Na Torre da Catedral de Ávila

A Catedral de Ávila é outra das atrações históricas da cidade, e foi tema de uma série de 3 posts, publicados nos dias 21, 22 e 23/01/2017. Considerada a primeira catedral de estilo gótico na Espanha, foi edificada como templo e como fortaleza, já que o ábside da construção constitui um dos cubos da própria muralha de Ávila, algo inédito nos edifícios catedralícios, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão se sabe com precisão quando começou a ser levantada. A teoria mais aceita diz que data de mediados do século XII, cujo projeto foi realizado por um mestre francês chamado Fruchel, coincidindo com o processo de repovoamento de terras castelhanas por Raimundo de Borgoña, genro do Rei Alfonso VI. A parte construída por Fruchel, correspondente ao altar maior da catedral, se insere no estilo românico de transiçao ao gótico. Posteriormente, outros mestres finalizaram as obras da catedral (naves, capelas e o remate das torres) já no estilo gótico. Abaixo, vemos a fachada principal da Catedral de Ávila e seu impressionante aspecto de fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vemos na imagem acima, se construiu apenas uma torre, a outra permaneceu inacabada. O primeiro corpo da torre campanário data do século XIII, assim como as naves da igreja. As bôvedas (teto) e o segundo corpo da torre campanário datam do século XIV. No século XV, finalmente se finaliza todas as obras da catedral. Abaixo, vemos uma foto de seu interior, destacando sua bôveda de crucería, característica da arquitetura gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta última vez que estive em Ávila com o Marcelo, a Cristina e o Ernesto, tivemos a oportunidade de subir no alto da torre campanário, um passeio imperdível que proporciona visitar lugares de uma catedral que normalmente estão fechados ao público. Antes de chegar na parte mais elevada da torre, pudemos contemplar umas excelentes vistas da nave central da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário possui 7 sinos (campanas, em espanhol), cada qual com seu nome de batismo, como “Maria Teresa”, “Platera”, devido à presença de prata em sua fabricação, ou “San Segundo”, em homenagem ao Santo Padroeiro de Ávila. Abaixo, vemos algumas delas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, uma foto da torre inacabada, que foi fechada com tijolos, mas que deixa à vista uma parte da construção de pedra…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita inclui um elemento que normalmente os visitantes não têm acesso, a estrutura de madeira construída como sustentação do telhado ou cobertura da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto curioso foi observar as diversas marcas de canteiros ao longo da construção. Estas marcas talhadas na pedra constituem uma espécie de assinatura dos trabalhadores que colaboraram na edificação da catedral. Cada um deles possuía uma marca diferente e, desta forma, podiam cobrar pelo trabalho realizado. As marcas de canteiros são habituais nas catedrais românicas e góticas. Abaixo, vemos algumas das que descobrimos no passeio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto que me surpreendeu está relacionado com o antigo ofício dos campaneiros. Na realidade, este termo se refere a dois ofícios tradicionais, designando aqueles responsáveis pela fabricação dos sinos (elaboração do molde e posterior fundição do metal) e também às pessoas que realizavam os toques das campanas. Sempre pensei de como seria a vida destes trabalhadores que executavam este trabalho de tocar os sinos e, na visita à torre, muitas perguntas foram respondidas. A primeira questionava onde viviam e o mais curioso, é que residiam na própria torre, ao nível dos próprios sinos. A torre da Catedral de Ávila conserva maravilhosamente a casa do campaneiro. De estilo castelhano humilde, parece incrível que se manteve intacta. Os campaneiros nela viveram até os anos 50 do século XX. A residência possuía sala, alcobas, cozinha com chaminé, banheiro, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA casa dos campaneiros foi construída aos pés da catedral, sobre a bôveda gótica. Para visitá-la, subimos os 113 degraus de uma escada em espiral, que salva a diferença entre o solo da catedral e sua cobertura. Nela se desenvolvia  a vida familiar dos campaneiros, sendo praticamente tarefa de todos seus membros realizar o toque das campanas, durante todo o dia. Frequentemente, o ofício passava de pai para filho, e as condições de vida eram extremamente duras, como nos explicou o guia que conduziu a visita. Em primeiro lugar, tinham que suportar um frio aterrador, numa cidade na qual as temperaturas normalmente atingem mínimas negativas, e muitos padeciam de doenças respiratórias. Além do mais, muitos campaneiros, depois de uma longa vida dedicada ao ofício, ficavam surdos com o forte som decorrente dos sinos. Em seus momentos de ócio, construíram pequenos jogos talhados nas pedras da torre (algo parecido com o atual jogo de damas), como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dificuldades de acesso a esta peculiar residência fizeram com que fossem criados mecanismos de abastecimento e comunicação com o mundo exterior. O sistema implantado na Catedral de Ávila se resume a uma corda atada a uma polea que se utilizava para para subir alimentos e água, além de outros objetos essenciais à vida, e para baixar tudo aquilo que já não servia. Abaixo, vemos o sistema desde o solo da catedral e em sua parte superior, junto à casa dos campaneiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos as campanas funcionaram como uma forma de comunicação social, anunciando festas, falecimentos e os atos litúrgicos, entre outros. O ofício de campaneiros data do período medieval em sua concepção atual. Atualmente, está em perigo de extinção com o desenvolvimento de métodos eletromecânicos para os toques de sinos e muitos aspiram que o toque manual seja declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. As campanas e seus variados sons constituem um maravilhoso universo, e seu estudo denomina-se Campanologia. Para saber mais sobre elas, ver as matérias publicadas em 6 e 7/3/2018, cujo tema foi o Museu das Campanas da belíssima cidade de Urueña, também situada na Comunidade de Castilla y León.

Anúncios

Último Passeio por Cáceres

Fora do recinto amuralhado de Cáceres, declarado Patrimônio da Humanidade, existem outros edifícios históricos de importância, todos eles situados próximos à Plaza Mayor. Nesta última matéria sobre esta bela cidade da Extremadura, veremos alguns deles. Bem perto do hotel onde me hospedei situa-se a Igreja de San Juan, cercada de restaurantes e bares que oferecem excelente comida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja é um exemplo da arquitetura gótica, e foi levantada no século XIII, com sucessivas reformas nos séculos XIV, XV e XVII, sendo finalmente concluída somente no século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX foi restaurada, recuperando o estilo original. A Plaza de San Juan, onde se localiza a igreja, antigamente se denominava Plaza de San Juan de los Ovejeros, pois nela se assentavam os pastores e mercadores de gado para uma feira que comercializava animais. Abaixo, vemos o órgão da igreja e uma comovedora imagem da Virgem Maria

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem em frente à porta principal, colocou-se uma estátua que representa um membro de uma confraria, simbolizando a importância da Semana Santa em Cáceres, quando muitas delas saem pelas ruas em procissão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio dos Ovandro-Saavedra é outra das inúmeras residências nobres existentes em Cáceres (lado direito da foto abaixo). Sua simples fachada esconde um belo saguão, decorado com azulejos nas paredes e com pinturas no teto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago impressiona por seu tamanho. Alguns estudiosos afirmam que foi construída no século XII, mas os restos mais antigos que se conservam pertencem ao século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI, a igreja foi reformada por Rodrigo Gil de Hontañón, considerado um dos arquitetos renascentistas mais importantes do país. Sua obra simboliza a coexistência da etapa final do estilo gótico com o renascimento, contribuindo na Espanha para a superação do medievalismo. Abaixo, vemos a portada gótica do templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma lástima que quando estive visitando a igreja, ela encontrava-se fechada, e não pude admirar seu rico interior. No final do dia caminhava invariavelmente pelo Paseo de Cánovas, um parque público inaugurado no final do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX, o parque ficou cercado por ambos lados pela Avenida España, uma das principais artérias viárias da parte nova da cidade. O nome do parque é uma homenagem a Antonio Cánovas del Castillo (1828/1897), um personagem fundamental da política espanhola na segunda metade do século XIX, assassinado por um anarquista dois anos depois da inauguração do parque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês tenham gostado desta série de posts sobre Cáceres, uma cidade rica em história e com um conjunto monumental reconhecido pela Unesco, e uma das mais importantes da Comunidade de Extremadura.

Concatedral de Cáceres

O principal templo religioso de Cáceres, a Concatedral de Santa María La Mayor, situa-se logo depois de cruzarmos o Arco da Estrela, porta de entrada ao Centro Histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá situada na Plaza de Santa María, uma das mais belas da cidade, junto com vários palácios antigos conservados, que veremos no próximo post. Um dos símbolos de Cáceres, a Concatedral de Santa  María foi erguida provavelmente sobre uma anterior mesquita, algo habitual em muitas cidades da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre os séculos XV e XVI sobre uma anterior edificação do século XIII, combinando o estilo de transição do românico ao gótico com elementos renascentistas, como sua torre. Acima, vemos uma das duas portas góticas do templo. A seguir, vemos outra das características da arquitetura gótica, a presença das gárgulas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica da igreja tirada do alto da Igreja de San Francisco, que em breve será o tema de outra matéria sobre Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte externa foi colocada uma escultura de um dos santos mais venerados de Extremadura, San Pedro de Alcántara, realizada pelo escultor contemporâneo Enrique Pérez Comendador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por três naves cobertas com bôvedas de crucería, algo habitual das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central vemos um magnífico retábulo maior plateresco, talhado por Guillén Ferrant e Roque Balduque. Possui a cor própria da madeira sem que fosse policromada, pino de Flandes e cedro. Suas cenas retratam episódios da vida da Virgem Maria e de Jesus Cristo. No centro do retábulo vemos a Assunção da Virgem

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma grande quantidade de obras de arte, como a imagem gótica de um Cristo Negro, uma das mais veneradas da cidade, que sai em procissao durante a Semana Santa. A capela que o acolhe pertence aos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um curioso púlpito gótico feito em ferro forjado no século XV, procedente de um convento desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo solo da igreja vemos os sepulcros de importantes famílias nobres da cidade….

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas capelas adornam o interior da igreja, como a Capela da Virgem de las Dolores, do século XVI. O retábulo é barroco, de 1743. No centro aparece a Virgen de las Dolores. Nas laterais, São Vicente de Paula e São Pedro Alcântara. Fora do retábulo, as imagens de Santo Antônio de Pádua e Santa Rita de Cássia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Pia Batismal construída em 1552, ao lado de dois sepulcros góticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro objeto impressionante é a Custódia, realizada em 1643 pelo artista nascido na cidade Diego Rodríguez de Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o belo órgão da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1957, a antiga Igreja Paroquial de Santa María La Mayor recebeu o título de Concatedral, passando a dividir a sede episcopal com outro templo, a Catedral de Coria. Abaixo, vemos a bula papal concedida pelo Papa Pio XII ao templo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe interessante é que está permitido subir à torre….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Concatedral de Cáceres recebeu a designação de Monumento Histórico-Artístico por sua importância religiosa e histórica, e conhecê-la é um passeio obrigatório numa visita à cidade.

 

Palácio de la Generalidad – Valência

Durante nossa estadia em Valência, eu e meu irmão Marcelo tivemos a sorte de poder conhecer um edifício que normalmente se encontra fechado ao público, mas que abriu suas portas com o motivo da celebração do dia da Comunidade Valenciana, no início de outubro. O denominado Palácio de la Generalidad (Palau de la Generalitat, no idioma valenciano) é a sede do governo da Comunidade Valenciana, e situa-se em pleno centro histórico da cidade.

20181004_161945Considerado um símbolo das instituições políticas da comunidade, o Palácio de la Generalidad é um excelente exemplo da arquitetura gótica civil que podemos apreciar na cidade. Foi construído no século XV (1421) como residência nobre, e reformado no século XVI, quando incorpora também o estilo renascentista em sua fachada, com a construção de uma grande torre.

20181004_160500Formam parte da Generalidad as Cortes Valencianas, o Presidente da Comunidade e o Conselho. Seu antecedente histórico, do qual procede seu nome, foi a Deputação Geral, que surgiu na segunda metade do século XIV como uma comissao organizada pelas Cortes do antigo Reino de Valência, encarregada de cobrar o imposto chamado de generalidades.

20181004_161748Abaixo, vemos um detalhe da fachada…

20181004_160555O interior do edifício está formado por um belo pátio gótico, com uma escada construída em 1511.

20181004_160635Tivemos a oportunidade de conhecer as principais dependências do palácio, como a Sala Dourada, assim chamada pela cor do artesanato de estilo mudéjar que a decora.

20181004_16125720181004_161313A Sala dos Reis possui um interessante conjunto de retratos dos monarcas que governaram a Comunidade Valenciana. Também se conhece como a Sala da Capela devido ao pequeno espaço religioso que se situa em seu extremo.

20181004_16112220181004_161148O local mais interessante do palácio é a Sala Nova ou das Cortes, decorada em seu teto com um artesanato original de madeira do século XVI.

20181004_160811Além do mais, pinturas representativas dos diversos setores sociais (políticos, clero e classe militar) ornamentam suas paredes…

20181004_16085420181004_160837Ao longo de sua existência, o palácio foi a sede de várias instituições, como a Casa da Deputação do Reino de Valência (1421 a 1705), Real Audiência (1750 a 1923), Deputação Provincial (1923 a 1982) e finalmente sede da Generalidad a partir de 1982.

20181004_160714Em 1931, o Palácio de la Generalidad foi declarado Monumento Histórico-Artístico.

Patrimônio Religioso de Almagro

Almagro possui um rico e variado patrimônio histórico-religioso, formado por igrejas, conventos e ermitas. Um exemplo é a Igreja de Madre de Dios, construída sobre um antigo hospital. Sua construção iniciou-se a partir de 1546 e foi finalizada em 1602.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi edificada na fase final do estilo gótico, com alguns detalhes renascentistas, segundo o projeto de Enrique Egas “El Mozo”. Sua fachada, que vemos acima, caracteriza-se pela  grande austeridade e a presença de poderosos contrafortes. Uma pequena roseta a preside. Ao lado, a torre inacabada do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outros detalhes de seu aspecto exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo apresenta uma planta conhecida como “Planta de Salão“, devido a que suas naves possuem a mesma altura. Encontram-se cobertas por bôvedas de crucería, segundo o esquema gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi reformada no século XVIII, mas lamentavelmente seu magnífico retábulo barroco se perdeu durante a Guerra Civil Espanhola do século XX. Abaixo, vemos o retábulo atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma foto de uma de suas naves laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs ermitas constituem um importante legado histórico e cultural da cidade. Seu desenvolvimento e difusão se devem ao auge que alcança a devoção popular durante a Idade Média e a Idade Moderna, relacionado principalmente com o culto das imagens religiosas e das relíquias. Antigamente, a vila estava dividida em bairros segundo as classes sociais que ocupava e cada um tinha sua própria ermita, conservada pelos próprios habitantes. Um exemplo é a bela Ermita de San Juan, fundada no século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de conhecê-la em seu interior, cujo amplo espaço impressiona, por tratar-se deste tipo de templos religiosos, normalmente de reduzido tamanho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Hostal dos Reis Católicos – S.Compostela

No post de hoje, comentarei sobre um dos edifícios emblemáticos da Plaza del Obradoiro, a mais famosa de Santiago de Compostela, conhecido como Hostal dos Reis Católicos. Esta formidável construção originou-se quando os Reis Católicos Fernando e Isabel visitaram a cidade em 1486 e constataram a deficiência no atendimento e cuidado de doentes e também dos peregrinos que chegavam à cidade. A instituição recebeu o nome de Hospital dos Reis Católicos, sendo que o projeto da obra foi realizado por Enrique Egas, iniciando-se a construçao em 1501 e finalizando-se dez anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEnrique Egas projetou o edifício na fase final do estilo gótico, num momento de transição para a arquitetura renascentista. Realizou uma fachada como se fosse um retábulo, com uma rica ornamentação que inclui escudos reais, do antigo Reino de Castilla, e personagens religiosos como Cristo, a Virgem Maria, santos e apóstolos. Esta corrente artística, que caracteriza-se por uma profunda decoração, é conhecida como Estilo Plateresco e desenvolveu-se na Espanha a partir do final do século XV, sobretudo na arquitetura. Abaixo, vemos os medalhões dos Reis Católicos, que enaltecem o poder monárquico e contrastam com o poder religioso da catedral e o palácio arcebispal, ambos situados na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO virtuosismo escultórico do projeto de Enrique Egas obrigou a utilização de uma pedra mais blanda, em vez do usual granito, que não suportou o clima instável da cidade, sendo novamente refeito no século XVI. Abaixo, vemos alguns detalhes da bela fachada do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior possui uma planta retangular com 4 pátios construídos a modo de claustros, sendo dois deles realizados no século XVI e os demais no XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs pátios receberam nomes relativos aos 4 apóstolos evangelistas (Marcos, João, Lucas e Mateus). Como elemento comum, a presença de fontes no centro de cada pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm um dos pátios vemos pequenas, mas curiosas esculturas, que representam de forma simbólica os vícios e pecados que os internos deveriam evitar, quando o hospital converteu-se numa hospedaria. Constituíam um verdadeiro código de conduta, cujo cumprimento era vigilado com grande severidade. Algumas delas representam o pecado da luxúria, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm homem atado a um grande tonel simboliza o perigo da embriaguez….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos pátios, é possível visitar a Capela do antigo Hospital, construída no estilo gótico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o portão que separa a capela (reja, em espanhol), uma belíssima obra do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, um detalhe do teto da capela….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1954, o lugar converteu-se num dos estabelecimentos que integram a Rede de Paradores Nacionais da Espanha, uma rede hoteleira que se caracteriza por sua presença em edifícios históricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo lembrança dos séculos de hospitalidade, ainda hoje se mantêm o costume de fornecer café da manhã, comida e jantar aos primeiros peregrinos que chegam ao local diariamente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de San Francisco – Betanzos

Ao lado da Igreja de Santa María del Azogue, que vimos no post anterior, situa-se outra das igrejas gótica de Betanzos, a Igreja de San Francisco, considerada um dos exemplos mais notáveis deste estilo artístico em toda a Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima igreja foi construída na segunda metade do século XIV, graças ao patrocínio de um dos membros mais importantes da Casa dos Andrade, Fernán Pérez de Andrade, cujo nome também foi homenageado na praça onde se localiza o templo. Este cavalheiro galhego, nascido na cidade, tornou-se o senhor da vila, e ordenou a construção da igreja como local de enterramento para ele e para os demais membros de sua família. Apaixonado pela caça e as batalhas, possuía, no entanto, inquietudes culturais como a poesia e a literatura de cavalaria, tão em voga na época. Os animais associados a ele, o urso e o javali, aparecem representados no seu maravilhoso sepulcro. Na parte mais elevada da igreja vemos o javali, sustentando uma cruz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAnexo à igreja existiu um monastério franciscano que chegou a contar com 47 monjes. Depois da Desamortizaçao de Mendizábal de 1836, o monastério foi abandonado. Em 1914, os monjes retornaram e ocuparam o que havia restado do conjunto conventual, mas que foi brutalmente queimado um pouco antes do início da Guerra Civil Espanhola, em 1936. Somente a igreja sobreviveu….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima vemos uma das portas principais da igreja, com um belo conjunto de esculturas que representam a Adoraçao dos Reis no tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos muros laterais da porta foram esculpidos diversos e curiosos símbolos, associados aos grêmios existentes na época, que auxiliaram na construção da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da igreja existem 16 sarcófagos pertencentes à família dos Andrade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mais impressionante, sem dúvida nenhuma, é o sepulcro do próprio Fernán Pérez de Andrade, considerado como o precursor da escultura funerária medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa base do monumento aparecem os animais a ele associado. O cavalheiro aparece deitado e vestido com uma armadura e em atitude de repouso. Uma inscrição com o nome do defunto e a data da fundação da igreja rodeia o sepulcro. Cenas de caça e o escudo da família também foram esculpidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto geral do interior, do altar maior e um detalhe dos vitrais que o iluminam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Francisco de Betanzos acolhe interessantes obras de arte, como esta “Piedade“, um anônimo flamenco da segunda metade do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa mesma forma que a Igreja de Santa María, a Igreja de San Francisco foi declarada Monumento Nacional e Bem de Interesse Cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA