Tribunal das Águas de Valência – Patrimônio da Humanidade

A matéria de hoje está dedicada a uma das instituições mais veneradas pelos valencianos, cuja importância se reflete na declaração da Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, outorgada à cidade em 2009. O denominado Tribunal das Águas de Valência é considerado a instituição jurídica mais antiga da Europa, e seus habitantes se sentem orgulhosos disso. Sua finalidade é solucionar os conflitos derivados da utilização e aproveitamento da água entre os agricultores da comunidade.

20181004_163036Para entender sua importância, convêm mencionar que o Rio Turia, antes de entrar na cidade, distribui seu precioso líquido em 8 canais de irrigação principais, destinados aos campos de cultivo. Cada um deles constitui um sistema hidráulico próprio, cujas origens datam da época muçulmana, provavelmente do ano 960, durante o período conhecido como Califato de Córdoba. Em 1238, o Rei Jaime I, logo depois da reconquista da cidade, doou estes sistemas de irrigação aos camponeses, respeitando o chamado direito consuetudinário (que surge dos costumes de uma sociedade, não passando por um processo formal de criação de leis). O Tribunal das Águas está composto por 8 membros, também denominados síndicos, que representam cada uma das zonas de cultivo e que são indicados pelos próprios agricultores. Cada um dos membros é responsável por estabelecer a quantidade de água que cada região pode dispor e cada camponês deve acatar suas ordens, sob pena de severas multas. Vestem a tradicional roupa negra e se reúnem em conselho deliberativo e/ou executivo (em época de secas) todas as quintas feiras às 12:00 hs na Porta dos Apóstolos, cuja arquitetura gótica é uma dos principais atrações da Catedral Valenciana. Um dos síndicos é escolhido presidente, cujo mandato dura 2 anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1960, se celebrou o milenário do Tribunal das Águas. Ainda que existisse no período romano algo parecido, sendo que alguns historiadores postulam que é originário desta época, a organização atual do tribunal se remonta à fase muçulmana. Este fato é respaldado por alguns detalhes, como o dia em que se realiza a reunião do tribunal, uma quinta feira, um dia antes da sexta, considerado festivo para os muçulmanos. Também o local escolhido, a catedral, antiga mesquita da cidade.

20181004_163022Reconhecido por todas as ideologias, culturas e povos que configuraram a Comunidade Valenciana, o Tribunal das Águas foi igualmente respaldado pela atual Constituição Espanhola, em vigor desde 1978. Sua estrutura, a participação dos camponeses e a rapidez em que os problemas são resolvidos projetaram o tribunal ao âmbito internacional. Especialistas em direito de todas as partes do mundo o consultam como modelo nos diversos foros, conferências e associações relacionadas à utilização da água. No entanto, sua continuidade depende da  sobrevivência dos campos de cultivo da Comunidade Valenciana, principalmente de sua zona norte, ameaçados pelo crescimento desordenado dos empreendimentos imobiliários. Finalizo a matéria com uma foto de um quadro que retrata o Tribunal das Águas, que decora uma das salas do Palácio de la Generalidad, que vimos no último post.

20181004_161538

Anúncios

Palácio de la Generalidad – Valência

Durante nossa estadia em Valência, eu e meu irmão Marcelo tivemos a sorte de poder conhecer um edifício que normalmente se encontra fechado ao público, mas que abriu suas portas com o motivo da celebração do dia da Comunidade Valenciana, no início de outubro. O denominado Palácio de la Generalidad (Palau de la Generalitat, no idioma valenciano) é a sede do governo da Comunidade Valenciana, e situa-se em pleno centro histórico da cidade.

20181004_161945Considerado um símbolo das instituições políticas da comunidade, o Palácio de la Generalidad é um excelente exemplo da arquitetura gótica civil que podemos apreciar na cidade. Foi construído no século XV (1421) como residência nobre, e reformado no século XVI, quando incorpora também o estilo renascentista em sua fachada, com a construção de uma grande torre.

20181004_160500Formam parte da Generalidad as Cortes Valencianas, o Presidente da Comunidade e o Conselho. Seu antecedente histórico, do qual procede seu nome, foi a Deputação Geral, que surgiu na segunda metade do século XIV como uma comissao organizada pelas Cortes do antigo Reino de Valência, encarregada de cobrar o imposto chamado de generalidades.

20181004_161748Abaixo, vemos um detalhe da fachada…

20181004_160555O interior do edifício está formado por um belo pátio gótico, com uma escada construída em 1511.

20181004_160635Tivemos a oportunidade de conhecer as principais dependências do palácio, como a Sala Dourada, assim chamada pela cor do artesanato de estilo mudéjar que a decora.

20181004_16125720181004_161313A Sala dos Reis possui um interessante conjunto de retratos dos monarcas que governaram a Comunidade Valenciana. Também se conhece como a Sala da Capela devido ao pequeno espaço religioso que se situa em seu extremo.

20181004_16112220181004_161148O local mais interessante do palácio é a Sala Nova ou das Cortes, decorada em seu teto com um artesanato original de madeira do século XVI.

20181004_160811Além do mais, pinturas representativas dos diversos setores sociais (políticos, clero e classe militar) ornamentam suas paredes…

20181004_16085420181004_160837Ao longo de sua existência, o palácio foi a sede de várias instituições, como a Casa da Deputação do Reino de Valência (1421 a 1705), Real Audiência (1750 a 1923), Deputação Provincial (1923 a 1982) e finalmente sede da Generalidad a partir de 1982.

20181004_160714Em 1931, o Palácio de la Generalidad foi declarado Monumento Histórico-Artístico.

O Porto de Valência

Valência é uma cidade portuária de grande importância, fato que possibilitou seu desenvolvimento econômico ao longo dos séculos, transformando-a num dos principais centros comerciais do Mediterrâneo. Atualmente, o Porto de Valência é considerado o maior da Espanha e um dos maiores da Europa em relação a quantidade de mercadorias que por ele transitam anualmente.

20181003_122039Canaliza o transporte de praticamente qualquer tipo de mercadorias de todos os setores da economia, desde produtos alimentícios, químicos, máquinas em geral, automóveis, etc. O Porto de Valência converteu-se na base para vários tipos de cruzeiros pelo Mar Mediterrâneo e acolhe uma linha regular de barcos com destino a Itália, com paradas nas Ilhas Baleares.

20181003_113942O crescimento da atividade portuária no século XX possibilitou a construção de diversos edifícios de relevância arquitetônica, como o Edifício do Relógio, projetado em 1914 como estação marítima.

20181003_121750Outros edifícios que compõem a estrutura portuária receberam uma bela decoração modernista, como o que vemos abaixo.

20181003_122214Em 2007, com o motivo da celebração da Copa América de Vela, se construiu o edifício chamado Veles e Vents, projetados pelos arquitetos David Chipperfield e Fermín Vázquez, que passaram a integrar a marina local.

20181003_11422720181003_114303Atualmente, a zona portuária e a marina transformaram-se num agradável local de passeio da cidade, com bares, restaurantes, etc.

20181003_113504Várias esculturas embelezam o local, como La Pamela, do artista valenciano Manolo Valdés.

20181003_120135 Atrás da escultura, um grupo de edifícios me fez recordar as obras do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, principalmente suas estruturas de sustentação…

20181003_11532120181003_115609Uma série de esculturas eróticas, realizadas pelo artista Antoni Miró, gerou uma tremenda polêmica na sociedade valenciana. Inspiradas na cultura clássica grega, não deixa a ninguém indiferente…

20181003_11484020181003_11485520181003_115001Bem próximo ao porto localiza-se a principal praia urbana de Valência, e também a mais frequentada e famosa. A Praia de Malvarrosa é ampla e aberta, e possui toda a infraestrutura necessária para os banhistas. O Paseo Marítimo, construído no final do século XX, está repleto de bares, sendo recomendável para uma caminhada relaxada…

20181003_112108Inicialmente um local de pesca e de intercâmbio comercial entre as cidades próximas a Valência, com o tempo transformou-se num dos lugares preferidos para o descanso da burguesia local. Entre seus ilustres frequentadores, destacam dois personagens de renome internacional nascidos em Valência, o pintor Joaquín Sorolla (1863/1923) e o escritor e político Blasco Ibáñez (1867/1928).

20181003_110748

 

Igreja de San Nicolás – Valência

Em pleno Centro Histórico de Valência situa-se um dos templos mais belos da cidade, a Igreja de San Nicolás e de San Pedro Mártir. Recentemente, quando estive na cidade, tive a oportunidade de conhecê-la por primeira vez e admirá-la tanto sua parte exterior, quanto seu magnífico espaço interno.

20181004_144531O local onde a igreja se situa sempre foi, ao longo dos séculos, um espaço sagrado. Já em época romana, havia um templo, que foi substituído por uma mesquita durante a dominação muçulmana. Com a reconquista efetuada pelo Rei Jaime I no século XIII, a mesquita foi consagrada como uma paróquia cristã e entregue a Ordem Dominicana, que batizou o templo em homenagem a San Nicolás de Bari. Anos depois, a ordem decidiu incorporar a titularidade da igreja a San Pedro Mártir, considerado o primeiro santo mártir dos dominicanos.

20181004_144658No século XV, chamado de Século de Ouro Valenciano, a igreja foi reconstruída e ampliada, adquirindo o aspecto gótico que possui atualmente. Desta época, se conserva a portada exterior, que vemos nas imagens acima. Esta reforma ocorreu durante o governo eclesiástico do Bispo Alfonso de Borja, que se tornaria cardeal e posteriormente Papa com o nome de Calixto II.

20181004_144603Durante o período da Contrarreforma, no final do século XVII (entre 1697 e 1700), a igreja foi reformada no estilo barroco.

20181004_143337Todo o interior do templo foi coberto por um excepcional conjunto de pinturas (quase 2 mil metros quadrados), realizado pelo pintor Dionís Vidal, discípulo do grande Antonio Palomino (1653/1726), considerado um dos maiores teóricos da arte na Espanha, além de ter sido nomeado pintor de câmara do Rei Carlos II.

20181004_143349As pinturas foram realizadas na própria estrutura gótica do templo, e representam episódios das vidas dos santos titulares, San Nicolás e San Pedro Mártir. Conhecida como a Capela Sixtina Valenciana, a Igreja de San Nicolás é considerada um dos melhores exemplos da combinação do estilo gótico com a decoração barroca.

20181004_14383520181004_144022O interior da igreja possui nave única e 6 capelas de cada lado…

20181004_14430620181004_143555San Nicolás viveu no século IV, e foi Bispo de Mira, na atual Turquia. Devido às invasões otomanas, seus restos foram levados à cidade italiana de Bari, onde se encontra seu sepulcro. Protetor da infância e da família, também é invocado em momentos de dificuldades financeiras. Abaixo, vemos seu busto, situado junto ao altar maior da igreja.

20181004_143733San Pedro Mártir viveu no século XIII. Pertencente à Ordem Dominicana, nasceu em Verona, Itália, e faleceu em 1252. Abaixo, vemos o órgão da igreja…

20181004_143720A igreja conserva importantes obras artísticas, como este retábulo que representa o Calvário de Cristo, realizado pelo pintor Rodrigo de Osona em 1476, um exemplo da transição do gótico ao renascimento.

20181004_144211No século XIX, foram realizadas algumas reformas na parte exterior da igreja, no estilo neogótico

20181004_144612Finalmente, em 1981, a Igreja de San Nicolás de Valência recebeu, merecidamente, o título de Monumento Histórico-Artístico.

O Hemisférico de Valência

O denominado Hemisférico é outro dos edifícios que compõem o  complexo da Cidade das Artes e das Ciências de Valência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi o primeiro a ser inaugurado e aberto ao público, em 1998. Seu projeto também se deve ao famoso arquiteto Santiago Calatrava, que realizou um desenho inspirado no olho humano. Abaixo, vemos o Hemisférico, junto com o Palácio das Artes Reina Sofia

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta espetacular construção funciona como um planetário, uma enorme sala de projeções e também um Cine IMAX. Encontra-se situado sobre um lago artificial de cerca de 24 mil metros quadrados e sua cobertura possui mais de 100 m de comprimento.

20181004_121228Oferece projeções digitais com representações astronômicas e espetáculos de entretenimento, a maioria de índole científica e tecnológica.

20181004_120914Assitir aos espetáculos constitui uma incrível experiência, pois sua tela possui 900 metros quadrados…

20181004_12102320181004_121113Para poder conhecer o complexo da Cidade das Artes e das Ciências e todos seus edifícios é necessário reservar um dia inteiro, pois são inúmeras as atrações existentes (Hemisférico, Palácio das Artes, Pavilhão Príncipe Felipe e Museu Oceanográfico, entre outros…).

20181004_120927O Hemisférico conta também com uma cafeteria e um restaurante…

20181004_122153Finalizo a matéria com fotos da parte externa do complexo, decorado com os chamados Trencadís, técnica decorativa feita com cerâmicas e azulejos, que tornou-se conhecida através dos projetos realizados pelo arquiteto Antoni Gaudí

20181004_12475420181004_124844

Palácio das Artes Reina Sofía – Valência

O complexo da Cidade das Artes e das Ciências de Valência é considerado uma das grandes façanhas da Arquitetura Contemporânea realizada no final do século XX e início do XXI na Espanha. Seus arrojados projetos construtivos contribuiram de maneira decisiva para a revitalização cultural que se produziu na cidade a partir de sua inauguração, gerando milhares de novos empregos e um grande desenvolvimento econômico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACada edifício que compõem o conjunto é uma obra de arte arquitetônica, que maravilham as milhares de pessoas que o visitam diariamente graças à complexidade de sua estrutura. Dentre todos os edifícios, o Palácio de Artes Reina Sofía é o que mais impressiona por sua forma e beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetado pelo renomado arquiteto valenciano Santiago Calatrava e inaugurado em 2005.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20181003_165444O Palácio de Artes Reina Sofía é também conhecido como o Teatro da Ópera de Valência e sede da Orquestra da Comunidade Valenciana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma extensa programaçao cultural é realizada anualmente no Palácio, com espetáculos teatrais, ballet, concertos de música clássica, etc. Em caso de que não seja possível presenciar algumas destas atividades, o visitante poderá admirar seus detalhes arquitetônicos através de visitas guiadas que se relizam pelo interior.

20181004_11141720181004_112332Possui 4 grandes salas, sendo a principal dedicada a Ópera e a Música Clássica. O Auditório, com capacidade para 1500 espectadores, realiza também comícios e reuniões políticas.

20181004_113931Abaixo, vemos um detalhe decorativo do Auditório…

20181004_113737Uma bela escada de formato helicoidal permite o acesso aos andares superiores do edifício…

20181004_112339Na parte mais elevada da estrutura se construiu uma área ajardinada com amplas vistas desta zona da cidade.

20181004_11364820181004_113523Um dos principais materiais decorativos de todo o complexo da Cidade das Artes e das Ciências é a cerâmica, que embeleza cada detalhe componente dos edifícios.

20181004_113618Finalizo a matéria com outras fotos do Palácio das Artes Reina Sofía

20181004_11315920181004_101746

Museu Oceanográfico – Valência

Depois de conhecer a maravilhosa Província de Burgos, eu e meu irmão Marcelo decidimos visitar Valência, uma cidade que já havia estado antes, mas que meu irmão não conhecia. A terceira maior cidade da Espanha foi o tema de uma grande série de posts publicados entre 24/3 e 12/5/2017. Desta vez, aproveitei para conhecer lugares novos, como o Museu Oceanográfico, que faz parte do espetacular complexo da Cidade das Artes e das Ciências (posts publicados em 8/5 e 9/5/2017).

20181003_154935Este impressionante complexo cultural produziu uma grande revitalização urbana, e conhecê-lo é obrigatório numa viagem a Valência. Das duas vezes que lá estive, contemplei sua espetacular arquitetura desde o exterior, mas desta vez tivemos a oportunidade de realizar visitas guiadas pelos edifícios que o integram. O Museu Oceanográfico, por exemplo, foi projetado pelos arquitetos Félix Candela e José María Tomás Llavador, constituindo um excelente passeio para todas as idades.

20181003_135904Inaugurado em 2003, o Museu Oceanográfico de Valência é considerado um dos melhores da Europa, com cerca de 110 mil metros quadrados de área construída.

20181003_132058Está composto por várias construções que representam diversos ecossistemas marinhos, como o Mar Mediterrâneo, mares e oceanos tropicais, ambientes frios como o Ártico, etc.

20181003_13472520181003_135542Mais de 40 mil animais, de 500 espécies diferentes, vivem no maior aquário da Europa. Entre outros, podemos observar tubarões, morsas, baleias beluga, etc, etc.

20181003_13542920181003_132722A sensação de percorrer os túneis existentes no aquário é maravilhosa, pois uma infinidade de peixes, mamíferos e invertebrados nos rodeiam inteiramente…

20181003_153711A água salgada do aquário é bombeada diretamente da Praia de Malvarrosa, uma das mais frequentadas e famosas da cidade.

20181003_143121Várias espécies de aves também podem ser observadas no museu….

20181003_133829O local possui um curioso restaurante submarino, com um aquário circular que o envolve…

20181003_14273920181003_142626O Museu Oceanográfico conta também com um delfinário, com apresentações destes inteligentes animais, os golfinhos…

20181003_14041720181003_140749Como atração opcional, existe a possibilidade de presenciar projeções de Cinema 4D…

20181003_141355Finalizo a matéria com outras fotos do Museu Oceanográfico de Valência. A entrada para adultos custa 30 euros e sua visita é mais que recomendável…

20181003_16325920181003_132445