O Palácio de Viana – Córdoba (Parte 2)

Como vimos no post anterior, o Palácio de Viana possui a impressionante quantidade de 12 pátios interiores, além de um excepcional jardim de inspiração francesa. Realizado em 1820, está formado por uma grande variedade de frutas cítricas e outras espécies de árvores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA influência da cultura hispano-muçulmana se observa em seu sistema para regar as plantas, com uma fonte central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do final do século XIX, os proprietários de palácios e residências nobres de toda a Espanha começaram a decorar seus pátios com peças arqueológicas e cerâmica, como podemos observar no Pátio dos Jardineiros do Palácio de Viana. O pátio recebe este nome devido às ferramentas de jardinagem que nele se colocava, e constituía uma das áreas de serviço do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs janelas e bancos foram decoradas com cerâmicas, um elemento decorativo cuja técnica foi trazida pelos árabes, adornando suas mesquitas e palácios. A palavra “Azulejo” deriva do termo árabe “Az-Zulayj“, que significa “pedra pequena“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO abastecimento de água, enorme em função da quantidade de fontes e espécies botânicas existentes no palácio (cerca de 80), se realizava mediante a instalação de poços, como o que vemos a seguir, que originou a denominação deste pátio como “Pátio do Poço“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASomente este poço, que recebia água de um arroio de Córdoba, tinha uma quantidade de água suficiente para todos os pátios e fontes do palácio. O palácio ocupa uma área de cerca de 6.500 metros quadrados, sendo que a metade está ocupada pelos pátios e zonas ajardinadas. A fresca sombra formada pelas árvores cítricas e a harmonia de sua composição arquitetônica favorecem um clima de paz e tranquilidade no Pátio da Capela, cujo nome se deve à presença de uma capela anexa ao pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pátio se considera como um pequeno museu, graças às peças arqueológicas existentes em seu perímetro, como mosaicos romanos. Realizado no século XVII, esta parte do palácio constitui um símbolo do poder sócio-econômico do proprietário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das dependências que dá para o pátio é a Galeria da família dos Saavedra, um dos proprietários do palácio, composta por retratos dos seus membros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Pátio do Arquivo recebe este nome pelo valioso arquivo histórico existente numa das salas anexas ao mesmo. A discreta colocaçao de suas plantas está pensada para nao romper a harmonia com as cores azul de sua portas e janelas e o branco de seus muros. A bela fonte decorada com azulejos acrescenta um toque colorido a este pátio do século XVIII, que se insere dentro de um estilo barroco mais sóbrio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Pátio da Cancela herdou seu nome de uma grande cancela de ferro que fechava uma das aberturas existentes em seus muros. Ao longo do tempo, acolheu a carruagens, mas perdeu esta função posteriormente. Atualmente constitui a entrada ao Centro de Recepção de visitantes do palácio, recuperando novamente a função de entrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, abaixo vemos o Pátio das Colunas, o último em ser construído, nos anos 80 do século XX. A  finalidade de sua construção foi dotar o palácio de um espaço para a realização de eventos culturais e atos públicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom esta matéria, finalizo o post sobre o Palácio de Viana, cuja visita recomendo a todos (as) que tenham a intenção de conhecer a cidade de Córdoba.