Pintura Gótica

No período gótico, a pintura apareceu depois da arquitetura e da escultura. Até o ano 1200 não apareceu um estilo pictórico ao que podemos denominar Gótico, ou seja, quase 50 anos depois que as outras manifestações artísticas se estabeleceram. A transição entre o românico e o gótico na pintura é muito imprecisa. Apesar disso, é comum afirmar que enquanto no Estilo Românico as representações figurativas são simplificadas e idealizadas, no Gótico a tendência é aumentar o naturalismo e realismo dos personagens, aproximando-o da imitação própria do Renascimento. Os personagens religiosos passam a ser representados mais no aspecto humano que divino, expressando emoções e rompendo com o formalismo e simbolismo próprios do Românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARepresentação de Santa Lúcia (século XV).

No Estilo Gótico, começam a aparecer lentos avanços no uso da perspectiva. A pintura, a representação de uma imagem sobre uma superfície, se praticava sob 4 formas e técnicas principais. Em primeiro lugar, a pintura ao fresco, ou seja, a pintura realizada nos muros das igrejas (pintura mural), como na tradição românica anterior, especialmente na Itália. A denominada escola toscana, por exemplo, plenamente gótica mo “trescento” antecipa o Renascimento. Cabe destacar a importância de Giotto e as maravilhosas pinturas para a Basílica de Assis. Na Espanha existem vários exemplos de pinturas murais góticas, como na Igreja de San Miguel de Daroca (Aragón). As pinturas decoram o ábside, e o tema principal é a Coroação de Maria. Se insere na etapa de influência francesa, com reminiscências românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPintura Mural – Igreja de San Miguel de Daroca

OLYMPUS DIGITAL CAMERADetalhe da pintura mural da Igreja de San Miguel.

A Pintura Gótica foi utilizada na decoração dos vitrais que iluminavam o interior das igrejas e catedrais da época. Como já realizei um post sobre o tema, apenas cito esta outra técnica pictórica típica do gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPintura de Vitrais.

A terceira técnica de manifestação da Pintura Gótica foram as tablas (tábuas), amplamente utilizadas na elaboração dos retábulos para a decoração interior dos templos, principalmente nos altares. Também se realizavam em peças de menor tamanho, que adornavam as casas particulares, chamadas devocionais. Esta tradição surgiu na Itália no século XIII, difundindo-se por toda a Europa. No século XV, converte-se na forma predominante usada pela pintura gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo de São Bartolomeu – 1360 (ítalo-gótico) – Museu da Catedral de Tarragona.

As tablas simples evoluíram a peças duplas (dípticos) e triplas (trípticos) até chegarem aos grandes retábulos no século XV. Eram realizados ao temple, utilizando-se como aglutinante ovo ou cola obtido através dos ossos dos animais. Na última fase da pintura gótica começa a ser utilizado o azeite como aglutinante, originando a chamada Pintura ao óleo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATríptico (Anunciação nos extremos e Assunção de Maria Madalena no centro) – séc. XV – Museu Arqueológico Nacional (Madrid).

Abaixo, vemos um tríptico flamenco (1520), situado no Museu da Catedral de Alcalá de Henares. Seus temas representam  a Adoração dos Reis Magos, a Natividade de Cristo e o descanso em sua fuga ao Egito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os manuscritos medievais constituem um dos melhores documentos sobre a pintura gótica. Em sua primeira etapa possuía um caráter sacro, e no começo do século XIV se introduzem temas profanos. Tradicionalmente elaborados com finalidade religiosa, aos poucos passam a a ser encarregados por instituições laicas, como as universidades. Os detalhes figurativos tornam-se mais naturalistas com uma grande qualidade narrativa. Na Espanha destacam os manuscritos vinculados ao Rei Alfonso X “El Sábio”, como o denominado “Livro del Saber de Astronomia”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALivro del Saber de Astronomia (Alfonso X) – Edição Facsímel.

Esta obra, realizada em 1277, representa uma espécie de coletânea dos conhecimentos astronômicos da época, recompilados de obras árabes e traduzidas ao castelhano. Um outro exemplo de manuscrito gótico no país é o “Libro de Caballeros de la Cofradía de Santiago”, do século XIV, que vemos abaixo (edição facsímel).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s