Castelos e Fortalezas da Espanha – Parte 3

Neste post e no seguinte veremos alguns dos principais elementos que caracterizam os Castelos e Fortalezas da Espanha. Um dos principais é a Torre, uma estrutura intimamente ligada às fortificações. Até o final do século XII, os castelos possuíam poucas torres. A partir deste momento, sua estrutura se torna mais complexa com a incorporação de várias delas, incrementando seu poder defensivo. Na Espanha é comum a presença de torres isoladas na paisagem e também em várias cidades do país. Abaixo, vemos a Torre de Valdenoceda, situada numa área rural da Província de Burgos (Castilla y León), numa belíssima região denominada “Las Merindades“. Foi construída no final do século XIII com uma planta retangular com cerca de 20m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, a Torre de Pinto, um município situado próximo a Madrid

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe grande importância na estrutura dos castelos, a denominada Torre del Homenaje (Torre de Menagem, em português) ergue-se de forma robusta e imponente na maioria das fortalezas. É considerada a torre principal, albergando as dependências mais importantes, já que frequentemente constitui a residência do proprietário. Geralmente é a torre mais alta do conjunto, podendo chegar a ter 40m de altura. Por este motivo, é a torre mais protegida e o último reduto de defesa da fortificação. Na sequência vemos algumas delas, como a Torre del Homenaje do Castelo de la Mota, em Medina del Campo (Província de Valladolid, Comunidade de Castilla y León)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo excepcional Alcázar de Segóvia (Comunidade de Castilla y león), a Torre del Homenaje destaca-se na silueta de seu maravilhoso castelo de contos de fada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma característica peculiar dos castelos muçulmanos na Península Ibérica foi a incorporação de torres isoladas chamadas Torres Albarranas, que formam parte do recinto defensivo da muralha a que está comunicada por um arco ou ponte. Um exemplo é  Torre de Espantaperros da Alcazaba de Badajoz (Comunidade de Extremadura), uma fortaleza de origem muçulmana do século XII. Possui um curioso formato octogonal.

20160516_183237OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento característico dos castelos e fortalezas são as muralhas ou cercas que rodeiam a fortificação. Elemento defensivo por natureza, constituem-se por torres ou cubos situados ao longo de seu perímetro, que permitiam diversificar os ângulos de tiros para sua defesa. Um exemplo é a muralha da fortaleza de Trujillo (Província de Cáceres, Comunidade de Extremadura)…

20181209_123522Ou a muralha do Castelo de Oropesa (Província de Toledo, Comunidade de Castilla La Mancha)

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm elemento típico da arquitetura militar medieval, as Almenas são pequenas estruturas salientes e verticais de formato retangular, dispostos a intervalos regulares da muralha ou mesmo da estrutura do castelo, para que os defensores pudessem resguardar-se e possibilitar um contra-ataque defensivo. Abaixo, vemos as Almenas do Castelo de Cuéllar, um palácio fortificado construído no século XV  e situado na Província de Segóvia (Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos as almenas situadas na parte superior da torre do Castelo de Medina de Pomar, localizado na Província de Burgos (Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara que o corpo de guardas da fortificação pudesse deslocar-se ao longo da muralha protetora, em sua parte superior situava-se um caminho de ronda estreito chamado Adarve. Abaixo, vemos o Adarve da muralha pertencente ao Real Alcázar de Córdoba (Comunidade de Andalucía).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém apreciamos um Adarve na Alcazaba de Antequera, situada na Província de Málaga (Comunidade de Andalucía).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA evolução na complexidade das fortalezas e castelos medievais se deve, em boa parte, ao advento das Cruzadas. Muitas delas foram construídas por Ordens Militares, algumas delas fundadas para proteger os lugares santos de Jerusalém, como a Ordem dos Templários, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das fortalezas templárias mais famosas da Espanha é o Castelo de Ponferrada (Província de León, Comunidade de Castilla y León), situado em pleno Caminho de Santiago. O castelo pertenceu à Ordem Templária até sua dissolução no século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Caminhando pela Muralha de Ávila

Qualquer pessoa que tenha a oportunidade de conhecer a cidade de Ávila se impressiona por sua muralha, uma das estruturas de caráter defensivo de maior relevância em todo o continente europeu. A Muralha de Ávila foi o tema de dois posts publicados em 17 e 19/1/2017, e em minha recente visita com meus amigos brasileiros tivemos o privilégio de conhecer outra parte da estrutura que eu ainda não tinha visitado. Abaixo, vemos uma panorâmica da muralha, cuja foto foi tirada desde o chamado mirante dos Quatro Postes.

20160612_124733Esta incrível estrutura militar data do período românico, e segundo numerosos estudiosos é considerada a maior e mais conservada muralha desta época, sendo construída no final do século XI. De fato, trata-se da única construção defensiva da Europa Cristã que se conserva tal e como foi edificada originalmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi realizada logo depois que a cidade foi reconquistada pelo Rei Alfonso VI de Castilla, que encarregou seu genro Raimundo de Borgoña (casado com a Infanta D.Urraca, filha do monarca) que repovoasse a cidade e construísse a muralha. A construçao durou apenas 9 anos, de 1090 a 1099, e segundo a tradição o projeto foi realizado por dois mestres da geometria, o romano Casandro e o francês Florín de Pituenga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralha de Ávila possui 2516 metros de perímetro, estando composta por 87 torres e 9 portas de acesso. Seus muros possuem cerca de 3m de grossura e sua altura alcança os 12m. Seu perímetro exterior pode ser percorrido à pé, algo que recomendo, pois o passeio nos permite observá-la de vários ângulos diferentes e compreender sua real dimensão. O mais interessante é que se pode percorrer a parte mais elevada da estrutura, num percurso de cerca de 1700 metros (entrada de 5 euros). Abaixo vemos uma grande maquete da muralha…

20161120_125219A parte superior de uma muralha se conhece como Adarve, uma estreita passagem onde os guardas que a protegiam realizavam o denominado caminho de ronda. O trecho principal que se pode caminhar possui 1400m, e já tinha realizado diversas vezes. O trecho menor, de 300 metros, percorri por primeira vez com meus amigos. O caminho não é contínuo devido à presença da Catedral de Ávila, cujo ábside faz parte da própria muralha, algo realmente insólito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO passeio pelo Adarve proporciona belíssimas vistas da cidade intramuros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara que fosse construída se utilizou pedra de granito de cores negra e cinza, e alguns materiais procedem de uma antiga necrópole romana, além de edifícios civis e das anteriores muralhas romana e do período visigodo. Podemos admirar também as vistas exteriores da cidade, com muitas das igrejas românicas que integram o excepcional patrimônio histórico desta cidade castelhana, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos elementos de maior destaque da Muralha de Ávila é a Porta do Alcázar, formada por duas grandes torres semicirculares unidas por uma ponte, singular e única entre as muralhas européias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto esta porta, quanto a similar Porta de San Vicente, encontram-se situadas num terreno plano. Por este motivo, estavam mais expostas ao ataque inimigo, de forma que foram melhor fortificadas. Abaixo e acima,vemos fotos da Igreja de San Pedro, de estilo românico e situada numa praça onde se celebram os grandes eventos festivos da cidade, além do mercado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs muralhas constituem um aspecto fundamental do urbanismo das cidades medievais e historicamente contribuíram de forma decisiva na distribuição do espaço urbano entre os diversos grupos sociais que nelas viviam. Representavam a separação do mundo civilizado, situado no interior da muralha, com o mundo selvagem. No campo viviam os camponeses, a classe social menos favorecida, e sobre eles recaiam 80% dos custos da infraestruturas urbanas, como a manutenção da própria muralha. Incrível, verdade ?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muralha de Lugo: Patrimônio da Humanidade

No centro de Lugo, antiga Lucus Augusti, ergue-se imponente a famosa Muralha Romana da cidade, que rodeia a parte histórica num perímetro de mais de 2 km de comprimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALugo é considerada a cidade mais antiga de toda a Galícia, com mais de 2 mil anos de história. Cerca de 300 anos depois de sua fundação, se construiu esta espetacular estrutura defensiva, a única de todo o Império Romano que conserva íntegro seu traçado original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu excelente grau de conservação e sua importância histórica foram reconhecidos com vários títulos como Monumento Nacional em 1921, Bem de Interesse Cultural em 1985 e Patrimônio da Humanidade, desde o ano 2000.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  A Muralha Romana de Lugo foi construída no final do século III e princípio do século IV dC. Possui um formato quadrangular e as esquinas redondeadas. Sua altura varia de 8 a 12 m, e os cubos semicirculares que a compõem têm um diâmetro entre 10 e 13m.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha é classificada dentro de um grupo denominado Estilo Legionário Hispânico, e foi projetada segundo os princípios do grande arquiteto Vitrubio para a arquitetura militar. Originalmente possuía 85 cubos ou torres, dos quais se conservam 72.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO esplendor de Lucus Augusti ocorreu justamente no momento em que a cidade foi fortificada. A construção deste excepcional sistema defensivo foi realizada em função dos conflitos internos existentes na época, mais que pelo temor das invasões bárbaras que já assolavam o Império Romano naquele momento. Seus principais materiais construtivos, a pedra de granito e a ardósia, se encontram nas imediações da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua parte inferior, fossos com mais de 20 metros de largura e 5 de profundidade dificultavam ainda mais a aproximação do inimigo. O acesso à parte superior das torres é possível através das escadas existentes ao longo da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO caminho de ronda da parte superior da muralha, em espanhol denominado Adarve, constitui um tradicional passeio pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se castigava com 30 dias de prisão e uma pesada multa a todos aqueles que se atrevessem a roubar materiais da muralha. No século seguinte, o rei responsabiliza o bispo de Lugo para qualquer reforma ou intervenção realizada em sua estrutura. Na segunda metade do século XVIII, esta responsabilidade passa a ser da prefeitura da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1972, foram derrubados 81 edifícios que se encontravam adossados à muralha em sua parte exterior, dentro do processo de sua restauração geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara compreender sua importância e o processo histórico de sua dilatada existência, convém visitar o Centro de Interpretação da Muralha de Lugo, situado numa das Oficinas de Turismo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o traçado geral da Muralha Romana de Lugo

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, cada torre estava composta por janelas em seus dois ou três níveis. Para sua defesa, eram necessários 4 arqueiros em cada torre, totalizando cerca de 350 arqueiros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte da matéria sobre a grande Muralha Romana de Lugo

A Muralha de Ávila

Na Espanha, quando nos referimos às muralhas que circundavam as cidades em tempos antigos, existem duas referências obrigatórias: a Muralha de Lugo, construída em época romana, e a Muralha de Ávila. Digo isso em função do seu grau de conservação e de seu  extenso perímetro, constituindo os exemplos perfeitos do sistema defensivo básico existente desde o período romano, que atingiu seu ápice na Idade Média. A Muralha de Lugo ainda nao tive a oportunidade de conhecer, mas pude contemplar inúmeras vezes a Muralha de Ávila

20160612_124733Existem várias teorias a respeito de sua construção, e a mais aceita diz que foi levantada no século XII, durante a reconquista da cidade e seu posterior repovoamento. Este dado lhe confere a designação de um cerco defensivo pertencente à arquitetura militar do período românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralha de Ávila é monumental por sua data construtiva, tamanho e grau de conservação. Ao contrário da maioria das cidades, que perderam suas muralhas medievais em função do processo de ampliação urbana que sucedeu em toda a Europa a partir do século XVIII, a Muralha de Ávila pôde sobreviver graças ao título de Monumento Nacional que recebeu em 1884.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi levantada, provavelmente, sobre os restos de muralhas anteriores. Inclusive, foram utilizadas peças procedentes de outras épocas, como estelas funerárias provenientes de um antigo cemitério, que incluíam inscrições com o nome do defunto, sua origem e profissão. Podemos observar em seus grossos muros tumbas datadas de época romana, denominadas Cistas, onde eram depositadas as cinzas dos corpos incinerados. Algumas delas eram talhadas em cerâmica, outras em pedra, como as que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui um perímetro de 2545m, estando composta por 87 cubos (torres defensivas) e 9 portas de acesso, que veremos na próxima matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ possível percorrer todo seu perímetro pelo lado exterior, algo que recomendo num passeio pela cidade. Algumas zonas habilitadas como O Paseo del Rastro, por exemplo, se tornaram um local de ócio para a população local, e um bom ponto para contemplar sua grandeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte superior da muralha está formada por um passeio de ronda denominado Adarve. Trata-se de um corredor situado sobre o conjunto defensivo que permitia o rápido deslocamento das tropas em seus trabalhos de vigilância ou durante os combates frente ao inimigo. Mediante uma pequena entrada, foi habilitada uma zona de cerca de 1700m, onde podemos percorrer a muralha desde o adarve e vê-la sob uma perspectiva diferente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de sua declaração como Monumento Nacional em 1884, a Muralha de Ávila recebeu outros títulos que reafirmaram sua importância, como Conjunto Histórico-Artístico em 1982 e Patrimônio da Humanidade em 1985, junto com o centro histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Alcazaba de Badajoz

A importância de Badajoz como centro político, cultural e artístico iniciou-se na época árabe, quando foi fundada por IBN Marwan no ano 875 dC, durante o denominado período Omeya, momento em que o império Al Andaluz estava governado pelo emir Muhammad I, e sua capital era Córdoba. Ou seja, Badajoz aparece no mapa na mesma época que Madrid. Abaixo, vemos uma estátua em homenagem ao fundador da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido a sua posição estratégica, entre a planície castelhana e Lisboa, Badajoz foi uma cidade que nasceu para a guerra, e viveu com intensidade todos os acontecimentos bélicos que se sucederam na história espanhola. A cidade muçulmana foi situada sobre uma elevação natural de 60m de altura em relação ao Rio Guadiana, denominado Cerro de la Muela. Sua própria geografia acentuou ainda mais seu caráter militar, incrementado pela presença do curso fluvial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGraças aos achados arqueológicos encontrados, está comprovada que a ocupação humana do local se remonta a época pré-histórica. No entanto, somente podemos falar de cidade a partir da fundação no séc. IX por IBN Marwan, provavelmente sobre uma pequena aldeia anterior existente. Batalyaws, assim foi chamada inicialmente, se organizou segundo os modelos habituais das cidades islâmicas medievais. Se construiu um forte recinto militar, a Alcazaba ou cidadela, que também representava uma zona administrativa e de residência do governante. Além da muralha que cercava a cidade, havia outra que protegia a própria Alcazaba. Sua função defensiva estava destinada não só aos ataques externos, quanto a possíveis revoltas internas. Acolhia uma guarnição militar e tinha reservas suficientes para resistir a um longo assédio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Alcazaba de Badajoz é considerada uma das mais importantes da Espanha, junto com as de Málaga e Almería, devido a conservação de todos os elementos defensivos exteriores, sendo que seu perímetro é o de maior extensão de todo o país. Viveu seu período de máximo esplendor depois da desintegração do Califato de Córdoba, quando se transformou num importante Reino de Taifa no século XI, período em que a cidade gozou de um grande florescimento cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA falta de centralização dos Reinos de Taifa, que na realidade eram um conjunto de cidades independentes, facilitou o avance cristão. Como último recurso para conter a invasão dos exércitos dos reis cristãos, os reinos muçulmanos solicitaram o auxílio de uma confederação de tribos do norte da África, os denominados Almorávides. Estes derrotaram as tropas cristãs em 1086 numa batalha travada próxima a Badajoz, e logo depois conquistaram todos os Reinos de Taifa, formando o Império Almorávide de Al Andaluz, que sobreviveu até mediados do séc. XII. Com sua dissolução, chegaram os Almohades, inimigos declarados dos Almorávides, que se caracterizavam pela ortodoxia religiosa. Foram eles quem se encarregaram de ampliar e reforçar a Alcazaba, cujo aspecto  de sua muralha se mantêm praticamente intacto até os dias de hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1169, o califa almohade Yusuf I ordenou a ampliação da muralha em direção ao rio, facilitando a provisão de água e obtendo um maior espaço para acolher as tropas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cerca que rodeia a alcazaba possui uma forma ovalada, com umas dimensões aproximadas de 400m no sentido norte-sul e 200m de leste a oeste. A parte superior da muralha e as torres que a conformam estão comunicados por um passeio de ronda denominado Adarve, cujo acesso se dá por meio de escadas interiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPara sua construção, se empregou o tradicional sistema de mampostería, composto por uma argamassa feita de cimento, cal e areia, além de tijolos e pedras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha foi reforçada com inúmeras torres quadrangulares, que se distribuíram em espaços regulares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido a sua importância e grau de conservação, a Alcazaba de Badajoz foi declarada Monumento Histórico-Artístico em 1931. No próximo post, veremos a segunda parte a ela dedicada…

A Muralha de Segóvia – Parte 2

A Muralha de Segóvia foi construída mediante técnicas tradicionais, principalmente com alvenaria, e aproveitando-se a cal e a areia como argamassa. Para preencher os espaços entre as pedras, foram usados barro e restos de cerâmica. Os tipos principais de pedras utilizadas foram a calcárea e o granito, além do tijolo como material decorativo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha possui um adarve, isto é, uma zona que pode ser percorrida sobre ela, cuja funçao era facilitar a ronda dos sentinelas e uma distribuiçao defensiva correta de seus membros. Atualmente, constituem excelentes mirantes da cidade, como o existente no chamado Jardim de los Poetas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra característica presente em sua estrutura sao as almenas, como sao denominados os remates superiores de uma construçao defensiva. A sucessao de almenas formam pequenos vaos chamados de cañoneras, onnde os canhoes eram introduzidos em caso de ataque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADas 5 grandes portas que originalmente existiam, se conservam 3 delas. Além de permitir o trânsito dos habitantes, possuiam também  finalidades jurídica, policial e fiscal, neste caso para a entrada de mercadorias. A Porta de San Andrés é uma das mais importantes, estando franqueada por duas torres, uma quadrada ( feita de pedra calcárea e rematada com tijolos e arcos de meio ponto) e outra poligonal, mais robusta e construída com granito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa torre de granito, podemos observar as chamadas Saetera, uma fina abertura usada para o lançamento de flechas (saetas), que constituiam uma excelente proteçao para o atirador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta porta possui um claro aspecto militar-defensivo, de proporçoes monumentais. Mencionada já no ano de 1120, sofreu reformas importantes no séc. XV. Foi restaurada no final de séc. XX e em 2010. Dela, podemos realizar um percursso tanto pela parte externa (vista no post anterior), quanto por seu lado interno, que chega até o Alcázar de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte intramuros da Porta de San Andrés, vemos a Plaza del Socorro, presidida pela imagem da Virgem de mesmo nome. Esta porta permite acesso ao bairro da comunidade judaica de Segóvia, cuja história conheceremos em breve.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra porta destacável é a de Santiago, cujo nome foi tomado de uma paroquia dedicada ao santo situada próxima a ela, e derrubada em 1836. Em sua origem, integrava uma das torres da muralha. No séc. XVII, transformou-se numa torre almenada de caráter defensivo, e posteriormente foi reformada dando-lhe um aspecto mais ornamental. Em 1887, foi adaptada como refúgio para pobres, funçao exercida até 1929.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1945, foi reformada para acolher a residência do pintor Santos Sanz. Em 2011 foi novamente restaurada e atualmente alberga uma coleçao visitável de fantoches. Ao corpo principal da Porta de Santiago se acede através de um arco de tijolo em forma de ferradura construído no séc. XIII. Já no interior da porta, dois arcos de meio ponto completam sua estrutura geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém das portas principais, a Muralha de Segóvia está composta pelos Postigos, uma abertura de menor porte que se utilizavam somente para o trânsito de pessoas. Abaixo, vemos o Postigo del Consuelo, localizada no ponto em que a muralha se encontra com a parte elevada do aqueduto, que se introduz na cidade amuralhada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, vemos os Postigos del Sol e de La Luna (Lua), que comunicavam a antiga juderia com a parte extramuros da cidade de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA