Cudillero – Asturias

Antes de deixar o Principado de Asturias, decidi conhecer uma típica vila costeira, tão abundantes na comunidade asturiana. O povoado escolhido foi Cudillero, um dos pueblos marinheiros mais famosos do principado.

20150724_125432Este pitoresco povoado desenvolveu-se nas ladeiras empinadas de 3 montes que circundam a região. Na realidade, Cudillero é hoje em dia um pequeno porto pesqueiro que atrai uma grande quantidade de turistas por seu caráter original e suas belas paisagens. No entanto, no passado chegou a possuir uma das frotas mais numerosas de Asturias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua existência está documentada desde o séc. XIII, e o povoado nasceu e cresceu em torno à atividade da pesca. Num passeio por suas ruas comprovamos este fato nos detalhes e na própria decoração de suas casas e estabelecimentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs habitantes de Cudillero são conhecidos como “pixuetos“, palavra originária do latim piscis, que significa peixe…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha visita ao povoado, tive a oportunidade de admirar uma curiosa exposição sobre os Hórreos e as Paneras, estas tradicionais construções, cujo significado e função vimos no post sobre o Museu do Pueblo de Asturias de Gijón, publicado no dia 1/9/2015. O interessante é que os objetos expostos foram feitos com rolhas de garrafas de sidra. Abaixo, vemos inicialmente os hórreos, com 4 suportes, e em seguida as paneras, com 6.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA zona onde se localiza a vila de Cudillero está repleta de belas praias e alcantilados. Infelizmente não pude conhecê-los, pois para tanto é necessário um carro, que no momento não dispunha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm complemento perfeito à visita é provar a deliciosa gastronomia local, evidentemente feita a base de pescado. Ao mesmo tempo, admirar sua tradicional arquitetura em singelas construções…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Centro Niemeyer – Avilés

Além de seu importante Centro Histórico, um dos principais objetivos de minha visita a Avilés era conhecer o Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer. A cidade se orgulha de possuir a única obra projetada pelo famoso arquiteto brasileiro na Espanha, e segundo suas próprias palavras, “a obra mais importante que realizei na Europa”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAReconhecido atualmente como um ícone cultural de Asturias, o Centro Niemeyer tornou-se um elemento fundamental para a transformação de Avilés, devido ao grande prestígio adquirido logo após sua inauguração em 2011. A partir de então, o número de turistas cresceu enormemente, convertendo a cidade num destino turístico do principado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1989, Oscar Niemeyer (Rio de Janeiro – 1907/Rio de Janeiro – 2012) recebeu o Prêmio Príncipe de Asturias por sua inovadora e ousada obra arquitetônica, sendo esta sua relação inicial com a comunidade asturiana. Situado no entorno da Ría de Avilés, a paisagem deste monumento contrasta com o centro antigo da cidade e sua parte industrial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAnos depois de ter recebido o prêmio, o arquiteto brasileiro entregou um projeto ao Principado de Asturias, em comemoração ao vigésimo quinto aniversário daquele que é considerado um dos principais incentivos culturais do país. Como ele mesmo disse, “Uma praça aberta ao mundo, um lugar para a educação, a cultura e a paz”. O Centro Niemeyer foi edificado como um elemento regenerador em uma zona anteriormente degradada e em pleno processo de transformação industrial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo dia de sua inauguração, Niemeyer contava com 103 anos e realizou um discurso televisionado desde Brasília e em seguida o cineasta americano Woody Allen ofereceu um concerto para mais de 15 mil pessoas no local. O diretor foi um dos colaboradores para que o Centro Niemeyer adquirisse o status que possui hoje em dia, bem como pela própria cidade, ao transformá-la no cenário de seu filme “Vicky, Cristina Barcelona“. O Centro Niemeyer conta com diversas partes diferenciadas e integradas ao mesmo tempo. Está composta por 5 edifícios independentes, cada qual com funções próprias, mas que se complementam dentro da estrutura geral do recinto. Todos eles se organizam em torno da chamada Praça, onde são realizados eventos culturais e recreativos.

20150723_094746O Auditório possui capacidade para cerca de mil espectadores, além de ser um espaço para exposições fotográficas e pictóricas. Nele, o arquiteto desenhou um mural com a silueta de uma mulher deitada, como podemos ver na primeira foto da matéria. Abaixo, vemos o iluminado interior do auditório.

20150723_104747A Cúpula é um espaço utilizado como museu e também como local para exposições diversas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Torre, um dos edifícios mais emblemáticos com seu formato circular e as habituais linhas curvas, acolhe um restaurante.

