Monastério de Uclés – Prov. Cuenca

Antes de iniciar o primeiro post de 2020, gostaria de desejar um maravilhoso ano a todos vocês, repleto de harmonia, saúde e amor !!!! No final de 2019 realizei outras excursões organizadas por meus professores de história de Madrid e acompanhado por um grupo de 50 pessoas, sempre em busca de lugares de grande interesse histórico e artístico pela Espanha. O local escolhido numa delas incluiu uma cidade romana e um monastério que fazia tempo que tinha vontade de conhecer, situado na cidade de Uclés, que faz parte da Província de Cuenca, uma das províncias integrantes da Comunidade de Castilla La Mancha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs monastérios (mosteiros, em português) constituem instituições religiosas habitadas por monges em clausura. Também podem ser denominados Abadias (quando regidos por um abade) ou prioratos (dirigidos por um prior). O Monastério de Uclés, de grande importância histórica e religiosa no país, está situado no alto de um cerro, a cujos pés encontramos o povoado que dá nome ao monastério. Nesta pequena colina havia antigamente um castro celtíbero (pequeno povoado onde viviam tribos celtas que entraram em contato com os povos iberos, autóctonos do território espanhol). Séculos depois, os muçulmanos construíram no local uma fortificação, da qual se conservam apenas três torres e parte de sua muralha defensiva dupla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de Uclés faz parte de um grande complexo de construções realizadas em distintos períodos históricos, iniciando-se na época muçulmana e alcançando uma enorme importância como fortaleza propriedade da Ordem de Santiago, que o utilizou como sua sede principal, depois que a cidade de Uclés foi reconquistada pelo Rei Alfonso VIII, que acabou doando a antiga fortaleza a esta ordem religiosa da Espanha no ano de 1174.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Com o tempo, foram edificadas várias dependências nas quais viviam os membros da Ordem de Santiago, que se uniram à fortaleza inicial. Estas ampliações afetaram principalmente o sistema defensivo da fortificação, que em sua maior parte foi destruído. O Monastério de Uclés, tal como o conhecemos hoje, foi construído a partir de 1529, durante o reinado do Imperador Carlos I. Sua importância arquitetônica e artística se comprova pelos vários estilos da construção, relacionados ao prolongado tempo necessário até a finalização do conjunto monacal. Inicialmente, utilizou-se o estilo plateresco, que formou parte da primeira etapa do Renascimento na Espanha, caracterizado pela riqueza dos elementos decorativos. O projeto foi realizado por um arquiteto chamado Enrique Egas, de grande fama neste período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o imenso pátio em forma de claustro do monastério, composto por 36 balcões distribuídos ao longo de seu perímetro. Foi construído no século XVII e apresenta dois níveis construtivos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XVI se construiu a igreja no estilo herreriano, caracterizado pela austeridade decorativa. Este estilo deve seu nome ao arquiteto Juan de Herrera, famoso por ter sido o responsável principal do projeto do Monastério de El Escorial, situado próximo a Madrid. Por esta razão, o Monastério de Uclés é considerado como “El Escorial de La Mancha“. A igreja finalizou-se em 1602.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da igreja foram sepultados vários membros relevantes da Ordem de Santiago, como Rodrigo Manrique e seu famoso filho, o poeta Jorge Manrique.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui apenas uma nave e um coro elevado. Em sua nave única se abrem capelas comunicadas entre si, onde podemos apreciar exposições sobre a Ordem de Santiago, além de várias obras artísticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior que presidia o Altar Maior era de estilo clássicos com tendências barrocas, mas foi danificado durante a Guerra Civil Espanhola do século XX, e posteriormente reconstruído. O quadro central do retábulo foi realizado pelo pintor real Francisco Rizzi no século XVII, sendo recentemente restaurado. Nele aparece o Apóstolo Santiago, santo padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte da matéria sobre o Monastério de Uclés

 

 

O Novo Edifício España

Neste verão de 2019, o Edifício España reabriu suas portas depois de anos de abandono e vários proprietários, convertendo-se no Hotel Riu, recuperando a atmosfera que tinha nos anos 50, época de sua inauguraçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO novo estabelecimento hoteleiro de Madrid possui 585 quartos e está recebendo, em média, cerca de 1000 hóspedes diários. Além de academia e uma piscina exterior climatizada, é um local excelente para conferências e congressos pois dispõe de uma sala com capacidade para 1500 pessoas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, encontra-se aberto ao público em geral um Sky Bar com o rótulo de “Madrid al Cielo“, que nos permite imaginar as belas vistas que contemplamos desde o último andar do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta terraça é simplesmente maravilhosa, e por apenas 5 euros é possível subir na parte mais alta do edifício e tomar um drink, admirando as mais belas panorâmicas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local está em moda atualmente, e vale a pena enfrentar as constantes filas para subir à terraça, pois as vistas de 360 graus da cidade compensam com crédito a espera. Uma de suas grandes atrações é uma plataforma de vidro especial construída ligando as duas partes da terraça, não apta para cardíacos e pessoas com vertigens de altura, como eu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO ideal é contornar todo o perímetro da terraça para visualizar desde cima muitos dos pontos turísticos mais famosos de Madrid. Todos eles já foram tema de posts no blog. Abaixo, por exemplo, vemos a Plaza de España e o Monumento a Miguel de Cervantes protegido por uma lona verde, pois atualmente está em obras…

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo vemos o Templo de Debod, uma excepcional construção do Egito Antigo com mais de 2 mil anos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o último trecho da Gran Vía, conhecida como a “Broadway Madrilenha“, devido a grande quantidade de cinemas e teatros existente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas proximidades do Edifício España se localiza um dos mais belos palácios de Madrid, o Palácio de Lira, pertencente à Casa de Alba e que também recentemente abriu suas portas para visitação pública.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência vemos o Palácio Real, a Plaza del Oriente, situada em sua fachada lateral, e a Catedral de Almudena, em frente ao Palácio Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO chamado Quartel do Conde Duque, hoje em dia um centro cultural de grande renome na cidade, também pode ser visto desde as alturas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Arco da Vitória, construída ao final da Guerra Civil Espanhola para celebrar a vitória do General Franco, e umas maravilhosas vistas da Serra de Guadarrama, um lugar propício para estar na temporada de inverno por suas pistas de esquí e belas paisagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMais distante observamos, no lado esquerdo da foto, os arranha-céus mais altos de toda a Espanha, as denominadas 4 Torres, e as inclinadas Torres Kio, símbolos da arquitetura contemporânea da capital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesejo a todos (as) os leitores (as) um final de ano repleto de felicidade, saúde, paz e prosperidade e um ano de 2020 com inúmeros momentos inesquecíveis e muitas viagens estimulantes. Um forte abraço !!!!!!

 

Edifício España – Madrid

O Edifício España volta a estar de moda em Madrid. Isso porque recentemente reabriu suas portas como um hotel de requinte em pleno centro da capital espanhola, estando aberto a todo o público para que se possa contemplar as vistas mais espetaculares da cidade, desde a terraça existente em seu último andar (que veremos no próximo post…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste edifício icônico de Madrid sempre chamou a atenção por seu belo aspecto em forma de pirâmide escalonada. Situa-se no final da Gran Vía, uma das principais avenidas de Madrid, justo em frente da Plaza de España, que atualmente está sendo reformada, de modo que tanto os turistas quanto os habitantes da cidade momentaneamente não podem disfrutar da praça e contemplar o famoso Monumento a Miguel de Cervantes, erguido em seu centro. Abaixo, vemos uma foto mais antiga da Plaza de España, na qual vemos dito monumento em homenagem ao famoso escritor espanhol e as esculturas de bronze que representam a Don Quixote e Sancho Pança, os personagens principais de sua obra universal “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto com outro edifício relevante da cidade, a Torre de Madrid, situado ao lado do Edifício España, conformam um dos conjuntos arquitetônicos do pós guerra de maior importância da capital espanhola. O Edifício España é considerado o primeiro arranha-céu da cidade, e possui 26 andares com 117m de altura, com uma fachada que apresenta mais de 100m de largura. Na atualidade, constitui o oitavo edifício mais alto da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção iniciou-se em 1948 através da Companhia Imobiliária Metropolitana e  inaugurado em 1953. O Edifício España foi projetado por José María Otamendi, que realizou os cálculos de sua estrutura de concreto, e seu irmão, o arquiteto Julián Otamendi, responsável pelo desenho do projeto e a portada barroca de sua fachada principal, composta por 4 níveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcebido como uma verdadeira cidade auto suficiente, como os arranha-céus norte-americanos, sua principal característica foi a multifuncionalidade, abrigando desde o princípio um hotel, um centro comercial, apartamentos residenciais e escritórios empresariais. Em 2005, o Banco Santander adquiriu o imóvel e um programa de reabilitação do edifício foi realizado, finalizando em 2010. No entanto, dois anos depois, o edifício permaneceu fechado e sem utilidade prevista. Em 2014 foi vendido ao milionário chinês Wang Jianlin, proprietário da maior fortuna da China e dono do Wanda Group, especializado em hotéis e centros comerciais de luxo espalhados por todo o mundo. Além do mais, possui 20 % das ações do clube de futebol Atlético de Madrid, cujo novo estádio é chamado Wanda Metropolitano

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando o milionário chinês comprou o edifício por 265 milhões de euros, a Prefeitura de Madrid exigiu que tanto sua fachada principal quanto as laterais fossem conservadas, como estabelecia a lei de conservação de edifícios históricos. O grupo chinês, no entanto, queria desmantelar o edifício, reconstruindo-o com materiais novos. Ante a terrível ameaça de seu desaparecimento, várias organizações civis protestaram em prol de sua preservação, e a pressão pública foi fundamental para que felizmente se mantivesse tal como foi construído nos anos 50. Em 2017, o Edifício España foi mais uma vez vendido, desta vez para o Grupo Baraka, que finalmente revendeu o imóvel à cadeia de hotéis Riu, que pretendia investir aproximadamente 400 milhões de euros para sua compra e posterior reforma com o objetivo de convertê-lo num hotel, sendo inaugurado neste ano de 2019.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, subiremos na parte mais alta do Edifício Espanha, atual Hotel Riu, para contemplar as vistas mais magníficas da cidade…

 

 

Santo Domingo de Guzmán

Finalizo os posts sobre Caleruega com uma matéria sobre seu filho mais ilustre, Santo Domingo de Guzmán (Sao Domingos de Gusmão, em português), fundador da Ordem Dominicana, também denominada Ordem dos Predicadores, de grande importância na história do Cristianismo. Em frente ao Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega existe um monumento em sua homenagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo nasceu neste povoado em 1170 e faleceu com 51 anos de idade, na cidade italiana de Bolonha, em 1221. Filho de Félix Nuñez de Guzmán (conhecido como o Venerável Félix) e Juana Garcés (também chamada de Santa Juana de Aza, beatificada em 1828), teve dois irmãos maiores, Antonio e o Beato Manés, considerado um dos primeiros beatos dominicano. Abaixo, vemos sua família num mosaico situado no interior do Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo foi batizado na Igreja Paroquial de Caleruega, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Pia Batismal desta igreja foi levada ao Monastério de Santo Domingo El Real de Madrid, onde todos os membros da Família Real Espanhola são batizados. Abaixo, vemos o monastério na capital e a famosa Pia Batismal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASanto Domingo recebeu uma cuidada educação moral e cultural. Ao descobrir sua vocação missionária, foi predicar a doutrina católica aos cátaros em 1206, que professavam uma corrente cristã considerada herética pelo catolicismo oficial, iniciando desta forma o movimento dos predicadores. Neste ano, estabeleceu no sul da França sua primeira instituição religiosa feminina e, em 1215, a primeira fundação masculina. Também neste ano chega a Roma para assistir o Quarto Concilio de Letrán e solicitar ao Papa a aprovação de sua ordem como nova instituição religiosa. Para sua criação, escolhe a regra de Santo Agostinho, e em 22/12/1216 recebeu do Papa Honorio III a bula “Religiosam Vitam“, conformando a fundaçao da Ordem dos Predicadores. Abaixo, vemos uma escultura gótica do santo (1380/1410), feita de alabastro (Monastério de Santo Domingo de Caleruega).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFaleceu em 1221 no Convento Dominicano da cidade de Bolonha, e seus restos encontram-se enterrados na Basílica de Santo Domingo desta cidade italiana. Foi canonizado em 1234 pelo Papa Gregório IX. São Domingos, capital da República Dominicana, leva este nome em homenagem ao santo de Caleruega. A seguir, vemos outra escultura de Santo Domingo, datada de 1500 (Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma lenda a ele associada diz que o santo teve uma visão da Virgem com um rosário, ensinando-lhe como rezá-lo, ordenando-o para que difundisse a doutrina católica pelo mundo. Apesar de que o rosário fosse conhecido desde o século IX, o santo espanhol teve um papel fundamental na difusão do rosário, outorgando-lhe uma finalidade evangelizadora. Abaixo, vemos uma pintura do santo, do século XVII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das representações artísticas mais comuns do santo é a do cão com uma tocha na boca. Segundo a tradição, sua mãe, Santa Juana de Aza, antes do nascimento do filho, teve um sonho em que um cachorro saía de seu ventre, com uma tocha acesa na boca. Incapaz de compreender seu significado, decidiu buscar a Santo Domingo de Silos, fundador do famoso monastério beneditino situado próximo a Caleruega, realizando uma peregrinação a dita instituição. Ali finalmente compreendeu o sonho, e seu filho seria o responsável por difundir o “fogo” de Jesus Cristo ao redor do mundo através da predicação. Em outro mosaico do Real Monastério de Santo Domingo de Caleruega podemos ver o episódio….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm agradecimento ao santo de Silos, a Beata Juana colocou o nome de Domingo ao seu filho, um nome apropriado pois se origina do latim “Dominicus“, que significa “Do Senhor“. Deste nome se originou a palavra “Dominicanus“, a denominação da ordem fundada pelo santo, um composto de “Dominus” e “Canis“, que significa “Cão do Senhor“. Na sacristia do Real Monastério de Caleruega se conservam dois sepulcros com os restos de seu irmão Antonio e de Félix de Guzmán, pai do santo, que vemos na foto abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm outras representações, Santo Domingo de Guzmán aparece segurando a Bíblia, fonte de predicação, ou com uma igreja na mão, que representa a Igreja Universal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHistóricamente, a Ordem Dominicana teve um papel preponderante, e nos últimos 900 anos, 4 papas pertenceram a ela, além de quase 3 mil cardeais e bispos. Muitos dos principais santos dominicanos desempenharam um relevante papel na arte, literatura e da filosofia. Entre alguns dos mais importantes, citamos: San Vicente Ferrer (1350/1419), predicador e filósofo, a mística Santa Catalina de Siena (1347/1380), Santo Tomás de Aquino (1225/1274), autor da “Suma Teológica” e principal representante da Escolástica, San Luís Beltrán (1526/1581), um dos primeiros missioneiros do continente americano, e Rosa de Lima (1586/1617), exemplo de vida religiosa na América Latina. Depois da descoberta da América, vários frades dominicanos defenderam o apoio aos direitos indígenas, como o espanhol Bartolomé de las Casas (1486/1566). A seguir, vemos um quadro com personagens relevantes da Ordem Dominicana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Ordem Dominicana está formada por cerca de 160 mil membros, dos quais 6 mil frades espalhados por 88 países continuam exercendo a obra predicadora do santo de Caleruega.

Real Monastério de Santo Domingo – Caleruega

O povoado de Caleruega deve sua existência a que atualmente é sua principal atração turística, o Real Monastério de Santo Domingo. Sua história se remonta um pouco depois da morte de Santo Domingo, fundador da Ordem dos Dominicanos, em 1221, quando seu irmão, o Beato Manés, ordenou a construção de uma capela no local de nascimento do santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o monastério esteve habitado por freiras pertencentes à Ordem de Santo Agostinho. Com a canonização de Santo Domingo no século XIII, o Rei Alfonso X “El Sábio” ordenou o traslado de monjas dominicanas ao monastério, que tornaram-se as proprietárias do Senhorio de Caleruega a partir deste momento. Ou seja, a vila de Caleruega passa a pertencer à comunidade de religiosas dominicanas deste monastério, fato que se prolongou até o século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um facsímil do documento original feito de pergaminho, no qual o Rei Alfonso X outorga o Senhorio de Caleruega ao Real Monastério de Santo Domingo, em 1266.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALodo depois, o monarca ordenou a construção de uma igreja gótica no local da antiga capela. Deste edifício do século XIII se conservam algumas interessantes esculturas religiosas, ambas do século XIII, como a do Arcanjo Gabriel e da Virgem da Anunciação em estado de gestação, uma representação rara em sua iconografia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa igreja gótica também se conserva o coro, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se construiu uma nova igreja no estilo renascentista, que é a que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave vemos um belo Retábulo Maior de estilo renascentista, com cenas relativas à vida de Santo Domingo, cujas pinturas foram realizadas por Blas de Cervera (1584/1643). Em sua parte superior, vemos um calvário de madeira executado por integrantes da escola de Gregorio Fernández, um dos principais escultores barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro do Monastério de Santo Domingo é muito bonito. Composto por dois níveis, o primeiro foi construído em pedra entre os séculos XIII e XIV, e o segundo é posterior, edificado somente no século XVIII, e construído com tijolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a decoração dos capitéis do nível inferior do claustro….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro se encontra o que restou do sepulcro da Infanta Leonor, filha do Rei Alfonso X “El Sabio”, além da roupa com que foi sepultada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX se construiu a cripta do monastério, presidido por um poço de água, em que a tradição o associa como o local exato de nascimento de Santo Domingo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita podemos apreciar várias obras artísticas, como esculturas de Santo Domingo e pinturas relacionadas com personagens relevantes da Ordem Dominicana, como a que vemos a seguir, um quadro do século XVII de Santo Tomás de Aquino, um dos mais importantes teólogos do cristianismo, e principal expoente da corrente denominada Escolástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1868, dentro dos processos desamortizadores do século XIX, o Real Monastério de Santo Domingo deixou de se a proprietária do povoado de Caleruega, que começa a se desenvolver como um núcleo urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo e último post sobre Caleruega, publicarei uma matéria sobre seu filho ilustre, Santo Domingo de Guzmán, e a Ordem dos Dominicanos por ele criada.

Caleruega – Província de Burgos

Depois de conhecer Coruña del Conde e a antiga cidade romana de Clunia, fomos visitar o povoado de Caleruega, também situado na Província de Burgos, precisamente na Comarca da Ribera del Duero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pequeno povoado de cerca de 500 habitantes sempre aparece na lista dos Pueblos mais bonitos da Espanha

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome está vinculado aos vascos, que desempenharam um importante papel de repovoamento depois que a cidade foi reconquistada aos mouros. Significa “terra de Cal“, graças às montanhas de pedra calcárea que rodeiam o município.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA existência de Caleruega se remonta ao século X, durante o processo de reconquista nos primórdios do território do antigo Reino de Castilla. Sua importância histórica se deve a que no povoado nasceu Santo Domingo de Guzmán, fundador da Ordem dos Dominicanos (Orden de los Dominicos, em espanhol), também conhecida como Ordem dos Predicadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs edifícios históricos de Caleruega estão vinculados a Ordem Dominicana, como o Real Monastério de Santo Domingo, que em breve veremos no blog, e o Convento dos Padres Dominicanos, construído em 1952. Ambos edifícios transformaram o povoado num dos principais referentes mundiais relacionados a ordem fundada por Santo Domingo de Guzmán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa época inicial de Caleruega se conservam monumentos importantes, como o Torreón de los Guzmanes, assim denominado porque tradicionalmente se acredita que esteve relacionado com a família de Santo Domingo de Guzmán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta torre de 20m de altura foi edificada no século XII, e formava parte do recinto defensivo criado pelos reis cristãos para impedir que os exércitos muçulmanos pudesem apoderar-se novamente destas terras. Constitui um dos poucos exemplos de torre defensiva de Castilla y León com um formato quadrado. A torre pode ser visitada, e em sua parte superior acolhe um museu relacionado com a Ordem dos Dominicanos, bem como com outros interessantes peças religiosas, como uma coleção de esculturas do Menino Jesus realizadas entre os séculos XVII e XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACuriosamente, o Convento dos Padres Dominicanos foi construído rodeando a torre, e atualmente a fortificação encontra-se integrada ao claustro do convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens do convento, cuja construção na metade do século XX levou em consideração a presença do Real Monastério situado ao lado, de forma que mantivesse uma uniformidade construtiva e arquitetônica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento importante de Caleruega é a Igreja de San Sebastián, construída no século XII no estilo românico. Deste período inicial se conserva a torre a o arco da entrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post publicarei uma matéria sobre o Real Monastério de Santo Domingo, construído no local de nascimento do santo fundador da Ordem Dominicana

Clunia – Parte 2

No Conjunto Arqueológico de Clunia se conserva a maior parte dos espaços públicos que constituíam uma cidade romana, cujo urbanismo refletia o próprio modelo da capital imperial, Roma. O centro da vida pública estava composta pelo Foro, local onde se realizavam as principais atividades políticas, comerciais, jurídicas e religiosas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Foro situava-se no centro da cidade, onde de cruzavam as avenidas principais, o chamado Cardus Maximus e o Decumanus Maximus. Possuía um formato retangular que media 160m de comprimento por 115 m de largura. Contava com um templo dedicado a Júpiter, a principal divindade religiosa da antiga Roma. Foi edificado no século I dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABoa parte de seu espaço estava ocupada pela Basílica, com funções jurídicas e comerciais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Foro também situavam-se as tabernas, cujas ruínas vemos abaixo, além de um detalhe arquitetônico de uma delas, do século I dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Romanos davam um grande valor a sua higiene pessoal, e as Termas constituiam um local de grande importância social. Em Clunia podemos ver os restos das chamadas Termas de los Arcos, construídas também no século I dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs termas estavam formadas por um espaço denominado Palestra, onde se realizavam exercícios físicos. Depois de sua prática, as pessoas banhavam-se em piscinas para limpar o corpo. Em seguida, passavam às salas de banhos com temperaturas variadas: Frigidarium (banho frio), Tepidarium (banho temperado) e Caldarium (banho quente).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO aquecimento da água se produzia através do sistema de hipocausto, com um forno e uma câmara situados sob o pavimento da sala.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos restos conservados de maior importância do conjunto arqueológico, o Teatro Romano de Clunia é uma verdadeira maravilha construtiva. Escavado na rocha e com capacidade para acolher cerca de 10 mil espectadores, foi um dos maiores de toda a Hispania.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA arquibancada estava apoiada na própria ladeira do terreno e parte dela foi talhada diretamente na rocha. Encontrava-se rematado em sua parte superior por um pórtico, que servia de acesso à parte interior do teatro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO público presente no teatro contemplava uma fachada composta por dois níveis de altura formada por colunas, e decoradas com estátuas. Abaixo, vemos uma recriação do teatro…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século II dC, o teatro passou a ser utilizado como local para espetáculos de lutas de gladiadores e animais ferozes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o século III DC, se produz um progressivo despovoamento da cidade, devido à crise geral deste período e a própria decadência do Império Romano, sendo que no final do século foi incendiada pelos povos bárbaros. Clunia sobrevive até o século VII, mas ua importância em época visigoda diminui, com o desaparecimento de sua existência das fontes literárias. Apesar de sua ruínas despertarem a curiosidade das autoridades desde o século XVI, foi somente a partir do século XX quando começaram a ser realizadas escavações sistemáticas no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Idade Média, Clunia serviu como canteiro de pedra para a construção de outros edifícios das cidades próximas, tanto populares como nobres, como o próprio Castelo de Coruña del Conde, que vimos recentemente no blog. Por este motivo, suas ruínas foram permanentemente saqueadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs trabalhos arqueológicos iniciaram em 1915 e as ruínas deixaram de ser saqueadas, principalmente com a chegada de Blas Taracena (1895/1951), um renomado arqueólogo espanhol, e com a declaração de Clunia como Monumento Nacional. As escavações permanecem ativas até os dias de hoje…