Museu da Cultura Visigoda: Parte 2

Uma boa forma de conhecer os diferentes aspectos relacionados à época visigoda em Espanha, e particularmente em Toledo, é visitando o Museu dos Concílios e da Cultura Visigoda, situado na Igreja de San Román de Toledo. O principal recurso econômico do período visigodo foi a exploração da terra. Por este motivo, as cidades deixaram de ter o protagonismo da atividade comercial, e as grandes vilas rurais adquiriram importância. Poucas indústrias da época romana seguiram sendo produtivas a partir do século V dC. A especialidade artesanal mais conhecida dos visigodos foi a elaboração de peças de metal e jóias de grande beleza, nas quais se utilizaram pedras preciosas e semipreciosas. Uma destas peças, emblemáticas da cultura visigoda, foram os broches de cinto, usados na vestimenta habitual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm tipo de broche que se tornou marca registrada deste período foram as fíbulas, que serviam para fixar a roupa, pois os botões somente apareceram em época posterior. Possuíam também uma função ornamental. Entre as mais belas destacam as fíbulas aquiliformes, em forma de águia. A grande maioria delas apareceram em necrópoles, isto é, locais de enterramento. O fato de que a tradição funerária implicava na deposição do cadáver vestido, permitiu que estes objetos cotidianos fossem conservados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas delas constituem verdadeiras obras de arte, e refletiam a posição social do proprietário. As primeiras moedas visigodas foram fabricadas em 418, seguindo o modelo romano. No entanto, a primeira genuinamente visigoda apareceu durante o reinado de Leovigildo. Estas moedas eram de ouro, e denominavam-se Tremís, sendo considerada a oficial do reino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO gosto pelos objetos de ouro e incrustações de vidro ou pedras preciosas era algo típico relacionado aos povos godos. Para sua fabricação, se combinavam técnicas romanas e bizantinas, adquirindo o auge nos séculos VII e VIII. Muitas destas peças eram usadas como elementos decorativos e com finalidade religiosa. De importância fundamental é o famoso Tesouro de Guarrazar, descobertos de forma casual em 1858 numa sepultura situada na Província de Toledo. O enorme conjunto de peças está formado por coroas reais, cruzes e colgantes feitos de ouro e pedras preciosas. Muitas delas foram parar na França e atualmente se encontram no Museu de Cluny de Paris. Outra parte se encontra no Museu Arqueológico Nacional, em Madrid. No Museu da Cultura Visigoda vemos  réplicas do tesouro, como a Coroa de Recesvinto.

DSC09619As coroas visigodas não foram realizadas para se colocar na cabeça, mas para serem expostas. Denominam-se Coroas Votivas, isto é, oferecidas pelos reis ou membros da nobreza e se penduravam no altar de uma igreja durante as celebrações litúrgicas. A Coroa de Recesvinto, por exemplo, foi fabricada na segunda metade do século VII, seguindo a tradição bizantina. Feita de ouro, está composta também por uma cruz em sua parte inferior, e provavelmente foi uma oferenda do rei para alguma das basílicas visigodas de Toledo. O objeto recordava o vínculo entre a monarquia, simbolizada pela coroa, e a divindade, representada pela cruz e o altar onde era colocada. Desta forma, se legitimava o poder terrenal do monarca. Abaixo, vemos a Coroa original de Recesvinto, exposta no Museu Arqueológico Nacional de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro rei visigodo da Hispania foi Ataúlfo, proclamado em 409. Num primeiro momento, os reis visigodos não eram eleitos de forma hereditária, e eram escolhidos pelos altos cargos da nobreza (sistema gentilício). No século VII, Isidoro de Sevilha deu um caráter sagrado à monarquia com a prática da Unção Régia ou sacralização real realizada pelos bispos, estabelecendo-se a sucessão hereditária e a institucionalização dos concílios. O poder real baseava-se no poder administrativo e fiscal. As instituições principais estavam formadas pela Aula Régia, destinada ao assessoramento e consulta dos reis, e os Concílios, órgão de legislação eclesiástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEncontradas em cemitérios públicos, as lápides funerárias constituíram uma fonte primordial para o conhecimento do período visigodo, como a que vemos a seguir, feita de mármore em 562 dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesavenças e conflitos entre o poder real e a nobreza facilitaram o avanço das tropas árabes na Península Ibérica a partir do começo do século VIII. O último Rei Visigodo, Rodrigo, pereceu na Batalha de Guadalete, permitindo a conquista do território pelos árabes em muito pouco tempo. A partir de entao, inicia-se o período muçulmano na Espanha, mas esta já é outra história…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s