Último Passeio por Medina de Rioseco

Neste último post dedicado a Medina de Rioseco, gostaria de salientar a beleza que se esconde na simplicidade de suas construções residenciais, que refletem a arquitetura popular desta cidade tipicamente castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm muitas das casas da vila aparece o nome da cidade junto as luminárias…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha estadia pela cidade, pude percorrer suas ruas e praças tranquilamente, descobrimento lugares em que o tempo parece ter sido congelado, mas que possui um  grande encanto para o olhar do viajante…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma Buhardilla, uma espécie de janela vertical construída sobre o telhado, com a finalidade de iluminar o interior da casa e permitir o acesso ao telhado. É muito comum nas residências tradicionais de todo o território espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns monumentos históricos ainda permanecem de pé, apesar de não se conhecer qual seria sua função original, caso do Arco de las Carnicerías

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA comunidade de religiosas carmelitas chegaram à cidade no século XVII, e levantaram o Monastério de San José, um típico edifício barroco, feito de pedra e tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua fachada exterior, vemos a imagem de São José com o Menino Jesus em sua parte central. Ao lado, foram colocados os escudos dos Almirantes de Castilla e de Vittoria Colonna, uma dama italiana que se casou com um dos Almirante, e que patrocinou a construção do convento . Na parte superior triangular, aparece o escudo da Ordem Carmelita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o convento permanece fechado e meio abandonado, pois as freiras se mudaram para o Convento da Ordem Carmelita de Valladolid. Para a alegria geral, um circo se apresentava na cidade nos dias em que lá estive…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMe impressionou muito o Pavilhão Desportivo da cidade, que oferece uma ótima infraestrutura para a prática de vários esportes. Recebeu o nome de Pavilhão Canal de Castilla, ao estar localizado junto a este canal, que vimos na última matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo o post com outras imagens de Medina de Rioseco

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe Medina de Rioseco, peguei um ônibus que tardou meia hora até meu próximo destino, a espetacular vila de Urueña, que está incluída na lista dos Pueblos Mais Belos de Espanha. A partir do próximo post, vocês terão a oportunidade de conhecê-la…

Navalcarnero – Parte 3

Graças aos interessantes monumentos que possui, a cidade de Navalcarnero foi declarada Bem de Interesse Cultural (BIC). Sua Praça Maior, também chamada Praça Segóvia, é o centro comunitário do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Maior, de um curioso formato irregular, é um exemplo da denominada Arquitetura Popular Castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma parte de seu perímetro está formada por uma galeria de colunas, que sustentam as residências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor sua vez, as casas apresentam uma bela fachada colorida com elementos figurativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo fundo da praça vemos a silueta da Igreja de N. Sra. de Assunción, o principal templo religioso da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMonumento Histórico-Artístico desde 1982, a igreja é a referência histórica mais antiga de Navalcarnero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, sao duas igrejas construídas em épocas diferentes, que acabaram se unindo. Isso explica suas grandes dimensoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte mais antiga data de 1520. A torre, construída dentro dos parâmetros da estética mudéjar, pertence a este período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o crescimento da cidade, tornou-se necessária a construçao de uma nova igreja. A fachada foi edificada no final do séc. XVIII. No interior, podemos apreciar as arcadas originais de sua época primitiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Retábulo Maior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém deste grandioso templo, Navalcarnero possui várias ermitas, entre as quais destacamos a de San Roque, fundada nos anos finais do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vocês puderam ver nos últimos posts, Navalcarnero é um destino altamente recomendável para as pessoas que desejam conhecer uma Espanha diferente, mas igualmente interessante, com história, cultura e gastronomia típicas.

As Cuevas de Chinchilla

Uma das atraçoes mais surpreendentes e curiosas de Chinchilla de Monte-Aragón sao suas casas escavadas na rocha, muitas das quais se debruçam sobre a ladeira do monte onde está localizada a cidade. Por isso mesmo, sao conhecidas como as Cuevas de Chinchilla. A própria natureza das rochas que compoem o cenário da regiao possibilitam a formaçao de covas naturais, e muitas delas acabaram se convertendo em residências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs origens destas cuevas como lares dos habitantes da cidade nao está bem esclarecida. Provavelmente, algumas foram escavadas durante os primeiros séculos da dominaçao árabe (a partir do séc. VIII). Alguns dizem que seus primeiros povoadores foram os judeus e muçulmanos, quando foram expulsos de suas casas tradicionais, logo depois da reconquista do Reino de Granada pelos Reis Católicos, em 1492. Muitas delas possuem nome, como a Cueva  del Ratonero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu entao a Cueva Rústica

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a expulsao definitiva dos judeus no séc. XV e posteriormente a dos moros no séc. XVII, foram construídas de forma massiva, trazendo como consequência o surgimento de uma populaçao marginalizada, estabelecida fora do controle administrativo e eclesiástico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil Espanhola do séc. XX, muitos habitantes perderam suas casas, encontrando nas cuevas um refúgio que acabou transformando-se em seus próprios lares. Atualmente, as Cuevas de Chinchilla converteram-se num local saudável, ecológico e plenamente integrado no ambiente paisagístico da cidade, constituindo uma simbiose entre a natureza e as obras humanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das cuevas oferecem alojamento, tornando-se uma das principais atraçoes turísticas da regiao. A temperatura interior é constante durante todo o ano (entre 18 e 20 graus), nao sendo necessária a calefaçao, mesmo nos frios meses de inverno.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm algumas zonas da cidade, existem vários exemplares de cuevas que, unidos, transformaram-se quase em bairros, um tanto singulares, por certo. Um exemplo sao as Cuevas del Agujero (Covas do Buraco), cuja beleza é um bálsamo para a fotografia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo local, chamam a atençao suas características chaminés, altas e de formato cônico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA rocha tipo calcárea possui qualidades que a tornam fácil de modelar. Inclusive, algumas cuevas foram unidas por uma rede de túneis e canais. O ambiente resultante é acolhedor, íntimo e rústico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arquitetura Negra – Parte 2

Estes pequenos e austeros povoados da Província de Guadalajara puderam conservar sua característica Arquitetura Negra graças ao seu próprio isolamento, imposto pela natureza serrana da regiao. Historicamente, esta zona fazia parte da fronteira entre os antigos Reinos Cristaos e os territórios dominadas pelos árabes. Tradicionalmente, a base da economia era a produçao de la. O pueblo de Roblelacasa pertence juridicamente a Campillo de Ranas, e guarda inúmeras construçoes realizadas com a pizarra, matéria prima deste tipo de arquitetura. Sua igreja é um exemplo da arquitetura religiosa popular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pouco mais adiante, situa-se o pueblo de Espinar, inteiramente construído com a pizarra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs chaminés sao um dos elemento mais representativos das casas desta regiao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA maior parte dos habitantes destes povoados sao de mais idade, e os espaços lúdicos em que praticam suas atividades de ócio também utilizaram a pizarra para sua construçao, como a pista de bocha, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVisitar os Pueblos de Arquitetura Negra é uma excelente opçao turística para aqueles que estao hospedados em Madrid, e tranquilamente se pode realizar uma excurçao de um dia pela regiao. Algumas casas se destacam pela cuidadosa decoraçao floral, dando um toque de beleza a estes pitorescos Pueblos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA regiao onde se encontra os povoados é um Parque Natural, e sao muitas as opçoes de senderismo que conduzem a convidativas cachoeiras. Retornando a cidade de Tamajón, visitamos ainda a Cidade Encantada, uma zona repleta de formaçoes geológicas curiosas, esculpidas pela açao dos processos erosivos e pela dissoluçao da água pluvial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Guadalupe – Parte 3

Um dos detalhes que mais chamam a atençao no pueblo de Guadalupe sao os numerosos edifícios que, em sua origem, funcionavam como hospitais. Um exemplo é o Hospital de San Juan Bautista,  construído em 1402 pelo prior do monastério Yañez de Figueroa. No local, desenvolveu-se a célebre Escola de Medicina e onde por primeira vez  foi realizada  uma dissecaçao de um corpo humano em toda a Espanha, privilégio concedido por uma bula papal. O hospital encontra-se adossado ao Colégio dos Infantes, que vimos no post anterior.

DSC08794Também era conhecido como Hospitais dos Homens, e abaixo vemos uma inscriçao explicativa da origem da instituiçao.

DSC08793Na Idade Média, os hospitais possuiam um conceito bem diferente do atual. Mais do que centros médicos, eram lugares que prestavam assistência aos numerosos peregrinos que chegavam à cidade (no Caminho de Santiago sao abundantes os hospitais com esta mesma funçao). Os primeiros hospitais existentes em Guadalupe remontam ao séc. XIII. Entre 1435 e 1447 foi inaugurado o Hospital das Mulheres, destinado às mulheres peregrinas e necessitadas.

DSC08839Acima, vemos a porta de entrada do antigo hospital. Junto com o Hospital de San Juan Bautista, era considerado o principal  do pueblo. A seguir, vemos os capitéis que adornam a porta.

DSC08841Para peregrinos pobres e confrades doentes, existia o Hospital de San Sebastian.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído a finais do séc. XV, o Hospital de la Passión estava destinado aos membros da Confraria da Sagrada Paixao. Adquiriu importância histórica por sua dedicaçao, no séc. XVI, para a cura da sífiles e outras doenças contagiosas. Posteriormente, foi transformado em fábrica de sabonetes e suas imagens religiosas foram levadas ao monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe que se destaca na arquitetura dos edifícios de Guadalupe é a variedade estilística de suas portas e janelas. Abaixo, vemos alguns exemplos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC08846DSC08751DSC08786DSC08845A partir do próximo post, conhecermos a instituiçao reponsável pela existência do povoado de Guadalupe, e razao pela qual tornou-se famoso no mundo inteiro, o Real Monastério, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Ocaña – Parte 3

Ocaña nos reserva ainda muitas surpresas por conhecer. Na Idade Média, era comum nos povoados  de Castilha a existência de uma estrutura de pedra denominada Rollo de Justiça, cuja funçao principal consistia em representar a categoria administrativa do lugar, e o regime ao qual estava submetido: Realengo (submetida diretamente ao Rei), Eclesiástico (submetido à Igreja) ou Senhorial (território pertencente à nobreza, caso de Ocaña). Normalmente, trata-se de uma coluna de pedra, rematada por uma bola ou cruz. Denominado também como Picota, os Rollos de Justiça comprovam o satus de plena jurisdiçao de uma vila. O de Ocaña, foi levantado em época gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA estrutura servia também como local de castigo, onde os criminosos eram açoitados e expostos a vergonha pública. Antigamente, o Rollo estava situado em plena Praça Maior, e posteriormente foi levado ao seu lugar atual. Além dele, outros dois monumentos compoem o espaço que observamos hoje em dia. O Teatro Lope de Vega foi construído em 1558, inicialmente como um antigo Colégio de Jesuítas, formador das famílias ilustres da cidade. Nele foi educado Francisco de Quevedo, um dos grandes nomes da Literatura Espanhola. Antes de transformar-se em teatro, foi ainda quartel de cavalaria. OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do teatro, ergue-se uma imponente torre mudéjar, típica da Província de Toledo. O conjunto formado por estes três elementos (rollo, teatro e torre) nao deixa de ser curioso. No plano religioso, muitas sao as igrejas e conventos destacáveis da Vila de Ocaña. O templo paroquial é a Igreja de Santa Maria. Sua origem remonta a uma primitiva mesquita, construída no séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja atual foi construída no séc. XV no estilo renascentista, e finalizada no séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras igrejas nao resisitiram aos séculos, mas deixaram restos de seu antigo esplendor. Este é o caso da Igreja de San Martin, cuja esbelta torre foi um dos poucos elementos conservados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da torre, vemos a portada da igreja que, como o templo, foi construído no séc. XV, no estilo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos exemplos de arquitetura popular de Ocaña é a singela Ermita de Jesus de Las Cuevas, construída entre os séc. XVIII e XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo e último post sobre Ocaña conheceremos o Convento de Santo Domingo, um dos mais importantes e conhecidos da cidade.

Belas Praças de Espanha – Parte 3

Além das funções originais como mercado e da localização de edifícios públicos, as Praças Maiores também foram os locais preferidos para solenidades e festividades, algumas das quais felizmente já não existem, como os autos de fé praticados pelo Tribunal da Inquisição (principalmente no que se refere à sua parte solene, pois os réus eram executados em locais mais discretos) e execuções públicas de caráter civil. Muitas vezes, tornaram-se o centro de manifestações sociais. No entanto, dentre os espetáculos realizados em seu entorno, o mais praticado, sem dúvida alguma, foram as corridas de touros. Muitas praças foram expressamente construídas para este fim, como no caso de Tudela (Navarra).

DSC01417DSC01416A partir do séc. XIX, começaram a ser edificadas Praças de Touros permanentes, abandonando-se o costume de realizá-las na Praça Maior. Porém, em alguns locais, o costume ainda permanece, como no caso de Chinchón, pueblo situado na Comunidade de Madrid. Nos dias festivos, ainda são realizados corridas de touros em sua Praça Maior, consideradas uma das mais belas e pitorescas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Praças Maiores são locais acolhedores e cheios de vida, e ponto de encontro da vida social. Algumas delas são autênticos monumentos, grandiosas e magníficas, como a Praça Maior de Salamanca e a de Madrid. Outras possuem elementos tradicionais de caráter popular, que a distinguem das demais, como no caso de Chinchón. Um outro exemplo de arquitetura tradicional vemos na Praça Maior de Puerto Lápice (Castilla-La Mancha).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOu então como Tembleque, povoado situado próximo à Puerto Lápice.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor suas características que lhe proporcionam amplas perspectivas e por ser um lugar muito frequentado, a Praça Maior é o local perfeito para a colocação de estátuas e monumentos, que rendem homenagem a personalidades ilustres e acontecimentos fundamentais da história. Abaixo, vemos novamente a Praça Maior de Madrid, presidida pela monumental estátua equestre de Felipe III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIX, já consideradas como locais de encontro e ócio, foram colocados bancos para o descanso e quiosques para representações musicais. Atualmente, é o local escolhido por uma grande variedade de artistas e cenário de uma grande agenda cultural. Abaixo, vemos a Praça Maior de Toro (Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das mais belas Praças de Espanha conservam seu caráter medieval, tema do nosso próximo post…