Estilo Gótico – Introdução

Poucas imagens da Europa Medieval são tão evocativas e admirávies como as Catedrais Góticas espalhadas por todo o velho continente. Somente os castelos, outro elemento que identificamos com a Idade Média, podem se comparar à grandiosidade arquitetônica, beleza de formas e riqueza artística dos templos góticos. Qualquer pessoa que contemplou de perto a magnificência destas construções sentiu, no mínimo, sensações de assombro e respeito, destes edifícios que são considerados um dos maiores logros na história da capacidade criativa e construtora da humanidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACatedral Gótica de Notre Dame – Paris.

Junto com o Estilo Românico, ao qual substituiu, o Gótico constituiu a outra corrente artística que desempenhou um papel preponderante na Idade Média. Desenvolveu-se a partir de mediados do século XII e prolongou-se até a chegada do Renascimento na Itália do século XV, embora em alguns países, Espanha incluída, sobreviveu até o século XVI. Enquanto durante o período românico, as igrejas e monastérios foram os edifícios predominantes, na época gótica as catedrais assumiram o protagonismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARoseta, um dos elementos característicos do Estilo Gótico – Catedral de Notre Dame (Paris).

Esta diferença reflete a mudança de uma sociedade tipicamente rural no período românico a uma sociedade urbana, relacionada ao ressurgimento e desenvolvimento das cidades na etapa em que o Estilo Gótico floresceu. O surgimento da burguesia e das universidades e o aparecimento das novas ordens religiosas mendicantes (franciscanos e dominicanos) contribuiram para a propagação do gótico. A cultura deixa de ser um patrimônio exclusivo da igreja e seus monastérios com a criação das universidades, surgidas a partir das antigas escolas catedralícias, que começam a incentivar a formação científica, literária e filosófica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATorres Góticas da cidade medieval de San Giminiano (Toscana – Itália).

Durante a etapa gótica, a Catedral se converte no edifício mais representativo da vida e do espírito da nova sociedade urbana, como elemento de prestígio e também porque em sua construção participaram a grande maioria de seus habitantes, de forma direta ou indiretamente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADuomo ou Catedral de Siena, uma das obras primas da arquitetura gótica italiana.

Da mesma forma que o estilo românico, o gótico abarcou uma ampla variedade de manifestações artísticas, desde a arquitetura, escultura e pintura, contribuindo para a iluminação de livros, a arte santuária e o desenvolvimento de uma nova atividade, já existente na época românica, mas que chegou ao ápice com o novo estilo, a fabricação e decoração dos vitrais, um elemento fundamental da Arte Gótica.

Brugge (80)Vitrais Góticos – Igreja de Nossa Senhora de Bruges – Bélgica.

A Arquitetura Gótica desenvolveu-se num momento de grandes transformações econômicas, sociais e políticas que favoreceram o incremento da atividade econômica e da produção agrícola, que possibilitaram a expansão comercial e que serviram de base para o crescente aumento populacional verificado na Baixa Idade Média, principalmente entre os séculos XII e XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACatedral da Santíssima Trindade – Dublin (Irlanda).

No aspecto político, se fortalece o poder monárquico frente à nobreza. Nas cidades, destacam novos grupos que começam a organizar-se, como os artesãos e mercadores, em associaçoes de grêmios e logias. O Renascimento Urbano propiciou o aparecimento de edifícios não religiosos, como as prefeituras, hospitais e as nascentes universidades, além de uma grande quantidade de palácios e casas nobres.

DSC05496Palácio dos Papas de Avignon (França), um dos mais notávies edifícios góticos da Europa.

DSC05417Pátio Interior do Palácio dos Papas – Avignon.

Apesar da importância crescente da arquitetura civil durante o período gótico, a arquitetura permaneceu sendo essencialmente religiosa, existindo muitos elementos de continuidade em relação ao estilo românico, principalmente na fase inicial do novo estilo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPequena e bela Igreja Gótica de Santa Maria della Spina – Pisa (Itália).

Paulatinamente, as demais artes se tornam independentes da arquitetura, como a escultura e a pintura, nas quais durante o período românico estiveram intrinsicamente relacionadas ao marco arquitetônico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPúlpito da Cat. de Siena, uma obra prima da escultura gótica italiana (séc XIII).

Nem sempre a Arte Gótica gozou da popularidade e estima que atualmente possui. O próprio termo “Gótico” foi utilizado por primeira vez pelo artista e tratadista italiano Giorgio Vasari (1511/1574) num sentido altamente depreciativo, para designar a arte anterior ao Renascimento, segundo ele relacionada aos bárbaros ou godos, cujos componentes lhe pareciam desordenados e poucos dignos, em comparação ao equilíbrio e racionalidade da arte clássica que o Estilo Renascentista difundiu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja Gótica de São Joao – Luneburg (norte da Alemanha).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInterior da Igreja de São Joao de Luneburg.

Com esta matéria inicio uma série de posts sobre o Estilo Gótico, com a humilde intenção de traçar um panorama sobre suas manifestações artísticas, sua origem e desenvolvimento, além de suas etapas constituintes, principalmente relacionados à Espanha, embora não de forma exclusiva, desejando que sejam do agrado de vocês e que possa contribuir um pouco para a apreciação desta arte maravilhosa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInterior da Igreja de São Nicolás de Bari, o templo mais antigo de Berlin (Alemanha) – século XIII.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s