Alarcón – Castilla La Mancha

Antes de começar o post de hoje, gostaria de convidar a todos (as) que visitem e sigam minha nova página no Instagram, conta umbrasileironaespanha. Já publiquei várias fotos de minhas viagens pela Espanha, e muitas outras serão publicadas com o tempo…

No final do ano passado realizei outra excursão com meus professores de história, que continuamente organizam passeios históricos por lugares de grande interesse e beleza. Passamos o dia visitando dois pueblos da Província de Cuenca (Comunidade de Castilla La Mancha), San Clemente e Alarcón, que merecem ser conhecidos por seu rico patrimônio histórico. O primeiro a ser visitado foi Alarcón, catalogado como Conjunto Histórico-Artístico desde 1981, por sua importância e conservação, além de estar localizado num lugar privilegiado, num espécie de canyon formado pelo Rio Júcar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO território onde situa-se este pueblo de apenas 150 habitantes esteve habitado desde a pré-história, como demonstram os achados arqueológicos encontrados, como cerâmicas da cultura celtíbera. No entanto, a vila de Alarcón entra para a história durante a ocupação islâmica, no final do século VIII. Os árabes, a quem se deve o nome do povoado, que significa fortaleza, construíram um grande castelo que integrava o conjunto de fortificaçoes de Alarcón. Sua história está intimamente relacionada ao castelo e sua condição de recinto militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO sistema defensivo desta grande fortaleza está composto por uma muralha que protegia a localidade e o castelo propriamente dito, além de outras 5 torres isoladas estrategicamente colocadas, e uma ponte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1184, o Castelo de Alarcón foi conquistado pelas tropas do Rei Alfonso VIII, depois de 9 meses de assédio, ampliando a fortaleza e transformando-a num impressionante baluarte defensivo. O capitão do exército, Fernán  Martínez de Ceballos, como recompensa pela façanha, recebeu o privilégio de ostentar o nome da vila em seu sobrenome, passando a chamar-se Fernán Martínez de Alarcón, dando origem a esta nova linhagem senhorial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADois anos depois da conquista do castelo, os reis castelhanos outorgaram um foro próprio à vila de Alarcón. Sua importância se comprova pela grande quantidade de outras aldeias que estavam submetidas a ela, mais de 60. Em 1194, passa a ser propriedade da Ordem Militar de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo princípio do século XIV, o Infante Don Juan Manuel recebeu do monarca Fernando IV o Senhorio de Alarcón, com o castelo incluído. Neste local, escreveu algumas de suas principais obras literárias. Um pouco depois, o Rei Pedro I retomou a vila como patrimônio real. No século XV, Alarcón foi cedida ao Primeiro Marquês de Villena, Don Juan de Pacheco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm fato crucial negativo para a história da vila e seu castelo foi o apoio dado pelo Marquês de Villeña a Juana de Beltraneja, em contra de sua tia Isabel la Católica, durante a guerra pela sucessão do trono do Reino de Castilla. Com a chegada ao trono de Isabel, paulatinamente a vila entra em decadência, e o Castelo se deteriorou, passando por um longo período de abandono. Abaixo, vemos a Torre de Homenagem, na qual o senhor recebia a vassalagem de seus servos. Era independente do resto da fortificação, e possuía um aljibe (depósito de água), dispensas variadas e um salão de armas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1966, o Castelo de Alarcón foi reabilitado como Parador Nacional, fazendo parte desta rede hoteleira que utiliza construçoes históricas para seus empreendimentos. Este fato gerou um novo impulso ao povoado, e o turismo se converteu numa atividade que revitalizou sua economia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

O Castelo de Trujillo

Desde a época árabe, Trujillo se converteu numa cidade protegida, graças ao seu valor estratégico. Em sua parte mais elevada, num cerro conhecido como “Cabeza del Zorro“, se levanta o castelo, uma fortaleza de grande valor defensivo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO castelo data dos séculos X e XI, e seu imponente aspecto destaca-se na paisagem urbana de Trujillo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA porta principal do castelo está formada por dois torres quadradas unidas por um arco de ferradura, elemento característico das construções muçulmanas. Na parte superior vemos uma imagem da Virgem da Vitória que, segundo a tradição, apareceu aos exércitos cristãos durante as batalhas contra os árabes, colaborando para a reconquista da cidade no século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto à imagem da Virgem se construiu, no século XVI, uma capela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO castelo é visitável, e vale a pena conhecê-lo e percorrer seu perímetro, principalmente por sua estrutura interna e as belas vistas da cidade que proporciona.

20181209_101206OLYMPUS DIGITAL CAMERASua parte mais antiga corresponde ao Aljibe Árabe, isto é, um local de depósito de água, fundamental em caso de assédio. Está situado em pleno pátio interior da fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPlataformas especialmente construídas possibilitam percorrer o perímetro da fortaleza…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos a muralha que rodeia o castelo e que integrava a estrutura urbana de Trujillo. Originalmente possuía 7 portas, das quais se conservam 4, além das 17 torres defensivas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com um sino, colocado na parte superior da fortaleza….

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Castelo de Medina del Pomar

O principal monumento de Medina del Pomar é seu robusto Castelo, que impressiona por suas dimensões e aspecto maciço.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído a partir de 1370 por Pedro Fernández de Velasco, que tornou-se o senhor de Medina del Pomar durante o reinado de Enrique II. Composto por duas grandes torres quadrangulares, unidas por um corpo central, é também conhecido popularmente como “Las Torres“, e foi concebido como palácio e fortaleza defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPedro Fernández de Velasco foi camareiro maior do Rei Enrique II e depois foi nomeado Condestable de Castilla, considerado o máximo representante do monarca durante sua ausência. Por este motivo, o castelo é denominado de “Alcázar de los Condestables“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVale muito a pena conhecê-lo por dentro, pois atualmente constitui a sede do Museu de História de Las Merindades, sendo reabilitado de maneira impecável para poder realizar esta nova função a partir de 2001.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1896, o castelo passou a ser propriedade da Prefeitura de Medina del Pomar e em 1931 recebeu a distinção de Bem de Interesse Cultural (BIC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu conta com 4 andares onde o visitante poderá conhecer a história desta maravilhosa região da Província de Burgos nos aspectos econômicos, jurídicos, administrativos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo do museu conta com documentos históricos de grande valor, como o manuscrito original de doação da vila a Pedro Fernández de Velasco, feito de pergaminho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo plano econômico, Las Merindades desenvolveram-se graças à agricultura e, principalmente, à pecuária. Abaixo, vemos instrumentos que foram utilizados nos campos da comarca e também um curioso calendário agrícola, formado por pinturas que representam as principais atividades realizadas em cada mês do ano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARestos arqueológicos encontrados fazem parte do acervo do museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro do recinto se construiu, inclusive, uma típica sala escolar de época antiga, que não difere muito das que existiam e que continuam existindo no Brasil. A única diferença são as carteiras, construídas para que dois alunos se sentassem juntos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro das antigas dependências do castelo, destaca o chamado “Salão Nobre“, que conserva o friso realizado no estilo mudéjar, composto pelo Escudo dos Velasco e por desenhos e adornos entrelaçados. Atualmente, é usado como local de conferências e celebrações nupciais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Castelo de Frías

Na parte mais elevada da cidade de Frías eleva-se seu imponente Castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste tipo de fortaleza é conhecida pelo curioso nome de Castelo Roquero, por estar encravado na rocha, sendo que o Castelo de Frías é considerado um dos mais espetaculares de seu gênero em toda a Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira menção ao Castelo de Frías remonta ao ano 867, mas seu aspecto atual data de finais do século XII e princípio do XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente este castelo teve uma clara função defensiva e de grande valor estratégico na luta contra os muçulmanos. Em 1446 foi cedido a Pedro Fernández de Velasco, que tornou-se o senhor da vila, apesar das revoltas populares contra ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos o Pátio de Armas, de formato quadrado e totalmente cercado por uma muralha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Torre de Homenagem, a parte principal da fortaleza, encontra-se separada do conjunto defensivo, pois foi construída sobre uma rocha proeminente, constituindo um panorama de grande beleza e singularidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe formato poligonal, ao longo de sua história a torre desabou três vezes, sendo que a última vez ocorreu em 1830, quando faleceram 30 pessoas. Do alto da torre as vistas de Frías sao realmente magníficas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto defensivo se complementava com uma ponte que cruza o Rio Ebro, construída no estilo românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta ponte constituía uma passagem obrigatória da via comercial que unia Castilla com a costa cantábrica. No século XIV se construiu uma torre para controlar o trânsito de mercadorias e a cobrança de impostos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima vemos a cidade de Frías desde a ponte, com a silueta do castelo ao fundo. A ponte medieval de Frías possui 143 m de comprimento e está composta por 9 arcos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente esta ponte é utilizada somente por pedestres, já que uma mais moderna foi construída ao seu lado para os veículos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Poza de la Sal – Parte 2

O povoado de Poza de la Sal esteve protegido, desde o século IX, por um castelo, situado na parte mais elevada da vila. No século XIV, a família Rodríguez de Rojas construiu a atual fortificaçao, erguida sobre a primitiva construção do século IX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua espetacular localização permite uma ampla panorâmica da comarca onde se encontra o povoado. Subimos uma pequena escada para visitar o interior do castelo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO desenvolvimento de Poza de la Sal esteve intimamente relacionado com a exploração de suas salinas, fato que começou a ocorrer já no período romano, convertendo-se num dos principais centros produtores de sal do norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste produto, indispensável para a conservação dos alimentos, foi também utilizado como forma de pagamento em épocas passadas, originando o termo salário. A importância estratégica do povoado, devido a existência das salinas, provocou a fortificação de seu núcleo urbano na Idade Média.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA produção de sal se realizava conduzindo a água dos mananciais através de uma rede de aquedutos até umas plataformas horizontais construídas em madeira e pedra denominadas Granjas, nas quais a água era distribuídas em parcelas retangulares chamadas Eras. A evaporação da água permitia o afloramento do sal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste imprescindível recurso natural em Poza de la Sal pertenceu a distintos proprietários, mas em 1564 o Rei Felipe II decretou o monopólio de sua extração, que se manteve em vigor até 1888. O sal explorado na região se deve a uma formaçao geológica denominada Diapiro. De formato circular, possui um raio de 2.5 km, sendo considerada a maior da Europa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1845, a vila contava com 3200 habitantes que exploravam o sal de suas salinas, quantidade bastante superior ao número de habitantes existente atualmente. A última salina fechou em 1974, quando a extração de sal foi abandonada na cidade. Em 2011, as salinas foram declaradas Bem de Interese Cultural (BIC) e iniciou-se um plano de restauração com finalidades turísticas. Um Centro de Interpretação foi inaugurado na antiga Casa de Administração das Reais Salinas, um edifício construído durante o reinado de Carlos III no século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEu e meu irmão Marcelo realizamos uma visita guiada pelo Centro de Interpretação, organizada por uma guia especializada no assunto, que nos contagiou com sua paixão pela cidade e a histórica salina. Seus profundos conhecimentos favoreceram a compreensão da importância do sal na história da vila e também no desenvolvimento da humanidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre Poza de la Sal com um curioso complexo de mananciais, aquedutos, lavadeiros e uma ponte que integram o patrimônio histórico do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Las Merindades – Parte 2

A zona norte da Província de Burgos, conhecida como Las Merindades, possui uma grande importância histórica, pois foi nesta região em que se mencionou, por primeira vez, o termo “Castilla“, no século IX. Esta referência se relacionava por um conjunto de pequenos territórios situados ao norte do Rio Ebro, que se converteu no núcleo original do antigo Reino de Castilla (Castela, em português). Dito território caracterizava-se pela abundância de construçoes defensivas, os castelos. Ainda hoje, é impressionante a quantidade de fortificações que ainda podemos contemplar. Um exemplo é a Torre dos Velasco, situada no povoado de Valdenoceda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA família dos Velasco dominou a região de Las Merindades durante um bom período de tempo, sendo que a torre que hoje observamos fazia parte de uma fortaleza construída entre os séculos XIV e XV. A torre possui 20m de altura e seus muros alcançam 1.80m de grossura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe grande originalidade é o Castelo de Cebolleros, por sua curiosa história. Esta fortaleza foi construída graças ao sonho de um habitante deste povoado chamado Serafín Villacán. Sua construção iniciou-se em 1978, mas 20 anos depois Serafín faleceu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua família se encarregou de que o sonho de Serafín se realizasse, continuando a obra seguindo sua metodologia construtiva, edificando o castelo pedra por pedra. Como podemos observar na foto, o projeto seguiu os preceitos da arquitetura medieval, com alguns toques modernistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém denominado Castelo de las Cuevas, seu interior está repleto de surpresas para o visitante, além de um bar, mas quando o visitei estava fechado…que pena !

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo comentei no primeiro post sobre Las Merindades, sua beleza natural é um convite para os adeptos do senderismo e dos esportes de aventura. Abaixo, vemos o Lago Azul, ideal para um bom banho, de preferência se as temperaturas colaboram…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA quantidade de cachoeiras é enorme, e eu e meu irmão Marcelo pudemos conhecer várias delas. Uma das mais conhecidas encontra-se num parque denominado Monumento Natural del Monte Santiago, cuja espetacularidade de sua paisagem constitui seu maior atrativo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma caminhada de cerca de 4 km (ida e volta) nos leva ao Salto do Rio Nervión, considerado o mais alto de toda a Península Ibérica. Suas águas se precipitam pelo Desfiladeiro de Delika a mais de 220m de altura. Lamentavelmente, nos meses de calor, época em que me encontrava no local, o rio está seco e não tive a oportunidade de  contemplar a cascata em todo seu esplendor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar disso, o passeio valeu a pena pela maravilhosa paisagem do entorno. Um mirante situado ao borde do precipício possibilita sua contemplação visual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao precipício pelo qual o rio lança suas águas, um casal de cabras passeavam tranquilamente, imunes ao perigo das alturas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASelecionei um vídeo no YouTube para que vocês possam contemplar o Salto do Rio Nervión em toda sua exuberância:

Villarejo de Salvanés – Comunidade de Madrid

No post anterior vimos a importância que a Ordem de Santiago teve na história da região sudeste da Comunidade de Madrid, sendo que algumas fortificações que pertenceram à ordem ainda podemos observar na paisagem da zona, como o Castelo de Fuentidueña de Tajo. Próximo à cidade tive o privilégio de visitar um lugar de beleza insólita, formada por um açude construído no Rio Tajo, ao lado de um antigo monastério do século XVII que também foi uma propriedade que pertenceu à Ordem de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConhecido como Açude de Buena Mesón, esta incrível obra de engenharia realizada durante a época de Carlos I e Felipe II (século XVI) reflete a maestria dos engenheiros alemães e flamencos que a realizaram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído em forma de “V”, seu objetivo inicial foi o aperfeiçoamento dos antigos açudes construídos pelos árabes, represando o Rio Tajo e oferecendo o desenvolvimento de atividades econômicas. Atualmente o açude compõem um magnífico cenário visual situado junto à vegetação de ribeira que podemos encontrar na Comarca de las Vegas, como se conhece esta região da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada a apenas 12 km de Fuentidueña del Tajo, o município de Villarejo de Salvanés possui muitas semelhanças com o povoado vizinho, pois também pertenceu à Ordem de Santiago. Prova disso é seu curioso castelo, melhor conservado que o de Fuentidueña del Tajo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA De seu formato original, se conserva em bom estado a Torre de Homenagem, que integrou uma fortaleza muito maior edificada no século XIV. Nela viveu o Comendador Maior da Ordem de Santiago. Esta torre constitui um caso único na história da arquitetura militar da Espanha, devido às 8 pequenas torres que se encontram adossadas à estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo foi construído a partir de uma antiga atalaia muçulmana, e foi reformado no século XV, quando adquiriu o curioso aspecto que possui atualmente. Fortaleza fundamental no controle militar da Ordem de Santiago, chegou a ser a sede do Tribunal Especial das Ordens Militares. Estava rodeado por um fosso e possuía, ao menos, 3 torres mais. Abaixo, vemos um plano arquitetônico do antigo castelo, realizado segundo as investigaçoes arqueológicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do Castelo de Villarejo de Salvanés, encontra-se a Igreja Paroquial de San Andrés Apóstol, construída no século XIV. Foi totalmente restaurada nos anos 80 do século XX, depois dos graves prejuízos que sofreu devido a Guerra Civil Espanhola e pelos efeitos causados por um terremoto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos os poderosos contrafortes de seu ábside….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento de interesse histórico do povoado, a denominada Casa de la Tercia foi construída pela Ordem de Santiago no século XV. Atualmente sedia o Museu Etnográfico, que enfatiza a tradição agrícola do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Toros de Villarejo de Salvanés é considerada um caso excepcional, pois foi construída pelos próprios moradores da cidade em 1965. Cada habitante aportou algo para a construção, como mão de obra, materiais construtivos, etc. Hoje em dia, os festejos taurinos constituem uma data especial da cidade, quando os touros percorrem as ruas do município até entrarem na praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA