Banco Santander

Para muitos dos brasileiros, inclusive eu, a primeira menção da cidade de Santander se associa com a multinacional financeira espanhola, o Banco Santander, que possui importantes negócios no Brasil. Sua sede social, situada no Paseo de Pereda, na zona mais famosa da cidade, constitui um dos edifícios mais emblemáticos da capital da Cantábria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Banco Santander nasceu  da união de comerciantes que exportavam trigo e cereais  através do porto da cidade, além de importações com o continente americano. A data de sua fundação remonta ao ano 1857, quando a rainha Isabel II assinou o decreto que autorizava sua criação. Desde suas origens, foi uma instituição aberta ao exterior. O edifício onde se encontra sua sede social foi projetado pelo arquiteto Javier González Riancho, sobre uma construçao pré-existente, sendo reformado e ampliado ao longo dos anos para ser a sede do banco. Um dos problemas da reforma é que devia respeitar a rua que o atravessa, motivo pelo qual se adotou a solução de um grande arco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior do edifício, foram colocadas 4 esculturas, que representam as Artes, Ciências, Cultura, Comércio e Navegação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1900 a instituição iniciou um ambicioso processo de expansão, incorporando entre o início do século e os anos 20 outras entidades bancárias. Em 1942 se instala em Madrid, centro financeiro do país e cinco anos depois inaugura sua primeira oficina representativa na América, na cidade de Havana, Cuba. Em 1950, se expande por toda a Espanha. Em 1957, se converteu no sétimo banco espanhol e  no final do século XX passou a ocupar a primeira posição do mercado financeiro do país. Em 1995, amplia seus negócios em vários países sul-americanos, como Argentina, México, Colômbia e Brasil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2016, o Banco Santander contava com mais de 12 mil agências espalhadas pelo mundo, e quase 200 mil empregado, além de 125 milhões de clientes. Atualmente é o vigésimo banco do mundo em volume de ativos. A sede operariva da empresa se encontra na Cidade Financeira do Santander, situada na Província de Madrid, na qual trabalham cerca de 6 mil funcionários. Abaixo, vemos uma foto tirada do interior do grande arco…

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem atrás do Edifício Santander vemos uma belíssima construção, também propriedade de uma entidade financeira. O edifício do Banco Mercantil foi construído em 1899 no estilo eclético, obra de Casimiro Pérez de la Riva, num momento de grande prosperidade econômica para a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício surpreende por sua enorme riqueza decorativa, sendo considerado um dos mais bonitos do centro histórico de Santander.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente o edifício pertence ao Banesto, outra entidade financeira. No próximo post, vocês terão a oportunidade de conhecer o Paseo e os Jardins de Pereda, a avenida mais famosa da cidade.

Mercados de Santander

Um dos referentes comerciais, culturais e gastronômicos de Santander constituem seus  tradicionais mercados, alguns dos quais de grande importância não só na cidade, como também na Espanha. Dois dos mais conhecidos situam-se no centro, como o Mercado de la Esperanza, localizado atrás da Casa Consistorial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetado pelos arquitetos Eduardo Reynals e Juan Moya em 1897, mas inaugurado somente em 1904. Está considerado como um dos melhores exemplos da denominado Arquitetura de Ferro existentes no país, que se desenvolveu no final do século XIX e que repercutiu principalmente nas estações ferroviárias e também nos mercados municipais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste mercado continua exercendo suas atividades como tal (muitos outros mercados antigos se converteram em centros gastronômicos ) principalmente em relação à venda de pescados e mariscos. O Mercado de la Esperanza foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1977 por sua importância histórica e arquitetônica. Abaixo vemos o Escudo de Santander na parte superior do mercado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Mercado del Este é outro dos mercados famosos da cidade. Foi construído por Antonio Zabaleta em 1840, e hoje é considerado como uma das primeiras galerias construídas na Espanha para uso exclusivamente comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Sua estrutura foi concebida segundo os critérios de ventilação e iluminação, bastante avançados para a época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma pena que o mercado foi reformado no ano 2000, uma intervenção que causou polêmica, pois conservou poucos elementos originais. Atualmente, o Mercado del Este é um centro comercial, com sala de exposições, lojas que vendem quadros e inclusive uma Oficina de Turismo. Alberga também o Museu de Pré-História e Arqueologia da Cantábria. Na fachada vemos um painel publicitário antigo que foi preservado, convidando os habitantes da cidade a realizarem excursões de navio ao continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo principal restaurante do mercado também podemos observar fotos e quadros curiosos relacionados à vida marítima e a atividade comercial ligada ao Porto de Santander.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de comer duas vezes no restaurante, com uma excelente relação preço-qualidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMais afastado do centro e próximo à Praça de Touros de Santander se encontra o Mercado de México, que possui este nome devido à proximidade com a Praça do México. O mercado foi inaugurado em 1985, no mesmo local onde antes se erguia o matadouro da cidade, e continua exercendo sua atividade principal como local de abastecimento de alimentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minhas caminhadas pela cidade constantemente realizava o trajeto do Caminho do Norte, do qual a cidade faz parte…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Santander

