Santander

Esta foi a segunda vez que estive em Santander, capital da Comunidade da Cantábria. A primeira vez foi em 2012, e na época publiquei três matérias sobre a cidade: Pela Costa de Santander (26/4/2012), A Catedral de Santander (22/8/2012) e Belas Igrejas de Santander (1/7/2013). A partir de hoje, realizarei vários outros posts sobre esta que é uma das cidades mais importantes do norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom cerca de 170 mil habitantes, Santander é a cidade mais populosa da Cantábria. Possui um clima ameno durante todo o ano, longe dos extremos de temperaturas que se observam em outras regiões. É também uma das zonas mais chuvosas do país. Santander é considerada uma das cidades mais seguras da Espanha, com uma das taxas mais baixas de delitos entre todas as cidades espanholas. Mais de 70% da população ativa trabalha no setor de serviços, especialmente relacionados ao turismo, provocando uma forte dependência econômica do comércio e das atividades turísticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século IX, o rei Alfonso II fundou a Abadia dos Corpos Santos, edificada sobre o relicário que continha as cabeças dos Santos Emeterio e Caledonio, que foram parar no local vindo de Calahora (cidade da atual Comunidade da Rioja). Estes santos foram decapitados no século III durante a época romana, e as relíquias foram levadas à então vila para protegê-las da invasão muçulmana, ocorrida a partir de 711 dC. Ainda hoje podemos ver o relicário de prata na Igreja de Cristo, que também conserva um braço de San German.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1187, o rei Alfonso VIII nomeou o abade proprietário da zona e concedeu a vila um foro. Em 1248, Santander participou, junto com outras vilas situadas na costa do Mar Cantábrico, da batalha pela reconquista de Sevilha, recebendo como recompensa um escudo de armas com as imagens da Torre do Ouro e do Rio Guadalquivir, dois símbolos da cidade andaluza. No final do século XIII, as vilas costeiras de Cantábria fundaram a Hermandade das Vilas da Marinha de Castilla, com o objetivo de fortalecer o comércio marítimo com ingleses e flamencos. Em 1372, Santander se converte na Base Naval do Atlântico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1497, a peste matou 6 mil pessoas, de um total de 8 mil que viviam na cidade. No final do século XVI, novamente foi vítima de outra peste, que reduziu a população a somente 800 habitantes, de um total de 2500.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, Santander tornou-se uma diocese, e a igreja principal foi elevada à categoria de Catedral, fato que colaborou para a recuperação da cidade. Em 1755, Fernando VI concede o título de cidade. No princípio do século XIX, encabeça a lista dos portos mais importantes do norte da Espanha, registrando um intenso comércio com o continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa segunda metade do século XIX, se introduziu na Europa um novo conceito de ócio associado à saúde. Desta forma, surgiram várias cidades-balneário para o desfrute da classe aristocrática européia. Santander foi uma delas, com a criação do Balneário de El Sardinero, até hoje uma de suas zonas turísticas mais famosas. Santander se transforma na cidade predileta da corte para os meses mais quentes do ano, principalmente durante o reinado de Alfonso XIIIOLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, até 1900, seu desenvolvimento econômico esteve relacionado com as atividades comerciais com as colônias espanholas, favorecendo o aparecimento de uma burguesia mercantil que impulsionou o crescimento urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de estar situada na costa, seu relevo está formado por morros que pouco a pouco começaram a serem habitados. Por este motivo, existem escadas rolantes e elevadores para alcançar as partes mais altas da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o turismo é uma das principais fontes de renda do município, e muitos  estrangeiros e turistas nacionais chegam à cidade em busca de suas praias e monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês apreciem as matérias desta bela cidade espanhola, e que algum dia possam visitá-la…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Belas Igrejas de Santander

Antes de iniciar a matéria de hoje, gostaria de comentar a todos que recentemente foi publicado o post de número 300 do meu blog. Como uma forma de celebraçao, que divido com todos, decidi realizar um concurso denominado “Conhecendo Espanha”, em que todos podem participar. O concurso constará de 6 etapas, cada qual com 6 perguntas referentes ao patrimônio cultural e histórico-artístico de Espanha. Para participar é bem fácil, basta enviar um comentário com as respostas relativas às perguntas de cada etapa. A primeira etapa será realizada dia 5/7, na próxima sexta-feira, sendo que as perguntas, em sua grande maioria, sao do tipo teste. Os vencedores do concurso serao aqueles que acumularem a maior quantidade de pontos durante as 6 etapas (máximo de 36), e receberao em casa, via correio, um prêmio pela vitória. Espero pela participaçao de vocês e agradeço muito sua divulgaçao. Durante a semana, darei mais detalhes do concurso…

No post de hoje, veremos duas das mais belas igrejas da cidade de Santander, a capital da Comunidade de Cantábria. A primeira delas é a Igreja de Santa Lúcia, declarada Bem de Interesse Cultural em 1987.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada no coraçao histórico da cidade, o templo foi projetado pelo arquiteto madrilenho Antonio de Zabaleta entre 1852/1854. O pórtico recorda elementos da arquitetura romana, bem como dos templos paleocristaos (construídos durante a fase inicial do cristianismo), que tanto cativavam o arquiteto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construçao da igreja ocorreu num momento de esplendor  econômico da cidade, sendo até hoje um de seus monumentos mais destacados, nao só por sua arquitetura , mas também pelo fato de representar um dos poucos exemplos de  templos religiosos edificados nesta época, em todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAberta aos fiéis em 1868, o interior consta de uma grande e larga nave, cujo maior destaque fica por conta de sua cabeçeira, com um altar-maior realizado em mármore de Carrara, em que podemos observar o quadro de Santa Lúcia pintado por Paul Ratier, a finais do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Igreja do Sagrado Coraçao é um dos melhores exemplos da arquitetura neogótica de Santander. Foi inaugurada em 1890, com exceçao de sua torre, construída dez anos mais tarde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior destaca também a escultura do Sagrado Coraçao, esculpida em 1912, que vemos na imagem acima. A responsabilidade do projeto se deve ao arquiteto José María Basterra, e o templo pertene à Ordem dos Jesuítas. O que mais impressiona, porém, é o interior, cujas paredes estao totalmente decoradas com pinturas e frescos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs pinturas foram realizadas pelo artista alemao Enrique Immenncamp, que iniciou seu trabalho em 1926, finalizando-o em 1932. A igreja está sustentada por 12 pilares, que representam os 12 apóstolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs cenas representam episódios da vida de Cristo. A beleza e o colorido resultantes fazem com que a igreja seja muito solicitada para casamentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras fotos do interior desta belíssima igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Catedral de Santander

A Catedral da Asunçao de N.Sra de Santander foi construída entre os séc. XIII e XIV. Sua estrutura é gótica, embora tenha sido reformada e ampliada em épocas posteriores. Foi levantada sobre um antigo monastério e no princípio funcionou como abadia consagrada aos padroeiros da cidade, San Emetério e San Caledonio, conhecida como Abadia dos Corpos Santos.

O templo foi ampliado nos séc. XVI e XVII, com a inclusão de novas capelas. Em 1754 é criada a diocese de Santander, e o templo se converte em catedral.

Depois de sobreviver à Guerra Civil Espanhola, em 1941 um incêndio arrasou a cidade, ficando seriamente destruída e perdendo boa parte dos tesouros que acolhia em seu interior. Desta forma, se procedeu a sua restauração e ampliação entre 1942/1953, quando foi reinaugurada. Dita restauração foi realizada levando-se em conta as qualidades e estilos originais.

O conjunto consta de duas igrejas superpostas. A parte inferior, a mais antiga, denominada de Igreja de Cristo ou Cripta, foi iniciada a princípios do séc. XIII e está constituída por 3 naves. Toda a estrutura de arcos que possui sustenta o peso da planta superior, explicando sua estrutura robusta. Realizada no estilo de transição do Românico ao Gótico, nela estão depositados os restos dos Santos Mártires Emetério e Caledonio. Nesta parte do conjunto foram realizadas investigações arqueológicas, descubrindo-se os restos de um primitivo assentamento romano, entre os quais instalações termais e fortificações.

