Um Passeio por Málaga – Parte 2

O centro de Málaga está repleto de lugares interessantes, onde se respira sua história por edifícios e palácios que merecem serem conhecidos. A Praça do Bispo, por exemplo, é o local barroco por antonomásia de Málaga, sendo considerada uma das mais importantes da cidade, desde a antiguidade. Nela se localiza a fachada principal da catedral, como vimos no post a ela dedicada, como também o belíssimo Palácio Episcopal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA  magnífica fachada barroca do palácio foi realizada por Antonio Ramos, arquiteto maior da catedral, no séc. XVIII. Sua parte central consta de 3 vaos superpostos: a entrada, o balcao principal e uma escultura da Virgem das Angústias em sua parte superior. A combinaçao do mármore cinza com o rosa, além do colorido do resto do edifício incrementam a beleza arquitetônica do conjunto. Na frente do palácio, uma fonte de autor desconhecido (séc. XVIII), dá um toque a mais de charme à praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro palácio de renome é o de Zea-Salvatierra, construído entre os séc. XVII e XVIII. No séc. XIX, foi a sede da prefeitura e depois transformou-se na Casa do Correio, funçao que desempenhou até princípio do séc. XX. Atualmente, é uma propriedade particular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro lugar que merece uma visita é o Mercado Central de Atarazanas. Construído entre 1876 e 1879, é um exemplo da arquitetura eclética da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mercado foi projetado por Joaquín de Rucoba, o mesmo arquiteto que realizou a Praça de Touros de Málaga. No local, antigamente havía uma fábrica naval do periodo árabe. Felizmente, uma das portas de acesso desta antiga construçao foi conservado, e atualmente podemos vê-la no mercado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mercado foi levantado depois que as antigas ruínas da fábrica foram finalmente removidas. Desta forma, a cidade pôde receber um mercado fechado, já que aqueles realizados ao ar livre eram pouco higiênicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior do Mercado de Atarazanas, um grande painel de vitrais mostra os edifícios mais emblemáticos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pouco mais afastado do centro está o Cemitério Inglês, o primeiro cemitério protestante construído no país (1856). Concebido como um Jardim Botânico, conta com espécies de árvores exóticas, além de monumentos e tumbas com elementos clássicos, neogóticos e modernistas. Infelizmente, quando lá estive, nao pude conhecê-lo, pois se encontrava fechado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo plano cultural, um dos destaques fica por conta do Teatro Cervantes, edificado no séc. XIX.

DSC09579Um dos espaços cênicos mais antigos da cidade, esta sala é uma referência dos espetáculos teatrais. Seu projeto foi realizado pelo arquiteto Jerónimo Cuervo, e foi inaugurado em 1870. Além de sua beleza estrutural, destaca sua decoraçao interior. Em 1950, o Teatro Cervantes apresentava um elevado grau de deterioraçao, e sua atividade cultural ficou reduzida como sala de projeçoes. Foi entao que a prefeitura o adquiriu e o reconstruiu, para a alegria de todos seus habitantes.

DSC09575A ampla oferta cultural de Málaga pode ser aproveitada em seus vários museus, dos quais o Carmen Thyssen (museu privado de enorme importância a nível mundial, e com sede em várias cidades espanholas) é um dos mais relevantes. Tive a sorte de presenciar uma exposiçao espetacular de um pintor que admiro, desde a primeira vez que conheci sua obra. Nao por acaso, Dario de Regoyos é considerado um dos mais importantes artistas impressionistas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Catedral de Málaga

Santa Igreja Catedral Basílica da Encarnaçao. Este é o nome do principal templo católico da cidade de Málaga, sua Catedral. Abaixo, vemos uma imagem geral da igreja, com a Alcazaba em primeiro plano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada em frente à Praça do Bispo, a Catedral de Málaga é considerada  um dos monumentos renascentistas mais valiosos da Comunidade de Andaluzia.

DSC09513Em sua construçao, participaram os grandes mestres do Renascimento Andaluz, como Andrés de Vandelvira, Hernán Ruiz II, Diego de Vergara e o famoso Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da Reconquista de Málaga, os Reis Católicos converteram a antiga mesquita em templo católico, passando a ser denominada Igreja Maior e posteriormente declarada Catedral, depois da restituiçao do Bispado da cidade. No entanto, em 1523 se decide pela construçao de uma nova igreja no estilo gótico. Problemas no projeto dificultaram a continuaçao das obras, que afinal foram realizadas a mediados do séc. XVI (1528), dentro do contexto da estética renascentista. Abaixo, vemos a singular Fachada de las Cadenas, composta por inusuais torres semicirculares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Málaga foi consagrada em 1588, mas o enorme templo teve várias interrupçoes ao longo dos séculos, sendo definitivamente concluída apenas no séc. XVIII. Por isso, a catedral conforma uma síntese de estlos, com predomínio dos elementos renascentistas e os barrocos complementários do séc. XVIII. A seguir, vemps a torre norte, finalizada em 1776. Com 93m de altura, está situada à esquerda da fachada principal. No alto de seu terceiro corpo, situam-se 14 sinos, 8 dos quais foram fundidos em 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre sul ficou inacabada, motivo pelo qual a Catedral de Málaga é conhecida carinhosamente como “La Manquita”. A fachada principal foi edificada no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua parte inferior está composta por uma tripla arquería, formada por colunas de mármore avermelhada. O arco central representa a Anunciaçao, obra do escultor barroco Antonio Ramos (1743).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA catedral possui jardins próprios, que recordam a antiga mesquita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da catedral, situa-se a Capela do Sagrário, um edifício independente mas que integra o conjunto catedralício. Sua portada foi construída em 1458 no estilo Gótico Isabelino, na base do antigo minarete da mesquita muçulmana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1855, a Catedral de Málaga foi declarada Basílica Menor pelo Papa Pio IX. A partir de 1931, lhe foi outorgado o título de Monumento Histórico-Artístico. No próximo post, conheceremos seu interior…nao percam !!!!.