20150723_09544620150723_113404O conjunto  se completa com um edifício polivalente, com oficinas, salas de conferências, loja, bar, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs diferentes personalidades que visitaram o Centro Niemeyer fizeram com que o local se tornasse a instituição cultural espanhola com maior repercussão na mídia no ano de sua inauguração. Alguns anos antes, em 2007, foi criada a Fundação Centro Cultural Oscar Niemeyer do Principado de Asturias, encarregada da gestão do complexo e do desenvolvimento de projetos culturais. Por motivos mais que merecidos, Oscar Niemeyer tornou-se o padroeiro honorífico da instituição. O Centro Niemeyer é um lugar especial, que deve ser cada vez mais valorizado como uma das obras fundamentais deste arquiteto que contribuiu de forma inquestionável para o desenvolvimento da Arquitetura Contemporânea, e motivo de orgulho para todos nós, brasileiros…

Centro Histórico de Avilés – Parte 2

Continuando nosso passeio pelo Centro Histórico de Avilés, nesta segunda parte da matéria veremos outros monumentos e lugares de interesse, que converteram esta parte da cidade num dos núcleos históricos mais bem conservados do norte do país. Bem perto da Praça de Espanha se localiza a Igreja de San Francisco, que fazia parte de um antigo convento franciscano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEdificada em sua maior parte no séc. XIV, conserva em seu interior um importante arquivo paroquial que data de 1599. No final do séc. XVI se construiu um claustro adossado aos muros da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs franciscanos ocuparam o convento desde sua fundação, provavelmente no séc. XIII, até a Desamortização de Mendizábal em 1836. Em 1848, passou a ser a Paróquia de San Nicolás de Bari. Lamentavelmente, seu patrimônio artístico sofreu um duro golpe na Guerra Civil, e muitas de suas obras desapareceram ou foram queimadas. O templo foi restaurado em 1957. Possui uma fachada românica, que podemos ver na primeira foto acima, e outra gótica, que permite o acesso ao seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais construções barrocas do Principado de Asturias, o Palácio de Camposagrado foi construído no séc. XVII, e atualmente sedia a Escola Superior de Arte.

20150723_162451OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Palácio de Balsera apresenta um estilo completamente diferente, entre o modernismo e o ecleticismo, pois é uma construção de princípio do séc. XX. Declarado Bem de Interesse Cultural em 1991, o palácio destaca por sua esbelta e carregada decoração, e hoje em dia sedia o Conservatório de Música Julián Orbón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos espaços arquitetônicos mais singulares de Avilés é a popularmente conhecida como Praça do Mercado. Na realidade, seu nome oficial é Praça dos Hermanos Orbón e sua planta simétrica e totalmente rodeada por galerias a transforma num lugar realmente excepcional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída na segunda metade do séc. XIX, está cercada por estruturas de madeira e vidro que atuam como verdadeiros mirantes. Estas construções são sustentadas por colunas de ferro e o centro da praça está ocupada por um grande edifício, onde se estabeleceram os postos de vendas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAcabei me esquecendo de comentar que bem ao lado da Igreja de San Francisco encontra-se uma das fontes históricas da cidade, chamada precisamente de Caños de San Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConcluindo, Avilés possui uma grande quantidade de belos edifícios residenciais, alguns dos quais vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Centro Histórico de Avilés

No post de hoje e no próximo, veremos algumas das principais atrações turísticas do Centro Histórico de Avilés. Um bom ponto de partida é a Praça de Espanha, que desde o séc. XVII é o ponto de encontro dos habitantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça de formato assimétrico está presidida pelo Edifício do Ayuntamiento, construído no séc. XVII. No alto do edifício, vemos a torre com um barco, representativo da importância que o porto adquiriu no desenvolvimento de Avilés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitei a hora do almoço dos espanhóis para tirar estas fotos, que dão a impressão de um lugar deserto e sem vida. Nada mais longe da realidade. Depois que saciaram sua fome, os habitantes da cidade logo começaram a circular pelo centro, e o ambiente festivo da cidade começou a tomar conta da Praça de Espanha.

20150723_125332Abaixo, vemos uma foto antiga da praça…

20150723_163258Numa de suas laterais, encontra-se o Palácio Ferreira, uma das construções barrocas mais antigas da região. Desde sua construção no séc. XVII até 1974 serviu como residência do marquês que a habitou e de seus descendentes, além de ser a residência oficial da Família Real Espanhola em suas visitas à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada apresenta uma sóbria decoração, com o escudo do marquês no centro. Desde 2003, tornou-se propriedade da rede hoteleira NH, recebendo a ilustres personalidades do mundo artístico, como Woody Allen, Brad Pitt, Javier Barden, Penélope Cruz, entre outros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça de Espanha está interligada com as principais ruas do Centro Histórico de Avilés. Algumas delas conservam os suportes e galerias que antigamente davam proteção aos vendedores ambulantes nos dias de mercado, contra as inclemências do clima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm passeio deveras agradável é percorrer estas ruas, saboreando o ambiente histórico de suas construções…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhando sem pressa, encontramos lugares de grande beleza pela cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Avilés – Principado de Asturias

Avilés foi meu segundo destino turístico na recente viagem que fiz ao Principado de Asturias. Bastante próxima a Gijón, sua população supera os 80 mil habitantes, sendo a terceira maior de Asturias, depois da própria Gijón e da capital Oviedo. Esta cidade possui um especial interesse para nós brasileiros, graças a única obra existente na Espanha projetada por Oscar Niemeyer, que em breve veremos no blog. A história de Avilés está documentada desde o ano 1085, quando o rei Alfonso VI lhe concedeu o foro, sendo designada a partir de então como uma Vila de Realengo. Como consequência, recebeu inúmeros privilégios, como a permissão de poder celebrar feiras e um mercado semanal.OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o tempo, a cidade acolheu uma classe nobre, que deixou constância de sua passagem por Avilés com vários palácios que ainda se conservam. De fato, o centro histórico da cidade é um dos mais preservados do norte da Espanha, e foi declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1955. Em alguns lugares, por exemplo, pouco mudou como podemos observar numa foto antiga e o mesmo local atualmente, numa foto tirada por mim.

20150723_163855OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Porto de Avilés foi o responsável pela importância econômica e industrial da cidade, sobretudo devido ao comércio do sal e da indústria siderúrgica.

20150723_111835Abaixo, vemos algumas imagens atuais do porto. As fotos foram tiradas do Centro Niemeyer, que em parte podemos ver no lado direito da primeira imagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Centro Histórico de Avilés é facilmente percorrido à pé, e andar tranquilamente por suas ruas nos permite conhecer seu legado, que permanece vivo até os dias de hoje. Seu patrimônio monumental é rico e variado, englobando construções que vão desde o estilo românico até o modernismo, tanto no âmbito religioso, quanto no civil. O monumento mais antigo que se conserva é a Igreja dos Padres Franciscanos, cuja origem se remonta ao séc. XII.

20150723_164518O templo foi edificado inicialmente no Estilo Românico, como podemos observar na entrada principal acima. Posteriormente, foi alvo de ampliações nos períodos gótico e barroco. Antigamente, era conhecida como a Paróquia de San Nicolás de Bari, e foi dedicada a Santo Antônio de Pádua.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta igreja se encontra a tumba de Pedro Menéndez de Avilés (1519/1574), um explorador que tornou-se conhecido por ter sido o fundador da cidade mais antiga dos Estados Unidos, San Agustín, situada na Flórida. Abaixo, vemos sua portada românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAdossada à igreja, encontra-se a Capela Funerária dos Alas, uma rica família do lugar que construiu este singelo monumento no séc. XIV, no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro templo fundamental, também erguido durante o período românico, é a Igreja do Sabugo, construída no séc. XIII num antigo povoado de pescadores com este nome, que acabou sendo incorporado à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi reformada no séc. XVIII, sendo denominada também de Igreja de Santo Tomás de Canterbury. A seguir, vemos o ábside.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos grandes prazeres numa visita a Avilés é sentar em um dos inúmeros bares da cidade, provar a deliciosa sidra e comer saborosos pratos feitos de pescado. O Bar Terra Astur é um dos mais curiosos, pois podemos degustar suas delícias dentro de um tonel de sidra, literalmente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, vocês conhecerão muito mais de Avilés, uma encantadora e festiva cidade, que tive o imenso privilégio de conhecer…

Museu Ferroviário de Gijón

No meu último dia em Gijón pude conhecer um museu excepcional, onde fui recebido com muita cordialidade e cuja visita realmente valeu muito a pena. No post de hoje, vocês conhecerão o Museu Ferroviário de Gijón, considerado um dos melhores da Europa.

20150724_194451Inaugurado em 1998, o museu se encontra na antiga Estaçao del Norte, a mais importante da cidade na época de sua construção. Está formado por um grande complexo de mais de 14 mil metros quadrados, e sua coleção de máquinas, locomotivas, vagões, etc, é uma das melhores de todo o continente.

20150724_19583120150724_195947Durante minha visita, tive muita sorte, pois justo neste dia se celebrava uma jornada fotográfica no museu. As fotos não somente estavam permitidas em todo o recinto, como também eram estimuladas. Veremos, então, algumas das peças referentes do museu, como por exemplo, a antigo bonde (em espanhol, tranvía) que circulou por Gijón até 1964.

20150724_200836O primeiro bonde asturiano foi inaugurado em 1890 em Gijón. Em 1909, sua rede possuía 3 linhas, quando então foi eletrificada. Além dos veículos elétricos tradicionais, funcionavam também bondes interurbanos a vapor.

20150724_200917Podemos admirar locomotivas nacionais e estrangeiras, todas elas em um excelente estado de conservação. Construída em 1910, esta locomotiva a vapor belga esteve em funcionamento até 1975.

20150724_194730Uma locomotiva  a diesel fabricada na Alemanha em 1956…

20150724_200133Esta outra locomotiva, também a diesel, é de fabricação francesa. Construída em 1965, esteve operativa até 2003.

20150724_195045Em 1963, foram comprados algumas locomotivas americanas de segunda mão para modernizar o serviço aos viajantes, complementando os antigos vagões de madeira existentes. Fabricado em 1954, esta unidade funcionou como trem leve de segunda classe até 1983.

20150724_194958Abaixo, vemos um vagão de primeira e segunda classe, construído em 1912. Funcionou até 1977, e ignoro sua procedência.

20150724_194907Já este outro vagão foi construído na Espanha em 1928. Utilizado como vagão de terceira classe para viagens de longas distâncias, possuía inclusive calefação, um luxo para a época. Nos anos 50, passou a ser usado em trens para as localidades próximas (trem de cercanías).

20150724_195405O vagão abaixo foi fabricado em Bilbao em 1958, com o objetivo de substituir os modelos antigos.

20150724_200239Um vagão destinado ao serviço de correios…

20150724_195135Na sequência, vemos um veículo para o serviço de manutenção das linhas, usados em toda a Espanha e fabricado em 1965.

20150724_195723A máquina de fabricação espanhola mais antiga em funcionamento é este guindaste construído em Asturias em 1890, com um sistema de auto propulsão a vapor.

20150724_200419No museu podemos conhecer e apreciar objetos antigos que compõem uma estação ferroviária tradicional, como relógios, sistemas de comunicação, enfim tudo o que vocês podem imaginar associado ao mundo ferroviário. Abaixo, vemos os sistemas de vias existentes na Espanha.

20150724_201147Com esta pequena matéria sobre este museu exemplar, finalizo os posts sobre a cidade de Gijón. No entanto, a viagem ao Principado de Asturias prossegue, pois meu próximo destino, Avilés, é uma cidade encantadora e de especial interesse para nós brasileiros, pois nela se encontra a única obra realizada pelo arquiteto Oscar Niemeyer na Espanha.

Edifícios Art Decô – Gijón

Na primeira metade do séc. XX, graças ao desenvolvimento econômico de que foi protagonista, Gijón foi o centro, em Asturias, das chamadas correntes vanguardistas arquitetônicas que assolaram o continente europeu. A Art Decô foi uma das mais importantes, deixando uma grande quantidade de edifícios na cidade, que foram realizados neste estilo eminentemente decorativo, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO movimento Art Decô desenvolveu-se principalmente entre os anos 20 e 40 do século passado, tendo a sofisticação exterior e interior como um elemento referente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto Manuel del Busto e seu filho Juan Manuel foram os pioneiros desta estética na cidade. Em 1929, por ex., realizou este edifício, marcado por uma concepção racionalista em voga na Europa, provocando uma mudança de seu estilo, anteriormente regionalista, para um conceito moderno, através da Art Decô. Destaca o geometrismo da composição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro edifício, de caráter modernista, foi projetado pelo arquiteto em 1913…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo começo do séc. XX, a repercussão da arquitetura modernista catalã provocou um grande impacto e Gijón acabou brindada com alguns belos edifícios, como o de abaixo, construído em 1902 pelo arquiteto José Craner Prat, situado ao lado do edifício acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira etapa de Manuel del  Busto esteve marcada por uma arquitetura regionalista, como dissemos acima. Um exemplo vemos a seguir, onde a decoração de azulejos foi encomendada a Daniel Zuloaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO conhecido Café Dindurra, o mais antigo da cidade (1901), foi alvo de uma reforma nos anos 30, cujo teto e colunas foram inspirados na Art Decô, encargo que Manuel del Busto e o escultor Pepín Morán assumiram com grande competência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20150721_221849Também neste período projetou a Estação Rodoviária da cidade, obra pertencente a última fase do Movimento Art Decô, que passa a incorporar critérios racionalistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estilo foi adaptado a muitos outros tipos de construção, que proporcionaram glamour antigamente e mesmo hoje em dia, como neste bar à beira da praia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao bar vemos o Hotel Alcomar, cuja fachada apresenta uma decoração tipicamente Art Decô

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mesmo podemos dizer do Clube Náutico de Gijón

OLYMPUS DIGITAL CAMERANossa visita a cidade de Gijón está chegando ao fim. Antes, porém, de sua conclusão, veremos no próximo post um museu exemplar, que me impressionou muito, tanto pelo seu conteúdo, quanto pela amabilidade e simpatia de seus funcionários, o Museu Ferroviário de Gijón…até lá !!!