Monastério de Piedra – Comunidade de Aragón

Um dos passeios mais interessantes que podemos fazer na bela Comunidade de Aragón, o Monastério de Piedra se destaca tanto por sua história secular quanto pela beleza espetacular da paisagem que o rodeia. Situa-se na Província de Zaragoza, a cerca de 20 km da cidade de Calatayud.

20160912_20030220160912_193852O Real Monastério de Santa María de Piedra, seu nome completo, foi fundado em 1195 dentro da política de repovoamento territorial promovida pelo Rei Alfonso II “El Casto”. Ele e sua esposa, a Rainha Sancha, solicitaram ao abade do Monastério de Poblet, situado  na Catalunha, a criação de um monastério no Reino de Aragón (para maiores informações deste impressionante monastério, ver as matérias publicadas entre 4/4 e 6/4/2013). Para tanto, doaram uma região chamada Castillo de Piedra, assim denominada por encontra-se às margens do Rio Piedra.

20160912_19313420160912_195400Ambas instituições religiosas, os Monastérios de Poblet e Piedra, pertenciam à Ordem Cistercense e sua vida comunitária seguia a Regra de San Benito (São Bento, em português). Depois da lei real para sua fundação, 12 monges saíram de Poblet para a construção do novo monastério, dirigidos por Gaufredo de Rocaberti, que se converteria no primeiro abade do Monastério de Piedra. Passados 23 anos, a igreja do convento foi consagrada (1218). Outras dependências, como o claustro, seriam finalizadas somente no século XV.

20160912_19330520160912_194744Todo o perímetro do monastério estava protegido por uma muralha

20160912_194903A denominada Torre de Homenagem constituía um dos principais pontos de sua defesa.

20160912_195923Os monges habitaram o monastério durante aproximadamente 650 anos, de 1195 a 1835. A construção monacal se desenvolveu ao longo de três etapas distintas: a primitiva românico-gótica (século XIII), a fase renascentista (XVI) e o período barroco (XVIII).

20160912_195102Com sua construção, os monges do monastério, graças às doações reais, detiveram o domínio e a jurisdição sobre um amplo território. Viviam segundo o lema principal da Ordem Cistercense e da Regra de San Benito, “Ora et Labora”, isto é, Reza e Trabalha.

20160912_194559No próximo post, veremos algumas das principais dependências conservadas deste importante monastério aragonês, e um pouco mais sobre sua complicada história…

 

Anúncios

Belos Edifícios de Barcelona

Finalizando esta série de posts sobre Barcelona, apresento a vocês uma coletânea de Belos Edifícios da cidade que não haviam sido publicados, e que me chamaram a atenção em minhas visitas à capital da Catalunha. Alguns deles têm, como denominador comum, uma interessante decoração com esgrafiados, esta técnica decorativa empregada em muitas construções, principalmente ao longo do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO esgrafiado é um elemento muito comum e vários lugares da Espanha, e em Barcelona não é diferente. Abaixo, vemos dois exemplos situados na Rambla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro belo edifício situa-se próximo ao Palau de la Música Catalana

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO exemplo de esgrafiado abaixo foi realizado com motivos geométricos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANão poderia faltar mais um edifício modernista, mas desconheço seu nome e o arquiteto que o realizou. O motivo floral se repete nas pinturas que decoram a fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das ruas mais caras para se viver da cidade em relação ao aluguel de suas residências, a Puerta del Ángel é uma via exclusiva para pedestres. Nela encontramos alguns belos edifícios, caso da Casa Jorba, construída para acolher uma filial dos chamados Armazéns Jorba, uma empresa comercial familiar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto construtivo se deve ao arquiteto Arnald Calvet i Peyronill, o grande vencedor do Concurso Anual de Arquitetura promovido pela Prefeitura de Barcelona, sendo inaugurada em 1926.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua estética está relacionada a arquitetura clássica e a tradição francesa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO responsável do negócio chamava-se Pere Jorba i Gassó, transformando seu estabelecimento num dos melhores da cidade. Foi o primeiro edifício de Barcelona em incorporar escadas rolantes. Na fachada, podemos observar uma escultura com uma inscrição latina que se tornou o seu lema, cuja tradução significa “O trabalho vence tudo”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois, o edifício passou a ser propriedade de outro negócio comercial famoso, as Galerias Preciados e atualmente pertence a uma dos centros comerciais mais conhecidos da Espanha,  El Corte Inglés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

As Farolas de Barcelona

Na Espanha, os postes de iluminação das ruas recebem o nome de Farolas. Estes indispensáveis elementos da infraestrutura urbana também foram objeto de cuidada elaboração por parte dos artistas, e num passeio pela cidade podemos observar uma grande variedade deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAdsc00895Algumas destas farolas foram criadas dentro da estética modernista, e na matéria de hoje veremos duas delas, ambas relacionadas ao arquiteto Antoni Gaudí. Em sua juventude, precisamente no ano de 1879, Gaudí se encarregou do projeto e construção de duas farolas num dos recintos mais populares de Barcelona, a Praça Real (Plaza Reial, em catalão). Situada no Bairro Gótico, bem próxima à Rambla, a Praça Real foi urbanizada depois da destruição de conventos ocorrida com a Desamortização de Mendizábal em 1836.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça rodeada por uma galeria de arcos exerce a função de Plaza Mayor, ainda que não receba esta denominação. Foi projetada por Francesc Molina no local onde antes se erguia o Convento dos Capuchinos, com a intenção de exaltar a monarquia. Sempre animada e com bastante movimento, suas palmeiras proporcionam um toque exótico ao local. A denominada Fonte das Três Gracias, realizada em 1876 por Antoine Durenne, adorna o centro da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs farolas realizadas por Gaudí se diferenciam das demais existentes na praça por ser um modelo com 6 braços, além de sua parte decorativa, muito mais ornamentada que as outras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Avenida Antoni Gaudí, que homenageia o famoso arquiteto, foram colocadas 6 farolas modernistas, criadas por Pere Falqués em 1909, mas que foram postas somente em 1985 neste local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta avenida representa o elo de ligação entre dois dos monumentos modernistas mais conhecidos da cidade, a Sagrada Família de Gaudí e o Hospital de Sant Paul i Santa Creus, de Lluís Domènech i Montaner. Na base da farola, vemos uma placa em homenagem ao arquiteto catalão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros artistas de renome participaram na criação da farola. A base de pedra esculpida foi realizada por Alfons Jujol, enquanto o belo trabalho de ferro forjado se deve a Manuel Ballarín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFico devendo, e de antemão peço desculpas por esta falha , uma das mais belas farolas da cidade, situada no Paseo de Gracia. Quando estive na cidade recentemente, não a fotografei, pois tinha certeza que tinha imagens em meus arquivos. Espero em breve poder reparar este imperdoável erro, e apresentá-la o quanto antes…

Luminárias Modernistas – Barcelona

O Modernismo foi um estilo que englobou as mais variadas formas artísticas, como a arquitetura, a escultura e a pintura, como podemos verificar nas matérias anteriores sobre os edifícios mais emblemáticos desta corrente em Barcelona. Também provocou um grande desenvolvimento das denominadas Artes Decorativas, empregadas tanto nas fachadas das construções, como em seu interior. Por este motivo, se considera o Modernismo como uma Arte Total, em que todas suas manifestações participam de forma harmônica e criativa para a execução do conjunto da obra arquitetônica. Ao contemplar um edifício modernista, primeiro admiramos seu contexto global e pouco a pouco nos fixamos nos inúmeros detalhes decorativos, feitos de pedra, ferro, cerâmica, mármore, enfim, na grande variedade de materiais construtivos utilizados. Na matéria de hoje, veremos um pequeno detalhe da decoração de interiores, cuja cota de criatividade e beleza alcançou níveis de verdadeiras obras de arte dentro da estética modernista. Me refiro às luminárias, objetos que muitas vezes passam desapercebidos, mas que no modernismo logo despertam nossa atenção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm meus passeios por Barcelona, logo percebi que em muitas entradas de edifícios as portas permanecem abertas, convidando o visitante para que contemple seu interior, e sempre observo detalhadamente suas luminárias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas grandes obras modernistas da cidade, fiquei impressionado com a originalidade, qualidade artística e atrevimento na realização destes pequenos objetos. No Palau Guell, a primeira obra de Gaudí para seu mecenas Eusebi Guell, existem várias luminárias realmente maravilhosas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Casa Millà, também de Gaudí, observamos a integração das luminárias com outros elementos construtivos, como  os portões….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo incrível Palau de la Música Catalana, realizado por Lluís Domènech i Monatner, as artes decorativas se complementam à perfeição dentro da estrutura geral do edifício, criando ambientes de uma enorme força e requinte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Hospital de Sant Paul i Santa Creus , Lluís Domènech i Montaner contou com a colaboração de exímios artistas para a confecção de luminárias belíssimas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Comércios Históricos Modernistas foram igualmente decorados com luminárias encantadoras, que embelezam ainda mais o ambiente, como a que vemos abaixo, do famoso Café Les 4 Cats….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste post é uma pequena homenagem a todos os artistas, muitos dos quais desconhecidos, que com sua imaginação, originalidade e bom gosto transformaram o modernismo num estilo inventivo, alegre e impactante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Casa Amatller – Barcelona

O post de hoje está dedicado a um dos edifícios modernistas mais famosos do Modernismo Catalão, a Casa Amatller. Situado no Paseo de Gracia, é considerada uma das obras mais conhecidas do arquiteto Puig i Cadafalch (1867/1956).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPuig i Cadafalch reformou em 1900 um edifício preexistente construído em 1875 por Antoni Robert, processo em que transformou a fachada, o saguão, o pátio interior e a escada de acesso às dependências superiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício passou a ser propriedade de um rico industrial de Barcelona, Antoni Amatller, que encarregou a reforma ao famoso arquiteto. Sua insólita fachada escalonada foi inspirada nos modelos residenciais encontrados nos Países Baixos (Holanda e Bélgica), dentro do contexto da arquitetura neogótica. Foi decorada com esgrafiados (realizados por Juan Paradís) de uma cor sutil, como vemos nas fotos acima. O trabalho de ferro forjado (Esteve Andorrà e Manuel Ballarín) foi empregado nos balcões e nas portas do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros materiais usados foram a cerâmica e a pedra. O responsável das esculturas pétreas foi o grande artista Eusebi Arnau.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa Amatller situa-se ao lado de uma emblemática e extraordinária obra de Gaudí, a Casa Battló, e bem próxima à Casa Lléo Morera, de Lluís Domènech i Montaner. Devido à rivalidade profissional entre os três arquitetos, este trecho do Paseo de Gracia ficou conhecido como La Manzana de la Discordia (O Quarteirão da Discórdia, em português).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente existem visitas guiadas para se conhecer o interior da Casa Amatller. Não pude participar das visitas por absoluta falta de tempo, mas conheci a portaria principal da residência, cuja construção foi projetada para a entrada de carruagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo andar térreo existe um estabelecimento comercial, com belos vitrais coloridos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos a esplêndida escada de acesso aos pisos principais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1960, o edifício depende do Instituto Amatller de Arte Hispânico. Em 1976, a Casa Amatller foi declarada Monumento Histórico-Artístico por sua beleza e singularidade arquitetônica. Finalizamos com uma das belas luminárias modernistas existente em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Modernismo em Barcelona – Comércios (Parte 2)

Nesta segunda parte sobre os comércios modernistas de Barcelona, veremos dois estabelecimentos hoteleiros que foram construídos e decorados dentro do estilo que transformou a cidade, tornando-a famosa no mundo inteiro. Ambos foram projetados por um de seus mais renomados arquitetos, LLuís Domènech i Montaner. O primeiro é o Hotel España, situado na Carrer de Sant Paul, uma travessa da Rambla. Quando entrei no hotel, a simpática recepcionista me permitiu fotografar sua entrada, depois de comentar-lhe do meu interesse a respeito dos edifícios modernistas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Hotel España foi inaugurado em 1904, e recebeu o prêmio de melhor construção do ano, outorgado pela Prefeitura de Barcelona, como comprova o cartaz fixado numa das colunas de seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do edifício é realmente admirável, tanto em seu conjunto quanto nos detalhes decorativos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Paseo de Gracia (Passeig de Gràcia, em catalão) foi um dos lugares preferidos da burguesia de Barcelona para a construção de edifícios residenciais, que foram projetados pelos grandes arquitetos modernistas, como Antoni Gaudí, Puig i Cadafalch e o próprio Domènech i Montaner, entre outros. É incrível a quantidade de construções modernistas desta que é uma das avenidas mais famosas da Espanha. No final da rua, situa-se a Casa Fuster, edifício que Lluís Domènech i Montaner projetou  em 1908.

dsc00930Considerada a última obra urbana deste grande arquiteto, a Casa Fuster foi um presente do proprietário para sua esposa. Na época de sua construção, se tornou a residência mais cara da cidade devido aos materiais utilizados, como o mármore, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2000, o imóvel foi adquirido por uma empresa hoteleira, que restaurou o edifício, respeitando sua originalidade, e inaugurando um hotel de luxo quatro anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém me permitiram tirar algumas fotos do interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANas escadas, podemos admirar o trabalho dos artistas modernistas que participaram na construção do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo último andar do hotel existe uma cafeteria aberta ao público. Tomar uma cerveja no local não é barato, mas as vistas de todo o Paseo de Gracia compensam cada centavo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs interessados (as) em conhecer com mais profundidade a Arte Modernista poderão satisfazer sua curiosidade visitando o Museu do Modernismo Catalão, criado em 2010 e sediado numa antiga fábrica têxtil, cujo projeto se deve ao arquiteto Enric Sagnier i Villavecchia. O edifício está bem no centro da cidade, e inclui em seu acervo peças de escultura, pintura e artes decorativas. Trata-se do único museu dedicado exclusivamente à Arte e o Modernismo Catalão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Modernismo em Barcelona – Comércios

O Modernismo em Barcelona não representou apenas um estilo artístico para que a classe elitista da cidade pudesse manifestar seu poder através de belas e refinadas construções. Na realidade, a estética modernista impregnou todos os aspectos da vida dos barceloneses no princípio do século XX. Este fato pode ser comprovado nos inúmeros comércios espalhados pela cidade, que aproveitaram a difusão do estilo e passaram a adotá-lo na decoração de suas fachadas e interiores. Muitos destes comércios permanecem em atividade, outros correm o risco de desaparecer ou já desapareceram. Veremos alguns dos mais conhecidos no post de hoje, começando pelas farmácias, muitas das quais foram ornamentadas dentro das características modernistas. Em plena Rambla, podemos conhecer duas delas. A Farmácia Nadal conserva boa parte da decoração da década de 20.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOcupa o mesmo lugar de outro estabelecimento anterior, a Farmácia Masó. A Farmácia Nadal foi completamente remodelada em 1918 e 1927. Uma placa comemorativa da prefeitura colocada no chão agradece os serviços prestados à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO único que se conserva da Farmácia do Dr. Genové é sua esbelta e estreita fachada, inspirada na arquitetura gótica (arcos ojivais) e realizada pelo arquiteto Enric Sagnier i Villavecchia em 1911.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs andares superiores do edifício estavam reservados para os laboratórios, enquanto a farmácia funcionava no térreo. Em sua decoração, destacam a escultura de Esculápio (divindade associada à medicina), que não podemos ver bem na foto, e os mosaicos feitos por Lluís Bru. O Modernismo representou um potente veículo para a propagação do ideal nacionalista catalão, como podemos ver com a representação da bandeira da Catalunha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Farmácia Modernista mais famosa de Barcelona situa-se na Rambla de Catalunya. De 1901, a Farmácia Bolós foi totalmente decorada com motivos e materiais normalmente empregados no modernismo, como as vidreiras, que embelezam o exterior do estabelecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos um interessante elemento decorativo feito de ferro, ao lado da farmácia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém localizada na Rambla, a Antiga Casa Figueras nos mostra uma belíssima fachada modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO comércio foi inaugurado em 1820 como uma fábrica de massas. Em 1902, foi reformada com múltiplos mosaicos policromados, obra de Mario Maragliano. A reforma geral coube a Antoni Ros i Guell.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas vidreiras foram representadas figuras femininas. Atualmente, funciona como uma pastelaria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA obra dos grandes arquitetos e decoradores modernistas incentivou a outros artistas menos conhecidos, que deixaram seus trabalhos em comércios como padarias, como a que vemos abaixo, de autor desconhecido. O Forn de Pa foi fundado em 1898 pela família Sarret, e ainda hoje continua exercendo a mesma função.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Panaderia de la Concepción (Padaria da Concepção) foi decorada no estilo modernista por Josep Suñer em 1900, que revestiu o exterior com madeira e painéis de vidro pintados com temas paisagísticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA