Igreja de Santa María – Betanzos

Na época medieval, a história de Betanzos foi condicionada por uma das famílias nobres mais importantes de Galícia, a Casa dos Andrade. Seu maior expoente foi Fernán Pérez de Andrade, que nasceu em Betanzos e tornou-se senhor da cidade, patrocinando a construção das três igrejas góticas que atualmente podemos contemplar, a de Santiago, que vimos no último post, a de San Francisco, que será o tema da próxima matéria e na qual está enterrado, e a Igreja de Santa María del Azogue, construída a partir da segunda metade do século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste importante patrimônio religioso fez com que Betanzos seja considerada a capital do gótico na Galícia. A Igreja de Santa María foi construída sobre um anterior templo românico. Acima vemos um aspecto da parte exterior da igreja, destacando o ábside poligonal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa María del Azogue recebeu o título de Monumento Nacional em 1944 e hoje em dia está declarada Bem de Interesse Cultural. Abaixo, vemos a fachada principal, cuja entrada está franqueada por duas imagens, uma com a Virgem, e a outra com o Arcanjo Gabriel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de sua roseta gótica, situada na parte superior da fachada, impressiona a riqueza decorativa de sua porta principal, com cenas escultóricas no tímpano (presidida pela imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus), nas arquivoltas e nos capitéis que rematam as colunas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa outra porta existente, se esculpiu a imagem do Arcanjo Miguel, considerado o chefe dos exércitos de Deus e protetor da igreja contra seus inimigos. Uma de suas representaçoes mais habituais vemos aqui, em que o arcanjo disputa com Satanás as almas dos defuntos no dia do Juízo Final, representada por uma balança onde se pesam os méritos e os pecados de cada pessoa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja está formado por uma planta basilical composta por 3 naves. A nave central está presidida por um retábulo barroco com a imagem da Virgem Maria no centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveito para mencionar, dentro do patrimônio religioso de Betanzos, o Convento das Agustinas Recoletas, construído entre os séculos XVII e XVIII sobre um antigo hospital da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção chama a atenção por seu tamanho. Ainda hoje alberga uma comunidade de freiras que vivem na clausura, sem nenhum tipo de contato com o mundo exterior. Na fachada do convento vemos esculpidos os Escudos de Betanzos e do Imperador Carlos I.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos uma foto da fachada da igreja conventual, que não pude visitar porque estava fechada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

As Igrejas Fernandinas de Córdoba

Depois da reconquista de Córdoba pelo Rei Fernando III em 1236, a cidade recuperou a tradição cristã dos romanos e visigodos. O monarca encontra uma cidade cuja estrutura está em decadência e em 1241 outorga um Foro a Córdoba. Organizou o espaço urbano em 14 bairros no interior do recinto de muralhas, que se mantêm com escassas modificações até os dias atuais. Diversas ordens religiosas se estabeleceram, com o objetivo de desempenhar tarefas assistenciais, espirituais e formativas. Em cada um destes bairros, se levantaram igrejas que se conservam até hoje. Apesar que nem todas foram edificadas durante o reinado de Fernando III, se conhecem em seu conjunto como Igrejas Fernandinas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo mais antigo fundado por Fernando III é a Igreja de la Magdalena (original em espanhol). Do século XIII, foi clausurada em 1890 e atualmente é utilizada como espaço cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja conserva portas de estilo mudéjar, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO arco foi decorado com motivos denominados “dentes de serra“, estando emoldurado por um elemento arquitetônico chamado Alfiz, típico da arquitetura islâmica. Abaixo, vemos uma imagem geral do templo e um pequeno detalhe arquitetônico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas destas igrejas foram erguidas no local onde anteriormente se situavam mesquitas. Um exemplo é a Igreja de San Lorenzo, cuja construção iniciou-se logo após a reconquista de Córdoba. Foi finalizada no século XIV no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário é do século XVI, cujo projeto realizou o arquiteto Hernán Ruiz II, que também foi o construtor da torre campanário da Catedral. Aproveitou os restos do antigo minarete da mesquita, cujos restos ainda se podem ver na base da torre. Esta igreja é considerada uma das mais conservadas da cidade, em quanto a sua estética medieval. Muito bonito é a roseta que preside a fachada principal, do século XIV, combinando elementos góticos com mudéjares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma placa com inscrições referentes à construção da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal está formada por um pórtico composto por 3 arcos, um dos quais vemos a seguir, de estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Lorenzo é considerado um santo muito popular na Espanha, principalmente depois  que seu culto se estendeu graças a devoção do Rei Felipe II, a quem lhe atribuiu a vitória na Batalha de San Quintín contra os franceses, oferecendo-lhe a titularidade do Monastério de El Escorial. Abaixo, vemos fotos gerais do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Capela Maior foram descobertas pinturas góticas do século XIV. Por este motivo foi retirado o retábulo que adornava a capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém edificada sobre uma mesquita é a Igreja de San Miguel, construída entre os séculos XIII e XIV. A torre é posterior, do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem conservada, uma de suas portas é do estilo gótico, que vemos acima (XIII). A outra é mudéjar, do século XIV. Está formada por um Arco de Ferradura de estilo califal e um alfiz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs arcanjos constituem uma classe especial dentro da hierarquia celeste, pois não são anônimos como os demais anjos, e conhecemos seus nomes. O Arcanjo São Miguel é o príncipe das milícias celestes que dirige os combates contra os anjos rebeldes, sendo considerado protetor da igreja. Também é o santo condutor dos mortos, cujas almas serão pesadas no dia do juízo final. Por seu caráter defensor, é considerado o melhor guardião dos locais sagrados.

Edifício da Prefeitura de Valencia: Parte 2

O Edifício da Prefeitura de Valencia é  a sede do Museu Histórico Municipal, um interessante espaço cultural que expõe diversos objetos de relevância histórica relacionados com a cidade. O museu foi criado em 1927, ainda que sua configuração atual data de 1935, quando foram realizadas reformas pelo arquiteto Javier Goerlich no local onde originalmente se situava a Capela da Real Casa de la Enseñanza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de conhecer as várias salas que compõem o Edifício da Prefeitura, o visitante poderá contemplar alguns objetos que se converteram em verdadeiras relíquias, como o Pendón capturado dos árabes durante a reconquista da cidade pelo monarca Jaime I.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Quadros de temática religiosa também englobam a coleção do museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um quadro que representa o Arcanjo Miguel como pesador das almas, disputando com o demônio o destino de cada indivíduo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Sala Floral recebe este nome porque nela se exibe os Foros de Valencia, conjunto de leis outorgadas por Jaime I em 1261, que regeram a história do Reino de Valencia. O espaço foi decorado com pinturas murais realizadas por José Vergara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala foi decorada com um teto de inspiração mudéjar e adornado com motivos heráldicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto interessante constituem os mapas históricos da cidade, como o de abaixo, de 1704.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o Escudo de Valencia, formado por um dos símbolos mais queridos pelos valencianos, o morcego, colocado em sua parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO emprego de animais é muito comum nos brasões de todo o mundo, sendo os mais frequentes os animais ferozes como o urso, leão, águia, etc, e também os de caráter mitológico, como os dragões. O morcego é uma figura heráldica presente em vários escudos relacionados com a Coroa de Aragón, e sua incorporação ao escudo da cidade está relacionado com uma tradição que remonta à reconquista de Jaime I. Uma lenda diz que os exércitos muçulmanos prepararam um ataque surpresa contra as tropas do monarca Jaime I. Uma noite, quando os soldados dormiam num acampamento, foram despertados por um barulho estranho, posteriormente associado a um morcego. O exército do rei conseguiu repelir o ataque inesperado e poucos dias depois, Jaime I entrou vitorioso na cidade. Outra explicação diz que um morcego pousou no casco do rei, sendo interpretado para que estivesse sempre vigilante. No centro do escudo vemos também duas letras L, relacionadas ao título de “Duas vezes leal”, concedido à cidade durante a guerra castelhano-aragonesa, travada entre os reis Pedro IV de Aragón e Pedro I de Castilla, na chamada “Guerra dos dois Pedros”. Finalizamos a matéria com imagens de alguns detalhes decorativos presentes no Edifício da Prefeitura de Valencia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA