Ampliação do Museu Reina Sofia

O Museu Reina Sofia de Madrid é considerado um dos museus de Arte Contemporânea mais importantes de todo o mundo. Sua exposição permanente exibe obras dos artistas mais influentes dos séculos XIX e XX, como Picasso, Dalí, Miró, etc. Entre todas as pinturas deste museu imprescindível destaca-se o famoso quadro de Picasso “Guernica“, possivelmente o quadro mais importante do século XX (ver post publicado em 17/5/2012). Realizei também, entre 29/6 e 4/7/2016, uma série de publicações sobre as obras primas do museu, que servem de referência a uma visita ao Reina Sofia. O museu encontra-se sediado no edifício do antigo Hospital de San Carlos, entidade fundada no século XVI pelo Rei Felipe II com a finalidade de centralizar todos os serviços de atendimento hospitalar que se encontravam dispersos pela capital da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, o monarca Carlos III decidiu construir um novo edifício para o hospital, já que as instalações do edifício anterior ficaram insuficientes com o crescimento populacional da cidade. O projeto foi encarregado aos arquitetos José de Hermosilla e, principalmente, a Francisco Sabatini. Ainda hoje, a sede principal do museu é conhecida como Edifício Sabatini. O hospital foi clausurado em 1965, e o edifício sobreviveu apesar dos rumores sobre sua demolição, principalmente depois que foi catalogado como Monumento Histórico-Artístico em 1977, garantindo sua continuidade. Em 1980 inicia-se sua restauração e em 1986 se inaugura o Centro de Arte Reina Sofia, utilizando os primeiros andares do edifício como salas de exposições temporárias. No final de 1988 se construíram as torres de aço e vidro para servir de elevadores. A coleção permanente do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, seu nome completo, foi inaugurada em 1992, com a presença do Rei Juan Carlos I e sua esposa, a Rainha Sofia, com os fundos artísticos provenientes do antigo Museu Espanhol de Arte Contemporânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 2001 e 2005, o museu foi alvo de uma grande ampliação, a cargo do arquiteto francês Jean Nouvel, cujo resultado contribuiu para transformar o aspecto do museu e da própria paisagem urbana de Madrid.

20190202_125010O custo da obra foi de 92 milhões de euros e possibilitou um aumento de 60% da superfície do museu. Uma praça, decorada com uma escultura de Roy Lichtenstein, conecta o Edifício Sabatini com as estruturas de ampliação realizadas por Jean Nouvel.

20190202_132209Jean Nouvel (França – 1945) é considerado atualmente um dos arquitetos de maior prestígio internacional e recebeu em 2008 o Prêmio Pritzker de arquitetura. Para ele, a arquitetura constitui uma arte visual, uma produção de imagens que provocam emoções e sensações, algo que podemos comprovar numa visita ao museu.

20190202_13222920190202_133023A ampliação do museu possibiltou a construção de uma excelente biblioteca, duas novas salas para exposições temporais, dois auditórios, uma loja e um restaurante, cujas imagens vemos abaixo…

20190202_13014720190202_131525Qualquer pessoa pode conhecer esta parte do museu, sem a necessidade de pagar entrada para ver o acervo permanente, visita que evidentemente recomendo. A seguir vemos o contraste entre os dois edifícios, o histórico de Sabatini e a obra realizada por Jean Nouvel.

20190202_13365220190202_133630Vale a pena subir na parte mais alta do edifício e contemplar as vistas que oferece, principalmente da Estação Ferroviária de Atocha, situada nas proximidades do museu.

20190202_133239Finalizo o post com outras fotos do Museu Reina Sofia

20190202_13342620190202_13345420190202_131815

 

Parque Madrid Rio: Pontes

Dentro do patrimônio histórico integrado ao Parque Madrid Rio, as pontes formam um capítulo à parte. Em sua passagem por Madrid, o Rio Manzanares é atravessado por 33 pontes e passarelas, das quais 12 são consideradas pontes históricas, sendo que algumas das mais famosas fazem parte do parque. Neste post, veremos as principais pontes de Madrid. A ponte de origem mais antiga é a Ponte de Segóvia, construída durante o reinado de Felipe II (segunda metade do século XVI). No entanto, a ponte que vemos atualmente é uma reconstrução, pois a original foi destruída durante a Guerra Civil Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ponte de Segóvia é utilizada tanto pelos veículos, quanto pelos pedestres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe início do século XIX, a Ponte do Rei, como o próprio nome indica, era de uso exclusivo do monarca, unindo o Palácio Real com a Casa de Campo, local adquirido pela monarquia para seu retiro e também para a caça. Construída pelo arquiteto Isidro González Velázquez, atualmente é utilizada somente para pedestres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Ponte dos Franceses é a única ponte ferroviária da cidade. Foi construída  a partir de 1860 por engenheiros franceses, o que explica seu nome. O trem que a atravessava pertencia à Companhia de Ferrocarriles del Norte, ligando Madrid com a norte da Espanha, e possuía capital francês. Composta por 5 arcos, destaca o tijolo vermelho, material com que foi construída.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Ponte Reina Victoria foi inaugurada em 1909, com alguns elementos modernistas. Seu nome homenageou a rainha Victoria Eugenia, casada em 1906 com o Rei Alfonso XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1955 é a Ponte das Bolas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVárias pontes foram construídas em época recente, caso da Ponte do Principado de Andorra, que contou com a participação, no dia de sua abertura, do chefe de governo  deste país encravado nos Pirineus, cordilheira montanhosa situada entre a Espanha e a França. Possui um curioso formato em “Y” e um chamativo cor verde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ponte de Arganzuela é uma belíssima estrutura de arquitetura contemporânea, e proporciona um toque de modernidade ao parque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetada pelo arquiteto francês Dominique Perrault e inaugurada em 2011. Esta ponte metálica consta de dois grandes tubos de 278 metros, unidos por uma plataforma central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe uso exclusivo para pedestres, sua construção teve outra finalidade, a estética do parque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Ponte do Matadouro, uma das últimas em ser construída. O teto interior foi decorado com pastilhas, muito interessante…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa minha opinião, a mais bela ponte de todas é a Ponte de Toledo, que merece um post especial…

Terminal 4 – Aeroporto de Barajas

A primeira vez que pisei no solo de Madrid tive uma grande sensação de modernidade e de grande capacidade técnica relacionadas à sua Arquitetura Contemporânea, pois havia chegado à cidade pelo Terminal 4 do Aeroporto Adolfo Suárez-Barajas. Desde então, é uma grande satisfação para mim poder sair e entrar no país por esta belíssima obra arquitetônica.

20160502_140436O Terminal 4 (T4) e seu terminal satélite (T4S) começaram a ser  construídos em 2000 segundo o projeto do arquiteto britânico Richard Rogers (que recebeu o Prêmio Pritzker em 2007, considerado o Nobel da Arquitetura) em colaboração com o madrilenho Estudio Lamela. Inaugurado em 2006, esta última ampliação do aeroporto recebeu inúmeros prêmios nacionais e internacionais de arquitetura. Com 470 mil metros quadrados, o T4 transformou o Aeroporto de Madrid  no maior da Europa no quesito superfície de terminais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA concepção arquitetônica do Terminal 4 foi baseada na conjunção de vários fatores integrados em sua estrutura. O desenho deveria responder às exigências de economia energética e funcionalidade. A cobertura de forma ondulada é uma de suas principais características, tanto no interior, quanto no exterior do aeroporto.

20151028_12181520151028_12193220160502_140521As colunas colocadas em pares foram pintadas de várias cores diferentes, identificando as distintas zonas do terminal.

20151028_120558Outro conceito fundamental no projeto foi o aproveitamento de luz natural…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior do terminal a estrutura metálica do teto foi revestida com tiras de bambu que lhe proporcionaram uma aparência suave, em contraste com os tubos de aço das colunas que o sustentam.  O emprego de materiais simples tornou o ambiente interno atraente e tranquilo, contribuindo para a grande sensação de calma que sentimos no interior da construção.

20151028_122006O Terminal 4 está composto por dois edifícios, o terminal principal e o satélite (T4S), separados 1 km um do outro e comunicados por um trem elétrico sem condutor que realiza o trajeto entre ambos edifícios por uma galeria subterrânea. Por sua vez, o complexo do T4 está separado pelos demais terminais (T1, T2 e T3) por 2 Km, integrados por um serviço gratuito de ônibus de conexão entre eles.

20151028_12235820151028_122733O edifício principal possui 6 andares, três dos quais subterrâneos. Foi desenhado para alcançar a cifra de 35 milhões de passageiros ao ano, mas se espera que em 2020 chegue aos 70 milhões de passageiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs (as) brasileiros (as) que desejem conhecer Madrid podem optar pelas seguintes companhias aéreas, que possuem vôos regulares com cidades brasileiras, chegando ao Aeroporto de Barajas nos seguintes terminais:

1) Latam: SP-Guarulhos (Terminal 4)

2) Iberia: SP-Guarulhos e Rio de Janeiro-Galeão (Terminal 4)

3) Air China: SP-Guarulhos (Terminal 1)

4) Air Europa: SP-Guarulhos, Rio de Janeiro-Galeão, Salvador e Recife (Terminal 1)

Igreja de Santa Mônica – Rivas Vaciamadrid

Neste último post desta série sobre as mais interessantes igrejas de arquitetura moderna e contemporânea de Madrid, falaremos um pouco sobre a Igreja de Santa Mônica, situada na cidade de Rivas Vaciamadrid, um município localizado na zona leste da área metropolitana de Madrid. Com cerca de 85 mil habitantes, esta cidade de nome curioso possui uma alta qualidade de vida, sendo que uma de suas maiores atrações é justamente esta igreja, de uma arquitetura ousada e que se tornou um símbolo da nova arquitetura espanhola realizada nas proximidades da capital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta intrigante igreja foi projetada por Ignacio Vicens e José Antonio Ramos, dois professores da Escola de Arquitetura de Madrid, que a conceberam como um grande espaço alargado feito de aço oxidado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção integra, além da igreja, o despacho paroquial e a casa do padre, e foi congratulada pela revista internacional de arquitetura Wallpaper como a melhor igreja construída em 2008. Abaixo, vemos imagens de seu translúcido interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior carece de ornamentos decorativos, e os elementos arquitetônicos constituem sua singular beleza. Aberturas nas paredes do templo propiciam a entrada de luz natural, criando um espaço de grande poder espiritual, algo que podemos sentir estando dentro da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arquitetura Contemporânea – Madrid (Parte 2)

Na matéria de hoje, veremos mais dois edifícios que se converteram em marcos da Arquitetura Contemporânea de Madrid. O primeiro deles é a chamada Torres Blancas, situado na Avenida de América, um edifício destinado tanto para residências, quanto para escritórios comerciais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de seu nome, o edifício é cinza, feito quase inteiramente com concreto armado. Inicialmente, a ideia é que fosse construído com concreto branco, algo que não chegou a realizar-se. Com 81m de altura e 23 andares, foi projetado pelo arquiteto Francisco Javier Saénz de Oiza entre 1964 e 1969.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom este edifício Saénz de Oiza, que nele viveu o resto de sua vida, recebeu o prêmio de Excelência Europeia em 1974. O edifício foi projetado como uma estrutura a base de cilindros que rodeiam todo seu perímetro e com balcões feitos de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção carece de pilares, as paredes externas e a estrutura vertical interna são os elementos que realizam a função de sustentação. As Torres Blancas são consideradas um dos melhores exemplos do denominado Organicismo em toda a Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm cada andar, se agrupam 4 apartamentos, combinando formas circulares e retangulares. Os proprietários contam curiosos casos em relação a dificuldade de se colocar móveis convencionais junto a paredes curvas. Abaixo, vemos uma placa comemorativa que salienta a importância arquitetônica do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos algumas imagens do andar térreo, e suas curiosa construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro símbolo da Arquitetura Contemporânea de Madrid situa-se em pleno Paseo de la Castellana, o Edifício Bankunión.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste interessante edifício foi projetado pelos arquitetos José Antonio Corrales Gutiérrez e Ramón Vázquez Molezún entre 1972 e 1975. É considerado um edifício inovador, pois foi o primeiro em aplicar linhas industriais num edifício de oficinas empresariais e também na utilização de materiais metálicos em sua estrutura ornamental.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua distribuição e os materiais empregados criaram um edifício feito com chapas metálicas e vidro, com uma cobertura metálica abovedada. A cor bronze de suas janelas reduziu o calor provocado pelos raios solares. Atualmente, o Edifício Bankunión é a sede do Parlamento Europeu em Madrid e acolhe também a Embaixada da Irlanda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arquitetura Contemporânea – Madrid

A matéria de hoje está dedicada a alguns edifícios, que apesar de sua “pouca idade”, já se transformaram em símbolos da nova arquitetura que está sendo realizada em Madrid. O primeiro que vamos ver foi construído no novo Bairro de Sanchinarro, sendo denominado Edifício Mirador (Mirante, em português).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizado em 2005, foi projetado pelo estudo de arquitetura holandês MVRDV, em colaboração com a arquiteta Blanca Lléo Fernández. Este edifício residencial está formado por distintos blocos que se diferenciam por suas cores e texturas. Estão superpostos para criar uma estrutura vertical perfurada. No centro, se abre um grande vão central, que cumpre a função de um terraço de uso comum e que oferece estupendas vistas do entorno, como um mirante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAForam utilizados 9 blocos independentes ao redor do vão central, sendo que cada um foi planejado de forma diferenciada, proporcionando diversos tipos de apartamentos. Apesar de suas inovações, o Edifício Mirador foi alvo de várias polêmicas e críticas. No entanto, é inegável o valor de sua atrevida arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras construções se caracterizaram pelas soluções técnicas encontradas, que possibilitaram que fossem edificadas segundo critérios de sustentabilidade ambiental. Um deles é o edifício sede da Companhia Petrolífera Repsol, situado no centro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO conjunto de edifícios se compõem por 4 blocos, situados ao redor de um jardim. Projetado pelo arquiteto Rafael de la Hoz Castanys, é um dos poucos centros corporativos localizados no centro da capital espanhola, já que a grande maioria se encontra em zonas afastadas da área central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos destaques de seu projeto é a fileira de pórticos elevados que parecem levitar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVários critérios de sustentabilidade meio ambiental foram respeitados em seu planejamento, como a utilização de materiais reciclados, fontes alternativas de energia e acessibilidade para pessoas com problemas de locomoção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA utilização de luz natural foi empregada em todas as áreas do edifício. Nos espaços internos a temperatura é controlada por um sistema de monitoramento climático que mantêm a temperatura agradável, aumentando a qualidade laboral de seus empregados. O conjunto oferece aos funcionários uma cafeteria, academia de ginástica e um centro médico, entre outros serviços.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA empresa de cervejas Heineken instalou-se num novo edifício situado no Bairro de Montecarmelo, e foi planejado segundo as mesmas normas ambientais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsta de 4 andares reservados para os escritórios da empresa, dois andares subterrâneos para garagem e uma zona comercial situada no nível da rua. Um dos projetos mais interessantes realizado em Madrid nos últimos anos, está formado por uma fachada composta por 2 mil metros quadrados de peças cerâmicas, que contribuem para uma maior eficiência energética.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesenhado pelo arquiteto Javier Pinilla, combina os espaços fechados com áreas abertas, ocupadas por elementos naturais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto bioclimático da construção possibilitou a incorporação de uma arquitetura sustentável e, ao mesmo tempo, funcional, com a consequente melhora das condições de trabalho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA