Cidades Românicas

Neste penúltimo post sobre o Românico Espanhol, veremos algumas cidades que devido à grande quantidade de Igrejas Românicas que possuem, bem poderiam ser chamadas de Cidades Românicas. Existem várias delas, como Sória e Salamanca, mas selecionei três cidades indispensáveis, todas elas situadas na Comunidade de Castilla y León. A primeira delas é Segóvia, conhecida por seu impressionante Aqueduto Romano e o Alcázar, um castelo de sonho, declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A cidade conta com 15 igrejas românicas, a grande maioria construídas na segunda metade do século XII e começo do XIII. Uma das mais singulares, a Igreja de Vera Cruz, vimos na última matéria. A Igreja de San Andrés situa-se numa bonita praça, no caminho para visitar o Alcázar. Possui 3 ábsides, o central maior que os laterais, além de uma bela torre edificada com pedra e tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de San Andrés – Segóvia.

A Igreja de San Martín impressiona por seu tamanho. Situa-se na praça homônima, estando encravada no Centro Histórico de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de San Martín – Segóvia.

Como vocês podem observar, estas Igrejas Românicas de Segóvia constituem exemplos de templos com galerias porticadas, a grande contribuição da Espanha ao Românico Europeu, como vimos também na última matéria. A Igreja de San Esteban é uma das mais belas da cidade, graças à sua excepcional torre

20160927_154407Igreja de San Esteban – Segóvia.

Situadas fora das muralhas da cidade, vemos outras igrejas imprescindíveis, como a Igreja de San Millán

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de San Millán – Segóvia.

Ou a Igreja de San Lorenzo, que se localiza numa praça que outorga um aspecto de típico povoado castelhano…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de San Lorenzo – Segóvia.

Ávila é outra das cidades com uma grande presença de Igrejas Românicas, as mais importantes delas situadas extramuros, ou seja, fora da impressionante muralha (igualmente de estilo românico) que rodeia o centro histórico, considerada uma das mais conservadas do mundo pois permanece intacta em seu perímetro de 2.5 km. A Igreja de San Pedro foi declarada Monumento Nacional em 1914. Localiza-se na Praça do Mercado Grande e em sua esbelta fachada principal destaca a roseta em sua parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFachada principal da Igreja de San Pedro – Ávila.

O Centro Histórico de Ávila e as Igrejas Românicas Extramuros também receberam a distinção de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Abaixo, vemos os ábsides da Igreja de San Pedro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÁbsides da Igreja de San Pedro – Ávila.

Considerada uma das igrejas fundamentais do Românico Espanhol, a Basílica de San Vicente iniciou sua construção no ano 1120. Foi edificada no local de martírio de três irmãos, Vicente, Sabina e Cristeta no ano 306, durante a perseguição imposta aos cristãos durante a época do Imperador Diocleciano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABasílica de San Vicente – Ávila.

Em seu magnífico interior, podemos admirar uma das esculturas românicas mais destacadas do Românico Espanhol, um cenotáfio (monumento funerário comemorativo) em homenagem ao martírio dos três irmãos nascidos na cidade. O baldaquino que envolve o conjunto escultórico foi colocado já no século XV…

OLYMPUS DIGITAL CAMERACenotáfio – Interior da Basílica de San Vicente – Ávila.

Finalizo a matéria com a cidade de Zamora. Esta cidade de Castilla y León possui 22 Igrejas Românicas, um recorde a nível europeu. De todas as igrejas, mencinarei apenas sua Catedral Românica, considerada a mais antiga da comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACatedral Românica de Zamora.

A Catedral de Zamora foi levantada no século XII em menos de 30 anos, algo incomum na Idade Média. Abaixo,vemos sua imponente torre de 45m de altura…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATorre da Catedral de Zamora.

A denominada Puerta del Obispo é um dos principais destaques de sua fábrca românica…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPuerta del Obispo – Catedral de Zamora.

Declarada Monumento Nacional em 1889, a Catedral de Zamora possui um excelente museu com uma espetacular coleção de tapetes flamencos. Sua carcaterística exterior principal é a cúpula, construída sob influências bizantinas e muçulmanas, que lhe proporcionam um curioso aspecto, com suas pedras em forma de escamas. Seu aspecto exterior é conhecido como cimbório

OLYMPUS DIGITAL CAMERACimbório da Catedral de Zamora.

A Catedral de Zamora pertence a um grupo de igrejas românicas especial, graças a este modelo de cúpula. Comparte com a Catedral Velha de Salamanca e a Colegiata de Toro o grupo conhecido como Igrejas Românicas do Rio Duero, sendo a Catedral de Zamora a mais antiga das três. Na foto abaixo, vemos o aspecto interior da cúpula…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInterior da Catedral de Zamora.

 

 

 

 

1 comentário Adicione o seu

  1. Renato Basile disse:

    Sensacional. Obrigado parabéns!
    Conheço Segóvia e Ávila, mas não conheço Zamora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s