Um Passeio por Ferrol

Em meus três dias de estadia em Ferrol pude conhecer a cidade caminhando por suas ruas, praças e igrejas, com muitos lugares interessantes para ver. O Bairro de la Magdalena é um dos mais conhecidos, e pela importância de seus edifícios e monumentos foi declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1984. A Plaza de Amboage constitui uma das principais da cidade, servindo de ponto de encontro de seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça recebeu este nome devido a um monumento dedicado a Ramón Plá y Monge (1823/1892), empresário galhego nascido na cidade que recebeu o título de Marquês de Amboage. Antes, porém, foi conhecida como Plaza de Dolores, devido à igreja que se encontra em um de seus costados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Paróquia de Dolores foi construída na segunda metade do século XVIII como sede da congregação de mesmo nome, que reúne o grêmio de comerciantes da cidade, cuja origem se remonta ao século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo a praça se encontra a Igreja de San Francisco, construída a partir de 1757, substituindo um anterior templo gótico que formava parte do Convento de San Francisco, que deixou de ser habitado devido ao processo de desamortização dos bens eclesiásticos em 1835.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada apresenta um caráter maciço em seu formato retangular, anunciando a chegada do neoclassicismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos muros laterais da igreja se construiu, também na segunda metade do século XVIII, a Capela da Ordem Terceira de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO principal templo religioso da cidade é a Concatedral de San Julián, que começou a ser construída em 1765, sendo inaugurada sete anos depois. Na realidade, a igreja atual substituiu uma anterior, situada na parte velha da cidade, cuja estrutura foi seriamente prejudicada com a construção do Arsenal de Ferrol em 1762, motivo pelo qual decidiu-se pela construção de uma igreja nova.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja combina influências do renascimento italiano e francês, além da tradição barroca espanhola. Até 1888, foi considerada a única paróquia da cidade. Em 1959, através de uma bula concedida pelo Papa João XXIII, foi elevada à categoria de Concatedral e Ferrol passou a ser sede episcopal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior apresenta uma planta de cruz grega, apreciável em sua estrutura circular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de percorrer a parte antiga da cidade, decidi conhecer o Parador de Turismo de Ferrol, e tomar um café enquanto descansava as pernas. Conheci um simpático garçom senegalês e batemos um descontraído papo em espanhol…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao Museu Naval, que em breve publicarei uma matéria, existe uma bonita área verde ideal para relaxar…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMe chamou a atenção uma colorida escultura em homenagem à rica tradição musical da Galícia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Ferrol – Galícia

Depois de passar uns dias em Lugo, fomos à cidade de Ferrol, situada ao norte da Província de La Coruña. Com aproximadamente 70 mil habitantes, esta cidade esteve tradicionalmente ligada às atividades marítimas e militares, tanto por seu porto pesqueiro, como por sua base naval e os edifícios relacionados ao seu importante Arsenal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs habitantes locais dizem que seu nome provém da palavra Farol, que faz parte do escudo da cidade desde 1778.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa chamada Fonte de San Roque vemos o escudo mais antigo que se conserva em Ferrol, de 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos a cidade foi um pequeno porto pesqueiro, sendo que sua economia se completava com a agricultura. No início do século XIII, recebeu privilégios reais que a converteram numa vila de senhorio. Em 1371, o Rei Enrique II entregou a vila à Fernán Pérez de Andrade e poucos anos depois foi incendiada pelos portugueses. Na segunda metade do século XVI, com a organização da Armada Invencível em 1588, Ferrol se converte numa importante base naval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara proteger a base foram construídos três fortes, o de San Martín, de La Palma, e o de San Felipe, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído durante o reinado de Felipe II, na segunda metade do século XVI, o Castelo de San Felipe (apesar do nome, trata-se de um forte…) foi reformado no século XVIII, sendo considerado uma das melhores fortificações da Espanha deste período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1726 foi criado o Departamento Marítimo de Ferrol e sete anos depois passa a ter jurisdiçao real. Em 1743, o Marqués de la Encenada, ministro do Rei Fernando VI, encarrega a construção de um novo Arsenal na cidade. Devido a esta condição  de base naval, a população da cidade alcança os 25 mil habitantes na metade do século XVIII. A chegada massiva de imigrantes para trabalhar na construção naval deu origem ao primeiro bairro obreiro do país. Abaixo, vemos a Porta do Dique, uma das principais portas do Arsenal, de 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1769 e 1774, sob a ameaça de um ataque inglês, que realmente se produziria em 1800, se rodeia a cidade com uma muralha formada por baluartes, como o de San Juan (San Xoán, no idioma galhego).

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o motivo da visita da Rainha Isabel II em 1858, Ferrol recebeu o título de cidade. Abaixo, vemos o elegante edifício da Prefeitura de Ferrol, inaugurado em 1953 e situado na Plaza de la Constitución.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das variantes do Caminho de Santiago, o denominado Caminho Inglês se inicia em  La Coruña ou em Ferrol. Antigo caminho secundário, foi assim batizado porque de seu porto chegam os peregrinos procedentes do norte da Europa. Para chegar à Santiago de Compostela, devem percorrer 118 Km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens da cidade relacionadas à sua tradição naval e militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de San Nicolás – Portomarín

O Estilo Românico, considerado o primeiro estilo artístico europeu, desenvolveu-se entre os séculos XI e XIII por todo o continente de forma simultânea. Apesar de apresentar características comuns, existem pequenas particularidades dependendo de cada país. Na Espanha se conservam centenas de igrejas românicas que podemos admirar, principalmente entre o centro e norte do país. Uma das principais vias de penetraçao desta corrente artística na Península Ibérica foi justamente o Caminho de Santiago. Por este motivo, se diz de forma apropriada que “A Europa se fez caminhando…”. Um excelente amostra do estilo podemos encontrar no povoado de Portomarín (Comunidade da Galícia), a Igreja de San Nicolás, também chamada de Igreja de San Juan.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído provavelmente no final do século XII e começo do XIII, e destaca-se por seu aspecto de fortaleza militar. Ergue-se na principal praça do povoado, estando considerada como uma das principais atrações do Caminho de Santiago na Galícia. No entanto, a igreja nem sempre esteve situada neste local, pois foi desmontada e reconstruída na praça depois da construção do Embalse de Belesar em 1963, que inundou o antigo povoado de Portomarín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Nos muros da igreja podemos observar a numeração das pedras, algo essencial no processo de sua reconstrução, para que cada bloco de pedra estivesse em seu lugar correspondente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém vemos nos muros exteriores da igreja curiosos símbolos talhados na pedra, as denominadas Marcas de Canteros, uma espécie de assinatura dos trabalhadores que construíram a igreja. Cada qual possuía seu próprio símbolo, podendo desta forma cobrar pelo trabalho realizado. Estas marcas são comuns na Arquitetura Românica

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Nicolás de Portomarín destaca-se por sua riqueza escultórica, visível em suas 3 portas de acesso. No tímpano da fachada principal vemos a cena da Anunciação, com o Arcanjo São Gabriel comunicando à Virgem Maria seu destino como a mae de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos as esculturas realizadas em um dos capitéis da porta…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais contribuições da Arte Românica foi a recuperação da escultura como forma artística , depois de um longo intervalo em que permaneceu desaparecida, entre a queda do Império Romano no século V e o início do Estilo Românico. Abaixo, vemos outra das portas da igreja e sua decoração escultórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Estilo Românico, a escultura está intimamente ligada aos elementos arquitetônicos, outra de suas características, sendo que as cenas representadas possuem um acentuado significado simbólico e religioso, além de moral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa imagem acima vemos no tímpano a Cristo dentro de uma mandorla, aspecto que evidencia sua natureza divina. Na parte superior, a representação dos 24 personagens do Apocalipse com seus respectivos instrumentos musicais, que faz parte do relato do Juízo Final, descrito pelo Apóstolo João. Na parte traseira do templo, situa-se o imponente ábside semicircular que conforma a estrutura da igreja, junto com um cruzeiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASímbolos da devoção popular, os cruzeiros constituem uma presença constante em todos os lugares da comunidade. Se estima em 12 mil os cruzeiros existentes somente na Galícia. Situados junto a igrejas e em lugares estratégicos nos diversos caminhos, protegem os viajantes e peregrinos. O denominado Cruzeiro de San Nicolás, que vemos acima, é um exemplo raro na comunidade, por suas esculturas de Cristo crucificado presente nos dois lados. A seguir, vemos a roseta, um vitral de formato circular, que apesar de estar relacionado à arquitetura gótica, já existia na etapa românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma outra imagem da igreja, e uma parte da Casa do Conselho de Portomarín, a sede da Prefeitura do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar Portomarín, fomos a Lugo, cidade que tinha visitado no ano passado e que foi tema de várias matérias publicadas entre 13/11 e 27/11/2017. Meus amigos Marcelo e Cristina puderam conhecer sua excepcional muralha romana, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, e sua bela catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Portomarín – Galícia

Depois de conhecer a cidade de Ourense e o Monastério de San Esteban, minha viagem pela Galícia junto com meus amigos Marcelo e Cristina prosseguiu sentido a uma pequena cidade (pueblo) do interior da comunidade chamada Portomarín, localizada na Província de Lugo. Portomarín é um dos muitos municípios da Galícia que deve sua existência ao Caminho de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPortomarín converteu-se numa importante parada do caminho desde  que em 1120 se construiu uma ponte sobre o Rio Miño e um hospital junto a ele. De fato, o povoado pertenceu à Ordem de San Juan e existiram vários hospitais e um leprosário. Hoje em dia os hospitais foram substituídos pelos albergues de peregrino, abundantes no local, e que oferecem hospedagem e descanso aos inúmeros peregrinos que realizam o itinerário do chamado Caminho Francês, o mais transitado e famoso de todos aqueles que levam à Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste povoado, declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1946, ficou submerso com a construção do Embalse de Belesar. Felizmente, seus principais monumentos foram desmontados e levantados novamente em sua atual localização. Quando as águas da represa atingem um nível baixo, é possível observar parte das construções inundadas, algo que não pude ver, pois havia muita água…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos monumentos conservados e que preside a entrada da vila é um dos arcos da antiga ponte…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs peregrinos que chegam ao povoado devem realizar um último esforço, subindo a escada do arco que conduz ao centro de Portomarín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro do pueblo está formado por uma bela praça na qual se ergue a impressionante Igreja de San Nicolás, que veremos no próximo post, e a Casa do Conselho, como se conhece o edifício sede da Prefeitura nesta região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pouco mais afastado encontramos a singela mas bonita Igreja de San Pedro, que também se salvou de ser engolida pelas águas da represa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no estilo românico, o templo preserva sua porta original, apesar de ter sofrido reformas no século XVII em sua fachada. Abaixo, vemos detalhes da porta e de sua decoração escultórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm nossa visita à Portomarín vimos muitos peregrinos que chegavam ao povoado, caminhando ou de bicicleta, sozinhos ou em grupo, para descansar de uma das últimas etapas do Caminho Francês, que em poucos dias os levará a seu destino final, a Catedral de Santiago de Compostela, onde se encontra sepultado o Apóstolo Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de suas construções serem recentes, salvo as relacionadas com o patrimônio histórico conservado, caminhar pelas poucas ruas do pueblo é uma experiência deveras agradável…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVários restaurantes e lojas de souvenir oferecem aos peregrinos e ocasionais visitantes uma boa refeição e o comércio de produtos relacionados ao senderismo e lembranças do povoado.

Catedral de Ourense – Parte 2

Como comentei na matéria anterior, o interior da Catedral de Ourense é digno de conhecer-se, pelas incríveis obras de arte que possui. Realmente, fiquei impressionado com a riqueza de seus espaços internos, formado por 3 naves.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA nave central encontra-se presidida por um magnífico retábulo gótico do século XVI, realizado por Cornelis de Holanda entre 1516 e 1520. Nele vemos episódios da vida de Jesus e Maria, santos do Antigo e do Novo Testamento e os apóstolos. San Martín de Tours, titular da catedral e padroeiro de Ourense, aparece no centro…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI foram construídas várias capelas no interior da catedral, algumas com um grande requinte decorativo. A Capela da Anunciação é uma delas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe todas as capelas existentes, a de Santo Cristo impressiona por sua exuberância decorativa, um dos grandes exemplos da Arte Barroca do século XVIII. Pena que as fotos não ficaram à altura de sua beleza…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInegavelmente, uma das jóias da catedral é o chamado Pórtico do Paraíso, inspirado no Pórtico da Glória realizado pelo Mestre Mateo para a Catedral de Santiago de Compostela. Realizado no século XIII, sofreu reparações no século XVI, e se conserva notavelmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs pórticos das catedrais medievais constituíam, além de antesala do templo, um local com finalidades funerárias, realização de assembléias e um espaço para a promulgação da justiça. A disposição e dimensões do Pórtico do Paraíso são similares ao Pórtico da Glória, estando formado por 3 arcos, sendo o central mais largo que os laterais, e uma coluna central, denominada na Espanha de Parteluz (imagem acima). Aos seus pés, vemos uma estátua do Apóstolo Santiago, com um livro e uma espada, obra do século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas colunas que sustentam os arcos foram representados profetas e apóstolos, testemunhos da vida de Cristo e como união do Antigo e do Novo Testamento. A maioria deles possui uma espécie de cartaz com seu nome, e os detalhes escultóricos mostram um grande realismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm um dos tímpanos vemos a San Martín entregando sua capa ao pobre, uma escultura do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto a salientar do Pórtico do Paraíso é sua mensagem apocalíptica, com a representação do Juízo Final e os 24 personagens com seus instrumentos musicais, que vemos na foto acima. A seguir, vemos outro dos arcos do pórtico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFelizmente, o Pórtico do Paraíso conserva toda sua policromia, resultado de uma restauração realizada no século XVIII. Nos muros laterais, vemos pinturas  representando a San Ildefonso (recebendo as vestes de bispo da Virgem Maria) e a São Cristóvão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANuma época em que a grande maioria da população era analfabeta, o Pórtico do Paraíso cumpria a função de instruir o povo nas sagradas escrituras. No interior da Catedral de Ourense vemos também muitos sepulcros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita finaliza com o Museu Catedralício, que guarda excelentes amostras de Arte Sacra, tanto na escultura, quanto na pintura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos destaques do museu é esta arca de cobre esmaltado que funciona como relicário, concebida em Limoges (França) no século XIII, um dos principais centros medievais na fabricação deste tipo de objetos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATerminamos a matéria sobre a Catedral de Ourense com uma foto da Pia Batismal e um quadro em que vemos novamente a San Martín

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Catedral de Ourense

Principal monumento da cidade de Ourense, a catedral se ergue no coração de seu centro histórico. Poder conhecê-la, tanto em sua parte exterior, quanto seu belo interior, foi uma grata surpresa devido aos maravilhosos espaços que a constituem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ considerada o edifício medieval mais importante de toda a Galícia, depois da Catedral de Santiago de Compostela. De fato, mereceu o título de Monumento Histórico-Artístico que recebeu em 1931. Várias outras construções existiram no mesmo local, depois que Ourense tornou-se sede episcopal em sua etapa visigoda (século VI). A catedral atual começou a ser edificada na segunda metade do século XII, sendo finalizada no século seguinte, inserindo-se dentro da fase final do Estilo Românico. No entanto, o aspecto que vemos atualmente é o resultado de 8 séculos de reformas realizadas no conjunto do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Ourense foi dedicada a San Martín de Tours, que tornou-se o padroeiro da cidade já na época do Rei Suevo Carriarico, no século VI. Este monarca foi o introdutor do culto deste santo francês na Galícia, depois que a ele foi atribuída a cura milagrosa de seu filho, que padecia de uma doença comum naqueles tempos, a lepra. Em sinal de agradecimento, nomeou o santo como padroeiro de Ourense. Sua representação mais comum, montado num cavalo e entregando sua capa a um pobre mendigo, pode ser vista em vários lugares da catedral, desde os vitrais que a compõem, quanto na parte escultórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior da catedral, o grande destaque fica por conta de suas 3 portas de acesso, maravilhosamente esculpidas, com uma notória influência do chamado Mestre Mateo, e seu trabalho inigualável do Pórtico da Glória da Catedral Compostelana, considerado uma das obras máximas da Arte Universal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra das portas da catedral, com especial ênfase nas esculturas que a adornam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo tímpano observamos a representação da piedade com São João Evangelista e Madalena. Sobre ela, uma cruz com a coroa de espinhos. No lado esquerdo, San Martín entregando a capa e no direito, vemos a figura de Santiago como peregrino, segurando um bastão.OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, detalhes de sua rica decoração escultórica, tanto nas arquivoltas, quanto nos capitéis.OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, a catedral sofreu ataques durante uma guerra travada entre nobres e algumas de suas partes tiveram que ser reconstruídas ou mesmo incorporadas a partir do século XVI, caso do belíssimo cimbório que remata a estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARealizado em 1500 por Rodrigo de Badajoz, possui uma grande importância histórica, pois está incluído entre os três existentes no país desta época.Em sua parte externa, podemos observar seu formato octogonal. Abaixo, vemos seu aspecto interior e a excepcional bôveda estrelhada de 8 pontas que cobre a estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos a torre do relógio, de formato quadrado e também erguida no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, alguns detalhes construtivos da catedral, como uma de suas rosetas e as janelas que iluminam o interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, faremos uma visita ao interior da Catedral de Ourense, que me deixou literalmente de boca aberta…

Ourense – Parte 2

O Centro Histórico de Ourense é suficientemente compacto para ser percorrido à pé, e em apenas um dia é possível conhecer seus principais pontos de interesse. Um aspecto da cidade que me chamou a atenção são suas inúmeras esculturas urbanas, parte imprescindível de sua paisagem. Já na Idade Média foram colocadas em lugares estratégicos, como os cruzeiros (crucero, em espanhol), abundantes por toda a Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento escultórico característico das cidades espanholas e que também encontramos em Ourense constituem as fontes

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma boa maneira de se embelezar as cidades e contribuir para a difusão de sua cultura, recentemente foram colocadas várias esculturas representativas da rica Mitologia Galhega, como a que vemos abaixo, denominada “Mouchiño“, em que aparece um Fauno sentado sobre uma grande coruja, chamada de Mochuelo (espanhol) ou Mochiño (idioma galhego).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra importante temática das esculturas urbanas de Ourense são os ofícios tradicionais, como vemos na escultura intitulada “La Lechera“, realizada por Ramón Conde em 1999. Representa as mulheres que chegavam cedos à cidade, procedentes das aldeias vizinhas, para vender o leite produzido no âmbito rural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA castanha é um elemento primordial da dieta do interior da comunidade. Suas vendedoras, “Las Castañeras“, cujo ofício ainda se conserva, também foram representadas, desta vez pelo escultor Xosé Cid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das esculturas mais fotografadas da cidade denomina-se “Rallye de Ourense“, igualmente realizada por Ramón Conde. Recorda a figura de um pioneiro, Estanislao Reverter, que foi o principal promotor do famoso rally que ainda se disputa na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAparece junto com seu inseparável colaborador, Antonio Coleman, e ambos foram representados sentados no “Alpinche“, um Renault com motor de Porche com o qual Estanislao competiu em diversas oportunidades.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm meu passeio por Ourense fotografei alguns edifícios que despertaram minha curiosidade, como a Casa Junquera, construída em 1913,  que se destaca por seu mirante de cor branco situado na fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm outras construções, o mirante foi colocado na parte mais alta do edifício, como no antigo Hotel Miño

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns apresentam uma rica decoração na fachada, como o que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm uma das principais ruas comerciais do centro de Ourense situa-se este edifício de gosto duvidoso, mas certamente no mínimo curioso…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro do patrimônio religioso de Ourense, destaca-se sua belíssima catedral, que veremos no próximo post. Além da sede episcopal da cidade, visitei outros templos históricos, como a Igreja de Santa Eufemia. Depois da catedral, é a maior de Ourense. Fazia parte de um antigo colégio jesuíta, estando inserida dentro do Barroco Galhego.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO formato côncavo da igreja lhe confere maior monumentalidade, um recurso construtivo amplamente utilizado durante o período barroco. Aproveitei e tirei uma foto do interior, no momento em que se realizava uma missa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas igrejas antigas foram reformadas, fato que contribuiu decisivamente para a perda de sua fisionomia original, como a Igreja de Santa María La Mayor, que sofreu intervenções no século XI e também em 1772, propiciando-lhe o aspecto barroco que ostenta atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua localização, no alto de uma escada, contribui para aumentar sua monumentalidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com outras imagens de Ourense

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA