Pamplona – Navarra

Situada no norte de Espanha, Pamplona é a capital da Comunidade Foral de Navarra.

A cidade foi fundada em 74 aC pelo general romano Pompeyo, sobre um povoado pré-existente chamado Iruña, nome do idioma euskera pelo qual também é conhecida  atualmente. Logo, a cidade se converteu num dos povoados mais importantes dos territórios dos vascones. Foi ocupada por visigodos e árabes e no séc. IX se tornou capital do Reino de Pamplona e, durante a Idade Média, no Reino de Navarra.

Em 1423, o rei Navarro Carlos III ditou o Privilégio da União, mediante o qual Pamplona, até então formada por 3 burgos independentes (Navarrería, San Saturnino e San Nicolás), se unifica ao redor da prefeitura, acabando com séculos de conflitos. A Casa Consistorial se localiza exatamente na confluência destes antigos burgos. Do seu aspecto original não sobrou nada, e sua parte mais antiga é a fachada reformada no séc. XVIII, numa combinação de elementos barrocos e neoclássico.

Localizado no centro histórico da cidade, de seu balcão iniciam-se, com o lançamento de um foguete (chupinazo), as festas de maior projeção internacional da cidade, o San Fermín.

Celebradas entre os dias 6 e 14 de julho, sua fama é um fenômeno recente, vinculado à difusão dada ao evento pelo escritor Ernest Hemingway, em sua novela “Fiesta”. As festividades homenageiam a San Fermín, padroeiro de Navarra e da diocese de Pamplona. Segundo a tradição, Fermín, filho do senador Firmus, que governou a cidade no séc. III, se converteu ao catolicismo e foi batizado por San Saturnino.

Uma de sua principais atividades é o encierro, com séculos de antiguidade. Consiste numa corrida de touros, realizada em plena rua e num trajeto de 800m, que culmina na Praça de Touros da cidade. Durante o evento são comuns as graves lesões e, inclusive, foram registradas 15 mortes desde 1922, principalmente de turistas embriagados, que pensam que fugir de um touro de 700kg é a mesma coisa que fugir de um cachorro bravo.

Em 1512, Pamplona foi anexada à coroa espanhola, ao ser ocupada pelas tropas do rei Fernando Católico. A parir do séc. XVI, tornou-se um baluarte de defesa contra as invasões francesas. A cidadela, um recinto fortificado de estilo renascentista construída em 1571 pelo rei Felipe II, fazia parte deste sistema defensivo. Situado no centro da cidade, possui planta pentagonal e se converteu atualmente numa das áreas verdes preferentes dos habitantes da cidade.

A Praça do Castelo é o principal ponto de encontro da cidade, e seus edifícios representam uma variada combinação de estilos.

O café Iruña, situado na praça, é um dos locais preferidos para tomar uma cerveja, comer umas tapas e bater papo.

Durante a Idade Média, Pamplona possuía uma esplêndida catedral românica. Em 1317, decidiu-se construir um claustro novo, adossado ao templo românico. Durante sua construção,em 1389, a igreja ruiu e foi necessária sua reconstrução, também no estilo da época, o gótico.

Na Catedral de Santa Maria ainda podemos contemplar o claustro do séc. XIV, um dos mais belos da Europa realizados nesta época.

Das diversas portas de acesso que possui, a denominada Porta Preciosa está belamente esculpida. Construída entre 1350/1360, comunica o claustro com o dormitório dos canônigos. Seu nome se explica porque o clero, quando entravam no dormitório, o realizavam em procissão litúrgica, cantando um salmo de louvor à Virgem que começava com este adjetivo. No tímpano, vemos talhadas cenas da vida da Virgem.

No interior, destacamos o mausoléu dos reis navarros Carlos III e sua esposa Leonor. Foi executado entre 1413/1419 pelo escultor flamenco Johan Lome de Tournay, em alabastro.

No presbitério, vemos a imagem românica de Santa Maria la Real.

O teto está formado por bôvedas de crucería, típicas do estilo gótico.

No exterior, a fachada pertence à época neoclássica, realizada por Ventura Rodríguez no séc. XVIII. A catedral representa o conjunto gótico mais importante da comunidade.

Outro monumento religioso de importância é a Igreja de San Saturnino, localizada próxima à Casa Consistorial. Inicialmente construído no estilo românico (séc. XII), foi reedificada no século seguinte em estilo gótico. Além de ter sido centro religioso do burgo medieval, cumpria também a função de defesa militar, numa época de habituais disputas com os demais burgos. O fato se comprova pelo aspecto da torre, mais parecida a uma fortaleza.

Abaixo, vemos o decorado tímpano da portada principal.

A cidade de Pamplona é atualmente o centro financeiro, comercial e administrativo da comunidade, além de ser sua cidade mais populosa, com cerca de 200mil hab. Possui invejável qualidade de vida, e sua renda per capita é bastante superior á média espanhola e da Uniao Européia.

Pamplona faz parte da segunda etapa do Caminho de Santiago, da rota de peregrinos procedentes de Roncesvalles.

Anúncios