Pintura Gótica -Parte 2

O desenvolvimento da Pintura Gótica sucedeu em várias fases distintas. A primeira delas inclui a Etapa Protogótica e a Etapa Clássica, compreendendo o período entre 1175 e 1325. Nesta fase incial da Pintura Gótica se observam os resquícios do Estilo Românico e, no caso da Espanha, da influência do Estilo Mudéjar. Esta fase também é conhecida como Gótico Lineal. Os países que mais influenciaram este periodo foram a Itália (influência da Arte Bizantina) e França. Os temas são tratados com um naturalismo cada vez maior, dando uma especial importância ao caráter narrativo das cenas e a utilização de tonalidades suaves, devido a uma preocupação maior com a luz. Na Espanha, a tradição da Pintura Mural perdura, como podemos observar na Capela de San Martín, situada na Catedral Velha de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACapela de San Martín – Catedral Velha de Salamanca.

Realizada por Antón Sánchez de Segovia em 1262, esta obra constitui a mais importante do antigo Reino de Castilla, referente a esta etapa incial da Pintura Gótica. Abaixo vemos no detalhe a representação de Cristo no centro da pintura…

OLYMPUS DIGITAL CAMERACapela de San Martín – Catedral Velha de Salamanca.

De grande importância é a elaboração dos livros iluminados, onde destaca a utilização da cor dourada, influência da Arte Bizantina. Um exemplo notável é a Bíblia de São Luis, realizada entre 1226 e 1234. Consta de 3 volumens e foi encarregada pela mãe do monarca francês Luis IX, Blanca de Castilla, para sua formação. Posteriormente, o rei ofereceu os livros ao seu primo, o Rei Castelhano Fernando III, para que auxiliasse na formação religiosa de seu filho, o futuro Rei Alfonso X “El Sábio”. Feito em pergaminho, cada página é uma autêntica obra de arte e faz parte do tesouro da Catedral de Toledo.

DSC09274Bíblia de São Luis – Catedral de Toledo – Ediçao Facsímel.

O segundo período é conhecido como Estilo Trecentista, ou Ítalo-Gótico. Ao longo do século XIV é introduzida na Espanha a influência das escolas italianas da Toscana, principalmente Florença e Siena. Nesta fase, a pintura adquire um aspecto mais realista que a fase anterior, com um fascínio pela noção da perspectiva, o estudo mais detalhado da anatomia corporal e ao destacado valor dado à luz. Os personagens retratados se representam com uma ampla variedade de sentimentos. O grande representante do período é o pintor italiano Giotto (1266/1377), que ofereceu um tratamento revolucionário à forma e representação realista da paisagem, introduzindo a tridimencionalidade, uma enorme passo na evolução da pintura. Na Espanha, um dos destaques é o pintor Bernabé de Módena. Abaixo, vemos duas obras realizadas por ele, ambas expostas no Museu da Catedral de Murcia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo de Santa Lúcia (1380) – Bernabé de Módena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo da Virgem do Leite (1374) – Bernabé de Módena.

A Catalunha é o principal centro espanhol referente à influência italiana de Siena. Um dos principais mestres é o pintor Ferrer Basa, considerado o introdutor da pintura ítalo-gótica no país, conhecido como “Giotto Catalão“. Realiza entre 1341 e 1346 uma das obras mais importantes da Pintura Catalã para a Capela de São Miguel, situada no claustro do Monastério de Pedralbes (Barcelona). Elabora um conjunto de pinturas que representam o ciclo da infância e da Paixão de Cristo, destacando a magnífica figura da Virgem Maria, rodeada de anjos. A suavidade das figuras e seu aspecto curvilíneo são característicos da pintura de Siena, que se observam na técnica deste pintor. A foto abaixo não ficou boa, devido ao vidro que cobre as pinturas da capela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERACapela de San Miguel – Ferrer Basa – Monastério de Pedralbes.

A terceira fase da Pintura Gótica é conhecida como Estilo Internacional, que combina as técnicas do Gótico Lineal com a infuência da tradição italiana do trecentismo. Abaixo, vemos o Retábulo de São Nicasio e São Sebastião (1402), exposto no Museu Arqueológico Nacional de Madrid, um exemplo de pintura de transição ao Gótico Internacional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo de São Nicasio e São Sebastião – Museu Arqueológico Nacional de Madrid.

A França é o centro referente desta nova tendência pictórica, em que se buscava refletir a realidade com grande naturalismo. A figura humana é mais alargada, com movimentos e gestos “nervosos”, sentimentos que muitas vezes denotam melancolia e expressão por vezes caricaturesca. Se valorizam as vestimentas representadas com curvas suaves, concedendo grande importância à pasiagem e o ambiente das cenas, além da presença de elementos arquitetônicos artificiais. Na Espanha, a Escola Valenciana é uma da introdutoras do Gótico Internacional, com grande artistas como Lorenzo Zaragoza, considerado o pintor de maior prestígio na antiga Coroa de Aragón no final do século XIV, ativo entre 1363 e 1406.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA“Ressureição de Cristo” – Lorenzo Zaragoza.

Outro artista importante é o pintor de origem alemã Marsal de Sax, ativo entre 1393 e 1410. Uma de suas obras principais é a “Dúvida de Santo Tomás”, realizada em 1400 (Museu da Catedral de Valência).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA“Dúvida de Santo Tomás” – Marsal de Sax.

A Pintura Catalã, principalmente vinculada à Barcelona, constitu uma das mais importantes do Estilo Internacional na Espanha, com destaque para o pintor Bernardo Martorell. Artista detalhista e minucioso, tanto na criação dos ambientes, quanto nas roupas, é dotado de grande maestria técnica. Outra característica é a riqueza cromática e das atitudes e gestos das figuras representadas. Abaixo, vemos um retábulo pintado por ele, no qual aparecem São João Batista e São João Evangelista em 1435 (Museu da Catedral de Tarragona).

OLYMPUS DIGITAL CAMERASão João Batista e São João Evangelista – Bernardo Martorell.

Outro pintor relevante da Catalunha é Joan Mates, ativo entre 1391 e 1431. Abaixo, vemos o retábulo dedicado ao Apóstolo Santiago, por ele executado entre 1406 e 1410 (Museu da Catedral de Tarragona).

P8190691.JPG“Apóstolo Santiago” – Joan Mates.

Em Tarragona, destaca o pintor Ramón de Mur, que realizou o retábulo abaixo em 1420, dedicado ao Apóstolo São Pedro (Museu da Catedral de Tarragona).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA“Apóstolo São Pedro” – Ramón de Mur – Museu da Catedral de Tarragona.

Finalmente, no antigo Reino de Castilla uma obra fundamental do Gótico Internacional é o Retábulo Maior da Catedral Velha de Salamanca, obra de Nicolás Florentino. Este excepcional conjunto está formada por 53 partes, e uma pintura sobre o Juízo Final na bôveda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo Maior – Catedral Velha de Salamanca – Nicolás Florentino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARetábulo Maior – Catedral Velha de Salamanca – detalhe do Juízo Final.

No próximo post sobre a Pintura Gótica, veremos a última etapa de sua evolução na Espanha, a Pintura Hispana-Flamenca.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s