto por fossos e locais de abastecimento de água.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ponte de Palmas já existia antes de ser fortificada, pois foi construída durante o reinado de Carlos I, no século XV. Com 582m de comprimento, foi reformada várias vezes, pois foi destruída em muitas ocasiões devido às enchentes provocadas pelo Rio Guadiana. Na década de 90 do século XX, obras de reurbanização em suas margens criaram novos espaços de ócio para os cidadãos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ponte de Palmas recebeu este nome graças à Porta de Palmas, situada no lado contrário do recinto fortificado. Também do século XV, está formada por duas torres circulares e no século XIX transformou-se em prisão. Na fachada interior da porta, foi colocada uma imagem da Virgen de los Ángeles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATanto os baluartes, quanto os semi-baluartes que compõem a fortificação, receberam nomes religiosos. A Muralha Abaluartada nasce junto à Alcazaba, no chamado Semi-Baluarte de San Antônio. Abaixo, vemos a Porta de Mérida, que permite o acesso a esta zona do recinto fortificado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALogo depois do início de sua construção no final do século XVII, a cidade sofreu um assédio das tropas inglesas e portuguesas durante a Guerra da Sucessão Espanhola. Em 1705, as tropas de ambos países, partidários do Arquiduque Carlos I de Áustria, atacaram a cidade, que foi defendida pelas tropas espanholas e francesas, leais ao pretendente francês Felipe de Anjou, que ao final da guerra, seria proclamado rei com o nome de Felipe V. Durante a Guerra da Independência travada contra o exército de Napoleão, a Espanha recebeu a ajuda dos ingleses, enquanto a França recebeu o auxílio do exército português.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABadajoz foi assediada em três ocasiões. No primeiro assédio, foi conquistada pelos franceses e no último, em 1812, as tropas inglesas e espanholas retomam a cidade. No Baluarte de Santiago, o General Menacho, comandante do exército espanhol, foi morto defendendo a cidade. Um monumento foi erguido para celebrar sua memória.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Baluarte de San Roque vemos a Porta do Pilar, cuja construção finalizou em 1692.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos a fachada interna da Porta do Pilar. Sua fachada externa foi decorada com os escudos da Casa dos Áustria e do Conde de Montijo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior do Baluarte de San Roque encontramos o Palácio de Congressos, que foi construído sobre a antiga Praça de Touros da cidade. Atualmente, é utilizado como local de atividades culturais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABadajoz também sofreu graves consequências durante a Guerra Civil Espanhola, quando foi ocupada em 1936 e padeceu uma brutal repressão por parte do exército nacionalista. Na antiga Praça de Touros, mais de 4 mil integrantes da causa republicana foram fuzilados. O Baluarte da Trindade teve um grande protagonismo durante o conflito. Abaixo, vemos a Porta de Trindade, edificada em 1680.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vocês puderam observar, Badajoz participou de forma ativa nas principais disputas da história da Espanha, e seu caráter militar e de fronteira a transformou numa Praça Forte a ser defendida a todo custo, com consequências diretas em sua paisagem urbana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA