Na Torre da Catedral de Ávila

A Catedral de Ávila é outra das atrações históricas da cidade, e foi tema de uma série de 3 posts, publicados nos dias 21, 22 e 23/01/2017. Considerada a primeira catedral de estilo gótico na Espanha, foi edificada como templo e como fortaleza, já que o ábside da construção constitui um dos cubos da própria muralha de Ávila, algo inédito nos edifícios catedralícios, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão se sabe com precisão quando começou a ser levantada. A teoria mais aceita diz que data de mediados do século XII, cujo projeto foi realizado por um mestre francês chamado Fruchel, coincidindo com o processo de repovoamento de terras castelhanas por Raimundo de Borgoña, genro do Rei Alfonso VI. A parte construída por Fruchel, correspondente ao altar maior da catedral, se insere no estilo românico de transiçao ao gótico. Posteriormente, outros mestres finalizaram as obras da catedral (naves, capelas e o remate das torres) já no estilo gótico. Abaixo, vemos a fachada principal da Catedral de Ávila e seu impressionante aspecto de fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vemos na imagem acima, se construiu apenas uma torre, a outra permaneceu inacabada. O primeiro corpo da torre campanário data do século XIII, assim como as naves da igreja. As bôvedas (teto) e o segundo corpo da torre campanário datam do século XIV. No século XV, finalmente se finaliza todas as obras da catedral. Abaixo, vemos uma foto de seu interior, destacando sua bôveda de crucería, característica da arquitetura gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta última vez que estive em Ávila com o Marcelo, a Cristina e o Ernesto, tivemos a oportunidade de subir no alto da torre campanário, um passeio imperdível que proporciona visitar lugares de uma catedral que normalmente estão fechados ao público. Antes de chegar na parte mais elevada da torre, pudemos contemplar umas excelentes vistas da nave central da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário possui 7 sinos (campanas, em espanhol), cada qual com seu nome de batismo, como “Maria Teresa”, “Platera”, devido à presença de prata em sua fabricação, ou “San Segundo”, em homenagem ao Santo Padroeiro de Ávila. Abaixo, vemos algumas delas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, uma foto da torre inacabada, que foi fechada com tijolos, mas que deixa à vista uma parte da construção de pedra…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita inclui um elemento que normalmente os visitantes não têm acesso, a estrutura de madeira construída como sustentação do telhado ou cobertura da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto curioso foi observar as diversas marcas de canteiros ao longo da construção. Estas marcas talhadas na pedra constituem uma espécie de assinatura dos trabalhadores que colaboraram na edificação da catedral. Cada um deles possuía uma marca diferente e, desta forma, podiam cobrar pelo trabalho realizado. As marcas de canteiros são habituais nas catedrais românicas e góticas. Abaixo, vemos algumas das que descobrimos no passeio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto que me surpreendeu está relacionado com o antigo ofício dos campaneiros. Na realidade, este termo se refere a dois ofícios tradicionais, designando aqueles responsáveis pela fabricação dos sinos (elaboração do molde e posterior fundição do metal) e também às pessoas que realizavam os toques das campanas. Sempre pensei de como seria a vida destes trabalhadores que executavam este trabalho de tocar os sinos e, na visita à torre, muitas perguntas foram respondidas. A primeira questionava onde viviam e o mais curioso, é que residiam na própria torre, ao nível dos próprios sinos. A torre da Catedral de Ávila conserva maravilhosamente a casa do campaneiro. De estilo castelhano humilde, parece incrível que se manteve intacta. Os campaneiros nela viveram até os anos 50 do século XX. A residência possuía sala, alcobas, cozinha com chaminé, banheiro, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA casa dos campaneiros foi construída aos pés da catedral, sobre a bôveda gótica. Para visitá-la, subimos os 113 degraus de uma escada em espiral, que salva a diferença entre o solo da catedral e sua cobertura. Nela se desenvolvia  a vida familiar dos campaneiros, sendo praticamente tarefa de todos seus membros realizar o toque das campanas, durante todo o dia. Frequentemente, o ofício passava de pai para filho, e as condições de vida eram extremamente duras, como nos explicou o guia que conduziu a visita. Em primeiro lugar, tinham que suportar um frio aterrador, numa cidade na qual as temperaturas normalmente atingem mínimas negativas, e muitos padeciam de doenças respiratórias. Além do mais, muitos campaneiros, depois de uma longa vida dedicada ao ofício, ficavam surdos com o forte som decorrente dos sinos. Em seus momentos de ócio, construíram pequenos jogos talhados nas pedras da torre (algo parecido com o atual jogo de damas), como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dificuldades de acesso a esta peculiar residência fizeram com que fossem criados mecanismos de abastecimento e comunicação com o mundo exterior. O sistema implantado na Catedral de Ávila se resume a uma corda atada a uma polea que se utilizava para para subir alimentos e água, além de outros objetos essenciais à vida, e para baixar tudo aquilo que já não servia. Abaixo, vemos o sistema desde o solo da catedral e em sua parte superior, junto à casa dos campaneiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos as campanas funcionaram como uma forma de comunicação social, anunciando festas, falecimentos e os atos litúrgicos, entre outros. O ofício de campaneiros data do período medieval em sua concepção atual. Atualmente, está em perigo de extinção com o desenvolvimento de métodos eletromecânicos para os toques de sinos e muitos aspiram que o toque manual seja declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. As campanas e seus variados sons constituem um maravilhoso universo, e seu estudo denomina-se Campanologia. Para saber mais sobre elas, ver as matérias publicadas em 6 e 7/3/2018, cujo tema foi o Museu das Campanas da belíssima cidade de Urueña, também situada na Comunidade de Castilla y León.

Anúncios

Caminhando pela Muralha de Ávila

Qualquer pessoa que tenha a oportunidade de conhecer a cidade de Ávila se impressiona por sua muralha, uma das estruturas de caráter defensivo de maior relevância em todo o continente europeu. A Muralha de Ávila foi o tema de dois posts publicados em 17 e 19/1/2017, e em minha recente visita com meus amigos brasileiros tivemos o privilégio de conhecer outra parte da estrutura que eu ainda não tinha visitado. Abaixo, vemos uma panorâmica da muralha, cuja foto foi tirada desde o chamado mirante dos Quatro Postes.

20160612_124733Esta incrível estrutura militar data do período românico, e segundo numerosos estudiosos é considerada a maior e mais conservada muralha desta época, sendo construída no final do século XI. De fato, trata-se da única construção defensiva da Europa Cristã que se conserva tal e como foi edificada originalmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi realizada logo depois que a cidade foi reconquistada pelo Rei Alfonso VI de Castilla, que encarregou seu genro Raimundo de Borgoña (casado com a Infanta D.Urraca, filha do monarca) que repovoasse a cidade e construísse a muralha. A construçao durou apenas 9 anos, de 1090 a 1099, e segundo a tradição o projeto foi realizado por dois mestres da geometria, o romano Casandro e o francês Florín de Pituenga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralha de Ávila possui 2516 metros de perímetro, estando composta por 87 torres e 9 portas de acesso. Seus muros possuem cerca de 3m de grossura e sua altura alcança os 12m. Seu perímetro exterior pode ser percorrido à pé, algo que recomendo, pois o passeio nos permite observá-la de vários ângulos diferentes e compreender sua real dimensão. O mais interessante é que se pode percorrer a parte mais elevada da estrutura, num percurso de cerca de 1700 metros (entrada de 5 euros). Abaixo vemos uma grande maquete da muralha…

20161120_125219A parte superior de uma muralha se conhece como Adarve, uma estreita passagem onde os guardas que a protegiam realizavam o denominado caminho de ronda. O trecho principal que se pode caminhar possui 1400m, e já tinha realizado diversas vezes. O trecho menor, de 300 metros, percorri por primeira vez com meus amigos. O caminho não é contínuo devido à presença da Catedral de Ávila, cujo ábside faz parte da própria muralha, algo realmente insólito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO passeio pelo Adarve proporciona belíssimas vistas da cidade intramuros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara que fosse construída se utilizou pedra de granito de cores negra e cinza, e alguns materiais procedem de uma antiga necrópole romana, além de edifícios civis e das anteriores muralhas romana e do período visigodo. Podemos admirar também as vistas exteriores da cidade, com muitas das igrejas românicas que integram o excepcional patrimônio histórico desta cidade castelhana, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos elementos de maior destaque da Muralha de Ávila é a Porta do Alcázar, formada por duas grandes torres semicirculares unidas por uma ponte, singular e única entre as muralhas européias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto esta porta, quanto a similar Porta de San Vicente, encontram-se situadas num terreno plano. Por este motivo, estavam mais expostas ao ataque inimigo, de forma que foram melhor fortificadas. Abaixo e acima,vemos fotos da Igreja de San Pedro, de estilo românico e situada numa praça onde se celebram os grandes eventos festivos da cidade, além do mercado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs muralhas constituem um aspecto fundamental do urbanismo das cidades medievais e historicamente contribuíram de forma decisiva na distribuição do espaço urbano entre os diversos grupos sociais que nelas viviam. Representavam a separação do mundo civilizado, situado no interior da muralha, com o mundo selvagem. No campo viviam os camponeses, a classe social menos favorecida, e sobre eles recaiam 80% dos custos da infraestruturas urbanas, como a manutenção da própria muralha. Incrível, verdade ?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Ávila

Ávila é uma cidade da Comunidade de Castilla y León cujo patrimônio histórico-artístico surpreende a todos (as) aqueles (as) que a visitam. Seu centro histórico encontra-se rodeado por sua inigualável muralha medieval. A cidade conta com inúmeras igrejas românicas, além de sua catedral com formato de fortaleza. Nela nasceu uma das santas católicas de maior importância dentro do cristianismo, Santa Teresa de Jesús, com abundantes lugares associados à sua vida. Recentemente retornei à Avila com um casal de amigos brasileiros, apaixonados pela Espanha, o Marcelo e a Cristina, que me apresentaram a um novo amigo, o Ernesto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANosso roteiro pela comunidade incluiu, além de Ávila, outra cidade imprescindível, a também histórica Salamanca. Em Ávila permanecemos um dia inteiro, e nos hospedamos num excelente hotel localizado ao lado da Catedral de Ávila, situado num dos inúmeros palácios nobres da cidade, outra de suas atrações históricas. O chamado Palácio de los Velada foi construído no final do século XV e início do XVI, e sua fachada inclui uma esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Palácios de Ávila foram o tema de vários posts publicados em 25, 26 e 30/1/2017, mas desta vez tive o privilégio de hospedar-me num deles, pois foi convertido em hotel depois de uma cuidada restauração e inaugurado em 1995. Abaixo, vemos o pátio, transformado num local onde pudemos degustar as delícias de sua cozinha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, outra imagem do interior do Palácio de los Velada, onde vemos alguns dos quartos do hotel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitamos nossa estadia para conhecer outros lugares que eu ainda não havia estado, como visitar os restos arqueológicos de fornos construídos no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes fornos históricos tinham a finalidade de fabricar cerâmicas, um objeto imprescindível na vida cotidiana de antigamente. A exposição do museu ressalta sua importância, junto com várias peças de distintos períodos históricos. Abaixo vemos  exemplares da época romana (séculos IaC – VdC), conhecidas como “Terra Sigillata“, de tonalidade vermelha e decoradas em relevo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, cerâmicas do período medieval (séculos XI ao XVI)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE cerâmicas modernas (XVI ao XVIII), uma época de grande prosperidade para Ávila, com uma grande quantidade de famílias nobres que se assentaram na cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO recinto arqueológico está formado por um espaço retangular de 16x7m, com três fornos de 2.30m de diâmetro, cujo formato circular se insere dentro da tipologia árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes fornos foram construídos num local pouco habitado da cidade intramuros, próximo ao Rio Adaja, que atravessa Ávila, como vemos a seguir junto com sua ponte medieval

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta fábrica onde o barro era cozido para a elaboração de cerâmicas permaneceu ativa até o século XVIII, quando esta atividade artesanal finalizou-se.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando a fábrica foi fechada, seu entorno foi preenchido com terra para a criação de uma horta. Os fornos foram descobertos em 1995, e depois de sua restauração com o objetivo de se inaugurar um museu, foi aberto ao público em 2014. A seguir, vemos fotos antigas que retratam a importância social das cerâmicas, bem como sua presença em obras pictóricas de pintores nascidos na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar os fornos, percorremos uma parte da muralha aberta à visitação em sua estrutura mais elevada e subimos à Torre da Catedral, algo inédito em minhas frequentes visitas à cidade, que vocês poderão apreciar nas próximas matérias…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Paseo de la Isla – Burgos

Burgos é uma cidade de tamanho médio, com cerca de 180 mil habitantes. Conta com um extenso patrimônio histórico e uma Catedral Gótica que foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Sua zona urbana possui uma interessantíssima área verde chamada Paseo de la Isla, que situa-se paralela ao Rio Arlanzón, que atravessa a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome se deve às pequenas ilhas situadas no rio. Antigamente, às margens do curso fluvial, os comerciantes que trabalhavam com a lã, produto histórico que propiciou o desenvolvimento da cidade, tinham seus lavadeiros. O desaparecimento desta atividade permitiu o ajardinamento da zona, que passou a constituir o Paseo de la Isla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderado um verdadeiro Jardim Botânico, possui cerca de 100 espécies diferentes de árvores, a maioria delas de procedência exótica. Está localizado fora das antigas muralhas medievais, pois no interior do recinto defensivo era impossível a existência de uma extensa área verde como esta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XIX, o Paseo de la Isla adquiriu características românticas, e diversos monumentos históricos foram trazidos para embelezar o jardim, como um arco renascentista, que vemos na foto acima e abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos apreciar uma pia batismal procedente da desaparecida Igreja de San Martín

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVárias fontes ornamentais decoram o local, como podemos ver a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um detalhe da fonte que vemos acima…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XIX se construiu uma pequena mas bela cascata…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstátuas de personagens históricos também podem ser vistas, além de exemplos da interessante arquitetura dos edifícios situados junto ao paseo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arco de Santa Maria – Burgos

Burgos é uma cidade monumental com uma grande quantidade de locais históricos para se conhecer. Um de seus monumentos mais emblemáticos é o denominado Arco de Santa Maria, a porta de entrada mais importante da antiga muralha medieval.

20150725_174931Esta belíssima estrutura comunica a Ponte de Santa Maria, situada sobre o Rio Arlanzón, que atravessa a cidade, com a Plaza del Rey San Fernando, local onde se ergue sua maravilhosa catedral gótica. Foi construído a partir dos séculos XIV, mas entre 1536 e 1553 foi reformada para receber o Imperador Carlos V em sua visita pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA reforma do Arco de Santa Maria foi realizada pelos arquitetos Juan de Vallejo e Francisco de Colonia, que conceberam um grande arco triunfal, distribuído como se fosse um retábulo feito de pedra. Finalizou-se com a incorporação de várias estátuas, realizadas pelo escultor Ochoa de Arteaga, que representam personagens de relevância do antigo Reino de Castilla, da própria cidade de Burgos e da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arco está presidido pela Virgem de Santa Maria, padroeira da cidade. Entre os personagens representados, destacam o herói castelhano El Cid, que viveu na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE o Imperador Carlos V

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a fachada posterior do arco, construída no século XIV…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Arco de Santa Maria foi a sede da Prefeitura da cidade até a construção da atual Casa Consistorial, erguida no século XVIII e situada na Plaza Mayor de Burgos. O mais interessante é que podemos visitar seu interior. Uma escada de origem medieval nos conduz à sala principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a sala principal, formada por dois níveis…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço está coberto com uma grande estrutura de vidro e decorada com o Escudo da cidade de Burgos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento decorativo de interesse é uma pintura mural realizada em 1971 pelo pintor José Vela Zanetti, nascido na cidade, e dedicada ao Conde Fernán González e a Independência do antigo Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1878 e 1955, o Arco de Santa Maria foi a sede do Museu Arqueológico da Província de Burgos. A seguir, vemos a Sala de la Poridad, de formato octogonal, onde eram realizadas as reuniões do Conselho de Burgos até 1780.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeus muros foram decorados com pinturas murais datadas do século XVI, que representam, entre outros, ao Imperador Carlos V e seu filho, Felipe II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala está coberta por um belo artesanato de estilo mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os diversos objetos históricos que conserva, destacam, entre outros, uma cadeira onde se sentavam os juízes de Castilla para impor a justiça…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE um osso de El Cid Campeador….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcolhe também um Museu de Farmácia, com uma interessante coleção de recipientes de cerâmica dos séculos XVII ao XIX, procedente do desaparecido Hospital de San Juan, considerada uma das mais importantes do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1943, o Arco de Santa Maria foi devidamente protegido por sua relevância histórica, ao ser declarado Monumento Histórico-Artístico Nacional. Atualmente, também é utilizado como Centro Cultural, onde se organizam diversas exposições temporárias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Hospital del Rey – Burgos

Nossa viagem por Castilla y León iniciou e finalizou-se em Burgos, capital da província homônima, e uma das cidades mais importantes do norte da Espanha. Estivemos dois dias na cidade, alugamos um carro para percorrer a Comarca de Las Merindades, e a ela retornamos para tomar um ônibus a Madrid.  Burgos foi o tema de uma série de várias matérias publicadas entre 28/9/2015 e 1/11/2015, quando publiquei posts relativos aos monumentos históricos mais importantes da cidade castelhana. Desta vez, pude mostrar a cidade a meu irmão Marcelo, e ainda conhecer lugares que não conhecia.

20150725_201436Burgos é uma das cidades fundamentais do Caminho Francês, o mais popular e famoso dos Caminhos que levam à Santiago de Compostela. Na Idade Média, o fluxo de peregrinos era intenso, de forma que foi necessária a construção de centros assistenciais para auxiliar àqueles que realizavam o caminho. Um dos mais importantes de toda a rota jacobea, o Hospital del Rey encontra-se na saída da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste hospital foi fundado pelo Rei Alfonso VIII de Castilla e por sua esposa Leonor no ano de 1195. Sua construção reflete a importância de Burgos na Idade Média, e desde sua fundação até o século passado esteve governado pelo Real Monastério de las Huelgas, situado próximo ao hospital (sobre este importante  monastério, ver a matéria publicada em 27/10/2015). Abaixo, vemos uma foto do monastério…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes de entrar no hospital, se construiu uma Ermita, dedicado a Santo Amaro, e um cemitério, onde os peregrinos  falecidos eram enterrados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Porta de los Romeros, a principal porta de entrada ao Hospital del Rey. Ao longo do tempo, o hospital foi reformado, e esta bela porta foi construída já no século XVI no estilo renascentista por Juan de Salas. A seguir, vemos duas fotos, de sua parte externa e também desde o interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, o Hospital del Rey chegou a contar com 87 leitos, um número considerável para a época. Sua excelente estrutura fez com que fosse considerado o melhor centro assistencial de todo o Caminho de Santiago. A igreja atual é barroca e data do século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA Se conservam, no entanto, elementos construtivos de época anterior, como este arco ojival…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil Espanhola do século XX (1936/1939), o Hospital del Rey foi utilizado pelo bando nacionalista como hospital das tropas marroquinas que integravam o exército de Franco. Se construiu, inclusive, uma mesquita, que infelizmente não se conservou.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o antigo hospital foi convertido na sede da Universidade de Burgos, onde se situa o Reitorado, uma Biblioteca e a Faculdade de Direito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFelizmente, sua parte histórica está protegida desde 1931, quando o Hospital del Rey foi declarado monumento histórico em 1931, na categoria de Bem de Interesse Cultural (BIC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Castelo de Medina del Pomar

O principal monumento de Medina del Pomar é seu robusto Castelo, que impressiona por suas dimensões e aspecto maciço.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído a partir de 1370 por Pedro Fernández de Velasco, que tornou-se o senhor de Medina del Pomar durante o reinado de Enrique II. Composto por duas grandes torres quadrangulares, unidas por um corpo central, é também conhecido popularmente como “Las Torres“, e foi concebido como palácio e fortaleza defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPedro Fernández de Velasco foi camareiro maior do Rei Enrique II e depois foi nomeado Condestable de Castilla, considerado o máximo representante do monarca durante sua ausência. Por este motivo, o castelo é denominado de “Alcázar de los Condestables“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVale muito a pena conhecê-lo por dentro, pois atualmente constitui a sede do Museu de História de Las Merindades, sendo reabilitado de maneira impecável para poder realizar esta nova função a partir de 2001.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1896, o castelo passou a ser propriedade da Prefeitura de Medina del Pomar e em 1931 recebeu a distinção de Bem de Interesse Cultural (BIC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu conta com 4 andares onde o visitante poderá conhecer a história desta maravilhosa região da Província de Burgos nos aspectos econômicos, jurídicos, administrativos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo do museu conta com documentos históricos de grande valor, como o manuscrito original de doação da vila a Pedro Fernández de Velasco, feito de pergaminho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo plano econômico, Las Merindades desenvolveram-se graças à agricultura e, principalmente, à pecuária. Abaixo, vemos instrumentos que foram utilizados nos campos da comarca e também um curioso calendário agrícola, formado por pinturas que representam as principais atividades realizadas em cada mês do ano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARestos arqueológicos encontrados fazem parte do acervo do museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro do recinto se construiu, inclusive, uma típica sala escolar de época antiga, que não difere muito das que existiam e que continuam existindo no Brasil. A única diferença são as carteiras, construídas para que dois alunos se sentassem juntos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro das antigas dependências do castelo, destaca o chamado “Salão Nobre“, que conserva o friso realizado no estilo mudéjar, composto pelo Escudo dos Velasco e por desenhos e adornos entrelaçados. Atualmente, é usado como local de conferências e celebrações nupciais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA