Ampliação do Museu Reina Sofia

O Museu Reina Sofia de Madrid é considerado um dos museus de Arte Contemporânea mais importantes de todo o mundo. Sua exposição permanente exibe obras dos artistas mais influentes dos séculos XIX e XX, como Picasso, Dalí, Miró, etc. Entre todas as pinturas deste museu imprescindível destaca-se o famoso quadro de Picasso “Guernica“, possivelmente o quadro mais importante do século XX (ver post publicado em 17/5/2012). Realizei também, entre 29/6 e 4/7/2016, uma série de publicações sobre as obras primas do museu, que servem de referência a uma visita ao Reina Sofia. O museu encontra-se sediado no edifício do antigo Hospital de San Carlos, entidade fundada no século XVI pelo Rei Felipe II com a finalidade de centralizar todos os serviços de atendimento hospitalar que se encontravam dispersos pela capital da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, o monarca Carlos III decidiu construir um novo edifício para o hospital, já que as instalações do edifício anterior ficaram insuficientes com o crescimento populacional da cidade. O projeto foi encarregado aos arquitetos José de Hermosilla e, principalmente, a Francisco Sabatini. Ainda hoje, a sede principal do museu é conhecida como Edifício Sabatini. O hospital foi clausurado em 1965, e o edifício sobreviveu apesar dos rumores sobre sua demolição, principalmente depois que foi catalogado como Monumento Histórico-Artístico em 1977, garantindo sua continuidade. Em 1980 inicia-se sua restauração e em 1986 se inaugura o Centro de Arte Reina Sofia, utilizando os primeiros andares do edifício como salas de exposições temporárias. No final de 1988 se construíram as torres de aço e vidro para servir de elevadores. A coleção permanente do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, seu nome completo, foi inaugurada em 1992, com a presença do Rei Juan Carlos I e sua esposa, a Rainha Sofia, com os fundos artísticos provenientes do antigo Museu Espanhol de Arte Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 2001 e 2005, o museu foi alvo de uma grande ampliação, a cargo do arquiteto francês Jean Nouvel, cujo resultado contribuiu para transformar o aspecto do museu e da própria paisagem urbana de Madrid.

20190202_125010O custo da obra foi de 92 milhões de euros e possibilitou um aumento de 60% da superfície do museu. Uma praça, decorada com uma escultura de Roy Lichtenstein, conecta o Edifício Sabatini com as estruturas de ampliação realizadas por Jean Nouvel.

20190202_132209Jean Nouvel (França – 1945) é considerado atualmente um dos arquitetos de maior prestígio internacional e recebeu em 2008 o Prêmio Pritzker de arquitetura. Para ele, a arquitetura constitui uma arte visual, uma produção de imagens que provocam emoções e sensações, algo que podemos comprovar numa visita ao museu.

20190202_13222920190202_133023A ampliação do museu possibiltou a construção de uma excelente biblioteca, duas novas salas para exposições temporais, dois auditórios, uma loja e um restaurante, cujas imagens vemos abaixo…

20190202_13014720190202_131525Qualquer pessoa pode conhecer esta parte do museu, sem a necessidade de pagar entrada para ver o acervo permanente, visita que evidentemente recomendo. A seguir vemos o contraste entre os dois edifícios, o histórico de Sabatini e a obra realizada por Jean Nouvel.

20190202_13365220190202_133630Vale a pena subir na parte mais alta do edifício e contemplar as vistas que oferece, principalmente da Estação Ferroviária de Atocha, situada nas proximidades do museu.

20190202_133239Finalizo o post com outras fotos do Museu Reina Sofia

20190202_13342620190202_13345420190202_131815

 

Anúncios

O Hemisférico de Valência

O denominado Hemisférico é outro dos edifícios que compõem o  complexo da Cidade das Artes e das Ciências de Valência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi o primeiro a ser inaugurado e aberto ao público, em 1998. Seu projeto também se deve ao famoso arquiteto Santiago Calatrava, que realizou um desenho inspirado no olho humano. Abaixo, vemos o Hemisférico, junto com o Palácio das Artes Reina Sofia

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta espetacular construção funciona como um planetário, uma enorme sala de projeções e também um Cine IMAX. Encontra-se situado sobre um lago artificial de cerca de 24 mil metros quadrados e sua cobertura possui mais de 100 m de comprimento.

20181004_121228Oferece projeções digitais com representações astronômicas e espetáculos de entretenimento, a maioria de índole científica e tecnológica.

20181004_120914Assitir aos espetáculos constitui uma incrível experiência, pois sua tela possui 900 metros quadrados…

20181004_12102320181004_121113Para poder conhecer o complexo da Cidade das Artes e das Ciências e todos seus edifícios é necessário reservar um dia inteiro, pois são inúmeras as atrações existentes (Hemisférico, Palácio das Artes, Pavilhão Príncipe Felipe e Museu Oceanográfico, entre outros…).

20181004_120927O Hemisférico conta também com uma cafeteria e um restaurante…

20181004_122153Finalizo a matéria com fotos da parte externa do complexo, decorado com os chamados Trencadís, técnica decorativa feita com cerâmicas e azulejos, que tornou-se conhecida através dos projetos realizados pelo arquiteto Antoni Gaudí

20181004_12475420181004_124844

Palácio das Artes Reina Sofía – Valência

O complexo da Cidade das Artes e das Ciências de Valência é considerado uma das grandes façanhas da Arquitetura Contemporânea realizada no final do século XX e início do XXI na Espanha. Seus arrojados projetos construtivos contribuiram de maneira decisiva para a revitalização cultural que se produziu na cidade a partir de sua inauguração, gerando milhares de novos empregos e um grande desenvolvimento econômico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACada edifício que compõem o conjunto é uma obra de arte arquitetônica, que maravilham as milhares de pessoas que o visitam diariamente graças à complexidade de sua estrutura. Dentre todos os edifícios, o Palácio de Artes Reina Sofía é o que mais impressiona por sua forma e beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetado pelo renomado arquiteto valenciano Santiago Calatrava e inaugurado em 2005.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20181003_165444O Palácio de Artes Reina Sofía é também conhecido como o Teatro da Ópera de Valência e sede da Orquestra da Comunidade Valenciana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma extensa programaçao cultural é realizada anualmente no Palácio, com espetáculos teatrais, ballet, concertos de música clássica, etc. Em caso de que não seja possível presenciar algumas destas atividades, o visitante poderá admirar seus detalhes arquitetônicos através de visitas guiadas que se relizam pelo interior.

20181004_11141720181004_112332Possui 4 grandes salas, sendo a principal dedicada a Ópera e a Música Clássica. O Auditório, com capacidade para 1500 espectadores, realiza também comícios e reuniões políticas.

20181004_113931Abaixo, vemos um detalhe decorativo do Auditório…

20181004_113737Uma bela escada de formato helicoidal permite o acesso aos andares superiores do edifício…

20181004_112339Na parte mais elevada da estrutura se construiu uma área ajardinada com amplas vistas desta zona da cidade.

20181004_11364820181004_113523Um dos principais materiais decorativos de todo o complexo da Cidade das Artes e das Ciências é a cerâmica, que embeleza cada detalhe componente dos edifícios.

20181004_113618Finalizo a matéria com outras fotos do Palácio das Artes Reina Sofía

20181004_11315920181004_101746

Cidade da Cultura de Galícia

No plano cultural, Santiago de Compostela têm muito a oferecer ao visitante, como capital da Comunidade da Galícia, em seus museus e centros culturais. Desde 2011, a cidade conta, inclusive, com um grande espaço difusor, chamado Cidade da Cultura de Galícia, situado a pouca distância do Centro Histórico, concretamente no alto do Monte Gaiás.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara sua realização, o governo galego organizou um concurso internacional, cujo projeto vencedor foi do arquiteto americano Peter Eisenman. Nascido em 1932, este teórico da arquitetura tornou-se um dos precursores da denominada Arquitetura Desconstrutivista, a partir da década de 80 do século passado.  As obras iniciaram-se em 1999, e os primeiros edifícios foram inaugurados em 2011.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO complexo reúne vários edifícios dedicados ao ócio e entretenimento, ainda que algumas das construções projetadas não foram construídas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cidade da Cultura de Galícia possui uma excelente biblioteca, salas de exposições e cinemas, além de museus relacionados à história e cultura galega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste ambicioso projeto construtivo é considerado um notável exemplo da Arquitetura Contemporânea, constituindo um curioso contraponto em relação aos edifícios históricos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADiversas exposições difundem a criatividade dos artistas galegos, nas mais variadas tendências artísticas, tanto pictóricas, quanto de escultura, entre outras manifestações.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Biblioteca….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe grande interesse arquitetônico e paisagístico são estas duas torres…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMinha visita à Santiago de Compostela está acabando, mas no próximo post publicarei meu último passeio pela cidade…

Ferrol Modernista

Outro aspecto importante a salientar da Arquitetura Urbana de Ferrol é a abundância de construções de Estilo Modernista existente na cidade.  O responsável pela introdução do Modernismo em Ferrol foi o arquiteto Rodolfo Uchoa Piñeiro (1882/1981), considerado um dos principais representantes desta corrente artística na Galícia. Suas obras mais destacadas correspondem a locais comerciais situados nas esquinas dos quarteirões, como o Hotel El Suizo, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAProjetado por Rodolfo Uchoa em 1913, este edifício segue os parâmetros do Estilo Eclético, mas com uma ornamentação modernista. Inicialmente, foi concebido como um edifício misto, com espaços residenciais e comerciais. Em 1916, transformou-se num hotel. Outra obra de Rodolfo Uchoa com características semelhantes é o Teatro Jofre, o mais famoso da cidade, originalmente projetado pelos arquitetos Faustino Domínguez e seu filho. As obras começaram em 1872, mas foi inaugurado apenas 20 anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1920, o Teatro Jofre foi reformado por Rodolfo Uchoa no Estilo Eclético em sua fachada, com toques modernistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto também estendeu seus projetos ao âmbito religioso, como a Capela da Mercé, de 1926. Encarregada pela Ordem dos Mercedários, apresenta uma rica combinação estilística, com elementos modernistas, e uma estrutura eclética com destaque para seu aspecto neogótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Mercado de Peixes de Ferrol (Pescadería), de 1923, destaca-se por sua bela fachada ornamentada dentro da corrente modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara satisfazer a necessidade de ócio da alta sociedade de Ferrol, Rodolfo Uchoa projetou em 1925 o Cassino de Ferrol, que também se insere dentro do contexto eclético com elementos modernistas na fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARodolfo Uchoa realizou, além do mais, projetos para residências familiares tipo chalet, como o Chalet Antón, considerado um monumento emblemático do Modernismo em Ferrol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Realizado entre 1918 e 1919, foi construído para o Alcalde de Ferrol Emilio Antón Iboleón, com um excepcional mirador hexagonal rematado por um grande capitel, além da incorporação de um grande mirador em sua parte lateral. Atualmente, o Chalet Antón funciona como um colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Modernismo de Rodolfo Uchoa não afeta a estrutura geral dos edifícios, nem sua parte interior, e sim o aspecto geral de suas fachadas, a incorporação da cor, além da variedade de materiais utilizados e sua parte decorativa executada no Estilo Modernista. Abaixo, vemos a Casa Romero, realizada pelo arquiteto entre 1909 e 1910.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs miradores também constituem um elemento destacável neste edifício, como o de formato retangular em sua fachada lateral, que vemos acima e, principalmente, pelo situado em sua esquina, de formas curvas. Observem os detalhes decorativos presentes na estrutura…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos outro detalhe de sua decoração baseada em motivos florais, algo típico do modernismo, que buscou sua principal fonte de inspiração na natureza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com a Casa Pereira II (1912), que impressiona pela riqueza ornamental de sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Terminal 4 – Aeroporto de Barajas

A primeira vez que pisei no solo de Madrid tive uma grande sensação de modernidade e de grande capacidade técnica relacionadas à sua Arquitetura Contemporânea, pois havia chegado à cidade pelo Terminal 4 do Aeroporto Adolfo Suárez-Barajas. Desde então, é uma grande satisfação para mim poder sair e entrar no país por esta belíssima obra arquitetônica.

20160502_140436O Terminal 4 (T4) e seu terminal satélite (T4S) começaram a ser  construídos em 2000 segundo o projeto do arquiteto britânico Richard Rogers (que recebeu o Prêmio Pritzker em 2007, considerado o Nobel da Arquitetura) em colaboração com o madrilenho Estudio Lamela. Inaugurado em 2006, esta última ampliação do aeroporto recebeu inúmeros prêmios nacionais e internacionais de arquitetura. Com 470 mil metros quadrados, o T4 transformou o Aeroporto de Madrid  no maior da Europa no quesito superfície de terminais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA concepção arquitetônica do Terminal 4 foi baseada na conjunção de vários fatores integrados em sua estrutura. O desenho deveria responder às exigências de economia energética e funcionalidade. A cobertura de forma ondulada é uma de suas principais características, tanto no interior, quanto no exterior do aeroporto.

20151028_12181520151028_12193220160502_140521As colunas colocadas em pares foram pintadas de várias cores diferentes, identificando as distintas zonas do terminal.

20151028_120558Outro conceito fundamental no projeto foi o aproveitamento de luz natural…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior do terminal a estrutura metálica do teto foi revestida com tiras de bambu que lhe proporcionaram uma aparência suave, em contraste com os tubos de aço das colunas que o sustentam.  O emprego de materiais simples tornou o ambiente interno atraente e tranquilo, contribuindo para a grande sensação de calma que sentimos no interior da construção.

20151028_122006O Terminal 4 está composto por dois edifícios, o terminal principal e o satélite (T4S), separados 1 km um do outro e comunicados por um trem elétrico sem condutor que realiza o trajeto entre ambos edifícios por uma galeria subterrânea. Por sua vez, o complexo do T4 está separado pelos demais terminais (T1, T2 e T3) por 2 Km, integrados por um serviço gratuito de ônibus de conexão entre eles.

20151028_12235820151028_122733O edifício principal possui 6 andares, três dos quais subterrâneos. Foi desenhado para alcançar a cifra de 35 milhões de passageiros ao ano, mas se espera que em 2020 chegue aos 70 milhões de passageiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs (as) brasileiros (as) que desejem conhecer Madrid podem optar pelas seguintes companhias aéreas, que possuem vôos regulares com cidades brasileiras, chegando ao Aeroporto de Barajas nos seguintes terminais:

1) Latam: SP-Guarulhos (Terminal 4)

2) Iberia: SP-Guarulhos e Rio de Janeiro-Galeão (Terminal 4)

3) Air China: SP-Guarulhos (Terminal 1)

4) Air Europa: SP-Guarulhos, Rio de Janeiro-Galeão, Salvador e Recife (Terminal 1)

El Capricho de Gaudí: Parte 2

Nesta matéria que encerra os posts sobre Comillas, veremos o interior da Vila de Quijano,ou se vocês preferirem, El Capricho de Gaudí. Seu proprietário, Máximo Díaz de Quijano, pouco pôde aproveitar de sua excepcional residência, pois faleceu com apenas 47 anos. A casa foi concluída em 1885, poucos meses antes de seu falecimento. Abaixo, vemos uma das poucas imagens existentes deste rico advogado, home culto, solteiro e amante da música (retrato realizado em data desconhecida).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA casa foi projetada por Gaudí em função de seus conhecimentos de geometria espacial, destinado a facilitar os processos construtivos e inspirada nas formas da natureza. A residência foi concebida para que a finalidade de cada estância estivesse de acordo com o movimento do sol. Abaixo, vemos o vestíbulo da casa…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGaudí dividiu os espaços da casa em setores públicos e privados, tendo como eixo central um invernadeiro (uma pequena estufa), para que Díaz de Quijano pudesse desenvolver uma de suas paixões, a botânica. De fato, o proprietário tinha a intenção de cultivar plantas exóticas no local. Feito de madeira e cristal, tinha também a finalidade de regulador térmico para as demais dependências da casa, ao irradiar nas horas noturnas todo o calor acumulado durante o dia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da morte do proprietário, o invernadeiro foi demolido pela outra família que adquiriu o imóvel para que se construísse outro quarto, já que no projeto de Gaudí constava de apenas um, pois Díaz de Quijano era solteiro. Em 1992, o invernadeiro foi reconstruído pelo arquiteto Luís de Castillo. Abaixo, vemos o detalhe de uma chaminé, situada na sala comedor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao comedor, Gaudí construiu um espaço com a função de fumador, de clara influência árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGaudí colocou as estâncias mais íntimas da casa sobre a fachada principal. Um corredor comunica as diversas dependências da casa…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO dormitório conforma a maior dependência da casa e foi situado na ala oposta à entrada, garantindo maior privacidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto concedeu uma grande importância à decoração dos tetos dos diversos espaços da construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o salão principal…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto importante da ornamentação proposta por Gaudí constituem os vitrais, como os que foram colocados no banheiro, cujos motivos representam a música e a jardinagem, as duas principais áreas de interesse de Díaz de Quijano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGaudí projetou também alguns móveis para a casa, como estes que vemos a seguir, situados na parte superior da residência…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço foi construído com uma curiosa estrutura de madeira, e também cumpre a finalidade de regulador térmico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto do terraço superior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terreno da Vila Quijano possui cerca de 2500 metros quadrados, suficiente para que Antoni Gaudí pudesse materializar toda sua criatividade e originalidade únicas. O famoso arquiteto foi homenageado pela prefeitura de Comillas, que concedeu seu nome a uma importante rua da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA