Gótico Hispano-Flamenco

A partir da metade do século XV inicia-se a etapa final do Estilo Gótico na Europa, sendo que em alguns países como a Espanha, por exemplo, o estilo se prolongou até o século XVI. Uma das principais características desta fase final foi sua riqueza decorativa, e recebeu o nome de Gótico Flamboyant ou Flamígero, anunciando o estilo artístico subsequente, o Renascimento. Na Espanha, é conhecido como Estilo Gótico Hispano-Flamenco, pela importância destacada da Arte Flamenca, ou também Gótico Isabelino ou mesmo Estilo Reis Católicos, já que muitas das construções inseridas nesta fase foram patrocinadas pelos Reis Católicos, Fernando de Aragón e Isabel de Castilla. Em Portugal, é conhecido como Estilo Gótico Manuelino, uma referência ao Rei Manuel I. Muitos foram os artistas provenientes do norte da Europa que se estabeleceram na Espanha e que atuaram principalmente nas Províncias de Toledo, Burgos e Valladolid, como Juan Guas e Simón de Colonia, entre muitos outros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMonastério de San Juan de los Reyes – Toledo (Comunidade de Castilla La Mancha).

Durante o reinado dos Reis Católicos (1469/1515) houve uma estreita relação da monarquia espanhola com a região de Flandes, com grande repercussão no mundo das artes, tanto na arquitetura, quanto na escultura e pintura. Este relacionamento possuía uma forte base econômica, através da exportação, por parte da Espanha, da lã castelhana, e a importação de tecidos, principalmente os famosos tapetes flamencos. Sua grande ornamentação decorativa combina elementos próprios do norte da Europa com outros de grande tradição na Espanha, como o Estilo Mudéjar e, em menor medida, da Itália. O Gótico Hispano-Flamenco desenvolveu-se basicamente no antigo Reino de Castilla. O Monastério de San Juan de los Reyes de Toledo é considerado um exemplo desta fase final do Estilo Gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAClaustro do Monastério de San Juan de los Reyes de Toledo.

Este monastério, situado em pleno bairro judaico de Toledo, foi construído sob o patrocínio da Rainha Isabel de Castilla com a intenção de convertê-lo num mausoléu real, como também para celebrar o nascimento de seu filho Juan (1478) e a vitória na Batalha de Toro, que assegurou o seu lugar no trono (1476). É considerado o monumento mais importante erguido pelos Reis Católicos na Espanha, que se transformou numa construção que enaltecia os êxitos do casal real através de um rico conjunto de esculturas e elementos decorativos associados a Fernando e Isabel. Tanto a igreja quanto o claustro foram concluídos em 1476. A igreja possui apenas uma nave com capelas em suas laterais, algo característico desta fase do Estilo Gótico, predominando a horizontalidade em vez da verticalidade característica do Gótico Clássico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja do Monastério de San Juan de los Reyes de Toledo.

As bôvedas adquirem um caráter mais decorativo que estrutural, como vemos acima. Os arcos também evoluem, como os denominados Arcos Conopiais (na foto referente ao claustro acima, aparecem no segundo nível) e os Arcos Polilobulados. Aparecem também os pináculos ou agulhas que se tornaram uma característica representativa do Estilo Gótico em geral. A luz perde influência dentro da estrutura geral das construções. O Monastério de San Juan de los Reyes foi projetado pelo arquiteto Juan Guas, um dos principais do Gótico Hispano-Flamenco. Ele tambem foi o responsável por outro edifício espetacular representativo desta etapa, o Palácio del Infantado, situado em Guadalajara (Castilla La Mancha). Sua construção foi ordenada por Íñigo López de Mendoza, o II Duque del Infantado. A parte decorativa e escultórica foi realizada por outra figura relevante do estilo, Egas Cueman.

DSC07866Palácio del Infantado – Guadalajara.

Neste impressionante palácio nobre destaca sua impressionante decoração, tanto na fachada que vemos acima, como no pátio interior construído a modo de claustro.

DSC07924Pátio do Palácio del Infantado.

Em Valladolid, uma de suas principais atrações é o Colégio de San Gregorio, atual sede do Museu Nacional de Esculturas, um dos mais importantes do país por sua excepcional coleção escultórica. Foi edificado como parte do conjunto associado à Universidade de Valladolid, fundada no século XIII, como um Colégio de Teologia regido pela Ordem Dominicana, adquirindo um papel fundamental  na doutrina católica nos séculos posteriores. As obras iniciaram em 1488 e finalizaram em 1496. Da mesma forma que o Palácio del Infantado, surpreende sua decoração na sua célebre fachada e no pátio. Do projeto participaram o próprio Juan Guas (pátio) e outro arquiteto fundamental, Simón de Colonia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFachada principal do Colégio de San Gregorio – Valladolid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPátio do Colégio de San Gregorio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADetalhes escultóricos do pátio – Colégio de San Gregorio.

Simón de Colonia foi o responsável pelo projeto da Igreja de Santa María de Aranda del Duero (Província de Burgos – Castilla y León). A igreja, no entanto, foi finalizada por seu filho Francisco de Colonia em 1515.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de Santa María – Aranda del Duero.

Outra das características do Gótico Hispano-Flamenco é a abundância de elementos heráldicos (escudos e brazões) e epigráficos (inscrições), especialmente relacionados aos Reis Católicos, como vemos na foto abaixo, na fachada principal da Igreja de Santa María de Aranda del Duero. Na parte superior, entre uma representação do Calvário, aparece o escudo dos Reis Católicos nas laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFachada Principal – Igreja de Santa María de Aranda del Duero.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s