Minhas andanças por Santander começaram no centro histórico, precisamente na zona mais comercial e considerada o centro geográfico da cidade, a Plaza del Ayuntamiento, onde se localiza a sede da prefeitura ou Casa Consistorial, situada num edifício de estilo eclético de 1907, construído sobre o antigo Convento de San Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo vemos a Escola de Artes e Ofícios, instituição fundada em 1877.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo princípio do século XX desenvolveu-se na arquitetura da cidade o denominado estilo regionalista. Um dos maiores expoentes desta nova arquitetura foi o Edifício dos Correios, inaugurado em 1926 e projetado pelos arquitetos Secundino Zuazo, que realizou várias obras de importância em Madrid, e Eugenio Fernández Quintanilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício está situado ao lado da Catedral de Santander, e impressiona por sua beleza e composição, com duas torres poligonais nas esquinas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1941, um incêndio arrasou o centro histórico da cidade, cujas ruas estreitas e grande parte das construções feitas com madeira colaboraram para a propagação do fogo. Por incrível que pareça, houve apenas uma vítima fatal, mas milhares de pessoas perderam suas residências. O Edifício dos Correios foi um dos poucos que se salvaram, apesar de se encontrar na zona afetada pelas chamas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao edifício, foi colocada uma estátua em homenagem ao Rei Alfonso XIII, que converteu a cidade em sua localidade preferida para as férias de verão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do edifício, vemos um monumento comemorativo da reconstrução da cidade, realizado pelo escultor de Santander José Cobo Calderón. Simboliza a presença do fogo, do vento e seus habitantes, além do ressurgimento de Santander.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMais distante do centro está situada a Praça de Touros de Santander, inaugurada em 1890 e projetada pelo arquiteto Alfredo de la Escalera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça de Touros possui uma capacidade para 10 mil espectadores e acolhe também o Museu Taurino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPequenas iniciativas culturais sempre fazem a diferença, e foi isso que percebi ao percorrer um dos túneis da cidade, decorado com pinturas realizadas por alunos das escolas de Santander, homenageando o escritor Miguel de Cervantes e sua universal novela “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Santander

Esta foi a segunda vez que estive em Santander, capital da Comunidade da Cantábria. A primeira vez foi em 2012, e na época publiquei três matérias sobre a cidade: Pela Costa de Santander (26/4/2012), A Catedral de Santander (22/8/2012) e Belas Igrejas de Santander (1/7/2013). A partir de hoje, realizarei vários outros posts sobre esta que é uma das cidades mais importantes do norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom cerca de 170 mil habitantes, Santander é a cidade mais populosa da Cantábria. Possui um clima ameno durante todo o ano, longe dos extremos de temperaturas que se observam em outras regiões. É também uma das zonas mais chuvosas do país. Santander é considerada uma das cidades mais seguras da Espanha, com uma das taxas mais baixas de delitos entre todas as cidades espanholas. Mais de 70% da população ativa trabalha no setor de serviços, especialmente relacionados ao turismo, provocando uma forte dependência econômica do comércio e das atividades turísticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século IX, o rei Alfonso II fundou a Abadia dos Corpos Santos, edificada sobre o relicário que continha as cabeças dos Santos Emeterio e Caledonio, que foram parar no local vindo de Calahora (cidade da atual Comunidade da Rioja). Estes santos foram decapitados no século III durante a época romana, e as relíquias foram levadas à então vila para protegê-las da invasão muçulmana, ocorrida a partir de 711 dC. Ainda hoje podemos ver o relicário de prata na Igreja de Cristo, que também conserva um braço de San German.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1187, o rei Alfonso VIII nomeou o abade proprietário da zona e concedeu a vila um foro. Em 1248, Santander participou, junto com outras vilas situadas na costa do Mar Cantábrico, da batalha pela reconquista de Sevilha, recebendo como recompensa um escudo de armas com as imagens da Torre do Ouro e do Rio Guadalquivir, dois símbolos da cidade andaluza. No final do século XIII, as vilas costeiras de Cantábria fundaram a Hermandade das Vilas da Marinha de Castilla, com o objetivo de fortalecer o comércio marítimo com ingleses e flamencos. Em 1372, Santander se converte na Base Naval do Atlântico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1497, a peste matou 6 mil pessoas, de um total de 8 mil que viviam na cidade. No final do século XVI, novamente foi vítima de outra peste, que reduziu a população a somente 800 habitantes, de um total de 2500.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, Santander tornou-se uma diocese, e a igreja principal foi elevada à categoria de Catedral, fato que colaborou para a recuperação da cidade. Em 1755, Fernando VI concede o título de cidade. No princípio do século XIX, encabeça a lista dos portos mais importantes do norte da Espanha, registrando um intenso comércio com o continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa segunda metade do século XIX, se introduziu na Europa um novo conceito de ócio associado à saúde. Desta forma, surgiram várias cidades-balneário para o desfrute da classe aristocrática européia. Santander foi uma delas, com a criação do Balneário de El Sardinero, até hoje uma de suas zonas turísticas mais famosas. Santander se transforma na cidade predileta da corte para os meses mais quentes do ano, principalmente durante o reinado de Alfonso XIIIOLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, até 1900, seu desenvolvimento econômico esteve relacionado com as atividades comerciais com as colônias espanholas, favorecendo o aparecimento de uma burguesia mercantil que impulsionou o crescimento urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de estar situada na costa, seu relevo está formado por morros que pouco a pouco começaram a serem habitados. Por este motivo, existem escadas rolantes e elevadores para alcançar as partes mais altas da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o turismo é uma das principais fontes de renda do município, e muitos  estrangeiros e turistas nacionais chegam à cidade em busca de suas praias e monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês apreciem as matérias desta bela cidade espanhola, e que algum dia possam visitá-la…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Caminho do Norte: Parte 2

Depois de visitar Laredo, continuamos nosso trajeto pelo Caminho do Norte em direção a Santoña, que possui uma tradicional indústria pesqueira, além de ser um importante centro de turismo. Na medida em que íamos caminhando, tirei algumas fotos da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPassamos pela Prefeitura de Santoña

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVi alguns belos grafites decorando os muros dos edifícios…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE descobri que a cidade possui um time de futebol centenário, o Santoña Club de Fútebol

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo sair da cidade, estivemos percorrendo durante um bom tempo o perímetro do Centro Penitenciário de El Dueso, construído em 1907 e que teve um papel destacado durante a Guerra Civil e a época franquista, chegando a acolher 3 mil presos, entre os quais personalidades políticas e públicos. Atualmente possui cerca de 400 internos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERASubimos um morro, que num princípio parecia complicado de percorrer, com o objetivo de chegar à praia de Noja, nosso próximo destino e local onde passaríamos a noite numa confortável pousada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO município está formado em 75 % de sua área por reservas naturais protegidas, como o Parque das Marismas de Victoria e Joyel, um dos principais locais do norte da Espanha para o avistamento de aves, além de ser uma referência em áreas alagadas, no país denominado Humedales.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtravessamos a Ponte Romana, que apesar do nome, possui uma origem medieval. Está formada por 5 arcos, embora somente seja possível ver 3, pois os dois arcos menores dos extremos  se encontra debaixo do nível das águas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro de Noja se levanta a Igreja de San Pedro, uma construção de origem muito antiga, embora seu aspecto atual seja do século XVI e a torre, do século XVII. O altar maior é barroco, presidido pela imagem de São Pedro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAinda tivemos tempo de visitar o Palácio de Albaicín, que atualmente funciona como um Centro Cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA origem do palácio data do século XVI, mas foi reformado entre 1914 e 1916 pelo arquiteto Leonardo Rucabado, precursor do denominado Estilo Regionalista. Uma pequena escultura me chamou a atenção, homenageando canteiros da cidade que participaram na construção do famoso claustro do Monastério dos Jerônimos de Lisboa, todos eles chamados de Juan…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo dia seguinte saímos cedo com destino a Somo, onde pegamos um barco para chegar à Santander, capital da Comunidade da Cantábria, que será o tema de uma série de matérias a partir do próximo post.

Laredo – Cantábria

Depois de dois dias em Castro Urdiales conhecendo a cidade, iniciei minha pequena rota pelo Caminho do Norte com destino a Santander. Foram apenas três dias de caminhada, mas o esforço valeu a pena, por ter a oportunidade de conhecer várias localidades interessantes do norte da Espanha. Nossa primeira parada foi Liendo, onde nos hospedamos numa excelente pousada, instalada num edifício histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo segundo dia de caminhada saímos de Liendo e paramos para conhecer a cidade de Laredo, de grande importância histórica. A primeira referência escrita sobre o local data do ano 968, na qual se menciona sua existência desde o século VIII, como uma vila de pescadores. Em 1200, recebe o privilégio de ser uma vila real com jurisdição própria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos, Laredo aportou homens e barcos a atividades comerciais e bélicas, integrando a denominada Quatro Vilas do Mar, junto com Santander, Castro Urdiales e San Vicente de la Barquera. As ruas do centro antigo, chamada de “Puebla Vieja” foram declaradas Conjunto Histórico-Artístico em 1970. Podemos observar restos da muralha do século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Reis Católicos favoreceram o desenvolvimento de Laredo como cidade portuária, e estiveram em várias ocasiões visitando a cidade. Isabel la Católica despediu-se de sua filha Juana la Loca no porto de Laredo em 1496, que partiu para casar-se com Felipe El Hermoso em Flandes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Imperador Carlos V também passou por Laredo em 1556, iniciando pela cidade o retiro com destino ao Monastério de Yuste, local onde viria a falecer. Os Reis da Espanha se hospedavam na casa pertencente ao Condestable de Castilla, atual Arquivo Histórico Municipal, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Igreja de Santa María de la Asunción, construída a partir do século XIII no estilo gótico. O templo foi catalogado como Monumento Histórico-Artístico em 1931.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a antiga Casa Consistorial de Laredo, construída no século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras imagens do centro histórico de Laredo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o turismo representa uma das principais fontes de renda da cidade. Abaixo, vemos o Mercado de Laredo, uma bela construção realizada pelo arquiteto Eladio Laredo, a quem foi dedicado uma matéria recentemente publicada. O edifício possui um caráter eclético com elementos modernistas e a decoração de cerâmica realizada por Daniel Zuloaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Cemitério de Castro Urdiales

Esta é a primeira vez que escrevo sobre um cemitério, um local que normalmente preferimos ignorar em nossas viagens pelo mundo. No entanto, o Cemitério de Castro Urdiales constitui uma das atrações da cidade, sendo considerado um dos mais belos da Espanha. Por este motivo decidi visitá-lo para comprovar a fama que possui. O passeio que leva ao campo santo discorre pela costa do Mar Cantábrico, oferecendo paisagens  maravilhosas, apesar da chuva fina que me acompanhou em todo o percurso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO chamado Cemitério Municipal de Ballena foi declarado Bem de Interesse Cultural (BIC), uma das principais categorias de preservação do patrimônio histórico-artístico da Espanha. Sua localização em frente ao mar já é um diferencial em relação aos demais cemitérios que conheci em minha vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetado em 1885 pelo arquiteto Alfredo de la Escalera, e reúne um excepcional conjunto de monumentos funerários de extraordinária qualidade artística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes monumentos foram construídos no final do século XIX e primeira metade do XX para a classe burguesa de Castro Urdiales e projetados segundo os critérios estilísticos das correntes arquitetônicas do período, englobando o Ecleticismo, o Modernismo e a Art Decô.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO antigo cemitério localizava-se no centro histórico da cidade, junto à Igreja de Santa Maria, que vimos recentemente no blog. Depois, a prefeitura planejou a construção de um novo, distante do centro urbano. Foi construído mediante apoio popular e seguiu a mentalidade higiênica da época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da visita ao cemitério, regressei pelo mesmo caminho, admirando as vistas de Castro Urdiales e as belas paisagens do entorno…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA