O Encierro de Pamplona

Um dos espetáculos taurinos mais conhecidos dentro e fora da Espanha, o Encierro de Pamplona é uma das festas mais populares do país, reconhecida como de Interesse Turístico Internacional. Os chamados Encierros constituem uma festa em que os touros correm pelas ruas das cidades e dos povoados do país, acompanhados por uma multidão de corajosos e, muitas vezes, inconsequentes cidadãos. Normalmente, finalizam o trajeto dentro da praça de touros da localidade. Abaixo, vemos uma foto antiga de um encierro realizado num povoado da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Encierro de Pamplona, capital e maior cidade da Comunidade de Navarra, realiza-se dentro do conjunto de festividades em honra ao padroeiro de Navarra, San Fermín, motivo pelo qual são também denominados Sanfermines. As festas começam com o lançamento de um pequeno foguete chamado chupinazo, que se organiza desde o balcão do edifício sede da Prefeitura de Navarra, às 12:00hs do dia 6 de julho. A multidão que se concentra na praça situada em frente ao Ayuntamiento aguarda ansiosa e com muito ruído o começo da festa. Abaixo, vemos o belo edifício do Ayuntamiento de Pamplona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO encierro propriamente dito realiza-se pelas ruas do centro histórico da cidade, num trajeto de 849m, e os touros e os milhares de acompanhantes finalizam o percurso na Plaza de Toros de Pamplona, onde depois se organiza uma corrida de touros com os animais que participaram do encierro. Apesar de ser um espetáculo antigo, sua fama mundial é recente, divulgada ao mundo graças ao escritor americano Ernest Hemingway depois do lançamento de seu primeiro  livro de importância em 1926, intitulado “Fiesta” em espanhol e “The Sun Also Rises“, no original em inglês. Abaixo, vemos um monumento em Pamplona que homenageia o esperado acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua origem é medieval, estando relacionada com três fatos, os atos religiosos em honra a San Fermín, realizados antes do século XII, as feiras comerciais e as touradas, documentadas em Pamplona desde o século XIV. Na Idade Média, os pastores navarros traziam os touros dos campos até a Plaza Mayor de Pamplona, que servia de coso taurino, ao não existir então um local apropriado para as touradas. Na noite anterior à tourada, acampavam próximo à cidade e, ao amanhecer, os touros eram levados e acompanhados por gente que montados a cavalo ou à pé, ajudavam a que os animais fossem colocados nos currais (foto abaixo de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do século XIX, as pessoas começaram a correr dos touros pela parte dianteira, ao invés de atrás, como habitualmente se realizava antes, transformando-se num costume popular. Antigamente a tradição se chamava “Entrada” e em 1856 passou a denominar-se “Encierro“. Durante a festa, a população da cidade, de aproximadamente 200 mil habitantes, se multiplica por 5 com a chegada de turistas estrangeiros. Muitos deles, depois de criar coragem com uma boa quantidade de cerveja, decidem correr junto aos touros, e os acidentes são inevitáveis…(foto de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde que existem registros oficiais, a partir de 1924, se contabilizam o falecimento de 15 pessoas no Encierro de Pamplona. Os touros realizam o trajeto em cerca de 4 minutos aproximadamente, estando proibido maltratar o touro durante o percurso, como puxar o rabo, subir em cima dele, etc. Os 6 touros participantes são acompanhados por outros 6 animais mansos que servem de guias para os demais e também para tranquilizar os touros bravos (foto abaixo de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo filme “Dia e Noite“, de 2010, protagonizado por Tom Cruise e Cameron Díaz, aparecem cenas do Encierro de Pamplona, mas que foram filmados em Sevilha (???)….No dia 14 de julho, às 24:00hs, realiza-se o encerramento das festividades. No Youtube existe uma grande quantidade de vídeos das Festas de San Fermín de Pamplona. Escolhi um para que possam ver a inauguração da festa…

Pamplona – Navarra

Situada no norte de Espanha, Pamplona é a capital da Comunidade Foral de Navarra.

A cidade foi fundada em 74 aC pelo general romano Pompeyo, sobre um povoado pré-existente chamado Iruña, nome do idioma euskera pelo qual também é conhecida  atualmente. Logo, a cidade se converteu num dos povoados mais importantes dos territórios dos vascones. Foi ocupada por visigodos e árabes e no séc. IX se tornou capital do Reino de Pamplona e, durante a Idade Média, no Reino de Navarra.

Em 1423, o rei Navarro Carlos III ditou o Privilégio da União, mediante o qual Pamplona, até então formada por 3 burgos independentes (Navarrería, San Saturnino e San Nicolás), se unifica ao redor da prefeitura, acabando com séculos de conflitos. A Casa Consistorial se localiza exatamente na confluência destes antigos burgos. Do seu aspecto original não sobrou nada, e sua parte mais antiga é a fachada reformada no séc. XVIII, numa combinação de elementos barrocos e neoclássico.

Localizado no centro histórico da cidade, de seu balcão iniciam-se, com o lançamento de um foguete (chupinazo), as festas de maior projeção internacional da cidade, o San Fermín.

Celebradas entre os dias 6 e 14 de julho, sua fama é um fenômeno recente, vinculado à difusão dada ao evento pelo escritor Ernest Hemingway, em sua novela “Fiesta”. As festividades homenageiam a San Fermín, padroeiro de Navarra e da diocese de Pamplona. Segundo a tradição, Fermín, filho do senador Firmus, que governou a cidade no séc. III, se converteu ao catolicismo e foi batizado por San Saturnino.

Uma de sua principais atividades é o encierro, com séculos de antiguidade. Consiste numa corrida de touros, realizada em plena rua e num trajeto de 800m, que culmina na Praça de Touros da cidade. Durante o evento são comuns as graves lesões e, inclusive, foram registradas 15 mortes desde 1922, principalmente de turistas embriagados, que pensam que fugir de um touro de 700kg é a mesma coisa que fugir de um cachorro bravo.

Em 1512, Pamplona foi anexada à coroa espanhola, ao ser ocupada pelas tropas do rei Fernando Católico. A parir do séc. XVI, tornou-se um baluarte de defesa contra as invasões francesas. A cidadela, um recinto fortificado de estilo renascentista construída em 1571 pelo rei Felipe II, fazia parte deste sistema defensivo. Situado no centro da cidade, possui planta pentagonal e se converteu atualmente numa das áreas verdes preferentes dos habitantes da cidade.

A Praça do Castelo é o principal ponto de encontro da cidade, e seus edifícios representam uma variada combinação de estilos.

O café Iruña, situado na praça, é um dos locais preferidos para tomar uma cerveja, comer umas tapas e bater papo.

Durante a Idade Média, Pamplona possuía uma esplêndida catedral românica. Em 1317, decidiu-se construir um claustro novo, adossado ao templo românico. Durante sua construção,em 1389, a igreja ruiu e foi necessária sua reconstrução, também no estilo da época, o gótico.

Na Catedral de Santa Maria ainda podemos contemplar o claustro do séc. XIV, um dos mais belos da Europa realizados nesta época.

Das diversas portas de acesso que possui, a denominada Porta Preciosa está belamente esculpida. Construída entre 1350/1360, comunica o claustro com o dormitório dos canônigos. Seu nome se explica porque o clero, quando entravam no dormitório, o realizavam em procissão litúrgica, cantando um salmo de louvor à Virgem que começava com este adjetivo. No tímpano, vemos talhadas cenas da vida da Virgem.

No interior, destacamos o mausoléu dos reis navarros Carlos III e sua esposa Leonor. Foi executado entre 1413/1419 pelo escultor flamenco Johan Lome de Tournay, em alabastro.

No presbitério, vemos a imagem românica de Santa Maria la Real.

O teto está formado por bôvedas de crucería, típicas do estilo gótico.

No exterior, a fachada pertence à época neoclássica, realizada por Ventura Rodríguez no séc. XVIII. A catedral representa o conjunto gótico mais importante da comunidade.

Outro monumento religioso de importância é a Igreja de San Saturnino, localizada próxima à Casa Consistorial. Inicialmente construído no estilo românico (séc. XII), foi reedificada no século seguinte em estilo gótico. Além de ter sido centro religioso do burgo medieval, cumpria também a função de defesa militar, numa época de habituais disputas com os demais burgos. O fato se comprova pelo aspecto da torre, mais parecida a uma fortaleza.

Abaixo, vemos o decorado tímpano da portada principal.

A cidade de Pamplona é atualmente o centro financeiro, comercial e administrativo da comunidade, além de ser sua cidade mais populosa, com cerca de 200mil hab. Possui invejável qualidade de vida, e sua renda per capita é bastante superior á média espanhola e da Uniao Européia.

Pamplona faz parte da segunda etapa do Caminho de Santiago, da rota de peregrinos procedentes de Roncesvalles.