Já a parte superior foi inicida a finais do séc. XIII e princípio do XIV. De especial interesse é a portada, onde estão esculpidos por primeira vez os escudos de Castilla-León, depois da unificação de ambos reinos.

Em uma de suas capelas, encontramos o sepulcro do político e erudito Marcelino Menéndez Pelayo, nascido na cidade. A escultura é obra do artista Victorio Macho. Aos pés do sepulcro, uma inscrição  do famoso personagem diz:

“ Que lástima ter que morrer, quando ainda me faltava tanto por ler.”

O fresco pintado por José Cataluña é uma representação da construção da igreja velha, durante o reinado de Fernando III, “ El Santo “.

Abaixo, vemos uma foto do cimbório da catedral.

O claustro foi erguido quando a igreja já estava concluída, no séc. XIV. De planta trapezoidal, segue o estilo gótico do templo.

Nas imagens seguintes, observamos a Catedral de Santander à noite.

Finalizamos com uma foto da entrada à Igreja do Cristo, sua parte inferior.

Pela Costa de Santander

Santander é a bela capital da Comunidade de Cantábria, situada ao norte de Espanha.
Um dos seus grandes atrativos é caminhar pela magnífica orla, que oferece inesquecíveis vistas do mar Cantábrico, bem como o disfrute de muito dos lugares mais representativos da cidade.
Nosso itinerário inicia-se no Paseo De Pereda, uma extensa avenida  que acompanha o mar, formada por um conjunto de edifícios construídos desde finais do séc.XVIII a princípio do séc. XX, declarado conjunto histórico-artístico.
Esta via de comunicação felizmente não foi afetada pelo devastador incêndio que assolou santander em 1941, e uma das construções mais significativas é a sede do Banco Santander.

Imagem

Inicialmente, funcionava como hotel, mas em 1919 o imóvel foi comprado pela instituição financeira, que realizou várias reformas para sua instalação.
Um dos seus requisitos é que deveria respeitar a rua que o atravessa, utilizando-se, desta forma, a solução construtiva do arco.

Imagem

Na parte superior, 4 esculturas representam as artes, o comércio, a cultura e a navegação. De estilo neoclássico, foi concebido pelo arquiteto Javier González de Riancho.

Imagem

Bem em frente, encontramos o Jardim de Pereda, levantado sobre o antigo porto da cidade. Tanto o Paseo quanto o jardim estão dedicados ao novelista cântabro José Maria de Pereda. Em vários momentos, apreciamos estátuas e monumentos que enaltecem o caráter litorâneo e portuário da cidade.

Imagem

Imagem

A estátua dos chamado Raqueros é um ponto turístico de visita obrigatória, tanto pela beleza artística, quanto pelo seu significado. Feitas de bronze, representam a 4 meninos em posições diversas e que homenageam as crianças pobres e sem lar que, a finais do séc. XIX e princípio do séc. XX, mergulhavam ao mar, buscando incessantemente as moedas tiradas pelos turistas.
Imagem

Alguns quilômetros depois, alcançamos a famosa Península da Magdalena, que abriga o parque do mesmo nome, uma das áreas de ócio mais freqüentadas pelos habitantes da cidade e pelos turistas. Pelas maravilhosas panorâmicas que se pode contemplar e sua fantástica localização, esta área verde é uma atração por si só.
Imagem

O Palácio da Magdalena, encravado na parte mais alta do parque, é considerado um dos grandes monumentos da cidade. Construído no início do séc. XX por vontade e patrocínio popular, foi realizado para hospedar a família Real, convertendo-se, a partir de 1913, na residência de verão do rei Alfonso XIII. De estilo eclético, mistura influências francesas e inglesas, sendo o maior representante do denominado estilo regionalista Montanhês, característico de Cantábria. Atualmente, funciona como sede dos cursos da Universidade Internacional Menéndez Pelayo.

Imagem

Imagem

Além do palácio, o parque possui também um museu dedicado ao homem e ao mar, e um pequeno e curioso zoológico, com espécies das regiões polares.
Imagem

Imagem